História Can you feel the fear? ; Markhyuck - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Haechan, Mark
Tags Haechan, Lee Donghyuck, Mark, Mark Lee, Markhyuck, Nct, Nct Dream
Visualizações 131
Palavras 3.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi genteeeeeee, me desculpem pela demora, me perdoem pelo amor de deus.
eu deveria ter postado o cap a muito tempo atrás mas eu estava preocupado com a escola e com minha apresentação e eu não estava conseguindo escrever. Porém ontem eu consegui um tempo para escrever e terminei o cap agora de manhã, novamente peço desculpas pela demora <3

obs: leiam as notas finais sz

Capítulo 3 - Behind the mask;


Fanfic / Fanfiction Can you feel the fear? ; Markhyuck - Capítulo 3 - Behind the mask;

"A última noite em Seul, o assassino fez sua nova vítima. Jong Bong-Chan de 40 anos foi morto dentro de um beco que fica entre uma mercearia e uma loja de eletrodomésticos, segundo o proprietário da mercearia o homem se fez de isca para atrair o assassino até o beco onde haviam câmeras de segurança, passaremos uma prévia do vídeo mas não todo por conter violência.
A polícia já está trabalhando no caso através do vídeo, desejamos a vocês uma boa tarde e lembrem-se de não saírem de casa desacompanhados."

~Mark Ver

Olho a notícia enquanto colocava meu casaco, minha mãe estava dormindo por ter ficado trabalhando a noite toda.
Deixo uma nota em cima da mesa dizendo que voltaria mais tarde ou talvez fosse dormir na casa de Donghyuck. Me apresso em sair de casa e tranco a porta, desço os degraus do prédio até sair de dentro dele indo pra rua.

Coloco meus fones enquanto caminhava em direção a casa de Donghyuck, vou olhando o movimento nas ruas. As pessoas começaram a correr mais com seus afazeres por não quererem ficar até tarde na rua, o desespero era notável em suas faces.

Passo por uma cafeteria e olho pelo vidro dois garotos rindo e conversando tranquilamente, como se não se importassem com o que anda acontecendo na cidade, eu conseguia ver o brilho no olhar de ambos, talvez eu nunca tenha experimentado o amor mas ao olhar para eles eu sentia que tinha algo a mais naquela relação de amizade, talvez um bromance ou uma amizade colorida mesmo.

Me apresso para chegar na casa de Haechan logo. Haechan havia me ligado mais cedo querendo que eu fosse cobaia das comidas dele, ele estava aprendendo a cozinhar. Pelo que ele me falou, sua mãe começou a passar pouco tempo em casa por causa de outros assuntos estressantes pra ambos.

Chego em frente a sua casa e me aproximo da porta batendo na mesma e sentindo cheiro de queimado do lado de fora.
Haechan me atende.

- MARK OI ENTRA QUE EU TO OCUPADO - ele larga correndo pra cozinha e eu entro em casa fechando a porta.

- Pensei que você havia melhorado - falo me encostando na porta da cozinha enquanto via o mesmo correndo de um lado pro outro.

- Eu esqueci da comida no fogo, tava jogando - ele abre a tampa da panela e sai uma chama de dentro da mesma, ele corre com a panela pra pia e taca água dentro dela fazendo que uma fumaça preta e mal cheirosa saísse.

- Poluição do ar Haechan, pense no meio ambiente e no bem estar do próximo, deus do céu - abro todas as janelas da casa para que a fumaça não nos sufoque.

- Me desculpa, ia ficar bom - Haechan fala com uma voz fina e faz uma cara de tristeza enquanto se apoiava na bancada da cozinha.

Vou até ele e o abraço.

- Calma, você vai melhorar, não duvido da sua capacidade - sorrio gentil e dou um beijo em sua bochecha logo o largando e sentando na bancada do lado.

- Acho que te chamei para nada, porque nem comida tem agora - ele ri nervoso e tira o avental de seu corpo.

Pego meu celular e procuro pizzarias baratas.

- Interessante.. vem - seguro seu braço e o puxo até a porta logo me virando para ele e colocando minhas mãos em seu cabelo o arrumando - Como você consegue desarrumar seu cabelo cozinhando? -

- Minha habilidade e desarrumar as coisas - ele ri me olhando enquanto eu olhava atentamente para seu cabelo.

- Deu, vamos - coloco a mão na maçaneta e abro a porta retirando as chaves da mesma.

- Onde vamos? - ele pergunta curioso.

- Em uma pizzaria que tem perto daquele parque que fomos em sua primeira semana na cidade - falo e ele logo se liga

- Mas as pizzas de lá são horríveis - ele fala bufando.

