1. Spirit Fanfics >
  2. Can't Help Falling In Love >
  3. Carta

História Can't Help Falling In Love - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Será que a Trice vai pedir perdão?😯
Olha gente, a partir de hoje eu vou estar deixando um link de alguma música do Elvis pra vocês, algo como se fosse uma playlist, entendem? Mas não vão ter necessariamente algo haver com o capítulo.😉
Estará nas notas finais a música.
Bom, espero que gostem. Boa leitura.❤

Capítulo 24 - Carta


Fanfic / Fanfiction Can't Help Falling In Love - Capítulo 24 - Carta

Dias depois...

BEATRICE P.O.V.

 

Assim que amanheceu - após aquele acontecimento do afogamento - eu tomei meu café e procurei o Elvis, lhe pedindo desculpas. Por sorte, ele foi bem compreensível dessa vez e aceitou. Desde então nossa relação melhorou bastante. Eu passei a tentar, digamos assim... Não dar mais tanto trabalho e ele, ser menos grosso comigo.

No momento, depois do almoço, eu estava assistindo uma série de comédia quando Laura apareceu na sala, com um envelope em mãos.

- Querida. Chegou isso pra você no correio. - ela avisou e eu fiquei intrigada, me levantando e indo pegar.

- Quem me mandou isso? - questionei.

- Não sei, não há remetente. Só está endereçada à você  - respondeu, me deixando ainda mais confusa.

- Ok, vou ver isso. Obrigada. - agradeci e ela assentiu, se retirando.

Voltei para o sofá e desliguei a TV. Abri o envelope e peguei o papel, o desdobrando. Estava curiosa para saber do que se tratava. Quem será que me mandou isso e sem remetente? Logo comecei a ler.

"Olá, Beatrice. Espero que esteja bem na medida do possível, meu amor.

Sei que não vai reconhecer minha letra, mas sou eu, Karen, sua mãe. Sim, eu sei que é muito estranho e confuso eu estar mandando esta carta, mas sabe que faz tempo que estou querendo do fundo do meu coração me aproximar de você, filha. Tanto que lhe mandei aquele colar com pingente em formato de coração para você, se lembra? Bom, espero que tenho ao menos o guardado...
Comecei daquela forma mais sutil, pois não queria te deixar tão perdida. Por isso, esperei mais algum tempinho para lhe escrever isso.
Sei que é difícil me entender, pois tudo deve ter sido muito traumático pra você e talvez até mesmo, nunca tenha seu perdão, mas queria muito finalmente te ver novamente para ao menos, tentar esclarecer o meu lado na história. Estou completamente arrependida e queria poder recuperar um pouco do tempo perdido.
Caso ainda sinta um pouco de amor por mim e queria me ouvir, sem ter a obrigação de compreender os meus motivos, poderíamos nos encontrar, o que acha? Pense com carinho, minha linda... "

O restante da carta era com o endereço e o horário para nos encontrarmos amanhã. Seria ás 3 da tarde.

Quando terminei de ler, estava sem reação. Será que era realmente ela? Só poderia ser, pois quem mais saberia daquele pingente que recebi tempos atrás? Meu Deus, que loucura.

[...]

- Ah, por favor, Elvis! - eu implorava, quase choramingando, mas ele parecia realmente irredutível.

- Olha, eu sei que quando fizemos as pazes tentamos mudar em nós um pouco do que causava conflito com o outro. Eu estou tentando ser mais gentil e compreensível com você, mas é que eu não posso deixar que você faça isso. - ele disse com os braços cruzados e eu bufei.

- E por quê não? Eu só vou me encontrar com minha mãe. - falo e dou uma pausa, suspirando - Sei que ela teve uma atitude que não de uma mãe de verdade e ainda sinto muito por isso. Mas ela é minha mãe e eu ainda a amo, entende? Eu queria muito uma conversa olho no olho com ela, saber dos motivos dela para ter me abandonado. Talvez eu não a perdõe e talvez ela esteja mesmo arrependida... - tentei convencê-lo.

- Eu até te entendo, Beatrice, mas é muito arriscado. Como você mesma me contou e mostrou, a carta não tinha remetente. Quem te garante que é ela? E se for uma armadilha? Hum, eu não sei, sinto um mal pressentimento. - Presley comentou, passando a mão pela nuca.

- Quem mais citaria aquele colar que ganhei dela? É a minha mãe, eu sinto isso. - eu insisti e ele negou levemente com a cabeça - Certo, então vamos fazer assim para tentarmos evitar mais uma briga pra nossa coleção: Você me leva de carro até o lugar e fica do lado de fora da cafeteira, me esperando e vigiando tudo. Se quiser pode levar até algum equipamento de segurança ou arma pra garantir que nada aconteça comigo, que tal? - sugeri e ele pareceu pensar - Topa? - eu pergunto estendendo a mão e ele respirou fundo

- Tudo bem... - comentou meio frustrado, segurando minha mão - Apesar de estar receoso, eu aceito. Mas tem que ser com esses requisitos que você citou, ok? Para o seu bem. - ele avisou e eu o abracei sorrindo.

- Sim, capitão Presley! - brinquei, me afastando e batendo continência, o fazendo rir.

 

                             Continua...


Notas Finais


Finalmente os dois estão se entendo?😥😊
E essa carta? E esse encontro com a mãe?👀
Bem, como disse nas notas finais, vou deixar uma sugestão de música do Elvis pra vocês. E como a estória tem ele e Ann-Margret (Beatrice Collins na fic) como personagens principais. Que tal irmos com a música "C'mon Everybody" justo do filme onde eles estrelaram e arrasaram juntos (Viva Las Vegas - 1964)? Então deixo vocês com o vídeo dessa performance maravilhosa dos dois😍 https://youtu.be/VUSNa2bHJ2g
Uma versão remix que eu gosto muito:
https://youtu.be/smJ_0TO-20k
É isso, gente😊
Até o próximo.😙❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...