1. Spirit Fanfics >
  2. Canção do Mar - Mitw >
  3. Canção do Amante

História Canção do Mar - Mitw - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Como o Pac estava desmaiado, não tinha muito o que colocar no capítulo dele, então...

Visão do Mike

Capítulo 11 - Canção do Amante


Nada acontecia. Mikhael olhava para baixo na esperança de ver suas pernas virando uma cauda de peixe, mas nada acontecia. Talvez funcionasse somente com Pac, então resolveu deixar para lá. Entrou no mar e nadou por um tempo, se assustou quando subitamente, uma forte luz branca o envolveu. Sentiu seu par de pernas se tornando um, antes de aparecerem barbatanas, e uma linda cauda verde de metade peixe Lepiste, cheia de desenhos, cores e formas. Sentiu um forte incômodo abaixo do braço, e quando olhou para ver o que era, viu brânquias surgindo por cima de suas costelas. Aproveitou e mergulhou totalmente, sentindo o mar lhe invadindo os pulmões, mas ele não se afogava, estava se sentindo tão bem, tão livre.


Começou a nadar até Seahorizon, a procura de Rafael, que levou um susto quando viu o príncipe com uma cauda de tritão.


-M-Mike?!


-Acha que o Pac vai ficar bravo? 


-Claro que não! Com todo respeito alteza, está belíssimo. 


-Obrigado.


-Vamos procurar o Pac.


-Eu já sei onde ele está. Vem comigo.


Nadando o mais rápido que conseguia, levava Rafael para uma das ilhas que ficava no arquipélago, próximo à costa do reino. Conforme chegavam perto, ouviram sons altos de helicópteros. Seu pai havia chegado antes, mas queria levar Pac para seu coral, e não para o castelo. Mike tratou de voltar com suas pernas, e correu pela ilha sendo ainda acompanhado por Rafael, que também havia trocado sua cauda. Seu pai tinha prendido o líder da máfia, mas não havia sinal de Pac. 


Continuaram procurando pela ilha toda, até anoitecer, cada minuto que passava, Mike sentia seu coração se quebrando, fragmentado em mais de dez mil pedaços. Esses estilhaços estavam machucando ele, mas o que mais machucou, foi saber, que mesmo virando a ilha toda ao avesso, não havia sinal algum de que Tarik estivera por lá. 


-Pai, a gente tem que procurar nas outras ilhas!


-Filho, são mais de quarenta ilhas...


-Não interessa, eu quero achar o Pac, eu preciso dele...


-Filho, está escuro, não vamos conseguir muita coisa.


-Por favor pai.


Mike implorava com lágrimas nos olhos. Desmoronou na areia da praia da ilha sem saber mais o que fazer. Sentia a areia nas suas pernas, mas queria sentir o coração de Tarik batendo. Queria sentir o calor do corpo de seu amigo. Amigo...?


Já tinha se passado mais de quatro meses que tinha conhecido Tarik, e queria gritar para o mundo todo, que amava o tritão... o seu tritão. Queria gritar para Pac, que sempre estaria ali por ele, para ele. E esse desejo foi subitamente retirado de Mikhael, que chorava inconsolável. 


***


Um dia tinha se passado desde que Pac havia sumido. Mike não tinha dormido desde então, sendo mantido acordado apenas por seu desejo em ver Pac. Com essa motivação em mente, começou a andar pela praia da última ilha, a mais afastada de tudo e todos, enquanto o exército estava na penúltima ilha, a mais próxima de Mike. Enquanto encarava a areia da praia, não percebeu que havia ido parar do outro lado da ilha. 


Se atentou mais, quando ouviu murmúrios, que, conforme ele se aproximava, ficavam mais altos.


-O que a gente faz agora?


-Não podemos simplesmente devolver essa coisa para o reino.


-A gente pode vender ele no mercado de escravos, e com o dinheiro libertar o chefe.


-Acha que vão querer um tritão como escravo? Ele deve ser broxante de mais.


-Tem razão. Vamos embora. 


-E o peixinho?


-Larga ele aí, não vai viver por mais que cinco horas. É tempo o suficiente para o exército real achá-lo morto.


Mike sentiu seu corpo se esquentar, seu sangue ferver, e nem percebeu quando partiu para cima dos dois homens, espancando, literalmente, ambos, até perderem a consciência. Pegou seu rádio e chamou pelos guardas que vieram no mesmo instante, e levaram os dois homens presos.


-Procurem por essa área, ele não deve estar longe!


As buscas se iniciaram novamente, por toda a extensão da ilha, os minutos, segundos se passavam, e Mike cada vez mais angustiado, sentia que poderia desabar novamente. Uma chama de esperança foi acesa quando um grupo de guardas, correndo em sua direção, disseram ter encontrado um garoto igual ao que Mike procurava, porém estava muito ferido, então eles não souberam se era o mesmo.


Mike correu como nunca antes correu na sua vida, deixando os guardar para trás, até perderem o príncipe de vista. Amarrado em uma palmeira, um garoto de cabelos negros, todo ferido e espancado, estava com a cabeça baixa sussurrando palavras desconexas. Mikhael se aproximou, e com cuidado levantou o rosto do pequeno.


-Pac. Oi, sou eu o Mike...


-...


-Pac? Diz alguma coisa?


-...M


-Pac fala mais alto...


-Mi....ke...


Chorando de emoção, soltou o tritão da árvore, tomou ele em seus braços, e o abraçando chorou de alegria e tristeza, por tê-lo encontrado em tais condições. Levou Pac até os guardas, e foi impedido por Rafael antes de devolvê-lo para o mar.


-Ele precisa de água!


-Água salgada vai piorar os machucados dele!


-Então o que sugere que eu faça?


-Leve ele para o castelo, e coloque ele em um lugar raso, com água doce. Supervisionem ele vinte e quatro horas por dia! Ele está fraco de mais.


Mike não contestou nem pensou duas vezes. Deu as ordens para o exército, que a seguiu à risca. Montaram, no quarto ao lado do de Mike, uma pequenina piscina, com água quentinha, algumas conchas, iguais as que Pac usava para dormir em seu coral, e algumas algas, somente para se sentir mais confortável. Começaram a tratar seus ferimentos, e deixaram o tritão ali, dormindo, finalmente, em paz.


-Oi pequeno. Eu tive que usar um pouquinho o seu colar... espero que não se importe. - Mike pegou a mão de Pac e ficou admirando sua beleza. - Eu nunca esperei me apaixonar por alguém um dia. Até que você apareceu na minha vida, como um tsunami. Por favor... acorda...


Mike começou a chorar novamente. Enquanto a noite caia, ele foi até a porta, trancando esta, e após tirar a roupa, colocou o colar de Pac, e disse: Troco minhas pernas por cauda. Deitou-se Ao lado de seu tritão, e enquanto se transformava, era tomado pelo cansaço dos últimos dias, e lentamente adormeceu, na companhia de Tarik.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...