- Prefere voltar a comer o seu grude a carvãonara? - o olho fazendo cara de sério e rindo do meu próprio trocadilho.

- Deus é mais, não quero que ninguém tenha intoxicação alimentar - ele fala e coça sua nuca.

- Pois é, então vamos - passo meu braço por seu pescoço o abraçando de lado e andamos pela rua conversando e rindo.

Em meio da conversa acabamos por ficar sem assunto, não tinhamos mais nada para falar.

- Você viu a notícia hoje? - falo após lembrar sobre a reportagem sobre o assassino.

- Ah.. sim, eu vi - ele respira fundo logo me olhando.

- Acho que talvez agora, a polícia consiga alguns suspeitos. - falo pensando na hipótese de que agora com o vídeo o assassino finalmente seja preso. Olho para Haechan e vejo que o mesmo estava reagindo normalmente sobre o que eu havia falado. - Você não quer que o assassino seja preso? - pergunto após o ver desligado no assunto.

- Huh? Mas é claro que eu quero, é o que eu mais desejo, ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém - enquanto ele falava eu o vejo estralar os dedos, que é o que ele geralmente faz quando esta nervoso.

- Você está desligado hoje, aconteceu algo? - pergunto me preocupando com seu estado, não queria que continuasse desse jeito.

- Nada não, eu só estou pensando no sabor da pizza - ele ri e troca sua atenção para alguns cachorros que passaram correndo por nosso lado, o deixo quieto e continuo prestando atenção na rua.


Pouco tempo depois chegamos na pizzaria que estava movimentada hoje, o que é incrível pois a pizza daqui é horrível.

- Como pode, a pizza é um nojo.. - Haechan me pergunta confuso e nos sentamos em uma das mesas do fundo da pizzaria.

O garçom chega anotando nosso pedido e Haechan vira seu rosto para olhar pela janela enquanto eu falava os sabores.

O garçom se afasta indo atender outras mesas e eu pego meu celular checando as notícias e algumas fofocas.

" Máscara de assassino é reconhecida e dono de loja muito conhecido na região é interrogado pelq polícia. Através de informações, o senhor jura que nunca teria feito isso, a máscara pode ter saído de sua loja mas diz ele que não fez tais atos, porém, a polícia continua de olhos nos atos do proprietário da loja. "

Olho para Donghyuck que brincava com os dedos sobre a mesa o que me faz sorrir por ser um ato fofo.

- Olhe - estico minha mão com o celular para o mesmo ler e ele o pega lendo a notícia.

- Não foi ele.. - ele afirma não ter sido o senhor e eu o olho sem entender - digo... não acho que tenga sido ele, olhe sua aparência, ele cuida muito bem da sua loja, não teria o porque de ele simplesmente acabar com sua vida e carreira para sair matando pessoas. - ele me entrega o celular e eu concordo com ele.

- A máscara poderia ser usada por qualquer pessoa.. a polícia não vai ter como interrogar uma por uma - falo enquanto tirava a notícia da tela e olho para o garçom andando em nossa direção com a pizza. Guardo meu celular e ele larga a pizza sobre a mesa, Haechan olha atentamente para a pizza.

- é de comer, não de olhar - brinco pegando um pedaço da mesma e direcionando até minha boca.

- é de comer e o gosto é totalmente de algo que não é comestível - ele ri e pega um pedaço da pizza a olhando com certa repulsa.

- para de exagero e come logo que seu cozido a câncer deve estar pior - como um pedaço rindo.

- duvida de meus dons culinários senhor "An0niMark" ? - ele debocha de meu username.

- puta merda Donghyuck, não me lembra do meu username - rio constrangido pelo nome ser estranho a ponto de ser vergonhoso.

- onde você tirou essa ideia de nome? Mais ridículo que o meu - ele fala rindo enquanto comia seu pedaço de pizza.

- sei lá, eu era uma criança, e eu não sabia que iria conhecer alguém pessoalmente, então a vergonha não me afetava - falo ainda constrangido.

- pois é, depois disso você conheceu a pessoa mais maravilhosa da sua vida, euzinho - ele pisca para mim e ri engolindo o pedaço da pizza. - puta merda isso tem gosto de mofo. -

Passamos a tarde toda conversando e comendo o resto daquela "pizza" que foi um tanto difícil de ingerir. Passamos muito tempo naquela pizzaria e eu percebo que começara a escurecer, porem Haechan pouco se importou para o sol se pondo.

- garotos, nós iremos fechar daqui a pouco, está escurecendo, melhor vocês irem logo para suas casas - o garçom nos avisa e eu logo levanto da mesa.

- vou pagar a conta, se quiser esperar lá fora - vou em direção ao caixa e olho para Haechan que se direciona para fora do estabelecimento.

