História Can I have this dance? - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jungkook, Park Jimin
Visualizações 25
Palavras 2.572
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Roommate


Fanfic / Fanfiction Can I have this dance? - Capítulo 2 - Roommate

Jeon Jungkook nunca pode se descrever como uma pessoa focada, disciplinada, organizada e pontual.
Isso foi refletido em todo seu ensino médio, notas regulares ou na média, nada muito excepcional. Mas, isso apenas dar-se porque Jeon sempre pensou que não eram escolas ou regras que iriam ditar no que você é bom ou não, isso ele percebeu porque não sendo muito bom em matérias escolares, foi recompensado em seu dom natural. A dança.
Desde muito novo seu amor pela dança foi algo explícito. Jeon dançava apenas e simplesmente para seu bem estar. Ele sentia em cada átomo de seu corpo que a dança era o que o movimentava.
Alguma pessoas escrevem.
Outras pintam.
Algumas tocam.
Jeon, dança.
Uma forma de livre expressão corporal. Na dança ele era ele mesmo. Na dança ele conseguia refletir tudo. Felicidade. Euforia. Tristeza. Dor. Tudo o que quisesse podia ser mostrado através do mover de seu corpo. Da interpretação dos sentidos através dos movimentos.
Porém, é claro, que ao ver dos mais velhos, dança era um hobby, e Jungkook tinha de como uma pessoa "normal" ir a escola, aprender, se formar e cursar algo que o desse um diploma digno, enchesse sua conta de dinheiro, lhe desse uma instabilidade financeira, status social e só aí, ele poderia exercer seu hobby.

 — Você tem a chance de mostrar pra eles que é bom, mostrar que sua arte é algo importante Jeon! - Seu melhor amigo diz o entregando um panfleto.
— Não sei se sou bom o suficiente Tae! - Os dois adentram a cafeteria e sentando-se em uma das mesas.
— Você é ótimo, e sabe disso, mas para os seus pais você só vai poder levar sua dança a sério se entrar em algo grande! - Insiste.

Com um panfleto com letras grandes e legíveis o nome da Bangtan School of Arts enfeitava o topo do papel, e logo abaixo, informações sobre as audições para novos alunos.
O mais novo suspira

— Eu vou tentar, mas, ninguém vai saber até eu ter uma resposta! - Taehyung comemora animado e abraça o amigo.

Foi assim que tudo começou.
Se o perguntassem como ele imaginava que seria, sempre responderia que, entraria na sala, mostraria sua dança, os olheiros sorriram e diriam apenas "você é bom, mas já vimos melhores, obrigado por tentar!", e então Jeon Jungkook, fracassando mais uma vez, se juntaria com seu melhor amigo e encheriam a cara de soju e Taehyung teria de ouvir o mais novo reclamar da vida e ter de escolher um curso na faculdade como seus pais queriam.
Mas foi cerca de quinze dias antes da volta às aulas da Bangtan, que tudo ficou louco.

— Jungkook! - O rapaz com os olhos fixados na tv a sua frente e joystick nas mãos respondeu ao chamado da mãe apenas com um "hm", que significava que tudo o que viesse depois na seria escutado. — isso é pra você, vem dizendo que dá... Bangtan-
Antes de ter chance de ler o resto do remetente, o envelope azul com a insígnia da escola foi arrancado das mãos da mais velha.
As mãos do rapaz começaram a tremer, era a forma que seu corpo estava usando usando para demonstrar o quão nervoso estava para aquilo. Já que o conteúdo da carta determinaria parte de seu futuro.
Ele abriu o envelope.
Através desta, nós da instituição Bangtan School of Arts, viemos informar a Jeon Jungkook...
Ele parou de ler aí pois sabia que não conseguiria ir em diante, e como até o momento nenhum dos seus pais sabia da sua seleção, ele pensou na única pessoa que estava o apoiando, então, correu para o seu quarto se trancando lá e deixou sua mãe sem realmente entender o que estava acontecendo.

— Hyung, eu recebi uma carta da Bangtan, você precisa vim pra cá agora, eu não vou conseguir ler sozinho! - Disparou assim que a chamada foi atendida.
Após um suspiro Taehyung responde simples:
— Ok, já estou indo!

