História Can't Help Falling In Love - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias James Rodríguez, Jérôme Boateng, Julian Brandt, Manuel Neuer, Mario Götze, Mats Hummels
Personagens James Rodríguez, Jérôme Boateng, Julian Brandt, Manuel Neuer, Mario Götze, Mats Hummels, Personagens Originais
Visualizações 184
Palavras 1.688
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Esporte, Festa, Ficção Adolescente
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


esse capítulo era pra ter sido postado de madrugada, mas, eu cheguei mal da festa. Tive aula nos dois horários. Então tá sendo agora. EM COMEMORAÇÃO AOS 27 DO NENÊ JAMES!

Capítulo 6 - Couch


Fanfic / Fanfiction Can't Help Falling In Love - Capítulo 6 - Couch

Kiera Kovač

A luz do sol reluzia na sala, meus olhos se entreabriu e logo senti um cheiro bom ficar dentre a sala e a cozinha. Virei meu rosto na direção, e vi Anne cozinhar algo.

Dei um impulso para me levantar, mas senti algo forte me prender. James.

—James, temos que se apressar para ir na sua casa e eu tenho que ir trabalhar— ele murmurou algo depois do que falei e logo me soltou e se levantou

Ele foi até o banheiro do corredor e eu me levantei indo até Anne e deixando um beijo na bochecha da garota que sorriu em resposta.

—Panquecas e mel com mirtilo e morango— ela disse e eu dei palminhas

—Eu tô faminta, obrigada por ter feito o café— digo e ela sorri colocando a mesa

—O que James fazia aqui? — ela me perguntou e eu fui até a geladeira pegar o leite

—Tinhamos ido a uma balada, mas deu tudo errado quando vodka se fez presente na noite— digo me lembrando e começo a rir

—Vou fingir que entendi, mas eu tô mais atrasada que vocês dois, tenho que ir— ela se despediu com um beijo em minha testa e saiu correndo

Terminei de comer e fui lavar a louça, James estava comendo e mexia em seu telefone, mal conversamos esta manhã. Parti para meu banheiro e tomei um banho rápido e vesti o minha melhor calça salmão e minha camisa branca, coloquei meu salto e peguei meus óculos, precisava estar bastante formal pra reunião de hoje.

—James, eu tenho que te deixar em casa— digo enquanto pegava as coisas e quando levantei minha cabeça ele estava me encarando

—Você está tão, formal e bonita— ele disse e eu sorri

—Obrigada, e você esta bastante atrasado— pego minhas chaves e saímos do apartamento

Agora estávamos a caminho de sua casa, infelizmente eu não poderia esperar, teria uma reunião e eu poderia me atrasar.

Dirigi até o centro de treinamento e estacionei o carro. Fui pela ala de jogadores, era o mais rápido para chegar a reunião. Falei com alguns dos meninos e corri para a sala.

—Desculpem o atraso, podemos começar a reunião— digo e assim que me arrumei prestei atenção no que falavam

Nada me interessava, somente a ala médica, o qual estava ótima e eu tinha tido um ótimo desempenho nos últimos anos.

—Sendo assim, teremos o nosso festejo, o famoso encontro dos times da champions league— um dos sócios disse e eu anotei em meu bloquinho de notas

Uma de minhas anotações chamou atenção

“12 de Julho aniversário de James”

Pego meu celular e vejo a data, era hoje, a reunião tinha finalmente acabado, corri pra minha sala e olhei minhas atividades diárias, não tinha contato nenhum com eles hoje.

—Droga!— murmuro e vou para trás de minha mesa

Abri o notebook e comecei minha planilha, tinha que entregar até o final do dia, prendi o cabelo em um coque alto e comecei a digitar.

Meu dia seria longo e eu não iria conseguir falar com James.

[...]

Marcava exatamente 19:30, não tinha mais ninguém no centro de treinamento provável, tinha tomado umas cinco xícaras de café, e finalmente terminei a planilha e mandei para Hofmann.

Organizei minhas coisas e fui fechando a porta do escritório.

No final do corredor, vi que haviam deixado uma luz acesa, caminhei até o local para apagar, mas percebi que ainda havia alguém.

Entrei na ala de jogadores e era o banheiro. Não me pus a andar mais, era falta de privacidade.

Voltei meu caminho até a garagem e assim que iria entrar no meu carro, escuto alguém chamar meu nome, o que me assustou

—Kiera! Espera— olho para pessoas que estava ofegante, James

—James, o que ainda faz aqui?— pergunto indignada

—Preciso ir pegar Salomé e Daniela no aeroporto, sabe né— ele disse se embolando e eu assenti

—A, parabéns pra você— sorri para ele que estava se aproximando

—Você lembrou, o que é estranho, andou vasculhando minha ficha?— ele disse e eu concordei

—Eu sei o aniversário de todos os jogadores— digo e ele sorriu. —O que vai fazer enquanto não vai buscar Salomé e Daniela?

—Nada

—Ta afim de ir no boliche comigo? Faz tempo que eu não vou lá

Ele começou a rir e assentiu, enviei o local por mensagem e seguimos para o local. Era um dos meus pontos preferidos de Munique. Depois do café óbvio.

Ele era bem movimentado, maior parte por jovens, cumprimentei um pessoal e James ficou o tempo todo ao meu lado.

—Vem, vamos escolher as bolas— digo o puxando

Eu estava ganhando, e ele não aceitava isso, era engraçado seu biquinho e minha vontade de beijar ele era inevitável. Não posso negar, James Rodríguez vem me deixando cada dia mais louca e fora do controle.