Pago a conta que era muito barata e fazia jus a pizza que havíamos acabado de comer.
Vou para a rua e Donghyuck estava encostado na parede mexendo em seu celular.

- vamos embora, é perigoso estar na rua essa hora - falo o puxando pelo braço e o mesmo caminhava parecendo um morto.

- passar o dia em uma pizzaria de mofo é crise hein - ele fala indignado pela pizza que havia comido e eu rio de seu comentário.

- pelo menos eles não cobram caro pela aberração que eles servem - rimos juntos e continuamos a caminhar pelas ruas que estavam quase vazias, as pessoas restantes estavam correndo feito baratas tontas.

Olho para Haechan que caminhava tranquilamente durante o caminho. Estava um silêncio entre a gente e só ouvíamos os passos das pessoas em nossa volta, algumas esbarravam na gente mas eu não me importava, eu invejava a tranquilidade de Haechan, ele parecia não ligar que estava escurecendo, ele não tinha medo.. é, assumo que também não estou com medo. As pessoas a nossa volta nos olhavam estranho, como se achassem que somos doidos, e de fato somos. Dois garotos que se conheceram em uma rede social flop e que hoje estão andando tranquilos na rua com um assassino a solta.

Durante o trajeto eu me canso do silêncio e pego meu celular entrando em meu music player e coloco a música ''In My Feelings'' esperando uma reação engraçada de Donghyuck que estava sempre dançando esse tipo de música.

- puta merda Mark - ele ri e se afasta de mim, a rua começa a esvaziar até ter apenas nós dois ali, Haechan começa a dançar na coreografia da música e eu abro a câmera para o gravar enquanto a música rolava.

Donghyuck sempre foi bom em improvisar passos de dança, ele era realmente bom naquilo, sua dança e sua animação era contagiante, era bom o ver assim. A cada minuto escurecia mais, mas ambos não estavam se importando com o perigo que estávamos correndo, após a música acabar Donghyuck se apoia em mim com aparência cansada e ainda rindo após seu showzinho.

- você dançando é uma humilhação para mim que não sei nem mexer a bunda - rio guardando meu celular no bolso.

- é que eu sou mais acostumado a mexer a bunda - sinto a malicia em suas palavras e olho para seu rosto que tinha uma expressão maliciosa.

- que vulgar - dou um tapa em sua testa e saio rindo.

- vulgar? Mark, olha quem fala né - ele me alcança e me da um empurrão.

- eu sou um santo, não existe ser mais puro que eu - falo de deboche e ele fica indignado.

- a com certeza, preciso abrir nossas conversas aqui e agora pra te provar o contrário? - ele fala já pegando seu celular.

- isso não é necessário, pelo amor de deus não - rio de nervoso não querendo que o mesmo me exponha.

- então admite que você não é puro - ele cerra seus olhos e aponta o dedo na minha cara.

- beleza, beleza, você venceu, eu não sou puro - entrego o jogo para que ele parasse de incomodar.

- ótimo, vamos continuar caminhando, ta começando a ficar perigoso - ele fala e olha para todos os lados na rua.

- começou a ficar perigoso desde a hora que o sol tava começando a se por -  falo espantado pelo mesmo só ter percebido isso agora.

- tu acha que um assassino vai atacar alguém no por do sol Mark? - ele da soquinhos de leve na minha testa - se liga meu, um assassino não atacaria de dia, essa gente que é paranoica - 

- como você tem tanta certeza - falo rindo de sua conclusão.

- porque eu sou o Batman, eu sei de tudo - ele faz uma pose heroica no meio da rua.

- eu que sou o Batman, sai fora - dou um empurrão nele.

- tu é o Robin, meu ajudante - ele debocha.

- até parece - continuo caminhando.

- cala a boca Robin - ele faz sinal para que eu fique quieto.

- vou te dar um chutão - falo o ameaçando.

- sou seu chefe, me respeite Robin - ele se apoia em mim e eu apenas o deixo falando sozinho.

Após alguns minutos, chegamos em sua casa e entramos percebendo que sua mãe ainda não havia chegado. 

- será que ela vai ficar até mais tarde no trabalho hoje? - Donghyuck se pergunta e liga todas as luzes da casa.

- bom, vamos pra sala e ficar jogando enquanto ela não chega - falo tirando meu casaco e o colocando no porta casacos.

- beleza, pode subir no meu quarto e pegar os jogos? Vou montar o videogame - ele aponta para a sala e sai caminhando.

- beleza - subo as escadas rapidamente e vou até seu quarto que era ao lado da escada.

Mexo em seu baú cheio de cacarecos e roupas, porém, não acho nada e vou para seu guarda roupa mexendo em suas portas e gavetas e ainda não acho os malditos jogos.

