História Can I love you? - Mark Tuan ( HIATUS ) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink, Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jennie, Jinyoung, Jisoo, Lisa, Mark, Personagens Originais, Rosé, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 58
Palavras 3.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Capítulo 6;;


Fanfic / Fanfiction Can I love you? - Mark Tuan ( HIATUS ) - Capítulo 6 - Capítulo 6;;

P.O.V S/n

 

 

Fazia quatro dias desde o acontecimento com a Lalisa. Até hoje tenho tentado me convencer que ela estava bêbada, mas ela parecia bem ciente do que estava fazendo.

Nós primeiros três dias eu fiquei no hospital, e depois fui liberada para ir para minha casa. Assim que cheguei lá, Mark e eu pegamos várias mudas de roupa e ele falou que eu iria ficar com ele enquanto a polícia não pegasse Lalisa.

Naquele dia, dormimos os dois na sala. Estávamos olhando filmes e acabamos adormecendo ali mesmo. Quando acordei, Mark estava na cozinha fazendo algo, não sei o que, mas o cheiro estava delicioso.

 

- Mark, o-oque está fazendo?

 

Ouvi passos e virei minha cabeça rápido, dando de cara com Mark segurando um prato com panquecas e uma cobertura de framboesa.

 

Mark - Você está a muito tempo sem comer direito...

 

Ele deixou o prato em cima da mesinha que estava ali na frente e ajeitou a minha coberta.

 

- Mark, não sou uma criança...

 

Mark - Eu sei, mas fiquei preocupado com você, quero garantir que nada vai te acontecer.

 

Sorri para o mesmo que me deu um selar na testa e alcançou o prato para mim, me dando uma colher para comer. Pelo menos ela sabia que eu não poderia ver algo parecido com um estilete por um bom tempo...

Virei meu olhar para meu braço e vi o curativo mal-feito que cobria os cortes de Lalisa. Mark puxou meu rosto delicadamente e limpou uma lágrima que descia pelo meu rosto.

 

Mark - Me desculpe...

 

- Pelo o que?

 

Mark - Eu fui fraco, não consegui te proteger, me desculpe S/a, isso tudo é culpa minha...

 

Me levantei milimetricamente e abracei Mark, deixando beijos por seu rosto.

 

- Isso não é culpa sua, eu não teria sido mais corajosa do que você...

 

Mark - Eu não te protegi, não consegui impedir ela de te machucar...

 

- Mark, a culpa não é sua, você foi mais corajosa do que muitas pessoas seriam...

 

Senti a mão dele acariciando meu cabelo e dei mais um beijo na sua bochecha, acariciando a região. Ele se virou para mim e passei minha mão por seu rosto, limpando as lágrimas que desciam. Ele balançou a cabeça e cortou um pedaço da panqueca com a colher e ergueu a mesma.

 

Mark - Abre a boca!

 

Ele deu um sorriso e eu balancei minha cabeça, vermelha.

 

- Aish, isso é humilhante!

 

Abri minha boca e Mark me alcançou a panqueca, engoli a mesma e encarei ele que me olhava com um sorriso bobo.

 

Mark - Quer se trocar agora ou vai ficar de pijama mais um tempo?

 

- As aulas, que horas começam?

 

Mark - Falei com a escola e eles disseram que entendiam se não conseguisse ir para as aulas essa semana...

 

- Mark, o que vamos fazer quanto ao baile de primavera?

 

Mark - Você vai querer ir?

 

Assenti e tirei a coberta do meu colo, calçando minhas pantufas e encarando Mark.

 

Mark - O baile é amanhã, se quer tanto ir providenciar convites para a gente...

 

Sorri para ele e o abracei de novo. Mark me ajudou a levantar e me levou até o quarto.

 

- Mark... Eu vou me vestir agora...

 

Mark - Ahn, certo!

 

Ele se virou e desceu as escadas calmamente. Me virei para o armário e abri o mesmo. Coloquei uma meia calça branca e um vestido azul marinho. Calcei uma sapatilha azul marinho e desci as escadas agarrada no corrimão.

