1. Spirit Fanfics >
  2. Candy (NejiHina) >
  3. Capítulo 4

História Candy (NejiHina) - Capítulo 5


Escrita por: e Nejihina_Pjct


Capítulo 5 - Capítulo 4


Uma semana se passou e Hinata estava sentada na mesa do refeitório completamente abatida. Em seus olhos era possível ver a marca das olheiras que já começavam ficar escuras, deixando o lindo rosto da morena com sinais de cansaço e exaustão.

Ino e Karin encaravam a amiga pasmadas, trocando olhares antes que uma começasse a falar, sendo a primeira a abrir a boca, a loira.

— O que houve com a Hinata cheia de energia e pronta para acabar com uma certa morena?

A loira pegou a maçã da bandeja e mordeu sem tirar os olhos de Hinata, que olhava para um ponto vazio atrás das amigas com sua cabeça apoiada sobre a palma da mão direita.

— Estou puta!

Foi o que ela respondeu depois de alguns segundos. A Hyuuga estava com tanto ódio, que seria capaz de matar Tenten. A namorada do irmão estava deixando-a maluca, sempre inventando alguma coisa para comer dizendo que estava com desejo, e Neji mesmo sem vontade, saía atrás das vontades loucas dela. E quando as duas ficavam a sós, Tenten fazia questão de esfregar na cara de Hinata sua vitória.

Por vezes, Hinata teve que se segurar para não dar uns tapas naquela cara cínica de Mitsashi. Claro que ela já tinha sacado qual era a intenção de Tenten; ela procurava irritar Hinata para que a morena a batesse ou até mesmo gritasse com ela e Neji ficasse bravo com a irmã, mas a quenguinha de meia boca não conseguiu nada com isso. A única coisa que ela estava recebendo em troca era uma Hinata compreensiva e paciente.

Hinata amava ver a cara da morena quando ela não reagia às provocações, e Neji… bem, ele estava tentando não surtar. Apenas uma única vez Hinata presenciou o irmão irritado, onde ela teve que interceder por Tenten ficando entre os dois. A Hyuuga mais nova via que o irmão já estava chegando no limite, ele queria mandar Tenten embora, era o que ele mais queria, mas, no dia em que ele iria conversar com a namorada e dizer pra ela que iria alugar um pequeno apartamento para ela, Tenten foi mais rápida e o entregou um pequeno envelope. E lá estava ele, o resultado do exame de gravidez... positivo.

Depois desse dia, Neji ficou estranho, mesmo Hinata tentando conversar com ele, o Hyuuga tentava mudar de assunto, até o dia em que ele pediu perdão para ela quase chorando e dizendo que não queria que Hinata se envolvesse em seus problemas. Depois disso, ela não pregou mais os olhos.

— Nem preciso perguntar porquê, né?

Ino suspirou cansada, até ela estava ficando com raiva de Tenten por Hinata. Karin estava sentada quieta, na verdade ela estava se sentindo nervosa, seus olhos sempre pareciam procurar por algo, ou melhor dizendo, por alguém.

Hinata olhou para a ruiva curiosa, já que Karin sempre foi uma tagarela, mas hoje ela parecia bem calada. Erguendo as sobrancelhas e interessada no que a amiga parecia tanto procurar, Hinata colocou o outro cotovelo apoiado na mesa e seu queixo sobre as mãos.

— O que tanto você procura? — um pequeno sorriso apareceu nos lábios da Hyuuga quando viu Karin arregalar os olhos e ajustar os óculos para olhá-la.

— N-nada!

Hinata entortou os lábios e cruzou os braços em cima da mesa. Ela sabia que tinha alguma coisa por trás do nervosismo da ruiva, soltando um sorriso anasalado e fazendo Karin se encolher no lugar enquanto era acompanhada por Ino de canto de olho.

— Ela está assim porque o Uchiha falou com ela.

Os lábios de Hinata se entreabriram com a surpresa e ela encarou Karin aflita. Sasuke Uchiha não era um cara mau, mas também sabia que ele não dava chances para as garotas se aproximarem dele, apesar de ser tão lindo e gostoso. O Uchiha era dono de uma beleza incomparável, com seus cabelos pretos e rebeldes, sua pele branca e limpa, deixando apenas uma tatuagem desenhar-lhe a pele clara. Sempre cobiçado por ter um porte físico em dia e de dar inveja, os olhos eram o que chamavam a atenção, em um preto obscuro e cheio de frieza.

