História Candy Shop - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bottom!tae, Namjin, Top!jungkook, Vhope, Yoonmin, Yoonminseok
Visualizações 175
Palavras 1.902
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooooooooooooooii gente, olha quem saiu da caverna e postou mais um capítulo ;u;
desculpa pela demora mas é que vcs sabem que eu fiquei de recuperação e tô ralando pa carai pra poder passar então sori ♥️

Relevem qualquer errinho, boa leitura sz

Capítulo 3 - O mal entendido nunca acaba


O final de semana praticamente voou, foi muito rápido, sendo assim eu só pude descansar um pouco. Mas foi bom, pelo menos fiz o que eu mais gosto: assistir Netflix comendo um bocado. 


- Olha só, Kim Taehyung cheio dos contatos. - Jimin apareceu na cozinha, me fazendo levar um pequeno susto, tanto por não esperar ele entrar naquele momento e também pelo buquê enorme que tinha nas suas mãos. 


- Quem.. ah, me dá isso. - Peguei as flores da sua mão com um pouco de brutalidade, sem querer. 


- Nossa, tá.. posso pelo menos saber de quem é? - Ele riu sem graça e se aproximou enquanto eu suspirava após ter lido o pequeno bilhete que tinha entre as rosas vermelhas. 


TaeTae, eu ficaria muito feliz se você me perdoasse. Por favor, pense com carinho. Você sabe que eu amo muito você! 

Um beijinho, Jhope. 


Mostrei o pedacinho de cartão ao Jimin e o mesmo franziu o cenho ao terminar de ler. 


- Ué, vocês brigaram? - Peguei as flores e deixei-as no canto do balcão. Pensei em jogar no lixo mas não é pra tanto. 


- Não.. quer dizer, quase isso. - Jimin se sentou na minha frente esperando que eu começasse. 


- E então..? - 


- Ontem Jhope me chamou pra sair, e bom.. eu aceitei. Até aí tudo bem mas quando fomos falar com os amigos dele um acabou falando algo que me deixou meio acanhado. Então fui com Jhope ao banheiro e lá ele me disse que teria dito que éramos namorados. - Jimin assentiu com a cabeça e eu suspirei, deitando minha cabeça na mesa. 


- Acha que exagerei? - Falei enquanto o olhava e ele negou com a cabeça. 


- Não. Se você não quer nada a mais com ele é bom que deixe claro. - Concordei e levantei, indo até a cozinha. 


- Tae. - 


- Hm? - 


- Não se esqueça que eu sempre vou te apoiar. - Eu sorri e assenti. 



                         • • • •



Jisoo, uma amiga que eu já conheço a anos me pediu para que eu a fizesse um bolo para sua festa de casamento. Eu fiquei muito feliz, então claro, aceitei. O único "problema" é que ela trabalha no clube de esportes exatamente onde Jhope estuda e exatamente no horário em que está presente. 


- Calma, Taehyung. Tem muitas chances dele não estar lá. - Respirei fundo e entrei no corredor. Por um momento acabei lembrando do dia em que corri atrás de Jungkook e acabamos caindo.. 


- É.. foi bom. Não, espera, lógico que.. ah. - Sai correndo até o andar de cima e logo verifiquei o celular pra ter certeza de que sua sala era por ali. 


- Hm.. cento e.. aqui! - Achei a sala e bati na porta, após ouvir um "entre" da voz que já conhecia eu abri a mesma.


- Ah licen.. - E não é que estava? Jhope estava lá, sentado em uma das cadeiras junto com o resto dos meninos, inclusive com Jungkook, que percebi estar ali logo depois. 


- Ah, Tae! Venha, vamos conversar lá fora. Só um momento meninos. - Sorri e assenti, saindo com ela da sala. 


- E então? - Perguntei sorrindo ao ver que ela ainda continuava com o mesmo rostinho de bebê. Sempre fomos muito amigos, já que sua família era próxima da minha mas não pelo lado bom e sim pelo ruim. Na verdade as duas não se davam muito bem, mas quem disse que a gente se importava? 


