História Candy Girl - Riverdale - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Riverdale
Personagens Alice Cooper, Antoinette "Toni" Topaz, Archibald "Archie" Andrews, Cheryl Blossom, Chuck Clayton, Clifford "Cliff" Blossom, Dilton Doiley, Elizabeth "Betty" Cooper, Ethel Muggs, Forsythe Pendleton "FP" Jones II, Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Frederick "Fred" Andrews, Ginger Lopez, Hal Cooper, Hermione Lodge, Hiram Lodge, Jason Blossom, Joaquin, Josephine "Josie" McCoy, Kevin Keller, Marmaduke "Moose" Mason, Mary Andrews, Melody Valentine, Oscar Castillo, Penelope Blossom, Personagens Originais, Polly Cooper, Pop Tate, Reginald "Reggie" Mantle, Sierra McCoy, Smithers, Tina Patel, Treinador Clayton, Trev Brown, Valerie Brown, Veronica "Ronnie" Lodge, Waldo Weatherbee, Xerife Keller
Tags Alice Cooper, Archie Andrews, Archie Comics, Betty Cooper, Black Hood, Bruxa, Bughead, Candy Girl, Cheryl Blossom, Choni, Comedia, Edgar Evernever, Evelyn Evernever, Falice, Fangs Fogarty, Fp Jones, Greendale, Hermione Lodge, Hiram Lodge, Investigação, Joaquin, Josie Mccoy, Jughead Jones, Keller, Kevin Keller, Mistério, Nancy Drew, Northside, Penny Peabody, Polly Cooper, Pops, Riverdale, Riverdale High, Romance, Scarlet Woods, Serpentes, Serpents, Southside, Southside High, Suspense, Sweet Pea, Toni Topaz, Valerie, Varchie, Veronica Lodge
Visualizações 48
Palavras 2.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


•Boa leitura! ❤

Capítulo 8 - Evil Dead - Oito


Fanfic / Fanfiction Candy Girl - Riverdale - Capítulo 8 - Evil Dead - Oito

"I know your motives and you know mine

The ones that love me, I tend to leave behind

If you know about me and choose to stay

Then take this pleasure and take away the pain"

------------------------

- Betty? Tá acordada? - Jughead, sentando ao lado da garota, pergunta com olhos semi cerrados e preocupados. Betty não respondia, ainda desmaiada.


- A gente já tá aqui faz uns 4 minutos, vou usar meu truque secreto, não aguento mais, ela vai acordar é agora! - Cheryl diz balançando os braços, saindo de seu quarto indo buscar alguma coisa, enquanto todos estavam com os olhares fixos em Betty.

- Ela vai ficar bem, Jug. - Toni Topaz diz, dando tapinhas nas costas do companheiro, que não tira o olhar fixo da namorada.

- Eu não costumo explodir, ser ciumento. Não costumamos brigar por essas coisas, eu só... me estressei por conta de todo esse drama adolescente, se eu não tivesse gritado com ela, já estaríamos em casa. - Jughead diz baixinho, como se quisesse que apenas Elizabeth ouvisse, mas todos no cômodo ouviram.

- Jughead, não se culpe. Você é tão humano quanto ela, e humanos sentem raiva, ciúme, é seu direito explodir as vezes, vocês só tiveram um momento ruim. - Toni disse baixo a Jughead, que apenas suspira como resposta. Scarlet, que também se encontrava ali, se ajoelha no chão ao lado da cama, olhando pra Jughead.

- Se culpar não vai melhorar as coisas, Jones. Você conversar com ela depois que ela acordar e resolver o drama adolescente, isso sim vai. Não sinta pena de si mesmo, isso é um porre. - Seus olhos negros eram sérios e sinceros mesmo que chapados, e Jones realmente sabia que ela dizia a verdade, sabia que ela estava certa. O que era estranho, a garota era uma Serpente como ele, tinha a mesma idade dele, conhecia os amigos dele, tinham até aulas juntos, mas ele nunca ouviu falar dela, e agora ela despejava verdades em seu rosto como se fosse água.

- Cheguei, afastem-se que agora a cereja do bolo vai cuidar disso. - Cheryl disse, e todos do lado de Betty se levantaram, enquanto a ruiva abriu uma embalagem com álcool líquido, tentando fazer com que a garota Cooper sentisse o cheiro forte. O que funcionou, e em pouco tempo, a mesma já estava tossindo e torcendo o nariz, com cara de espanto.