Jeon agradeceu por seu amigo morar a menos de duas ruas da sua. Quando seu amigo chegou em sua casa os dois trancaram-se no quarto do mais novo e ficaram olhando-se.
Jungkook sentado na ponta de sua cama, e Taehyung na cadeira de sua escrivaninha com o envelope em mãos.

— Tudo bem se eu ler?
— Deve ler em silêncio e caso não seja tão ruim quanto eu estou pensando leia em voz alta!
Kim entendeu, repirou fundo, tirou o papel dobrado do envelope e começou a ler.
Jeon acompanhava os olhos do melhor amigo sobre o papel e temia que ele não começasse a ler em voz alta.

— Através desta, nós, da instituição Bangtan School of Arts viemos informar a Jeon Jungkook que temos o prazer de recebê-lo em nossa escola como bolsista integral no curso de dança. Parabenizamos antecipadamente por seu talento e temos uma grande satisfação de poder tê-lo como parte de nosso corpo docente. Mais uma vez, bem vindo a Bangtan School of Arts. Aguardamos contato posterior para confirmação do seu ingresso escolar em nossa instituição!

O silêncio dominou o quarto nos minutos restantes que pareceram horas a fio.
Ele estava dentro.
Jeon Jungkook agora era oficialmente um aluno da Bangtan.
Ele tinha conseguido.

Os dois rapazes se entreolharam ainda sem silêncio, e como se finalmente a ficha tivesse caído, houve gritaria.
Tudo era muito eufórico. Os abraços. Os gritos. As dancinhas de comemoração.

Depois de nervos mais controlados, o momento foi de contar aos Jeon. Sentados na sala da casa, com Jungkook e Taehyung sentados em um dos sofás de frente para os pais do mais novo, começaram contando tudo calmamente, explicando quem era a Bangtan e como era uma instituição renomada e conhecida. Chegando então a forma rígida de seleção e escolha dos alunos. E então:
— Taehyung me convenceu a fazer a seleção, eu achei que não passaria porque não era bom o suficiente, mas, isso chegou hoje!
O jovem Jeon escorrega o envelope em direção aos pais em cima do centro. É a mãe que toma a iniciativa de pagar o envelope já visto antes e ler o conteúdo.

— Ele foi aprovado! - Ela diz quase em um sussurro. Entrega o papel ao homem que ainda mantém o olhar fixo no filho.
— É isso o que quer fazer? - Ele pergunta ao rapaz que só então eleva seu olhar.
—  Sim, é o que quero fazer! - Jungkook diz com receio do que vira, mas, tenta com todo resto de coragem que lhe restava tentou não deixar o quanto estava inseguro com situação transparecer.
— Então faça! - Foi o que o mais velho de todos disse.
Os três pares de olhos encaram o homem um pouco surpresos.
— Não posso obriga-lo a ir para um faculdade, e pelo visto não tenho chances de te fazer mudar de ideia, nem quero tentar! Então, vá Jungkook! Se faz você feliz, faça!

A noite então, foi regada a palavras de apoio, pizza e planos para o que vinha pela frente.
Jungkook sorriu mais do que nunca, as coisas finalmente pareciam estar se ajeitando.

•••

15 dias depois

O estômago de Jeon parecia se revirar em seu interior toda vez que sentia-se mais próximo da Bangtan.
E só piorou quando o carro de seu pai parou em frente a fachada da escola. Tijolos vermelhos e aparentes, uma placa parecendo recentemente polida posicionada abaixo de um relógio exibia o nome Bangtan School of Arts em letras garrafais.
Com a bolsa com coisas mais pessoais colocada sobre um dos ombros, Jungkook desce do carro alugado por seu pai e admira um pouco chocado a estrutura da instituição.
Pra ele ainda parecia um sonho.
Queria que Taehyung estivesse ali para beslica-lo, mas, o mais velho como veterano, só chegaria no dia seguinte.
O pai ajudou o garoto a tirar suas malas e algumas caixas do porta malas. Jeon teria uma acomodação nos dormitórios compartilhados da escola.
Depois de ouvir algumas orientações sobre os dormitórios, regras de o que é ou não permitido ter ou levar para o local, ele foi instruído ao caminho e recebeu sua chave, nome do roomate e número da acomodação.