Mark se virou para mim e sorriu. Ele estava terminando de secar a louça e veio até mim, puxando uma cadeira e me ajudando a sentar. Não conseguir se mexer direito sem ajuda era um pesadelo...

Mark me alcançou um copo com água e uma cartela de cápsulas. Peguei uma das cápsulas e engoli, bebendo a água logo em seguida. Enquanto estava bebendo a água olhei para a cartela e li o que estava por cima.

 

Cápsulas anti-depressão

 

Mark recolheu a cartela rapidamente e guardou na estante. Ele terminou de guardar as louças e se sentou ao meu lado.

Peguei meu celular e assim que liguei ele vi pela aba que alguém tinha me mandando mensagens. Olhei apreensiva para Mark e ele assentiu, segurando minha mão. Deslizei a tela e encarei as mensagens que estavam me encarando.

 

Mensagens On

 

××× - Não pensem que eu fugi

 

××× - Não pensem que estão seguros

 

××× - Eu irei buscá-los

 

××× - E vocês não poderão fazer nada

 

××× - Senão obedecerem minhas ordens

 

Mensagens Off

 

Soltei meu celular tão rápido como se estivesse segurando uma pedra de lava. Senti lágrimas brotarem em meus olhos e me levantei, encarando o celular que estava em cima da mesa, me olhando fixamente.

Senti meu corpo tremer. Mark não sabia que Lalisa tinha dito sobre nos levar. Mas eu sabia o que aquelas mensagens significavam. Mark me encarou e se levantou, me envolvendo em um abraço com seus braços fortes.

Comecei a chorar e, em vez de um choro silencioso, desta vez eu estava praticamente gritando de horror, minhas pernas tremiam, meu braço ardia, meus olhos pingavam lágrimas tão rapidamente como se fosse uma cachoeira.

Mark me segurou pela cintura e me colocou na cadeira. Meus gritos aumentaran quando meu celular vibrou novamente. Deslizei a tela e encarei a mensagem gritando ainda mais.

 

" Chore bastante princesinha, daqui a pouco estará berrando de dor... "

 

Mark se parou atrás de mim e segurou meus ombros, se apoiando e espalhando beijos por toda a extensão do meu pescoço.

Meus gritos foram diminuindo mas cada vez que eu olhava o monstro tecnológico na minha frente meus gritos aumentavam e as lágrimas jorravam mais rápido.

Quando consegui parar de chorar e de berrar Mark se sentou ao meu lado e segurou minhas mãos, encarando meus olhos.

 

Mark - Não tem nada para me contar pequena?

 

- E-Ela disse que iria voltar... Que iria te levar para um lugar do qual nunca iria escapar e teria que ficar satisfazendo ela... Depois, ela disse que me levaria junto, pois assim teria duas pessoas para satisfazerem os fetiches dela...

 

Mark arregalou os olhos e passou a mão pela minha cabeça, puxando a mesma para cima do seu peito, onde voltei a chorar e a gritar.

 

 

[ •.° ]

 

 

Se passaram quinze minutos desde a hora que Mark foi embora para conseguir os convites para o baile de primavera. Eu estava no quarto dele desde o momento que ele saiu.

Ouvi um som na janela e me virei. Assim que vi quem me aguardava do lado de fora soltei um grito de horror.

Lalisa sorriu demoníaca e abriu a porta de vidro, vindo até mim. Meus gritos aumentaran e minhas lágrimas começaram a cair mais rápido e mais rápido até que estivessem fora de controle.

Tentei me levantar da cama de Mark, mas minhas pernas estavam moles e se enrolaram nos lençóis, Lalisa veio até mim e se sentou ao meu lado, segurando meu rosto com uma mão e me forçando a encarar ela.

Meus gritos se transformaram em berros quando ela apertou meu rosto e deixou um beijo molhado no meu pescoço.

 

Lisa - Chore enquanto pode princesinha, daqui a pouco estará berrando mais do que agora, e não será de medo, será de dor e prazer...