- Tudo bem, o casal de detetives precisa de privacidade, vamos andando, mas se demorarem muito eu expulso vocês. - Blossom emite um alerta novamente, pegando na mão de Toni e levando junto as outras duas meninas pra fora. Enquanto Betty se sentava na cama, Jughead só conseguia segurar sua mão com mais força.

- Por que fez aquilo? Por que, Betty? - Ele perguntou, com seus olhos fixos nos verdes da namorada, que já não estavam brilhantes como costumavam ser. O garoto não conseguia imaginar direito o por que de Bee ter sido tão vingativa, não era comum.

- Eu não sei, Jug. Não sei mesmo, eu senti uma fúria percorrer meu corpo, mas não uma comum, era como um furacão, e não sei o que anda acontecendo comigo, eu só ando descontrolada demais. - Ela diz, olhando as palmas de suas mãos, que agora estavam em carne viva, e o sangue ainda estava escorrendo nos curativos - Por que correspondeu os flertes daquela garota, a Evelyn?

- Não correspondi, ela não flertou comigo. - Ele disse, indiferente. E Betty só tentava entender o quão cego o namorado estava pra ver que aquela garota estava cheia de segundas intenções como inocente.

- Correspondeu sim, e era visível que ela tentou flertar com você, até naquela pergunta idiota da Cheryl quando ela estava mais chapada, e você consentiu. Quem consente, concorda. - Betty disse em tom irritado, fazendo com que Jughead se ajeite na beira da cama de nervosismo.

- Touché. Mas você não magoou só a mim, você feriu a Veronica mais do que qualquer um, Archie nem vai se lembrar de tanto Jingle-Jangle e bebida que aquele ruivo potencialmente problemático ingeriu, mas a Veronica não vai esquecer nem de longe e você sabe disso. Não acho que tô bem com isso ainda, Bee, mas eu posso ficar, eu entendo isso mesmo não querendo muito, entendo seu stress, você tem tido esses momentos desde pouco tempo antes de Chic, seu "lado negro", mas você nunca fez algo assim, e eu não sei se vou continuar consentindo com seus pequenos surtos. Não sei mesmo. - O garoto apoia sua cabeça entre as mãos, bagunçando os próprios cabelos negros, logo deitando a cabeça no colo de Betty - eu te amo, Betty Cooper. Mas você realmente me desapontou. E eu nunca fui tão sincero, direto e não-sarcástico numa conversa até hoje. - Ela repousou suas mãos sobre os cabelos pretos como carvão. Não sabia o que dizer, ou como explicar o que estava sentindo sequer. Mas sabia que ele precisava de um tempo pra digerir, mas o que provava seu amor, era o fato dele conseguir tentar perdoar um erro tão imperdoável.

- Eu também te amo, Jug, mas acho que devia te dar um tempo pra pensar. Pode ir pra casa, vou ficar aqui essa noite, se cuida. - Elizabeth diz, dando um beijinho na testa de Jughead, que perplexo e sem dar mais nenhuma palavra, saiu de Thornhill. Uma lágrima atrevida escorreu dos olhos de Betty, que sentiu seu peito pesar ao ver o estrago que fez, ao ver com outros olhos, ela sentia que cada dia mais sua escuridão a tomava por completo.

- Tá tudo bem, Betty? Você está tipo, chorando. - Scarlet se atreveu a quebrar o silêncio, sentando na outra beira da cama junto de Josie, vendo que Cheryl e Toni ocupavam o outro lado.

- Tá tudo bem, eu só... Não acredito no que eu fiz, não acredito que fui tão silvícola e tão má namorada e melhor amiga, fui tão egoísta.

- Não acho uma boa ideia você falar coisas complexas demais pra Scarlet agora, Jingle-Jangle ainda dificulta seu raciocínio.  - Topaz diz, dando um sorrisinho pra loira, que retribuiu, vendo que a Toni não usou o Jingle-Jangle como disse que iria - Cherry, quer ajuda pra pegar os colchões pras meninas? - A ruiva assentiu, sem estar realmente concentrada no que a namorada disse, mas as duas foram ao quarto ao lado pegar três colchões.

- Claro que eu estou racionando direito! Eu tô meio chapada, não burra! - Scarlet diz com uma careta engraçada e voz indignada, enquanto Josie se deitou e fechou os olhos na beira da cama de Cheryl mesmo - Espera, eu falei certo? - Ela se questiona, fazendo Betty soltar uma risadinha.

- É raciocinando, Scar. - E a morena agradeceu silenciosamente, passando a mão sobre um dos ombros da loira de maneira amigável.

