História Cão de Briga (Wonho - Monsta X) - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Imagine Monsta X, Imagine Wonho, Luta, Máfia, Romance
Visualizações 81
Palavras 1.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLHA EU AQUI!
EU NÃO MORRI! 🐼

Desculpa pela demora, não foi proposital (*cof cof)
Tem capítulos mais rápidos vindo aí, juro! 💙

*Não é necessariamente uma trilha sonora, mas a música How to Lose a Girl, do Tyler Ward, me ajudou a desenrolar esse capítulo
*É uma ótima música, fica a dica!


Por agora,
Bora ler! 🤓

Capítulo 20 - Uma ferida invisível


Fanfic / Fanfiction Cão de Briga (Wonho - Monsta X) - Capítulo 20 - Uma ferida invisível

Mesmo com um dia bonito do lado de fora do apartamento, Claire continuava afundada em seus pensamentos. Como de costume em toda manhã, estava sentada na bancada central, olhando coisas aleatórias no seu celular, em sua expressão cansada; Wonho havia chegado ainda de madrugada, e pela primeira vez, dormir com ele foi desconfortável. A culpa pelo acontecimento com Shownu a deixou inquieta, fazendo a mesma ter uma noite quase sem sono. Seus constantes suspiros já chamavam a atenção do rapaz que preparava uma refeição para eles.

- Você não dormiu bem, né? - Wonho se aproximou, debruçando sob o balcão, de frente para ela - Senti você se mexer na cama a noite toda.

- Insônia que me perturba às vezes. - ela sorriu fraco, dando outro suspiro, como se tentasse se aliviar de algum peso, voltando a dar atenção ao seu celular.

- Está tudo bem? - apesar de ter chegado como um garoto ingênuo, Wonho era bom observador e ficava ótimo nisso à cada dia que se passava.

- Sim... - tentava ao máximo esconder, mas para ele, era difícil. Wonho deu à volta na bancada e a abraçou por trás, a envolvendo em seus braços de forma carinhosa, a fazendo rir - O que é isso?

- Te deixando realmente bem. Você gosta de abraços. - ele sorriu, deixando um doce beijo no rosto dela. O calor que ele transmitia era único e como mágica, fazia seu coração bater mais tranquilo.

- Você é um amor, Wonho. - sorriu, levando sua mão até a nuca dele, onde acariciou delicadamente.

- Ei, o que acha de sairmos um pouco? - o sorriso de criança era contagiante - Podemos ir nos lugares onde você mais gosta. Isso vai te deixar melhor.

- Está mesmo crescido, não é? - admirava a evolução que Wonho teve desde o primeiro dia - Não sei, estou um pouco cansada.

- Ah, por favor. Vamos! - juntou as mãos, fazendo uma expressão fofa , que a encheu de ternura.

- Ok, seu bobão. - riu fraco, bagunçando o cabelo dele. O mesmo se apressou, a puxando pelas mãos e a direcionando para entrar no quarto - Espera, mas e o café da manhã?

- Vamos comer algo na rua. - a deixou dentro do quarto e fechou a porta, mas logo a abriu novamente - Não demore.

Assim que ele finalmente fechou a porta outra vez, riu fraco, negando com a cabeça. Não se sentia disposta a sair de casa naquele dia, mas iria fazer o esforço pela animação de Wonho; não queria deixá-lo chateado. Vestiu algo casual e manteve o cabelo solto; a leveza de suas madeixas lhe davam um ar gracioso. Saiu do quarto quase ao mesmo tempo que ele, o observando ainda vestir um casaco esportivo por cima da camisa. Sorriu ao encontrar o sorriso dele de volta, tão doce e sempre muito animado; tudo nele era apaixonante.

Após pegarem o necessário, saíram à pé para algum lugar que ela ainda não fazia ideia, pois era Wonho quem decidira. Pouco tempo de caminhada e estavam na porta de uma sorveteria, a primeira e crucial parada do passeio; o clima não estava abafado, mas uma delícia gelada não era algo para se negar no momento; ele tinha total confiança de que ajudaria a animar o dia dela. Comprou dois sabor chocolate, entregando um à ela, vendo-a sorrir em agradecimento.