Despedir-se de seus pais foi o mais difícil. Não era como se quando precisasse o mais jovem pudesse correr a qualquer hora para os braços da mãe ou para uma conversa com os pai. Agora estavam em cidades diferentes e precisavam conviver com a distância.

Quando finalmente viu o carro de seu pai sumir de seu campo de visão, ele rumou aos dormitórios. Que segundo o que Taehyung havia lhe dito, eram espécies de apartamentos compartilhados.
E ao abrir a porta de número 156, ficou surpreso ao descobrir que não eram tão pequenos assim, e ficou ainda mais impressionado ao perceber o piano em um lado da pequena sala que tinha uma cozinha americana organizada. Nada muito sofisticado além do piano, porém, mesmo sem entender muito de instrumentos, ele sabia que aquele devia custar sua vida.
Não sabia exatamente o que ele fazia ali, já que claramente não fazia parte da mobília básica do dormitório da Bangtan.
Foi aí que ele lembrou.
Qual era mesmo o nome?
Kim Yoongi?!
Tirou o um dos papéis recebidos.
Min Yoongi.
Aquilo deveria pertencer ao seu roommate. O que deixou o mais novo consciente de que seu colega fazia o curso de música.
E como uma conspiração do universo, ele ouviu a porta sendo destrancada e a mesma se abriu.

Jeon virou os calcanhares em direção a mesma dando de cara com o jovem de cabelos platinados.
Yoongi mordeu seu chocolate e piscou algumas vezes olhando o rapaz parado do meio da sua sala.
— Três segundos pra me dizer quem é você e o que faz no meu dormitório. - Disse secamente sem mover um músculo sequer em direção ao outro.
Jungkook piscou algumas vezes. Sua boca se abriu mas nada saiu de lá.
— Você é surdo ou mudo? - Yoongi diz cruzando os braços de uma forma defensiva.
— S-Sou, Jungkook, Jeon Jungkook, seu novo roomate.
— Ah, que ótimo, um novato!
O rapaz de cabelos platinados tira o casaco jogando-o de qualquer jeito no pequeno sofá e vai te a cozinha abrindo a geladeira e tirando uma garrafa de água. Jeon, de onde está parado, observa cada passo do mais velho.
— Temos regras. - ele volta a dizer agora encostado a bancada que divide a cozinha da sala.
— Uh, sim, eu sei... - Jungkook diz mostrando a folha com cópia das regras de convivência compartilhada.
— Não as regras da escola, minhas regras. - Completa.
— Ok...
— Você é novato e eu veterano, não é porque dividimos o dormitório que vou sair por aí te mostrando tudo, não ache que somos amigos ou que sou como seu irmão mais velho. Não toque, encoste ou respire próximo ao meu piano. Nosso quarto é junto, porém imagine que tem uma parede entre as camas, meu lado, é meu lado... - Yoongi aguarda o mais novo concordar para continuar — não traga garotas pra dormir aqui, não quero ouvir você transando ao lado da minha cama.
Jungkook solta um sorriso anasalado antes de coçar a nuca e responder:
— Bem, quanto a isso, não precisa se preocupar!
Yoongi estreita os olhos antes de colocar a garrafa meio vazia em cima da bancada e passar pelo mais novo.
— Isso também se aplica a garotos!
Jeon suspirou.
— Certo!

O mais velho foi sendo acompanhado até o quarto. Na porta do cômodo, muitos adesivos.
"Não é bem vindo aqui" "Não entre sem permissão" "Danger" "Mantenha a distância" eram alguns deles. A forma que eram sobrepostos deixavam a porta simples, com um aspecto bastante hipster e mostrava bastante da personalidade do colega de quarto.