- E aquela garota é uma cobra, deveríamos quebrar a casa dela um dia, não acha, Josie? - Ela diz, se virando pra garota que dormia na beira da cama, enquanto Cheryl e Toni se aproximavam, ajeitando três colchões no chão - Ninguém me ouve nessa casa, como sempre. - E sem mais nem menos, deitou no colchão e ficou fitando o teto por um tempinho, até realmente fechar os olhos e aparentemente, adormecer.

- Se importa em dormir com uma Josie de cortesia? Eu tô cansada demais pra tirar ela daí. - A Blossom reclama, entrando em seu closet e trocando de roupa.

- Desde que eu esteja ao seu lado, tudo bem ter uma Josie lá embaixo - Toni diz sorrindo - E Cher, não esquece de trazer algo pra mim e pra sua prima. - Ela deu uma piscadela pra B.

- Aqui estão, uma camisola pra Toni e uma pra Bee, tem um banheiro e o closet pra se vestirem. - Cada uma seguiu seu rumo, se trocaram e em poucos minutos, estavam deitadas e dormindo, exceto Betty.

Por que era tão difícil controlar sua própria pessoa? Ou seus instintos de quase arrancar toda a pele da própria palma da mão, até o fato dela se sentir melhor usando aquela peruca morena quando estava sozinha, ela se sentia diferente. Poderosa, capaz, tudo o que a verdadeira Betty iria falhar, aquela Betty não cometia os mesmos erros, não tinha medo de se vingar, de conquistar. Ela era assustadora, e fazia essa palavra ter um sentido bom. Enquanto a Bee de verdade tinha olhos que sempre a entregaram, aquela Betty sempre mantinha seus olhos de cigana, oblíqua e dissimulada. Talvez ninguém soubesse muito bem como eram olhos oblíquos, mas olhos dissimulados todos estavam prestes a saber.

---------------------

- Obrigada por ter deixado todas nós irmos dormirmos na sua casa, Cheryl, esqueci de te agradecer no fim de semana. Foi muita gentileza de sua parte. Se Scarlet estivesse aqui ela também agradeceria, com certeza, mas ela sumiu nesse domingo. - A loira disse, mantendo seu tom calmo habitual.


- Não há de quê. Bye bye, agora tenho assuntos a tratar, priminha, xoxo. - E a cabeleira ruiva balançou junto do corpo de Cheryl Blossom, com braços dados junto aos de Toni. Elas formavam um casal lindo, um casal que Betty até arriscaria chamar de ideal, as duas se amavam e não escondiam isso. Ela e Jughead também eram assim? Eram um casal que ia dar certo, como ela queria?

- Bee, tudo bem? Tá me ouvindo? -Um garoto ruivo e alto estava parado ali em frente de Betty, que ficou parada em frente ao seu armário, distraída.

- Ah, oi Archie, não vi você aí... - Ela disse, olhando pro garoto que parecia se contorcer levemente - Tudo bem?

- Na verdade, não. A Veronica tá muito mal, Betty. Muito mesmo, ela não conseguiu vir pra escola hoje, disse que queria dar um tempo. - O coração da loira parou, pesando com a culpa. Ela realmente foi capaz de deixar Veronica Lodge, a rainha do empoderamento, daquele jeito? - Ela disse que a gente se beijou, mas isso não foi o probelma real - Ele continuou - Ela tá magoada com suas palavras, B, magoada com o jeito que você a tratou, a olhou. Ela me disse também que queria te esganar, mas não conseguiria encostar em você por conta de uma amizade tão forte.

- Archie, eu... - Uma lágrima escorreu pelo rosto de Betty. Ela devia ter sido realmente terrível, primeiro Jughead, agora Veronica... Até onde ela iria?

- Eu acho que ela consegue superar, mas você precisa dar um tempo, e depois falar com a Vee, eu não me lembro de quase nada de sábado a noite, mas Veronica é orgulhosa, não vai querer olhar pra você. - Archie diz entre suspiros e alguns olhares trocados com o chão, como se sua língua ardesse ao falar aquilo.

- Por que tá me contando tudo isso?

- Porque eu quero uma explicação, Betty. A gente já se beijou antes, você sabe, e nem ela nem o Jug ficaram arrasados, o que fez essa vez tão diferente? - Ele a olhou no fundo dos olhos, como quem quer ver mais do que dá pra ver.

