História Campbell Family - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Bebidas, Brigas, Comedia, Descobrindo, Drama, Drogas, Família, Gay, Heterossexual, Homossexual, Incesto, Irmãos, Irmãs, Lesbicas, Lgbt, Musculosos, Ódio, Pais, Paixão, Patricinha, Primos, Ricos, Romance, Twinks
Visualizações 30
Palavras 2.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bem vindo ao lar Campbell, estava aguardando um grande tempo para mostrar o meu mundo de criatividade para todos. Espero que gostem, assim como eu gostei de escrever, produzir e reformular cada capítulo e o roteiro.

...

Se prepare para drama, comédia, emoção, tensão, romance, tesão e muita briga. Bem vindos a nossa linda família tradicional e unida.

Capítulo 1 - House Campbell


Fanfic / Fanfiction Campbell Family - Capítulo 1 - House Campbell

~ Bárbara 

- Pai! Eu não posso acreditar que iremos morar todos juntos, isso é suicídio social em pleno século vinte e um. Sem falar que meu grupo ficará abandonado, sendo que finalmente me tornei a abelha rainha, que é um sonho meu desde os 13 ainos. - Falo quase explodindo de raiva, enquanto sento na cama e jogo meu rímel no tapete.

- Mas filha, você adorou a casa quando fomos olhar ela, até imaginou você e suas amigas na piscina. - Fala encarecidamente, enquanto senta ao meu lado tentando me convencer. 

- Sim, pois não imaginava que seria com todos eles. Eu odeio a Clara, você sabe disso, desde que brincávamos com bonecas Malibu Staccey. - Falo deitando a cabeça nas pernas do meu pai 

- Eu entendo Bárbara, mas não posso mais fazer nada, todos estão indo para a casa e falta apenas você. Seu irmão já foi para a casa arrumar seu quarto, ele irá dividir com o Henrique. 

Dou uma leve revirada com os olhos, pego minha mala e fico de costas sem olhar para o papai. Para ele entender que estava reprovando tudo aquilo, sem mostrar um sorriso. Ando até o carro, dando inúmeras malas ao motorista. Era uma pequena viagem, com menos de 6km. Então tinha apenas cinco minutos para me despedir das meninas, por meio de uma chamada de vídeo. 

- Staccey ... cuida delas pra mim, apenas eu consigo avisar quando a Shaft extrapola com o cartão de credito do pai falido dela. Não deixe a Winnie abrir as asinhas, eu sempre serei a vencedora. Vejo vocês na competição de torcida.

Desligo a vídeo chamada, limpo meus olhos sujos de rímel e desço do carro. A casa definitivamente era linda, logo vejo um garoto sem camisa, ao redor dele estava meus primos e meu irmão.  O garoto sem camisa era meu primo, ele sempre foi o mais musculoso de todos. Estava bonito, mas era nojento e eu odiava ele. Lucas é um garoto que sempre implicou comigo, fazendo eu odiar ele por anos. Temos anos de inimizade, brigávamos em festas ds família, morando junto com ele ... suicídio seria uma opção perfeita. 

~ Lucas

- Olha, vejam quem chegou. A Paris Hillton da família Campbell ... - Aponto discretamente para o carro, sem deixando de perceber o quanto a Bárbara estava linda e cada dia mais gostosa. Mas não tirava o fato de que eu odiava ela infinitamente. 

- Bruno, você é meu melhor amigo e tem como irmã uma patricinha desse tipo que é quem eu mais odeio. - Falo enquanto bebo um pouco de whisky, encarando ele.

- Que merda o papai fez - Fala o Bruno enquanto sorri e senta na grama. 

Resolvo entrar, para buscar outro copo com bebida. Quando entro, não deixo de reparar o meu priminho Bob que cresceu bastante e está com uma bela bunda.  Bob estava empinado no balcão, deixando sua bunda bem pra cima. Enquanto isso ele conversa com a Clara e Karen, como se fosse uma espécie de demônio e anjinho. Uma morde e outra assopra. 

- Tchau Bob ... do nada o "ar" ficou um pouco sujo. Vamos Karen, deixaram entrar qualquer um nessa casa. - Murmurra Clara enquanto sai da cozinha jogando seus cabelos. 

Hum ...sinto que essa Clara sente algo por mim. 

- Hey Bob! - Grito enquanto entro na cozinha, dando um tapa de brincadeira na bundinha dele. 

- Cacete! Sua mão é pesada, brutamonte 

- Desculpa princesa, bato mais devagar depois. Não chora ta?

Que bunda durinha e bonita ... para Lucas, você não pode ter esses pensamentos. Você é hetero, jogador de futebol e gosto apenas de bundas femininas. 

- Seu idiota! - Bob fala um pouco nervoso passando a mão nas nádegas para passar a dor mais rápido. 

- Desculpa, não posso controlar minhas mãozinhas. Você pode me fazer um favor? 

~ Clara

A casa não parece nada mau, apenas o que estraga são os seres humanos que habitam isso. As vezes imagino, que sou uma das poucas da família que tem senso e sanidade mental. 