—Isso não vale, você é profissional nisso, não tem como— ele disse se rendendo e sentando em nossa mesa

—Eu sou boa em diversas coisas, Sr. Rodríguez — debochei de sua cara e e riu

—Eu só acredito vendo— me assustei um pouco mas mesmo assim ri

Tínhamos uma conversa animada, enquanto bebiamos um refrigerante e fazíamos guerrinha de batata frita. Meu cabelo estava cheirando a bacon com cheddar de tanto que tinha voado.

—Boa noite casal, e desculpa atrapalhar vocês— uma mulher disse limpando a mesa

—Não somos um casal— secei meu riso com a frase de James

—Formariam um ótimo. Mas, agora, hora do parabéns— ela disse voltando com um pequeno bolo que eu tinha pedido

James me olhava indigando e eu dei de ombros, apenas continuei cantando a famosa música, e ele assoprou a velinha.

—Obrigada Kiera— ele disse e eu o encarei com um sorriso em meu rosto

—Pelo quê?

—Por tudo. Por estar me apoiando em um momento difícil, por estar deixando de curtir sua noite pra ficar tomando refrigerante e cantando um parabéns em alemão pra mim, por estar comigo— suas palavras eram bonitas

—Saiba que eu estarei aqui pra o que precisar ok? — ele assentiu e eu o abracei

Seu perfume era tão bom, seu abraço era reconfortante, poderia ficar horas daquele modo. Nos separamos com seu telefone tocando e piscava o nome de “Dani”. Provável que já tinham chegado.

—Bom, então essa é minha deixa, diga que mandei um beijo para as duas— digo pegando meu casaco mas ele segura meu braço

—Por favor vá comigo, não quero ficar no mesmo carro com minha ex esposa e as pessoas achando que estamos bem— ele deu um sorriso lateral e eu assenti

[...]

Fomos em carros separados, pelo que entendi, outra pessoa viria, se não engano, a irmã de James

—FELIZ CUMPLEAÑOS JAMES!— Uma garota de uns 18 ou 19 anos aparece dando-lhe um abraço

Conversavam animadamente na língua nativa, o espanhol era tão lindo, poxa Alemanha, porque não poderia ser mais simples?

—Titia Kiera?— Escuto a voz da pequena e a abraço pegando no colo

—Como que minha menininha tá?— dou um sorriso e Salomé falava de como estava e o que tinha feito

Juana e eu fomos no meu carro, Daniela, James e Salomé, foram no outro, a pequena estava com sono.

—Você é a namorada do meu irmão?— Juana puxou assunto, o qual não era um dos melhores

—A, não, somos amigos— digo e ela assentiu mexendo em seu celular

—Uma pena, você parece ser mais legal que minha ex cunhada, começando por suas músicas— ela disse apontando para o som que tocava “Downton” de uma cantora brasileira, Anitta.

—Gosto de músicas latinas, são as melhores— digo e ela assentiu

—Você é daqui da Alemanha?— ela perguntou e discordei

—Nasci no Brasil, morei um tempo na Croácia e na Argentina. Hoje moro aqui— sorrio e paro o carro

—Mais latina que européia, gosto assim, e eu amo o Brasil— tínhamos nos dado bem

Ela era uma garota bastante atualizada e inteligente, sortudo era o futuro namorado dela, já que a mesma havia dito que não tinha. A ajudei nas malas e ela me contava algumas piadas, eu não aguentava e ria.

—Do que as duas riam tanto?— James parou no quarto de Juana

—Juana me contava piadas, não aguentei— respirei fundo antes de começar a rir novamente

—Vai pra sua casa ou pra o apartamento?— ele me perguntou

—Apartamento, as últimas coisas já foram colocadas no apartamento hoje a tarde— respondi e Juana saiu do banheiro

—Posso ir com você?— Juana fala e James a recrimina

—Por que não fica aqui? Pare com essa mania de não gostar da Daniela— ele disse e uma discussão se formou

—Eu não sou obrigada a gostar dela, sabe o quão mal te faz e fica se iludindo, até parece que não ligou pra ela ontem a noite não só pra falar com Salomé mas também pra saber se viria, estava todo empolgado de acordo com a Daniela, vocês voltaram ou nunca se deixaram— essa discussão já estava indo longe demais

—Desculpa gente, eu já vou indo, e Juana, se quiser pode vir sim— digo e ela arrumou a mala e seguiu caminho junto a mim

[...]

Deixei Juana no quarto de hóspedes, ela disse que prometia não incomodar e que poderia fazer a comida. Já estava tarde, vesti meu blusão e uma boxer, melhor modo de dormir. Caminhei até a cozinha pra tomar água. Acabei demorando um pouco pois o celular pegou minha atenção. Mas foi cortada assim que alguem tocava a campainha. As 02:28 da noite.

—Sr. Robert eu passo mais tarde pra pegar encomenda se for isso— digo abrindo a porta mas vejo que não era Robert

—Eu não sou o senhor Robert, mas espero ser melhor que ele— Sua voz estava meio embargada

Não demorou muito para seus lábios tomarem os meus, rapidamente fechou a porta e me encostou na mesma. Seus lábios desceram pra meu pescoço, e minha mão passeava sob seu corpo. Vezes ou outras, puxava seu cabelo de leve, enquanto seus lábios intercalava entre meus lábios, meu pescoço e minha clavícula. Ele me jogou no sofá, percebemos o quão aquilo estava ficando feroz.

—Kiera? — encarei a garota e derrubei o peso de cima de mim. —James? O que faz aqui? Aí meu Deus não  


Notas Finais


risos.
não me matem.
beijos.
so cor ro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...