- Puta merda Donghyuck, onde você meteu essa merda. -

Continuo procurando e faço uma pausa pra olhar em volta pensando onde poderia procurar pelos jogos. Minha visão para em um objeto coberto por uma toalha em cima do guarda roupa e estico minha mão para puxar o pano. Ao puxar, o objeto cai junto em minhas mãos e eu vejo uma máscara branca com alguns arranhões e manchas, percebo ser a máscara da tal loja que o proprietário foi acusado e foi a mesma mascara que o assassino usará naquela noite.

- puta merda Donghyuck -

Coloco minha mão no rosto e percebo que toda a estranheza de Donghyuck hoje foi por causa do "desleixo" dele por ser gravado durante o assassinato.

- foi ele? Não pode, ele nunca machucaria alguém, ele é mais fraco que eu, como ele poderia? -

- Maaaark? - Donghyuck me chama nas escadas. - Precisa de ajuda? To subindo. -

Com muita pressa coloco a máscara em cima do guarda roupa novamente e esqueço de a cobrir, jogo o lenço pra baixo de sua escrivaninha e começo a suar por estar nervoso. Donghyuck abre a porta e eu estava na frente de seu guarda roupa o esperando.

- que cara é essa? Viu um fantasma foi? - ele brinca e vem até mim.

- ah.. nada não, eu não achei os jogos, seu quarto é uma zona - falo fingindo que nada aconteceu.

- ah para, é uma zona organizada - ele me da um tapa na testa e abre a última porta do guarda roupa revirando algumas roupas e retirando algumas capas do fundo. - viu? É saber procurar - ele fecha o guarda roupa e seus olhos se direcionam para cima do guarda roupa e o mesmo arregala seus olhos.

- aconteceu alguma coisa? - pergunto ao ver sua expressão.

- ah, nada, esqueci que havia... deixado meu relógio no banheiro, vou buscar ele, desça lá na sala e escolha o jogo - ele sorri e corre para o banheiro em seu quarto.

Donghyuck não usava relógio.

Saio de seu quarto com a ideia de ele ser o assassino pipocando na minha cabeça.

- como eu nunca notei nada diferente nele? Ele sempre fez isso? Foi ele que começou os ataques? Ele teve ajuda? -

Eu me perguntava e andava em circulos na sala.

- puta merda eu não cobri a máscara -

Lembro de não ter a escondido novamente mas Haechan aparece na sala sorrindo e sem seu "relógio" no pulso.

- vamos jogar? - ele caminha até o sofá e se joga no mesmo.

- claro, vamos - me sento ao seu lado e ligo a televisão e espero ele ligar o videogame.

Passamos o resto da tarde jogando, enquanto eu me distraia para não pensar naquela ideia maluca, mas eu não posso negar que penso que ele seja. Sentia os olhos de Donghyuck queimando minha nuca, talvez ele soubesse que agora eu sei sobre ele, acho que o fato que mais me deixa indignado, é que ele não confiou em mim para contar, poxa sou seu melhor amigo... amigo.

- Mark? Você viu aquela coisa coberta em meu quarto? - ele pergunta ainda jogando.

- O que? Sua cama? - respondo brincando.

- haha, não, em cima do guarda roupa - eu conseguia sentir o nervosismo em sua voz.

- não, na verdade eu ia ver pois o pano caiu, mas não cheguei a ver - minto para que ele se acalme e não desconfie que eu sei disso.

- ah bom, que bom que não viu, é uma surpresa pra minha mãe, não quero que ninguém veja - mentiroso.

- ah beleza então - sorrio e continuo a prestar atenção no jogo.

Durante a noite eu sabia que não iria conseguir dormir, eu não conseguiria pregar os olhos ao saber que Haechan é o assassino, eu estou com um assassino agora, eu transei com um assassino.. porque eu não estou com medo? Donghyuck me deixa tranquilo, mas eu deveria ter medo dele. Eu deveria ter medo de suas ações, mas, eu não consigo o temer.

Viro meu rosto para olhar Donghyuck e percebo que ele já estava me olhando e vira seu rosto rapidamente ao perceber que eu estava o olhando.

Haechan é meu melhor amigo, eu irei proteger ele, não importa o quão perigoso ele seja, eu confio no meu amigo.


Notas Finais


Eu estava pensando em por mais capítulos na fanfic do que apenas 5, acho que a fanfic tem muita coisa pra acontecer ainda, mas talvez eu consiga por tudo em um capítulo só, porem non sei hahahaha.
Mais uma vez me desculpa pela demora, não taquem o lightstick em mim ;-; ( mentira taquem sim pq sou pobre sz )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...