Andaram lado à lado pelas ruas de Seul, enquanto Wonho apontava para tudo, mostrando e admirando como uma criança empolgada com algo novo. O jeito agradável dele ser, a deixava mais reconfortada, suspirando de carinho por tê-lo tão próximo de si. Mesmo começando a curtir o passeio, sua consciência ainda pesava; ainda indecisa sobre o que fazer. Finalmente chegaram na ponte de um grande lago, onde havia uma diversidade de aves aquáticas; Wonho pegou o pequeno saco de papel com migalhas que comprara do bolso de seu casaco e espalhou os pedaços de pão na superfície da água, sorrindo ao ver as aves coloridas se aproximar e devorar os petiscos.

- Sabia que os patinhos já nascem sabendo andar, nadar e voar? - Wonho a olhou sorrindo.

- Onde você viu isso? - Claire o encarou de volta, apoiada na beira da ponte.

- Na TV. - voltou a atenção para o lago.

- A TV não é uma fonte muito confiável. - deu de ombros.

- Acha que mentiriam sobre patos? - riu ao ver a expressão de dúvida dele.

- Nah, acho que estão ocupados demais com outros assuntos sensacionalistas. - Claire se sentou na beira da ponte, observando o que ele fazia.

- Eu andei pensando... - Wonho suspirou, observando toda a extensão do lago à sua frente - O que será que minha mãe gostava de fazer?

- O que você acha? - balançou as pernas no ar, o encarando.

- Cuidar de flores é uma certeza. - riu soprado - Eu não sei. Talvez ela gostasse das mesmas coisas que eu.

- Deslizar pela casa de meias, fazer flexões no meio da sala, arremessar os ursos de pelúcia como bolas de basquete e comer muito ramen? - arqueou as sobrancelhas, observando o semblante pensativo dele.

- É, acho que ela era diferente. - suas palavras a fizeram rir.

- Mas eu tenho certeza de uma coisa. - sorriu e alisou o rosto dele, o olhando nos olhos - Aposto que o jeito carinhoso e a bondade são iguais.

- É, eu concordo. - ele riu soprado, se aproximou e a abraçou, apertando-a contra seu corpo, escondendo o rosto no pescoço dela - Eu gosto tanto de você, Claire. Eu não me sinto sozinho quando você está por perto.

Ouvir as doces e sinceras palavras de Wonho lhe aqueceu o coração, ao mesmo tempo que o sentiu doer. Com os braços envolta do pescoço dele, mergulhou os dedos nos fios escuros, sentindo sua maciez e seu perfume; queria esquecer os pensamentos voltados à noite anterior e seguir com o rapaz que está consigo, mas parecia impossível fingir que nada aconteceu. Desceu as mãos até às costas dele e as apertou ali, o querendo mais perto.

- Eu também gosto muito de você, grandão. - enfim, o olhou nos olhos, perdida naquela imensidão escura. Permaneceram com suas testas coladas por longos e agradáveis segundos, até Wonho lhe ceder um beijo calmo na bochecha.

- Vem, vamos continuar o nosso passeio. - ele a pegou pela mão, ajudando a descer da pequena mureta da ponte - Agora vamos comer algo gostoso. Aquele sorvete não mata fome.

Claire riu e concordou, logo caminhando ao lado dele, o vendo tão curioso com as coisas à sua volta. Ele adorava aprender mais e mais, mesmo já aparentando ser tão sensato com tudo. Fora do parque, uma barraca de comida os convidava com o cheiro bom que ficava no ar. Se deliciaram do tradicional Ttteokbokki de rua, e Wonho se encantou com o sabor apimentado de tal prato. Mais tarde, um passeio pelas ruas movimentadas do centro da cidade, desdenhando as vitrines que vendiam todo o tipo de coisa.

O dia havia passado rápido, com tanta distração e lugares para ir; mesmo depois do dia tranquilo de folga, Claire ainda se sentia incomodada ao ocultar o beijo de Wonho. Por mais que ambos não tivessem um relacionamento assumido e sério, ainda assim, soava como algo errado.