Betty não sabia responder. Simplesmente não sabia como explicar pra ele o fato de que parecia que ela possuía dupla personalidade. Ou que uma força esquisita dentro dela a fazia se machucar de maneira agressiva, fazia ela querer sumir e ser outra pessoa, e no fim das contas, as vezes ela era outra pessoa. As vezes ela era um monstro, talvez parecido com o monstro que seu pai foi. Então Elizabeth não pôde conter um pouco de choro. Ela queria que uma mão quente passasse sobre sua cabeça e seu olhos, queria que algo pudesse a acariciar de forma que ela esquece de tudo isso e conseguisse se livrar dessa pessoa que vivia em seu corpo. As marcas de seu corpo, que ela fincava as unhas, iam embora com o tempo, mas as marcas de sua alma ficariam ali pra sempre. Então, em meio a algumas lágrimas e alguns soluços, Betty tentou contar à Archie o que ocorreu noite passada do jeito que ela se lembrava, o ruivo apenas franzia a testa em sinal de desaprovação e apertava os olhos, quando um silêncio devastador tomou conta enquanto eles caminhavam até a sala de lazer, que sempre frequentavam.

- Eu... não entendo, B. - Ele disse, por fim, enquanto se entreolharam na porta.

- Não precisa entender. - A mesma respondeu, enquanto entrava na sala, que logo avistou Jughead, Fangs, Sweet Pea e Scarlet. Quatro serpentes e uma garota com problemas psicológicos.

- Betty! Ainda bem, procurei por você nessa escola inteira! - A garota disse, ao se aproximar de Betty - Tenho uma coisa pra dizer a você e pro Jughead. Até o ruivinho pode ouvir, se possível. Algo que pode ser útil a vocês. - Ela olhou dentro das esferas verdes que eram os olhos de Elizabeth, e ela não pode deixar de notar o quanto os olhos da morena pareciam chocolate derretido.

- Sobre? Você estava esse tempo todo aqui antes mesmo de nós chegarmos e não me disse nada, Scarlet. - Jughead reclamou, cruzando os braços e dando um olhar desconfiado pra menina, que o ignorou e continuou a falar.

- Hoje a noite, por ser início de semana e um dia onde ninguém desconfia de nada, vai ter o habitual baile de máscaras no Dama da Noite pra membros fiéis e frequentadores de 5 anos pra cima, e eu vou fazer o show essa noite, como atração principal... - Jughead simplesmente a corta em tom sério e irritado.

- Você tá chamando nós três pra ir no seu show? Dispensamos. - Scarlet olha feio pra ele e o ignora, mantendo seu tom baixo. Archie e Betty, por outro lado, queriam entender o que tudo isso tinha a ver com eles.

- A questão é que, por ser a atração principal, isso me dá influência e privilégios, e isso incluiu ter acesso a lista de convidados do show masculino de hoje. O que me leva aonde eu quero chegar: Mr. Red vai estar lá, o cara que pratica transporte ilegal de alguma coisa, entre outros homens potencialmente problemáticos. E eu consegui 2 ingressos exclusivos, então, como hoje nenhuma mulher vai me ver, eu consigo colocar a Betty nos bastidores do show, mas vocês que devem se fingir de membros e ver se conseguem algo dele. E eu sei que vocês não são mais exatamente amigos, mas pensem nisso. - Scarlet diz por fim, colocando as mãos na cintura, e jogando o cabelo negro pra trás com um balanço de cabeça.

- Por que eu? - Archie pergunta, inatento.

- Porque você tem um relacionamento com Veronica Lodge, eu sei que pode parecer idiota, mas eu vou me sentir mais confortável se eu tiver uma garantia de que vocês não vão prestar atenção em mim, aquele vai ser um show de verdade, e eu não colocaria por exemplo o Fangs e o Sweet Pea pra ir, eles não me dão garantia alguma.

- Mas você já fez um strip pro Sweet, Scar, qual a diferença? - Betty pergunta, balançando os braços e dando de ombros.

- Aquilo foi uma brincadeira, Cooper, tanto que eu só usei uma lingerie minha, fiz algo meia boca e não tirei toda a roupa, não foi um show de verdade, se vocês vão estar lá, tem que saber que vai ser um show de verdade, comigo e outras garotas realmente trabalhando, e com nudez explícita. Mas eu consigo por vocês lá dentro independente do plano, e então, vocês topam?


Notas Finais


Era pra ter saído ontem, mas com a volta as aulas e tudo mais não deu. E então, acham que eles vão aceitar ou não? Gostaram do capítulo? Não se esqueçam de favoritar e comentar se possível a opinião de vocês, adoro ler tudo ❤ beijoss!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...