— Ai meu Deus!

Karin murmurou abaixando o olhar nervosa, as meninas olharam para ela e em seguida olharam para trás. Sasuke caminhava calmamente em direção a mesa delas, Karin parecia que iria convulsionar de tanto que tremia.

Hinata observava o caminho que o Uchiha seguia, parando bem ao lado dela. Seus olhos a encararam com indiferença, ela ergueu uma sobrancelha esperando que ele dissesse alguma coisa.

— Onde está seu irmão?

— Nós estamos bem, obrigado por perguntar.

Ino respondeu recebendo um olhar apático de Sasuke.

— Não sei, por que não procura por ele?

— Acha que eu não fiz isso antes de vir até aqui?

"Bruto!" ela pensou revirando os olhos. Sasuke sempre tinha uma resposta na ponta da língua. O moreno lançou um olhar fugaz para Karin antes de sair de perto delas irritado. A ruiva suspirou alto e olhou na direção em que Sasuke foi.

— Ele é tão intenso.

— Porra! Corre atrás dele logo e apaga esse fogo no cu!

— Ino! — Karin advertiu a loira, relaxando os ombros e soprando desanimada — Até parece que Sasuke Uchiha vai olhar pra mim...

Sua voz saiu carregada de insatisfação, Ino a virou pelos ombros a olhando séria e com determinação.

— Você é linda, não se diminua por causa de homem algum. Se ele não gostar de você por quem você é, ele não te merece, porra!

— Mas... — Hinata começou com um sorriso libertino nos lábios — Podemos te deixar ainda mais linda do que você já é!

Ino soltou Karin enquanto considerava a ideia da amiga, olhando para Hinata com os olhos brilhantes.

— Ah, eu amei a ideia! Vamos começar a trabalhar nisso a partir de hoje, assim que sairmos daqui iremos para sua casa...

Ino começou a falar, parecia que a tagarelice de Karin havia passado para a loira. As duas que ouviam a Yamanaka começaram a sorrir. A loira era sempre estimulada por moda.

                            [...]

— Amiga, você só tem roupas assim? — Ino ergueu uma blusa de frio e logo em seguida uma saia longa preta — Desculpa, mas nem Shino te olharia usando uma roupa dessas.

Ino jogou tudo que estava no guarda roupa de Karin na cama, mas não havia achado nada ali que combinasse com ela.

— Para com isso, Ino! Viemos aqui para ajudá-la e não desmotivá-la.

Revirando os olhos, Ino caminhou com a saia preta até a penteadeira de Karin, pegando uma tesoura. E enquanto isso, Hinata procurava alguma outra roupa boa, mordendo a parte de dentro de sua bochecha, e achando uma regata branca de alcinha. Sorrindo ela fez um gesto para que Karin se aproximasse e colocou a regata em frente o peito da ruiva.

— Pronto! — as duas se viraram encarando Ino que se manifestava — Sua nova saia! E vai combinar com a regata já que é branca. Coloca!

Ino entregou a saia para Karin e a empurrou para que ela fosse se trocar logo. A loira girou nos calcanhares e se jogou na cama da ruiva em meio às roupas.

— Você não acha que aquela saia está muito curta?

A Yamanaka ergueu a cabeça fitando a morena.

— Não. Ela precisa mostrar o que ela tem. Karin é linda, mas tem vergonha de se mostrar pra sociedade.

— Ela tem o direito de se preservar.

— Bem, eu sei... — se levantando da cama e olhando seu corpo na frente do espelho, Ino continuava: — Mas quando você quer conquistar alguém, vale tudo.

Ela olhou para Hinata através do espelho e piscou. A morena negou sorrindo e olhou para a porta do banheiro quando se abriu e uma Karin acanhada saiu. A ruiva tentava o tempo todo puxar a saia para baixo, Ino havia cortado até a metade da coxa, e como o tecido não era tão fino a barra não ficaria desfiada.