- Olha, aqui está o convite. - Ela me deu e eu o abri, vendo que tudo era muito delicado e fino. 


- Uau, incrível. - Fechei o convite e lhe dei, mas ela riu e empurrou ele pra mim de novo. 


- O que? Vai me dizer que achou que você não seria convidado? Tae, somos melhores amigos. É seu. - Ela piscou pra mim e pegou minha mão. 


- Eu confio em você então o que quiser fazer, faça, tudo bem? - Assenti e ela se despediu de mim, entrando na sala. Peguei o cartão bege e sorri. Levei um pequeno susto ao ouvir o sinal tocar alto que acabei tropeçando na escada mas alguém me segurou. 


- Ah obrigad.. Jhope? - Falei assim que vi o ruivo atrás de mim. Me soltei dos seus braços e o olhei com os braços cruzados. 


- Vai me dizer que achou que não íamos trombar por aqui? Sabe que.. - 


- Eu sei que estuda aqui Jhope, mas eu não estava preocupado com isso se quer saber. - Falei e dei de ombros, descendo as escadas o mais rápido que podia. 


- Ei, não. - Ele segurou meu braço. 


- O que você quer Jhope? - Respirei fundo e acabei espremendo um pouco o convite, pela raiva. 


- Eu quero que você me explique porque está me evitando. - Ele olhou pelos dois lado e puxou meu braço, me levando até o final do corredor onde era um pouco mais escuro. 


- Aí, Jhope. Isso dói. - Reclamei quando ele largou meu braço e me cercou. 


- Vai, fala. Não tem motivo pra estar agindo assim comigo, tem? - Ele falou com o tom baixo mas mesmo assim dava medo. 


- Jhope, você está me assustando. - Eu estava ofegante e fiquei mais ainda quando ele juntou seu corpo no meu e apertou o meu punho. 


- E eu não vou parar até você falar. Não vê que eu gosto de você Taehyung? O que é, vai me dizer que não gosta quando eu beijo você e até mesmo quando.. - Eu já estava com os olhos marejados e ficava cada vez mais nervoso por causa do aperto em meu braço e pela proximidade. Era nítido que eu era mais fraco ali e se Jhope quisesse fazer qualquer coisa ele poderia. 


- Ei, solta ele. - Ouvimos a voz de Jungkook. Eu tentei ver, mas não conseguia. Só consegui quando Jhope me largou e eu acabei caindo no chão. 


- Aí.. - Toquei meu pulso que já estava vermelho e se tivesse ficado por mais tempo poderia ter ficado pior. 


- Qual é a sua cara? Além de ficar me seguindo agora vai atrapalhar tudo? Vai me vigiar? - Jhope foi até Jungkook e o mesmo o tentou dar um soco, mas Jungkook desviou. Eu comecei a chorar e tentei levantar mas minha vista estava embaçada por causa das lágrimas e acabou não dando. Me assustei por ouvir um barulho de murro e enxuguei os olhos. Jhope estava no chão sangrando enquanto Jungkook se levantava. 


- Vem. - Ele pegou meu braço e me tirou dali. Olhei para Jhope que batia os dentes em pura fúria. Jungkook virou meu rosto para que pudesse olhar o seu e tentar me acalmar. 



                         • • • •



- Quantas vezes eu vou precisar te salvar? Sabe.. é chato. - Revirei os olhos enquanto passava gelo no pequeno machucado de Jungkook, em cima da sobrancelha. 


- Você me salvou porque quis. - Dei de ombros e assoprei um pouco visto as caretas que ele estava fazendo após passar a pomada. 


- Ah, tá bom. Da próxima vez deixo você ser estup.. - 


- Não continue essa frase se não eu te bato com esse pano. - Ele levantou os braços e eu ri, guardando os curativos dentro da caixa e levando até a estante. 


- Jhope tem.. tipo.. Friendzone? - Jungkook falou e eu ri, me sentando na sua frente. 


- Não.. é.. complicado. - Suspirei e olhei para as próprias mãos ainda meio envergonhado com tudo que Jungkook viu e sabe. 