Uma boa caminhada pela noite depois, estavam de volta ao apartamento. Assim que adentraram, Wonho vasculhou a geladeira, atrás da vitamina de pêssego, uma das suas novas bebidas favoritas; Claire retirou os tênis e os deixou no canto da entrada, indo se sentar no sofá, liberando o ar dos pulmões.

- Vamos fazer isso toda vez que estivermos livre do trabalho. - ele sorriu animado.

- Sim, é uma ótima ideia. - sua voz saiu distante.

Wonho estranhou tal comportamento. Deixou seu copo na pia e caminhou até ela, com seu semblante desconfiado. Se sentou ao lado dela e permaneceu a encarando.

- Você parece cansada. - procurou pelos olhos dela.

- Estou bem, não se preocupe. - um sorriso fraco foi devolvido.

- Não gostou do passeio?

- Não, não é isso. Eu amei passar um tempo com você. - suspirou, piscando fundo - Olha, sei que você fez tudo isso pra me deixar bem, mas esse incômodo não vai passar dessa forma. - quando finalmente o observou, ele pendeu a cabeça para o lado, em dúvida - Preciso te contar algo.

- O que? - seus olhos expressivos estavam atentos à ela.

- Na noite passada, quando você saiu, Shownu apareceu e pediu que eu fosse tomar um café com ele. - suspirou novamente antes de continuar - Nós precisávamos conversar sobre o último desentendimento, mas no fundo, estava tudo bem entre a gente e...

Claire não terminou sua frase, como se estivesse hesitando, procurando a melhor maneira de prosseguir o assunto.

- E então? - Wonho quebrou o silêncio que havia pairado no ar.

- No meio de uma conversa, bem... A gente acabou... Se beijando. - notou a reação corporal dele, sabendo que não era boa - Mas eu não continuei, eu juro. Pensei em você na hora e me afastei.

- Claire...

- Wonho, por favor. Me desculpe. Não fique mal com isso. - ela transparecia nervosismo.

- Eu... Não entendo. - seu olhar baixo dizia o quanto estava decepcionado - Pensei que gostasse de mim.

- Mas eu gosto de você. Eu gosto muito. - segurou o rosto dele entre as mãos, o olhando nos olhos - Foi um deslize, me desculpe. Me sinto mal por isso.

- Eu também. - afastou as mãos dela lentamente, desviando o olhar e se levantando do sofá - É melhor eu ir dormir.

- Wonho... Espera. - o parou, segurando em seu pulso. Longos e silenciosos segundos se instalaram naquele momento.

- Eu não entendo os sentimentos muito bem, Claire. - ele proferiu sem encará-la - Mas eu sei quando eles ferem.

Sua única reação foi soltá-lo aos poucos, à ponto de que o mesmo se livrasse de sua mão, dando as costas e indo para o seu quarto. O torturante silêncio outra vez se fez presente, dando espaço para sua mente barulhenta e a dor no peito. Sua empatia estava aos pedaços por saber que havia feito uma ferida invisível em Wonho. Respirou fundo, sentindo seus olhos arderem; por um momento quis bater na porta e tentar se explicar novamente, mas hesitou, pois sabia que poderia acabar só piorando, por fim, decidindo ir para o seu quarto e ficar por lá até que ele se acalmasse.

Wonho estava bem atrás da porta, afundado em pensamentos e sentimentos. A pior parte de ter uma dor sentimental, era não saber quando e como ela poderia curar. A aproximação de Claire com qualquer outra pessoa nunca o assolava, mas tudo era diferente quando acontecia com Shownu. Expirou sôfrego, sentindo seu corpo enfraquecer, caminhando preguiçoso até a cama e se jogando no colchão fofo. Encarou o teto por longos minutos até fechar os olhos; pela primeira vez, sentia a dor interna que foi capaz de superar os cortes e hematomas que um dia já sofreu na vida.








Notas Finais


Pituco is brokenheart! 😕




Obrigada por ler! 💙💜✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...