 

Comecei a berrar mais alto e vi Lalisa soltando meu rosto. Ela saiu do quarto e fechou a porta de vidro, ela se virou e colocou o indicador sobre a boca, e depois sorriu e fugiu da minha visão.

Meus berros se tornaram gritos, que se tornaram soluços que se tornaram em apenas suspiros. Quando a porta do quarto se abriu soltei um grito, mas dei de cara com Mark. Ele correu até mim e me abraçou.

 

- Ela veio aqui...

 

Mark - Lalisa?

 

- Sim, ela estava aqui...

 

Ele me abraçou mais forte e passou a mão sobre minha cabeça, logo depositando um beijo carinhoso em minha testa.

 

Mark - Acabou, já passou... Eu estou aqui... Nada vai te acontecer enquanto o Oppa estiver com você... Eu vou cuidar de você... Eu vou te proteger... Não se assuste mais... Está tudo bem...

 

 

[ •.° ]

 

 

Um dia inteiro se passou desde a última aparição de Lalisa e finalmente chegou o dia do baile. Eu estava no quarto de Mark, olhando os dois vestidos em cima da cama.

Um deles era um vestido longo azul escuro, enquanto o outro era um vestido curto vermelho vivo. Peguei o azul e vesti o mesmo.

Peguei os saltos pretos em cima da penteadeira e calcei os mesmos. Me encarei no espelho e soltei um suspiro.

Me sentei na frente do espelho e coloquei um brinco, logo depois fiz leves cachos em meus cabelos, e fiz uma maquiagem bem leve para não exagerar. Me posicionei na frente do espelho e sorri com o resultado.

Respirei fundo e desci as escadas calmamente. Assim que pisei no chão da sala, dei de cara com Mark em um terno azul marinho, ele estava olhando no espelho e brigando com a gravata vermelha que estava em seu pescoço.

Fui até o mesmo e me parei ao seu lado. Ele olhou para o espelho, e então se virou com os olhos arregalados e um sorriso bobo.

 

- Estou assim tão estranha?

 

Mark - Não! Você está linda!

 

- Ahn... Obrigada, quer ajuda com isso aí?

 

Ele olhou para a gravata e sorriu sem graça. Me aproximei dele e segurei a gravata, passei a mesma pela gola da camiseta, e parei ela na frente do peito dele. Fiz uma gravata borboleta e finalizei com um nó para não desamarrar.

Assim que terminei de amarrar Mark em encarou e sorriu. Argh, aquele sorriso... Ele se aproximou de mim e ficamos nos encarando.

 

- Ahn, pode me ajudar com o fecho?

 

Mark - Claro...

 

Me virei de costas para ele e coloquei o cabelo para um lado. Senti o corpo de Mark colado ao meu e senti sua mão deslizar até o fecho e subir o mesmo calmamente.

Mark colocou suas mãos em meus ombros e me virou, de modo que nossos corpos estivessem tão próximos que eu podia sentir o doce cheiro de morango que ele tinha.

Ele se aproximou e passou a mão pela minha nuca, pousando a mesma em meu pescoço. Por um momento pensei que ele ia me beijar, mas então ele ajeitou meu brinco e sorriu.

Fomos até o carro dele na garagem, Mark abriu a porta para mim, me ajudou a entrar e fechou a mesma. Ele se sentou no banco do motorista e ligou o carro.

Assim que chegamos na escola, ele me ajudou a sair do carro e fechou o mesmo. Colocou a chave no bolso e passou o braço pela minha cintura, aproximando nossos corpos.

Quando entramos no salão de festas passamos os olhos pelo lugar em busca da loira. Quando não a vimos, fomos até Chaeyoung.

 

Mark - Olá Rosie.

 

Rosé - Oi Mark, oi S/n.

 

- Olá...

 

Mark - Sabe sobre a sua namorada?

 

Rosé - Lisa e eu não namoramos mais. Ela terminou comigo no dia da festa da piscina, nunca mais a vi, ela não tem vindo nas aulas...

 

Mark - Ahn, certo... Obrigado...

