1. Spirit Fanfics >
  2. Canceling Trafic >
  3. Presentes Para Sunan!

História Canceling Trafic - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitchura!

Capítulo 7 - Presentes Para Sunan!


Fanfic / Fanfiction Canceling Trafic - Capítulo 7 - Presentes Para Sunan!

P.O.V Khalan

Estava nervoso e, com certeza com medo. É muito improvável alguém que não seja da gangue e saiba meu apelido. Me preocupo se este cara é alguém em quem confio na gangue... Pode não ser só ele, caso seja um, de nós.

- Ah, olha só! Ele fala! - Disse Sunan, debochado.

- Sim... Ele fala... - Ainda meio nervoso, olho para o indivíduo. - Sim, eu estou com medo! Era isso que você queria ouvir? Está satisfeito? - O Homem me olha, com um sorriso ladino. - Até parece que vou negar só porque sou o líder daqui. Não sou falso como os demais que enganam os seus! Se tem uma única coisa da qual eu não tenho medo é de transparecer o que estou sentindo.

P.O.V. Kulap

Eu havia saído do quarto de Noppanut e ido em direção ao quarto de Mong para acordá-lo. Virei alguns corredores, da forma mais rápida que pude e, enfim, o encontrei. Bati na porta até que Mongkut acordasse e gritava por seu nome diversas vezes, até que, finalmente, ele abriu a porta com a maior cara de sono.

- Ahn? O que foi?

- Um homem desconhecido invadiu o quarto do Khaan! Vem comigo, rápido!

- SHIA!

Ele arregala os olhos rapidamente e me segue, correndo pelos corredores como se fosse a última vez. Ao chegarmos, Mong abre a porta repentinamente, atraindo parte da atenção de Khalan e Sunan.

- Olá, Sun... Khalan! Ele já disse algo? - Perguntou Mong, preocupado.

- Ele perguntou se Khalan estava com medo. - Adiantou Sun.

- É... Isso aí... - Disse Khaan, cabisbaixo.

- E o que você disse a ele? - Mong se aproximara de Khalan.

- Disse a verdade, oras... Mas eu notei um detalhe na fala dele que está me fazendo pensar... - Parou, suspirou e retomou a fala. - Me chamou de Coelho.

Neste momento, Mong ficara perplexo. Olhava preocupadíssimo para Khalan e variava o olhar entre ele e o cara preso pelas algemas. Um pequeno silêncio constrangedor tomara o quarto, até que Mongkut decidiu que iria quebrá-lo.

- Bom... Eu vou levá-lo ao cárcere. Amanhã veremos isso com mais calma. P'Khalan, vá tomar um copo d'água... E não durma sozinho.

Mong saiu do quarto, acompanhado do cara amarrado, que não desmanchava o sorriso de deboche do rosto. Afinal de contas, quem é esse cara? De onde ele veio? Ao sair de meus pensamentos, vejo um Khalan preocupado, andando de um lado para o outro, muito pensativo.

- Esse cara... Só os membros da C.T. sabem desse meu apelido... Somente eles me chamam dessa forma, e isso é o que está me matando por dentro! Se ele for um de nós, pode não ser o único traidor. - Khalan coloca as mãos sobre a cabeça e se senta na beira da cama. - Eu estou assustado... Muito assustado...

- Se acalme, Khalan... Se importa se eu te der um abraço? - Pergunto, na intenção de acalmá-lo. Ele se levanta, vem até mim e me abraça apertado.

- Não... Eu não me importo não...

P.O.V. Khalan

Algumas lágrimas teimosas e nervosas escorrem lentamente por meu rosto. Desfaço o abraço e olho para os dois, com um sorriso um pouco forçado e engulo o choro.

- Me perdoem por isso... Não sou tão forte quanto pareço, mas, ao mesmo tempo, não sou tão fraco... Eu ando meio esquisito, por causa das missões... Enfim, eu vou até a cozinha, pegar um pouco de água. Se quiserem, podem voltar para o quarto e ir dormir.... Façam o que acharem melhor...