— Puta que pariu, essa regata realçou seus seios! Olha esse bojo… e esse decote!

Ino foi até ela e a fez dar uma rodadinha. Um sorriso orgulhoso tomou conta dos lábios rosados da loira.

— Eu não sei… fiquei bonita?

Karin se olhou, ela nunca se vestiu assim, na verdade, nunca na vida pensou em se vestir dessa forma. Mesmo que ela andasse com Ino e Hinata que se vestiam bem, Karin era a única que não gostava muito de mostrar seu corpo.

— Por que você mesma não vê?

Hinata fez um gesto com a cabeça a chamando para se aproximar, e dando pequenos passos Karin se aproximou dela e se virou, olhando-se no espelho e levando uma mão nos lábios. Suas pernas torneadas se encaixaram perfeitamente na saia. Seu busto não era tão grande, porém o bojo conseguiu realçar seus seios e o decote a deixou ainda mais... sexy.

— Espera... — Hinata ficou atrás dela, soltando seus cabelos ruivos. Eles eram médios, batendo um pouco mais abaixo dos ombros — Prontinho. Agora só colocar pro lado e você está pronta!

A Hyuuga a ajudou colocando um pouco de seus cabelos para o lado. Karin agora se olhava com admiração ao ter um resultado que nem ela pensou que daria certo.

Olhando para o relógio de pulso, Hinata percebeu que já estava ficando tarde e precisava ir embora. Se despedindo das meninas, ela saiu rapidamente da casa de Karin e foi pra casa. O bom era que a ruiva morava na mesma rua que a dela, então em cinco minutos ela já estava entrando em casa, encontrando-a toda escura e franzindo o cenho, já que normalmente quando ela chegava, Tenten sempre estava sentada no sofá da sala assistindo TV com Neji quase babando de tanto dormir ao seu lado.

Ela suspirou, passando pela sala e subindo as escadas indo para o segundo andar da casa. Já no corredor, ela passou em frente a porta do quarto do irmão e parou. Curiosa, ela chegou mais perto e deu algumas batidas, mas não houve resposta. Então ela virou a maçaneta e abriu a porta devagar, visualizando o quarto que encontrava-se vazio e escuro.

— Para onde eles foram? — ela se perguntou e fechou a porta. E assim que virou o corpo para descer até a cozinha, chocou-se contra um corpo grande e quente. Neji estava olhando para irmã sem expressão alguma, seu rosto estava vermelho e seus cabelos um pouco bagunçados.

"Será que ele brigou? E com o Sasuke?"

Imediatamente Hinata começou a puxá-lo para dentro do quarto dele. Ela acendeu a luz e fechou a porta. Neji continuava parado no centro do quarto, sua cabeça estava baixa e ela se aproximou do irmão, inclinando um pouco a cabeça para baixo para olhá-lo nos olhos.

— Ji', o que houve?

Travando o maxilar e apertando as mãos em punho, Neji reprimiu um grito de ódio.

— Ela me traiu. Ela me fez acreditar que... — Neji olhou para Hinata com os olhos vermelhos, mas não porque ele queria chorar, não. Ele estava sentindo repulsa, raiva, e tudo estava se acumulando dentro dele.

Os lábios dela se abriram minimamente. Não sabia o que havia acontecido, mas ela tinha certeza que Tenten tinha aprontado mais uma. Ele fechou os olhos, sentindo a raiva querer consumi-lo, mas abriu-os ao sentir o pequeno toque das mãos de sua irmã em seu rosto.

— Eu estou aqui. Seja para qualquer coisa, você pode contar comigo.

Ela disse esboçando um pequeno sorriso, e o Hyuuga suspirou, colocando uma mecha de cabelo dela atrás da orelha. Seus olhos se cruzaram e Neji mordeu os lábios, tocando na ponta do nariz dela.

— Sim, e você pode fazer uma coisa por mim, maninha.

                            […]

Hinata olhava para o irmão assustada. Ela já o tinha visto beber — não, encher a cara — mas dessa vez Neji estava bebendo muito. Chegaram no pequeno bar em que eles sempre iam quando queriam se distrair, o "NoMad bar", ali era bem frequentado, Hinata até já deu de cara com os Red Sand, o time rival de Neji.