 

Rosé - Claro e... Ahn, Mark?

 

Mark - Sim?

 

Rosé - Será que v-você gostaria de dançar comigo?

 

Mark - Ahn, é uma boa proposta, mas eu já tinha prometido dançar com a S/a, e acho que Jeong-in queria te chamar para dançar...

 

Mark sorriu para Chaeyoung e puxou meu braço me levando até um outro canto do salão. Virei minha cabeça e vi Jeong-in indo até Chaeyoung e segurando o braços ela, levando a mesma para a pista de dança.

 

Mark - S/a? Terra chamando! Câmbio S/a!

 

- Ahn... Sim?

 

Mark - Então, o que acha?

 

- O que acho do que?

 

Mark - Aish, sua danada, o que está fazendo que não me ouve?!

 

Mark fez uma cara de zangado e bagunçou meu cabelo, esboçando meu cabelo logo após isso.

 

Mark - Queria sabe se você quer ir dançar comigo?

 

- Ahn, claro...

 

Mark segurou meu braço gentilmente e me levou até a pista de dança. Nesse momento a música começou, era uma música lenta, o que me fez ficar corada.

 

DJ - Vamos lá pessoal, chamem a sua paixão e mostrem seus sentimentos nessa música!

 

A música começou e Mark sorriu para mim. Ele passou uma das suas mãos pela minha cintura e a outra segurou minha mão. Segurei a mão dele e passei minha outra mão sobre o ombro dele. Os pés de Mark se moviam em uma perfeito sincronia com os meus, fazendo com que eu ficasse me sentindo como se estivesse patinando em uma nuvem de algodão doce.

E do nada, a música parou. Todos nós nos viramos para o palco e vimos Lalisa em pé. Ela sorria gentilmente e segurava o microfone na mão esquerda.

Minhas pernas pararam de se mexer. Meu corpo começou a tremer, então, o olhar de Lalisa parou sobre mim e Mark e o seu sorriso desapareceu dando espaço para um olhar de ódio lançado sobre mim.

Ela soltou uma espécie de rosnado que fez com que eu soltasse um grito. Lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto e minhas pernas cederam, me jogando de joelho no chão. Enfiei o rosto entre minhas mãos e continuei a chorar e a gritar de horror.

 

Lisa - Estão se divertindo pessoal?

 

Ninguém respondeu, todos os olhares estavam vidrados na maníaca em cima do palco com um vestido branco manchado de vermelho ou para a garota que estava gritando e chorando como uma maluca.

 

Lisa - Não precisam se preocupar, ela está apenas tendo mais um dos ataques de nerd...

 

Isso provocou algumas risadas abafadas.

 

Lisa - Bom, S/n e Mark, o diretor precisa que vão para a sala dele com urgência.

 

Mark - PARE DE BRINCAR COM A GENTE LALISA!

 

Lisa - Brincar com vocês? Não sei do que está falando priminho...

 

Mark - O DIRETOR NEM ESTÁ NA ESCOLA VADIA!

 

Olhei para Mark e vi seus olhos cintilando de ódio. Me virei para Lalisa e vi ela sorrindo como se tudo estivessem indo de acordo com o plano dela, o que não me parecia muito provável.

 

Lisa - Vadia? Eu? O que você pode dizer sobre mim quando tudo o que fez até agora foi correr atrás dessa garota como um cachorro?

 

Lalisa deu um ênfase na palavra cachorro. O que me lembrou sobre o meu braço, fazendo com que eu gritasse mais uma vez e caísse no choro, incapaz de fazer outra coisa.

 

Mark - Pare de brincar comigo Lalisa...

 

Lisa - Parar? Ainda nem começamos direito queridinho!

 

Nesse momento Mark saiu correndo até ela. Achei que ele fosse alcançar ela, mas assim que ele subiu no palco, Lalisa pulou sobre a mesa do DJ e correu até mim, me segurando pelos cabelos, fazendo com que eu gritasse novamente.

 

Lisa - Agora vamos ver o que é capaz de fazer quando a vida da sua namoradinha está em risco Tuan...

