1. Spirit Fanfics >
  2. Capítulo 1: mundo perfeito? >
  3. Vamos resolver tudo.

História Capítulo 1: mundo perfeito? - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oi lindos, segue novo cap bjbjbjb

Capítulo 5 - Vamos resolver tudo.


Fanfic / Fanfiction Capítulo 1: mundo perfeito? - Capítulo 5 - Vamos resolver tudo.

- Como ele está? – Niall perguntou, ele estava com Zayn pelo telefone, o moreno ainda estava com o amigo em sua casa, tinha levado as crianças para a escola e agora estava preparando algo para Louis comer enquanto a empregada limpava tudo, Niall tinha ligado para Louis e ele atendeu e contou tudo que tinha a acontecido.

- Eu não sei, ele não fala nada, perto das crianças ele finge está tudo bem e quando eles estão longe ele desaba, até perdeu um trabalho, já faz três dias que está assim.

- Eu vou voltar.

- Nada disso, não passa um tempo com o Shawn a meses, o Louis não iria querer isso – ele ouviu o outro suspirar do outro lado – eu estou aqui e o Liam também, vamos ajudar ele em tudo não se preocupe.

- Está bem, mas se algo acontecer me liga – ele sorriu.

- Ligo sim, até mais – após desligar ele preparou uma bandeja com um café da manhã e levou para Louis, o menor estava sentado no banco da janela do quarto olhando para o jardim – vamos comer? – ele perguntou se aproximando.

- Ele ligou? – Louis perguntou o encarando, seu amigo tinha olheiras profundas e estava mais magro também.

- Não, ele ainda não ligou – ele respondeu baixo colocando a bandeja na cama.

- Acho que esse é o fim, definitivamente – Louis murmurou – tenho que trabalhar – ele se levantou – pode deixar aí, vou comer depois do banho.

- Tem certeza ..

- Está tudo bem, Zayn. Está na hora de acordar, ele não ligou e não veio nem para ver os filhos, eu não vou mais esperar, tenho que trabalhar e cuidar das minhas crianças, se ele não se importa mais conosco não vou mais sofrer por isso – Zayn pensou em falar algo, mas se manteve calado – pode ir se quiser, vou até o escritório pegar algum trabalho e depois pego as crianças.

- Tem certeza? – ele perguntou e Louis virou e sorriu de leve.

- Sim, muito obrigado por tudo – ele se aproximou do moreno e o abraçou, Zayn retribuiu o abraço e ele riu – vou ficar bem – ele murmurou antes de beijar o rosto do outro e se afastar.

Louis tomou banho e se arrumou da melhor maneira possível, depois de comer um pouco ele desceu as escadas com a bandeja e a deixou na cozinha, se despediu da empregada e foi em direção a porta, mas antes que abrisse ela abriu e Harry apareceu do outro lado, o mais velho o encarou com os olhos arregalados e engoliu a seco.

- Oi, eu ... eu queria falar com você, está de saída? – ele falou olhando o menor dos pés a cabeça, ele estava vestindo algo formal, ele só se vestia assim para encontrar clientes ou ir até a agência que trabalhava. Louis ainda estava atônito com o coração saindo pela boca, pigarreou e respirou fundo.

- Sim, estou indo a agência pegar um trabalho novo, geralmente eles mandam por e-mail, mas querem me passar algumas instruções pessoalmente, deveria ter ligado – Harry deixou os olhos e assentiu.

- Sim, eu sei – ele colocou a mão na porta – podemos conversar? Eu ...

- Eu estou mesmo atrasado, não pego um trabalho a dias e vou acabar sendo dispensado, infelizmente não posso me adaptar a seus horários, Harry. Deveria mesmo ter ligado – ele tentou passar mais Harry se colocou na frente.

- Você tem razão, vamos fazer assim – ele começou e Louis serrou os dentes irritado – eu te levo e espero você lá, depois vamos a algum lugar para conversar, o que acha? – o menor suspirou.

- Tudo bem, mas eu tenho que pegar as crianças – ele empurrou Harry quando o viu sorrir de leve – vamos antes que eu desista – eles caminharam até o carro e o maior fez questão de correr para abrir a porta, Louis revirou os olhos e entrou. Ele não entendia como Harry estava agindo daquela maneira depois de deixá-lo daquela maneira.

- Pode colocar o endereço no GPS? Eu não me lembro muito bem onde fica a agência – ele falou sem graça enquanto colocava o sinto.

- Seria impossível você saber onde fica, nunca se interessou em saber de nada sobre o meu trabalho – dito isso ele pegou o GPS para colocar o endereço e Harry apenas ligou o carro sem responder. Louis não deixou de reparar que Harry estava com a barba por fazer, ele não vestia seu terno de trabalho como de costume também, o que indicava que não foi trabalhar.