- Vamos ao jardim, preciso de ar. - Falo olhando para a Karen, logo dando um tchauzinho para o Bob e esbarrando no enorme braço do patético do Lucas.

Ao chegar no jardim percebo a maior vadia de todas, com uma roupa estilo Kardashian e com a cara de metida. Logo puxo a Karen e me dirijo até a vaca. 

- Olha Karen, veja quem chegou direto da cabine de segurança do shopping. Como a senhorita Bárbara Campbell cresceu ... acho que o Lucas e a Eduarda não foram os únicos que voltaram melhorzinhos depois de um tempo, mas o seu melhor é o meu pior quando acordo de manhã. Whatever bitch! - Sorrio jogando meu cabelo e observando a cara dela enquanto tenta debochar, com a cara cínica e pálida dela.

- Olha aqui minha filha, não tenho culpa de ser melhor que você em tudo e você sentir a mágoa toda vez que me olha e lembra que até a quantidade de seguidores no seu Instagram é inferior a minha, muito inferior.  - Fala enquanto sorri, aproveitando cada segundo do deu deboche temporário e fútil. 

Que vaca! Eu odeio demais ela, podia voar na cara dela. 

- Isso não significada nada - Falo encarando ela, enquanto aperto cada vez mais o meu coquetel.  

- Se não significasse não ficaria tão irritadinha. Dez letras, um significado e a realidade nua e crua: fracassada. - Murmura a garota me encarando fixamente, soletrando cada palavra.  

Isso foi o ápice da minha raiva, quando percebo, acabo jogando todo meu drink na cara e na roupa de grife dela. 

- Você está louca? Isso é importado e foi caro, sua ... sua ... vadia!!! - Grita a garota desesperadamente, enquanto pega uma lata de fanta uva e joga toda pela minha roupa branca e sobre o meu cabelo que estava com escova e hidratação. 

Estava engraçado, até ela se rebelar contra mim, fazendo eu voar pra cima dela. Tornando uma briga estrondosa. Todos ao redor olhavam, surgindo o irmão da Bárbara e me puxando pedindo para parar. 

- Bruno essa garota é uma selvagem! - Murmurra a garota enquanto segura o braço do irmão, fazendo um show e um terrível escândalo. Bruno defende tudo que ela faz e fala, sendo o irmãozinho bobo da família. Por isso que ela é tão mimada, titio e o irmão acobertam e aceitam tudo que ela faz. 

~ Bruno

Bárbara segura meu braço, apertando cada vez mais forte. Eu gosto quando ela faz isso, meu extinto protetor fica mais forte. Ela é minha irmãzinha, mesmo sendo um porre eu irei defender ela. 

- Olha, olha ...   chegou o cachorrinho da Bárbara. Bruno cresceu, está musculoso, mas continua o mesmo babaca e banana que defende a menina mais ridícula da casa. - Fala a garota, fazendo meu sangue borbulhar. 

Estava com tanta raiva, que senti cada osso da minha mão se movimentar. Formando na minha mão um soco, pronto para esmurrar algo de tanta raiva. 

- Olha, cala boca sua idiota! - Desconto toda minha raiva em palavras, gritando e ficando relaxado após cada palavra. 

- Hummm ... está bravinho? Bebe uma água, amore - Fala a garota debochando e rindo da minha cara. 

Todos ao redor estavam observando a briga, cada segundo. Estava começando a ficar vermelho.  

- Mas o que é isso aqui!? - Grita o papai e os pais da Clara, fazendo todos virarem para eles e ficarem surpreendidos. A cara do pai ao ver a cena de Bárbara e Clara sujas, com todos ao redor, comigo separando uma briga e criando um alvoroço. 

- Bárbara e Clara, venham aqui agora! O que estão olhando? Voltem para a festinha medíocre de vocês! - Grita o papai super irritado, como nunca. 

Nossa ... nunca vi o meu pai tão irritado e vermelho de raiva. Bom, bem vindos a esse família tão unida. 

~ Eduarda 

Finalmente terminei de me arrumar, colocar meu biquíni e finalmente ver minha Babi. Logo observo a Barbara sendo puxada a força pelo titio, enquanto do outro lado a Clara sendo puxada pelos pais. Ambas estavam sujas e gritando "Me larga!". 

- Ei ... espera! Oi Bárbara! Ei me espera, estou com saudade. 

Mas pera ... o que aconteceu?  

- Oi Duda, não posso falar agora. É uma longa história - Murmurra Bárbara enquanto o titio puxa seu braço. 

Fico sem entender nada, tentando ir atrás. Mas logo o titio fecha a porta na minha cara. Vou até aos meninos, tentar saber sobre o que aconteceu em meio a tudo isso.

- Lucas, o que aconteceu com elas? 

- Oi pra você também mimadinha, elas tiveram uma briga e se não fosse o Bruno, teria porrada. Bom, apenas tapas e arranhões, já que elas não sabem brigar.