 

Mark - Solta ela...

 

Lisa - Soltar? Nem pensar, venha aqui, vamos brincar Mark...

 

Olhei para Mark com os olhos cheios de lágrimas e fiz que não com a cabeça. Nossos olhares se cruzaram, ele abaixou a cabeça e começou a vir na direção da Lalisa.

 

- Mark... Não faz isso...

 

Lisa - Fique caladinha cobra...

 

Ela deu uma joelhada na minha cabeça, fazendo com que a mesma fosse para frente por conta do impacto e puxou meus cabelos com força logo em seguida, provocando um novo grito. Mark se parou na frente da Lalisa e me olhou com os olhos cheios de lágrimas.

 

Lisa - Boa escolha cachorrinho.

 

Nesse momento, Lalisa tirou uma arma da bolsa e atirou para o telhado fazendo todos gritarem e meu choro aumentar.

 

Lisa - TODOS VOCÊS! PARA CIMA DO PALCO, AGORA! ISSO, DE COSTAS, COM AS MÃOS NA CABEÇA! NÃO SE VIREM, OU VÃO VER SÓ!

 

Mark abaixou o olhar e encarou meus olhos. Aqueles olhos escuros estavam com lágrimas, pela primeira vez.

 

Lisa - Venha Mark, e você, fedelha...

 

Lalisa puxou meus cabelos fazendo com que eu ficasse em pé soltando um grito. Ela apontou a arma para Mark e sorriu.

 

- Por favor Lisa, se for para atirar em alguém, atire em mim, mas deixei o Mark ir embora...

 

Lisa - Ir embora? Não, vocês dois, andando! Mark, vá na frente.

 

Mark - Para onde?

 

Lisa - Carro preto, bem na frente do portão.

 

Mark assentiu e colocou as mãos no cabeça. Ele foi andando enquanto Lalisa apontava a arma para a cabeça dele e me puxava pelos cabelos. Lalisa abriu a porta do carro e empurrou Mark para dentro, logo após isso, ela praticamente me jogou lá dentro. Mark segurou minha mão e dei um beijo na minha testa, acariciando meu rosto.

 

Mark - Vai ficar tudo bem...

 

Nesse momento Lalisa entrou no carro e começou a dirigir em alta velocidade. Mark se segurou no banco e não foi lançado pelo carro. Já eu não tive essa sorte. Meu corpo foi jogado para o lado contrário de Mark e assim bati minha cabeça no vidro, me virei para Mark que segurava minha mão firmemente enquanto olhava apavorado para a frente.

 

 

[ °.• ]

 

 

Ficamos naquele clima de ser jogados pelo carro por mais ou menos meia hora, até que Lalisa parou o carro na frente de uma casa abandonada. Ela abriu a porta e novamente me puxou pelas cabelos, enquanto Mark ia na frente, com a arma encostada na cabeça.

Assim que entramos na casa, Lalisa trancou a porta e mandou que nos sentassemos no sofá, e foi o que fizemos. Ela colocou a chave da casa no bolso e pegou um taco de beisebol. Agarrei a mão de Mark no mesmo momento e vi Lalisa sorrindo.

 

Mark - Lala, pare com isso...

 

Lisa - Não me chame de Lala...

 

Lalisa levantou o taco e bateu com ele na cabeça de Mark. Soltei um berro e comecei a chorar novamente ( A: S/n só sabe chorar mesmo ). Quando Lalisa se voltou para mim, soltou um sorriso gentil e colocou o taco no ombro.

 

Lisa - Sabe, se Mark tivesse se sentado ao meu lado naquele dia, talvez isso nunca teria começado...

 

Foi então que vi que havia duas grades logo atrás da Lalisa. Comecei a gritar de novo fazendo um sorriso maníaco brotar no rosto dela. Lalisa empunhou o taco e bateu com ele em minha cabeça. Fiquei inconsciente e a última coisa que ouvi foi a risada demoníaca da loira a minha frente, que agora abria uma das grades.

 

Continua??



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...