Dou-lhes um sorriso e saio do quarto. Ainda não sai da minha mente aquele cara ter me chamado de Coelho. É difícil decorar as vozes de todos na gangue. Somos muitos! Até mesmo em outras regiões eu tenho alguns agentes... Chego na cozinha escura, acendo as luzes e pego um copo cheio de água para me acalmar um pouco.

- Ah, B.... Seu grande filho da puta...

Falo comigo mesmo, com ódio nas palavras. Totalmente enfurecido, volto ao meu quarto e me jogo na cama, visando que Sunan e Kulap não estão mais aqui. Inquieto, me levanto e fuço uma caixa que deixo guardada num armário e começo a rever algumas fotos e o que restou de um diário velho. Maldito B.. Malditos traficantes! Guardo tudo de volta em seus devidos lugares, me deito e acabo imergindo na profundidade obscura dos sonhos.

P.O.V. Sunan

- Tenso, tenso... - Converso com Kula no caminho para nosso quarto. - Se aquele cara entrou aqui sem ninguém o ver, a gente poderia ter ido no shopping também, aff... Com certeza o Khalan vai nos fazer acordar cedo pra falar do ocorrido e investigar esse caso, ou qualquer outra coisa do tipo...

- É... Melhor dormirmos o quanto antes, então. - Kulap diz e vemos um Khalan totalmente frustrado e nervoso, andando em passos largos até seu quarto e batendo a porta ao entrar. - Eita, acho que ferrou...

- Eu acho que ele está bravo, sabe? Só acho mesmo... - Falo e, dessa vez quem vimos foi Mong.

- Se ele está irritado, é por que sabe de alguma coisa. - Diz o moreno.

- Aham, vou comprar uma bolinha anti-stress pra ele.

- Hahahahaha! Ele não é difícil de se acalmar. Tudo do que precisa é de um pouco de carinho e pronto! Enfim... Vá dormir, porque algo me diz que amanhã será um longo dia...

Ele fala, sorrindo e volta ao seu quarto. Assim como ele, eu e Kulap entramos no nosso quarto, guardamos nossas armas e trnacamos as janelas. Nunca se sabe, não é mesmo?

- Aaahh, que tédio... - Reclama a garota, jogando-se na cama.

- Mexe no celular, ou sei lá... - Me cubro e encaro o teto.

- Primeiro de tudo: eu nem sabia que eles me deixaram ficar com meu celular! Só fui ver quando abri a gaveta da cômoda! - Ela pega seu celular e eu o meu.

- Hm...

Depois de, pelo menos umas três horas mexendo no celular, eu o coloquei para carregar e acabei pegando no sono. A última coisa que lembrei antes de dormir de fato, foi daquele cara mascarado... Quem será que ele é?

Dia Seguinte...

Acordo com alguns dos raios solares atravessando as cortinas das janelas. Abro meus olhos lentamente para que me acostume com a luz e os esfrego com minhas mãos. Sento-me na cama e vejo as horas na tela do celular e agora são exatamente 6:35 da manhã! De fato não sei como foi que eu consegui acordar tão cedo assim sem ninguém me chamar... Será que é um efeito colateral de fazer parte de uma gangue? Rio com meus pensamentos enquanto escolho uma muda de roupas e pego minha toalha, dirigindo-me, logo em seguida, para o banheiro. Após um banho relaxante, estou finalmente desperto! Pego meu celular e vou diretamente ao quarto de Khalan, batendo algumas poucas vezes na porta e chamando por ele.

- Khalan? Noppanut?

Poucos segundos depois, ouço um "pode entrar" vindo de dentro do quarto. Assim o faço, fechando calmamente a porta depois de entrar e o vejo sentado em frente à uma mesa de escritório, organizado algumas folhas que se pareciam com fichas de membros ou documentos.

- Está muito ocupado? - Pergunto.

- Não! - Ele sorri ao olhar para mi e se levanta, vindo em minha direção até ficar em minha frente.

