1. Spirit Fanfics >
  2. Candy Crush - Taekook >
  3. Book!

História Candy Crush - Taekook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, sejam bem vindos!

Fazia um tempo que eu tinha vontade de criar uma fanfic com esse tema, algo que foge um pouco da realidade e que mistura a fantasia, a imaginação. Eu vou dar muito amor a essa história, porque é um dos projetos que eu quis muito trazer/desenvolver. Eu espero que gostem e estarei postando de semana a semana,

Boa leitura.

Capítulo 1 - Book!


Fanfic / Fanfiction Candy Crush - Taekook - Capítulo 1 - Book!

Kim Taehyung, um menino rebelde de 17 anos, suposto hétero que não acredita em contos de fadas. ‘’Infelizmente’’ ele tem uma irmã de 15 anos, Kim Minyung, que é apaixonada por livros fictícios, principalmente aqueles que contém príncipes e princesas, ela também é uma fujoshi fanática. Lógico que o garoto fica completamente irritado com o fato de sua irmã acreditar em mundos que não existem, é o tipo de pessoa estraga prazeres. Sempre está tentando cortar a onda dela falando besteiras sobre os livros. 

Os dois viviam apenas com a mãe, o pai havia falecido em um acidente de avião, mas o corpo jamais foi encontrado. Como ela trabalhava muito, ele ficava encarregado de cuidar da mais nova, era o homem da casa quando a mãe não estava. No momento, ele estava no quarto, como de costume, jogando em seu computador. Era um completo viciado em jogos online, se não tivesse escola ele passaria 24 horas em frente a uma tela. Dava para saber que ele estava preso jogando, já que gritava, soltava alguns palavrões e parecia estar falando sozinho, se escutava de longe. 
  Minyung bateu algumas vezes na porta, mas não obteve resposta alguma, então apenas abriu e entrou, pouco ligando para o surto que seu irmão iria dar. Ele tinha que cuidar dela e ficar jogando o dia inteiro não fazia parte dessa tarefa. Se aproximou do garoto e o chamou algumas vezes, mas ele não respondeu, apenas ficou ignorando na tentativa dela desistir e sair. A garota era insistente e como não conseguiu a atenção de forma educada, teve que partir para a agressividade. Se abaixou e desligou a fonte do computador na tomada, fazendo tudo desligar e o joguinho acabar.    

— O que você fez, sua pirralha?! — Tirou o fone rapidamente e se abaixou para ligar novamente. 

— Você deveria estar cuidando de mim, seu ogro. — E era assim que eles demonstravam amor, trocando apelidos carinhosos.  

— Você não é mais uma criança, pode muito bem se virar sozinha! — A verdade era que ele tinha preguiça de vigiar a própria irmã.  

— Mas eu não posso ir na rua sem a sua autorização! Na verdade, a mãe disse que você tem que me levar nos lugares. — Cruzou os braços. — Eu quero ir na biblioteca, Taehyung! 

— Vai pegar mais um daqueles seus livros chatos? — Bufou quando percebeu que seu computador iria fazer uma atualização. — Que droga, Minyung! Vai demorar um século agora.  

— Já que vai demorar, você pode ir comigo na biblioteca então. — Pegou na mão do rapaz e então começou a puxar para que ele fosse.  

— Eu estou de pijama se você não reparou ainda. Vai lá para a sala e me espera. — E a garota saiu correndo toda alegre.  

Enquanto Taehyung ia vestir uma roupa descente, não poupou reclamações, tinha mania de falar sozinho quando algo lhe incomodava e no momento estava. Ele não queria ir na biblioteca de jeito nenhum, mas era obrigado, porque se não a sua irmã contava para a mãe deles e ela ficava uma fera. O Kim mais velho não gostava do ambiente, um cheiro de guardado, poeira, uma velha rabugenta pedindo silêncio, ela parecia implicar só com ele. 

   Depois de terminar de se arrumar, saiu do quarto e foi diretamente para a sala. A casa era de um andar apenas, não tinha preocupações de subir e descer escadas, apenas passar por um corredor extenso até chegar na sala. Encontrou a menor sentada balançando os pés abraçando um livro, provavelmente ela iria trocar aquele por algum novo. Taehyung chamou a sua atenção e foi diretamente para a porta, mas logo a garota passou como um jato em sua frente para sair. Trancou a porta para não correr riscos da casa ser assaltada, a rua que moravam era um pouco perigosa, por isso Hyemin, a matriarca, não deixava sua filha sair andando por ali.  

 Após um tempo aturando a pequena e ainda andando até o centro, chegaram na biblioteca. Tae não via a hora de atingir a maioridade e comprar uma moto, assim não iria precisar ficar andando e cansando suas pernas. Quando entrou no local, a mulher já foi fazendo um sinal de silêncio para si. Ele era muito barulhento, esbarrava nas coisas, assobiava, cumprimentava alguém em voz alta, isso perturbava algumas pessoas que estavam concentradas lendo. Mas Taehyung era teimoso demais para admitir que realmente fazia, ele preferia dizer que a mulher só implicava com ele sem motivos.  

 Deixou a sua irmã ir passear pelas enormes estantes e ficou sentado esperando. Como não tinha mais o que fazer, pegou o celular para verificar algumas mensagens e lá estava seus amigos perguntando o motivo dele sair do jogo. Quando começou a se entreter na conversa, Min chegou com o livro em suas mãos.  

— Eu achei um perfeito! — Mostrava alegremente a capa do livro. — Candy Crush, meu príncipe doce! — Quando ele leu o título, Taehyung caiu em gargalhada.  

— Sério? Que livro horroroso. — Levantou da cadeira que estava sentado. — Por que perde seu tempo lendo essas coisas? Deveria procurar algo de útil ao invés de sonhar com príncipes. Isso não existe.  

— E você deveria parar também de jogar e procurar um trabalho. Você acha o que? Que jogo garante futuro? — E a garota apenas abraçou seu livro e saiu andando depois de sua resposta bem dada.  

 O mais velho na retrucou, até porque não valia a pena ficar discutindo com uma criança. Acompanhou ela até preencher a fichinha e logo os dois estavam saindo de lá. Taehyung andava tranquilamente pela calçada até ouvir a sua irmã novamente.  

— Hey! Que tal a gente fazer um acordo? — Por incrível que pareça, o garoto gostava de acordos. — Você lê esse livro que eu peguei, pelo menos até a metade, se você gostar vai ter que ser meu escravo por dois meses e se você não gostar... eu faço o que você quiser por dois meses.  

— Hm... Ok. Negócio fechado. — Apertou a mão da garotinha que sorria de forma sapeca.  

 

Aquele acordo já estava ganho, era só mais um livro bobo como os outros.  


Notas Finais


Primeiramente peço desculpas aos erros, eu não costumo revisar os capítulos porque quase não tenho tempo para isso. Eu tenho uma outra fanfic para quem gosta de Chanbaek e estarei voltando a escrevê-la também nessa semana, se quiserem dar uma passadinha por lá!
Obrigada aos leitores, vejo vocês na próxima segunda-feira!

xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...