- Nossa ... a Bárbara se rebaixou a isso tudo? - Sorrio com um sorriso de canto de boca, mas logo se desfaz quando lembro o que a Bárbara pode estar passando lá dentro. 

Bom, vou tentar esquecer isso e assistir o jogo de sinuca de Nicolas, Austin e da Madison. Percebo que Bruno vem logo atrás de mim, mas esqueço e sento no banco e ele senta segundos depois. 

- Que dia, estou acabado e não tem nem ao menos 5 horas de festa e de casa nova. Estou ficando velho aos 17 anos. - Murmurra e brinca olhando para mim, enquanto percebo cada palavra de sua boca. 

Ele está cansado, sou uma moça guiada por Lindsay Lohan, então obviamente ela oferecia uma massagem. 

- Err ... err ... eu posdo lhe fazer uma massagem se quiser - Falo e gaguejo sem querer, ficando vermelha quando termino. 

- Sério Duda!? 

~ Bob 

A casa estava bastante agitada, virando o assunto Bárbara Campbell e Clara Campbell. Por um momento estou feliz por não ser nenhuma das duas, mas lembro o quanto são bonitas e como tem seguidores, fazendo eu sonhar em ser uma delas. Mas estou ouvindo uma voz, que é muito familiar e que estou explodindo de saudade. 

- Oi pupilo de açúcar - Olho para o lado e vejo Madison, minha prima e melhor amiga. Estava linda, com um short curto branco e uma regata curtinha e preta. 

- Mad! - Falo com tanto entusiasmo, como se nunca tivesse visto ela.

- Oi fã, aqui estou presente ao lado do maior gay do planeta. 

- Ei eu gosto de meninas, jamais vou ser gay. - Murmurro olhando fixamente para ela enquanto vejo esboçar um sorriso debochado.

- Sim, você gosta e eu sou uma integrante do GFriend, estou apenas nesse corpo para evitar os holofotes - Debocha enquanto fala cada palavra pra mim 

Me levanto e Mad puxa meu pulso, me levando até a piscina onde quase toda família está lá e observo a Karen sozinha em 1 boia na piscina.

~ Karen 

Após a briga de Clara e Bárbara, fiquei sozinha graças a tudo isso. Tenho apenas a Clara de amiga nessa casa, todos os outros me acham uma idiota por sempre ficar na sombra da Clara. Ficar um tempo sozinha refletindo sobre tudo isso, pode fazer bem. Logo vejo Madison e Bob entrando na piscina, mas não podia deixar de perceber o quanto Madison era linda e seu corpo parecia esculpido. Enquanto Bob, escondia um incrível volume na calça ... tire esses pensamentos bissexuais e pervertidos na cabeça.

- Oi Karen - Bob fala em termo sarcástico enquanto saí da água, me encarando e encosta na minha boia.

- Oi Bob e oi para você também Madison

...

Não tinha parado para perceber que existem pessoas legais sem ser a Clara, parece uma nova experiência. Logo Bob se aproxima mais de mim, passando a mão na minha perna enquanto Madison fica vermelha olhando toda a situação e eu nervosa. 

- Que foi Karen, esqueceu de nós dois? - Fala Bob com um olhar malicioso, enquanto olha para mim deixando Madison boquiaberta e surpreendida com o que pode está pensando. 

~ Nicolas 

- Me larga Austin, não sabe jogar bola? Não vale puxar.

- Então não marca falta em mim sem motivos, seu babaca. 

Diferente dos outros, preferíamos jogar bola no campinho da casa. Ser atleta, não quer dizer apenas treinar em treinos avulsos. Logo sento na grama, olhando para o céu e Austin deita na mesma. 

- Sabe ... a vida é estranha. Mês passado estávamos enlouquecendo a mamãe, hoje estamos deitados na grama na casa de nossa família "perfeita" - Fala Austin ironizando o fato de morar com a família inteira, mas com a família cheia de defeitos. 

- Irmãozinho, só pelo fato de nossas duas primas patricinhas brigarem com bebidas, nossos primos beberem e fumarem escondidos em arbustos e pelos nossos tios estarem bebendo e fudendo enquanto estamos nos "divertindo" é um detalhe perfeito para nossa família ser perfeita - Falo rindo e brincando com tudo que aconteceu hoje.

- Que saudades da nossa casa e da mamãe - Austin suspira enquanto olha pro céu, fazendo eu lembrar dela. 

~ Bárbara 

- Eu não vou dividir quarto com essa selvagem, ela não deve nem tomar banho - Grito olhando para o papai, nem ligando para os pais de Clara ao nosso lado. 

- Cala boca, sua rata de shopping - Murmurra Clara

... 

- Escolham meninas, ou será assim, ou terei que aplicar o método que vocês tanto odeiam ...




Notas Finais


|| To be continued ||

O episódio 1 estava fervendo, mas o que pode nos aguardar o segundo episódio?

...

Gostou? Quer que eu continue?
Deixa seu comentário abaixo, valeu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...