- Eu só queria pedir sua permissão pra sair e dar uma volta...

- Aaaah, sim! Claro, pode ir! a tome cuidado, okay? Se acontecer algo, me ligue!

- Tá bem, obrigado.. - Vou até a porta e paro. - Ah, quer alguma coisa da rua?

- Não, obrigado! Eu estou bem. Se cuida, hein?! - Ele sorri, apertando os olhos.

- Tá bom! Desculpe por te atrapalhar aí...

Falo e saio do quarto. Procuro minha carteira em meus bolsos e, quando finalmente a encontro, saio da mansão.

P.O.V. Khalan

Observo o garoto sair do quarto e sorrio bobo comigo mesmo.

- Você não me atrapalha...

Falo olhando para o nada e volto a mexer nos papéis que estava organizando. Ao terminar, guardo as folhas, coloco uma camisa (por que, pra variar eu estava sem), e vou até o quarto de Mong, para falar sobre o nosso mais novo prisioneiro. Após tomarmos nosso café, eu e Mong ficamos conversando sobre o assunto do qual queria falar desde quando acordei.

- Sim, é ele... Eu sabia que seria obra daquele maldito B...

- Só não tire conclusões precipitadas com ele, Khalan... Apesar de tudo, aquele homem é um refém! Tem muita importância pra nós!

- Não sei não... Ele veio até aqui sozinho. De qualquer forma, vamos interrogá-lo mais tarde. Se ele não disser nada, vamos apelar para o modo mais difícil, se é que me entende...

- Bom, você que manda, chefe... E quanto aos recrutas? - Mong diz preocupado.

- Sobre Kulap, não sei se já está acordada. Quanto à Sunan, saiu para dar uma volta por aí...

- Ah sim, saquei...

Fomos andando para uma das salas de estar da casa, mas antes que pudéssemos nos acomodar nos sofás, Kulap surgiu, vindo falar conosco.

- Olá! Bom dia! - Disse entre sorrisos gentis. - Vocês viram o Sun?

- Ah, Bom dia, Kula! Sim, ele saiu há pouco tempo... Foi dar uma volta, eu acho... - Digo, retribuindo seus sorrisos.

- Hmm, certo! Eu posso sair também? Prometo não demorar!

-Claro, claro! Divirta-se e tome bastante cuidado! - Ainda sorridno, aceno com a cabeça.

- Obrigada!

P.O.V. Kulap

Saí depois de pegar meu celular e minha bolsa no quarto. Fui dar uma volta no centro da cidade e aproveitei para passar no shopping e comprar algumas coisinhas que queria faz um tempo. Depois de um passeio bem aproveitado, voltei para a mansão, segurando algumas sacolas de diversas lojas. Ao entrar no quarto, encontro Sun arrumando algumas coisas perto de sua cama.

- Oi, Sun!

- Hm? Ah, oi! - Ele sorri - Tudo bem? Pra onde você foi? - Ele se senta na cama.

- Eu fui ao shopping... Pena que, quando eu acordei, você já tinha saído...

- Desculpe, eu ia te acordar, mas você estava tendo um sono tão gostoso, que decidi deixar você dormir um pouco mais...- Ainda sorrindo gentilmente - O que comprou?

- Ah eu comprei muitas coisas, hahaha, e também te comprei um presentinho.

- Legal! Eu comprei algumas roupas... mais ou menos no mesmo estilo das suas... - Ele diz um pouco envergonhado.

- Bacana! Aqui, olha! - Abro algumas caixas e sacolas, onde haviam um relógio alaranjado e uma carteira de couro marrom, três frascos de colônias, um conjunto de roupas e um par de tênis.

- Uau! Obrigado, Kula! Não precisava!

- Ah que isso? Eu quis comprar... Você é tão legal comigo que precisava te agradecer de alguma forma!

Eu o entrego os presentes e ele sorri, grato e me dá um abraço fofo em agradecimento.


Notas Finais


Bom, espero que tenham gostado desse capítulo! Obrigada por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...