Tomando o restante de sua bebida, Neji ergueu a mão chamando o garçom.

— Hey! — Hinata o olhou perplexa — Não acha que já tomou demais? Já é o seu sétimo drink!

Neji a lançou um olhar de tédio, ele serpenteou as palavras entre os dentes para reprimir um gemido frustrante ao se lembrar das palavras ditas por ela.

"Esse filho é do Lee…"

Ele deu um pequeno tapa na cabeça tentando tirar aquelas palavras de sua mente. Hinata segurou a mão dele para que ele não se machucasse e Neji a encarou. A bebida o deixava entorpecido. Faria desaparecer? Não, mas por hora amenizaria aquela maldita dor de... corno!

O garçom se aproximou fazendo Neji quebrar o olhar e o fitá-lo.

— Mais... uma.

A voz dele já estava arrastada, os olhos do irmão já se encontravam bambos, até quando suas pálpebras se fechavam era com lentidão. Hinata então concluiu que já era hora de irem embora. Não permitiria que seu irmão bebesse por mais nenhum segundo.

— Desculpe, mas ele não vai beber mais nada — ela se ergueu da cadeira e afastou o garçom para o lado para poder passar e puxar o irmão pelo antebraço — Vamos embora.

Neji a encarou risonho, balançando a cabeça freneticamente e se levantando, antes de sair puxando uma boa quantia de dinheiro do bolso da calça e jogando na mesa.

A morena teve dificuldades para levar Neji até um ponto de táxi, suspirando quando se sentaram no banco, mas ela se arrependeu de tirar os olhos do irmão. Neji estava despencando para trás, e quando ela tentou puxá-lo, devido ao peso e tamanho dele, ela não teve força suficiente. Hinata não teve tempo de pensar quando seu pequeno corpo caiu por cima do irmão, que se encontrava com os olhos imóveis, fazendo Hinata o olhar preocupada.

— Neji, você está bem?

Ela aproximou seu rosto para ver se ele havia batido a cabeça, o que ela não deveria ter feito. Os orbes do Hyuuga rolaram para encara-lá nos olhos, e inconscientemente Neji levou a mão até os cabelos dela fazendo uma leve carícia. Os olhos dele a encararam agora com uma intensidade íntima que é quase demais. O coração de Hinata só faltou pular para fora. Ela não sabia porquê ele batia descontroladamente.

Neji ergueu um pouco a cabeça para mais perto, fechando a sutil distância entre eles e pressionou seus lábios no dela. Hinata gelou, seus olhos quase saindo para fora de tanto que estavam arregalados, a mão dele que  fazia carícia nos cabelos dela, desceu até a nuca aprofundando o beijo, até que ela cedeu. A morena saboreou o gosto de álcool na língua dele, abrindo os olhos levemente e percebendo o que estavam fazendo, logo separando-se do irmão e se erguendo desconcertada.

— O que foi isso…?

Ela sussurrou olhando para o nada, Hinata sentia o corpo todo tremer. Neji ainda estava caído no chão, e tomando coragem para encará-lo, ela girou nos calcanhares e o olhou por cima, soltando todo ar que segurava quando viu que ele havia capotado. Teria que ligar para algum amigo do irmão, ela sozinha não conseguiria tirá-lo daquele chão e o levar para casa.

Passando a mão nos cabelos, Hinata retirou o celular do bolso da calça e procurou um número...

Alô, Hinata? Aconteceu alguma coisa?

A voz do loiro do outro lado da linha mostrava preocupação, afinal, era muito raro as vezes que a morena o telefonava.

— Sim... — ela suspirou olhando para o irmão no chão. — Neji tomou todas e agora estamos aqui no meio da rua, e... — ela apertou os olhos com força, não diria ao Naruto o que havia acontecido — Por favor, Naruto, teria como você vir nos socorrer?

Estou indo, me passa a localização.

Hinata passou o endereço de onde estavam e encerrou a ligação. Ela caminhou até o banco e se sentou abraçando as pernas, observando o irmão.

Ela teria coragem de encará-lo, agora?

Balançou a cabeça tentando esquecer o que havia acontecido. Neji está tão bêbado que provavelmente não se lembrará do que aconteceu entre os dois.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...