Ao entrar no quarto, Jungkook viu Yoongi jogando-se em uma das camas, na qual entendeu ser a do próprio. Então, Jeon sentou na outra cama, que era colocada na parede oposta a que está a do mais velho.
O quarto tinha uma janela na parede oposta a da porta, com percianas abertas deixando a luz do fim da tarde entrar e iluminar o cômodo. Do lado de Yoongi, havia além de sua cama, próximo a janela, um teclado. As paredes tinham posters e cartazes colados de forma aleatória, além de fotógrafias reveladas e colada na porta do que deveria ser seu closet.
Jeon deixou a case de seu violão próximo ao teclado.
— Tenho uma empregada! - Min diz tirando os olhos do celular em suas mãos.
— Uh?! Uma empregada?
— Sim, ela vem aqui terças e quintas limpar e levar as roupas para a lavanderia! Se quiser que ela faça o mesmo com suas coisas, deixe separadas nos dias certos.
— Entendido... Hyung?
— Uh?
— Como veterano não deveria chegar só amanhã?
— Essa escola vira uma zona no dia de chegada dos veteranos, sempre venho um dia antes, os novatos são mais organizados e não fazem tanto barulho! - Explica ainda com os olhos no celular. — e eu odeio barulho!
— Ok, vou arrumar minhas coisas!
— Tem outra coisa... - Yoongi acrescenta quando o mais novo vai em direção a porta. — Eu não sei cozinhar, então, se souber essa parte é sua!
Jeon sorriu e apenas levantou o polegar de forma positiva.

Ele foi até a sala e começou a levar suas malas e caixas para o quarto. O pequeno closet do seu lado já estava vazio e ele colocou suas roupas da forma que sua mãe havia arrumado em sua mala, no local. Assim como os pares de sapato.

Chegando nas caixas, a primeira coisa a retirar foi seu videogame.
— Isso por acaso é um Playstation? - Ouviu o tom curioso do outro que ainda estava em sua cama.
— Sim, é um Playstation!
— Você por acaso vai instalar agora?
Jungkook entendeu exatamente a situação é sorriu pequeno antes de mudar sua expressão ao olhar para o outro.
— Depende, você vai jogar comigo?
— Se isso for um convite e eu foi jogar contra você, a resposta é sim!
Jeon sorriu novamente.
— Então vamos jogar!

Yoongi concordou e os dois instalaram o videogame na única TV na sala.
Ali, Jeon entendeu que apensar de um pouco fechado e sério, poderia sim se dar bem com sei roommate.

•••

— Qual o seu curso? - Yoongi indaga com a boca cheia de macarrão.
Como era o primeiro dia, os dois decidiram pedir comida no dormitório, e agora, estavam sentados perto da mesinha de centro comendo seus pedidos.
— Dança! - Jeon responde com as bochechas estufadas de comida.
— Uh, qual delas?
— Freestyle!
Yoongi ri com o próprio pensamento e com o olhar confuso que recebeu do outro ele lança outra pergunta.
— Qual a sua aula complementar?
Jungkook suspira ao lembrar que teve que escolher um dos dois cursos complementares que aos seus olhos não eram muito seu estilo.
— Contemporânea... - responde em um tom frustrado.
— Você vai ficar ótimo de collant!
Jeon ri.
— Eu não faço ballet!
— Da na mesma!
Sabendo que seria zoado sempre por aquilo, o mais novo resolve mudar o rumo do assunto.
— Faz música não é?
— Não, gastronomia! O piano ali é pra usar como mesa de jantar!
Não era uma piada, mas Jeon gargalhou sozinho só pelo tom monótono do outro rapaz.
— Quanto tempo é aluno daqui?
— Quer meu RG e número da minha conta também?!
— Seu humor é sempre maravilhoso assim?
— Tende a piorar!


Notas Finais


HEY!
então, o capítulo ficou pequeno eu sei, mas os próximos deram maiores, podem esperar!
» Não fiz nenhum tipo de pesquisa de como funciona uma escola de Artes, então, tudo o que verão na Bangtan veio da minha cabeça.
» Quando Yoongi perguntou ao Jungkook qual curso de dança ele fazia, é porque na Bangtan tem os cursos de dança: contemporânea, clássica e freestyle.
Espero que gostem da história e me digam o qua acham, sejam sincerxs, eu aguento.
Qualquer coisa gritem lá no tt (@bestsecretlarry)

Eh isto, até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...