História Camren Hot - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camilacabello, Camren, Camrengip, Hot, Laurenjauregui
Visualizações 838
Palavras 1.053
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - As gêmeas Prt. 2


Pov. Lauren 

— Mamãe? 

Paralisei ao ouvir a voz de Camila, eu não sabia se teria coragem de olhar pra ela naquele momento ou se tinha controle do meu corpo pra levantar e tentar me explicar, mas como na vida nada é fácil, o vibrador continuava dentro de mim e como eu já estava perto, senti minha boceta contrair e tentei segurar um alto gemido quando gozei. 

Quando finalmente meu corpo parou de tremer, ainda meio mole, puxei o vibrador e coloquei ao meu lado, virando o rosto pra olhar minha filha que tinha o olhar preso no meio das minhas pernas. Camila piscou várias vezes e me olhou nos olhos, caminhando em minha direção, parando na minha frente. 

— E-eu não tava conseguindo dormir. — Disse lutando pra não desviar dos meus olhos.  

— Não sei porque tá tão assustada, não é como se não fizesse isso com sua irmã. 

— O q-que? 

— Vamos lá Camila, ajude sua mãe. — Mordi o lábio inferior e ela engoliu seco. 

Olhou em meus olhos mais uma vez e logo se ajoelhou entre minhas pernas, segurando atrás dos meus joelhos e me puxando mais pra perto, tendo seu rosto a centímetros do meu sexo. Camila não perdeu tempo, sua língua macia lambeu desde a minha entrada até meu clitóris, recolhendo meu gozo. Enquanto trabalhava avidamente com a língua em meu sexo, Camila acariciava meus seios com as duas mãos, olhando em meus olhos com um olhar faminto que me fazia ter vontade de gritar. 

— Seu gosto é tão bom, mamãe. — Sorriu e logo voltou a sugar meu clitóris. 

Ouvir ela me chamando de mamãe só aumentou mais meu tesão. Realmente o proibido é mais gostoso. Levei minhas mãos até seus cabelos e comecei a rebolar em sua boca, sentindo sua língua entrando e saindo de dentro de mim. 

— Então vocês decidem fazer uma festinha e nem me convidam? 

Olhei pro lado assustada e Karla nos olhava com os braços cruzados e um bico nos lábios, que seria fofo se a situação não fosse aquela. Chamei ela com a mão e ela sorriu, vindo quase saltitante, sentando ao me lado e levando a boca até meu seio direito e sugando meu mamilo com força. 

— A senhora não sabe quanto tempo esperei por isso. — Disse em meu ouvindo e mordeu o lóbulo da minha orelha. — Quero muito chupar sua boceta. 

Fo impossível não gemer alto ao ouvir aquilo. Camila soltou um risinho e levantou, sentando do outro lado, me deixando no meio das duas. Como se fosse ensaiado, as duas passaram as mãos desde meus seios até minha boceta, acariciando meus lábios e meu clitóris inchado. Quase tive um infarto quando as duas me penetraram ao mesmo tempo e só não gritei pra todos os vizinhos ouvirem, pois, meus lábios foram tomados em um beijo triplo. 

— Quero a senhora se masturbando pra gente. — Karla sussurrou e eu choraminguei quando as duas retiraram os dedos de mim. 

Enfiei dois dedos em minha boceta e passei a estocar com força enquanto as duas lambiam meu pescoço e colo.  

— Imagina a gente te fodendo bem gostoso. — Camila disse em meu ouvido. — A senhora rebolando na nossa boca. 

Aumentei o ritmo das estocadas e tomei os lábios de Camila em um beijo molhado. Karla tinha uma mão em meu seio esquerdo e a boca no direito, lambendo e mordendo algumas vezes.  

— Hummmm. — Olhei pro lado e Karla estava se masturbando enquanto nos observava. 

Desci meus olhos até sua boceta e salivei com a visão. Coloquei mais um dedo e passei a estocar mais rápido e forte, sentindo que iria gozar a qualquer momento. Meu corpo tremeu e mais uma vez gozei, mas dessa vez tinha sido muito melhor, principalmente ao ouvir os gemidos das duas. Camila segurou meu pulso e levou a mão que estava em minha boceta até sua boca, chupando meus dedos de uma forma tão sensual que eu poderia ter outro orgasmo ali.  

Camila sorriu pra mim ao terminar de lamber meus dedos e se levantou, retirando a roupa e deitando de pernas abertas no chão ao lado da irmã. As duas ali deitadas, se masturbando e se beijando na minha frente me fazia ter vontade de foder pra sempre. Bocetas rosadas, sem pelos, com lábios carnudos e clitóris inchado por conta do tesão.  

Sem pensar duas vezes me posicionei entre as duas e coloquei o vibrador entre os lábios da boceta de Camila, que arqueeou as costas e gemeu alto. Metendo em um ritmo lento, levei a mão até Karla e penetrei dos dedos em sua boceta molhada, sentindo o calor que emanava de sua carne. Nunca imaginei que foder minhas filhas fosse me dar tanto prazer. Camila sentou e levou a boca até meu seio, chupando e mordendo meu mamilo enquanto Karla acariciava meu clitóris e gemia gostosamente a medida que eu estocava dentro dela. 

 — Ooh droga... — Camila gemeu contra meu seio e seu corpo tremeu quando ela gozou. 

Deixou o corpo cansado cair e respirou fundo. Karla aproveitou que a irmã descansava e me puxou pra deitar sobre ela, unindo nossos sexos em um ritmo constante e gostoso. O barulho molhado que nossas bocetas faziam era como afrodisíaco e eu não conseguia parar de gemer e cada vez mais rebolava sobre ela, tentando abafar os gritos de prazer em seus lábios. Quase desfaleci quando senti a língua quente de Camila lambendo minha boceta e a de Karla ao mesmo tempo. 

— Vocês duas são maravilhosas juntas. — Sussurrou ainda com a boca em nossos sexos. — Nunca vou me cansar disso. 

Os gemidos, o atrito dos nossos corpos e a respiração quente junto com a língua habilidosa da minha filha, só fizeram o nosso orgasmo chegar mais rápido. Senti minhas paredes internas se contraírem e logo gozei junto a Karla, que apertou minha bunda com força, me puxando pra mais perto. Nossos gozos se misturavam e Camila se deliciava com tudo aquilo, gemendo gostosamente enquanto nos chupava. 

Deitei ao lado de Karla e tentei acalmar minha respiração. Fazia tempo que eu não tinha tantos orgasmos e eu já não era mais uma adolescente, então precisava de mais tempo pra me recuperar, diferente das minhas filhas, que já estavam se beijando loucamente enquanto se acariciavam de forma intima. Relaxei mais um pouco e passei a observar aquele lindo show erótico das minhas duas filhas gostosas. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...