- Tá.. entendi. - O silêncio estava tornando tudo mais constrangedor ainda e eu acabei por ter uma ideia. 


- Hm.. você tá com fome? - Perguntei vendo ele sorrir e assentir.


- Eu posso fazer alguma coisa pra gente comer. - Fui até a cozinha e comecei a pegar as coisas pra fazer panquecas. 


- Nunca imaginei que a madame sabia cozinhar. Será que presta ou é tipo carvão? - Ele falou rindo enquanto eu bufava e dava um tapa na sua cabeça. Eu sabia que ele estava brincando porque ele sabe que eu tenho uma confeitaria.


- Aau, madame estressada. - Puxei ele pelo braço e o coloquei sentado no banco em frente a bancada, onde ficava a cozinha. 


- Só fica calado e esperava que você vai ver. - Pisquei o olho direito enquanto ele ainda se segurava pra não rir. 



                       • • • •



Jungkook. 

Após ter saído da casa de Taehyung fui até o clube de novo, mesmo não querendo e sabendo que podia dar errado pra o meu lado eu tive que ir. 


- Eai cara. Vai sair do clube? - Namjoon falou e eu neguei com a cabeça. 


- Óbvio que não. - Ri. - Porque? - 


- Boatos. Melhor você ir falar com a diretora. - Ele disse e saiu do banheiro. 


- Esper.. - Suspirei e decidi ir até a sala dela. 


~~~~~~~~~


- Licença. - Bati na porta e entrei, me dirigindo até a frente de sua mesa. 


- Jungkook isso é inadmissível. - Ela cruzou as mãos uma na outra enquanto me olhava séria. 


- Mas.. - 


- Mas nada, não sei nem quantas vezes tive que te chamar aqui pra reclamar. Você está fora. Sinto muito. - Ela me entregou uma folha e eu nem fiz questão de olhar. 


- Você não pode me expulsar daqui. - Cheguei mais perto e ela riu. 


- Lógico que posso garoto. Eu sou dona daqui. Você está fora, fo-ra. - Ela me entregou a folha com a cara mais cínica o possível e eu peguei, rasgando e jogando no lixo. Ela riu e eu saí da sala batendo a porta com força. 


- Se quebrasse você ia pagar. Até nunca mais. - Ouvi sua voz e dei um soco na parede ao lado. Fechei os punhos e saí correndo daquele corredor sabendo muito bem pra onde iria e o que faria. 


~~~~~~~~~


- Pois é, foi como eu disse.. - Peguei o ruivo pela gola da camisa e o bati no armário do banheiro vendo seus amiguinhos se assustaram e alguns até saírem. 


- O que você disse seu merda? - Ele sorriu debochando de mim e eu o bati no armário mais uma vez, fazendo um baque alto. 


- Jungkook, sai daqui antes que eu.. - 


- Fala seu merda. - Jhope ainda continuava calado enquanto seus amigos tentavam fazer alguma coisa. 


- Pensa bem, tudo que eu fiz foi melhor pra você. Vai me dizer que não se sente triste quando todos tem uma família e você não? Se toca Jungkook, ninguém aqui é igual a você. Não sei com que sorte conseguiu uma bolsa, porque dinheiro você não deve ter. - Jhope falou enquanto alguns riam e outros ficavam chocados. Com aquilo eu apenas o dei mais um soco. 


- Vai, pode me bater. Eu tenho tanto dinheiro que posso ter um rosto novo. - Eu o soquei mais cinco vezes, até ele sangrar. Os seguranças que estavam ali me seguraram pelo braço e me afastaram. Tentei segurar mas acabei chorando. 


- SEU MERDA, EU AINDA MATO VOCÊ. - Gritei para o outro que estava no chão enquanto os garotos ajudavam ele a se levantar. Fui jogado na rua pelos dois homens e me levantei, ainda chorando e ponderado pela raiva. 





Notas Finais


deu merda como sempre
KKKKKJ
genten mas Jhope n e quem vcs achavam que era e agora :o
tá parei
até o próximo flores
♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...