Eles foram o caminho em silencio, Louis se ocupou em olhar pela janela e torcer para não chover e Harry em ignorar a dor no peito de ser daquela forma, ele sabia que de certa forma aquilo era sua culpa, mas ele tinha que convencer Louis que foi melhor assim e também convencer ele da sua ideia para tentar concertar as coisas.

Quando eles chegaram Louis saiu do carro batendo a porta e ele ficou ali esperando, respirou fundo e ficou repassando seu discurso em sua cabeça, sentia muita falta de casa, da sua família e tudo mais, mas tinha que seguir firme as coisas não poderiam continuar como estavam, ele tinha até vergonha de como as coisas ficaram fora de controle. Ele levou um susto quando seu celular tocou, o pegou no bolço e viu que era do seu escritório, resmungou antes de atender.

- Eu falei que estaria ocupado o dia todo hoje – ele falou sem paciência olhando para o teto do carro.

- Me desculpe senhor, mas uma cliente muito importante está aqui e pede para falar com o senhor ... espere – ele franziu o cenho ao ouvir um barulho do outro lado da linha.

- Harry Styles, aqui é a Rebeca Palmer,  seu pai trabalha com o meu a anos, ele me indicou você para cuidar do meu caso pessoalmente, eu realmente agradeceria se me atendesse hoje, tenho uma viagem para Milão e não posso esperar mais - Harry ainda com a cabeça recostada no banco fechou os olhos, aquela mulher era a filha de um dos maiores clientes do escritório, a conta dele era milionária e eles cuidavam de todas as questões legais dele, perder essa conta seria um desastre.

- Senhora ... eu sinto muito, mas no momento estou resolvendo um problema pessoal muito importante e ....

- Querido, você não entendeu – ela o interrompeu – meu problema também é muito grave, vou perder meus negócios para um crápula que eu chamava de marido, seu pai não está mais trabalhando nestes casos e ele me indicou você – Harry respirou fundo e ouviu a porta abrir, Louis entrou com uma pasta em sua mão, ele o encarou e mordeu o lábio – você está ai ...

- Sim, eu estou, mas como falei eu estou resolvendo um caso pessoal muito importante, vou passar seu caso para um dos meus melhores advogados e ...

- Não, não se dê o trabalho, se é assim eu prefiro ir a outro lugar, é uma pena que seu pai entregou esse escritório na suas mãos, desse forma vai levar esse lugar a falência muito rápido – ela desligou e Harry rosnou irritado, Louis colocou o sinto e suspirou.

- Se precisa voltar ao trabalho, pode ir – ele murmurou e o maior o encarou.

- Vamos a um lugar mais calmo – foi o que ele falou entes de ligar o carro e Louis eu de ombros.

Ele dirigiu por alguns minutos e parou em um café, era um lugar bem calmo e ele sabia que aquela conversa não seria fácil, estava com medo da reação de Louis, assim como Louis estava com medo do que ele tinha para dizer, talvez ele quisesse se separar de vez, ou até mesmo voltar para casa, seja lá qual fosse o teor da conversa ele estava sentindo seu estomago embrulhar. Eles desceram do carro e Harry o guiou até uma mesa do lado de fora, uma garçonete os atendeu e ele pediu uma água enquanto Louis pediu um café.

- Bom, estamos aqui, o que era tão importante? – ele perguntou assim que foram servidos recostando na cadeira, Harry respirou fundo colocando as mãos suadas na mesa, ele o encarou nos olhos mais Louis desviou.

- Eu sei que você deve estar muito chateado por eu ter saído de casa, eu queria mesmo que entendesse que foi para o bem, estávamos descontrolados e eu me envergonho muito do que fiz aquela noite, sai do controle – ele falou calmo e Louis continuou olhando para seu café, eles estavam gritando um com o outro aquele dia, ele não lembra o que falou, mas Harry ficou tão furioso que jogou um vaso na parede do quarto, depois de pedir mil desculpas ele resolveu sair de casa  – Louis, eu estou disposto a qualquer coisa para resolver nossos problemas, mas você tem que querer também – o menor o encarou.

- Você acha que eu não quero? Só não concordo com a sua saída de casa, nossos filhos perguntam sobre você e eu não sei o que falar, nem ligou nos últimos dias para saber como eles estavam – ele parou de falar sentindo sua voz embargar – nem sei onde anda ... eu não acho que isso vá resolver algo.

- Eu estou na casa do Nick, não liguei esses dias por que precisava desse tempo para pensar, sinto muito que esteja te magoando, não foi minha intenção – ele tentou pegar a mão do menor, mas ele recuou – Louis, por favor ...

- Era isso que queria falar, vai continuar fora de casa tendo seu tempo sabático enquanto eu cuido de nossos filhos só?  ...

- Não, por Deus, Louis. Não e nada disso, eu não quero ficar fora de casa, isso está me matando – o menor fungou – eu quero propor uma ciosa, queria que fizéssemos uma terapia de casal ... – Louis o encarou – eu estava falando com a Susan e ela me deu essa ideia, acho que poderíamos, pode dar certo ...

- Acha que falar de nossos problemas com um estranho pode resolver alguma coisa? – ele perguntou irônico.

- Sim, lembra de como o Liam tinha problemas de aceitação e ele fez terapia com o Zayn e eles ficaram bem – Louis passou a mão no rosto.

- Eu não sei como isso pode nos ajudar, nosso problema é bem simples, você tem sido ausente – ele apontou para o maior – esse é nosso problema.

- Então acha que apenas eu sou culpado de todos os nossos problemas? – ele cruzou os braços irritado, mesmo tentando ficar calmo estava perdendo a paciência – todo nosso problema sou eu? Sua falta de paciência e sua ironia não ajudam em nada, sabe disso não sabe? – Louis bufou.

- Ótimo, é isso que quer vamos lá, vamos fazer essa terapia de casal – ele falou levantando – se é que vai ter tempo para isso, não precisa levantar eu vou buscar as crianças – ele falou quando o maior fez menção de levantar – falando nelas, lembre que tem filhos e que eles sentem sua falta.

- Vou buscá-los amanhã para um passeio – Louis o encarou – se estiver de acordo.

- Como quiser, mas não vou avisar, vai que surge algo mais importante e eu não quero decepcioná-los.

- Nada é mais importante que meus filhos, Louis.

- Sei – ele empinou o nariz e saiu dali deixando o maior para trás, Harry quase puxou os cabelos de irritação, Louis respondia tudo com ironia isso o irritava – terapia de casal ... era só o que faltava – ele resmungava enquanto fazia sinal para o táxi. Ele não podia negar que aquele encontro mexeu com sigo, ele esperava que Harry falasse que estava com saudades, ou que pedisse para voltar para casa, mas ele nunca esperava que o outro o propusesse uma terapia de casal, será que ele não via onde estava o problema? Será que ele estava tão errado assim?

Depois de pegar os meninos na escola e vitória com sua mãe, ele deu banho e os alimentou, sentou-se com os meninos para fazer as tarefas enquanto a menina brincava no tapete. Quando todos estavam distraídos com outra coisa ele abriu o novo projeto sentado na mesa de jantar, ele precisava se concentrar para não perder outra coisa importante na sua vida, aquele pensamento o fez querer chorar, sentia tanta falta de Harry que doía.

- Papa, vamos brincar? – Alex o chamou, ele olhou para o garotinho e sorriu, era muito bom tê-los, ele podia estar triste como for então aqueles olhinhos lindos e bochechas gordinhas o tirava da tristeza.

- Vamos, me esperar lá que vou guardar isso aqui – ele apontou para o computador e o menino sorriu e correu para a sala.

Ele finalmente terminou de colocar as crianças para dormir e estava se sentindo exausto, depois de um banho ele deitou em sua cama sentindo falta de algo, mesmo quando ele chagava tarde e Louis fingia estar dormindo, era bom a sensação de ter ele ao seu lado e no meio da noite ele escorregava para seu lado e o abraçava, era como seus corpos se atraíssem mesmo durante o sono.

Enquanto isso no centro da cidade no apartamento de Nick, Harry se revirava na cama, ele não dormia bem a dias, mesmo cansado do trabalho, cansado fisicamente e mentalmente ele não suportava o silencio, queria ouvir a risada das crianças, o barulho de Louis na cozinha, o cheiro que ele exalava quando saia do banheiro depois de fazer sua sessão de beleza com seus cremes. Sentia falta de tudo aquilo como o inferno. Depois de desistir de dormir ele foi para a sala e se sentou no escuro, olhando para o nada ele se perguntava como chegou até ali, como perdeu tudo que amava, ou estava perdendo.

- Sem sono? – ele ouviu seu amigo falar atrás de si, Nick ligou as luzes e ele se contraiu sentindo os olhos arderem – se sente tanta falta assim de casa porque não volta? – ele perguntou se aproximando.

- Mal conseguimos ter uma conversa decente, voltar agora só causaria mais brigas – ele respondeu e seu amigo sentou ao seu lado, Harry estava num estado lamentável, mais magro, barba por fazer e seus cabelos estavam maiores que entes – vou pegar as crianças amanhã para um passeio, mas nem sei ondo os levo – Nick sorriu.

- Leva eles para o clube, lá tem um monte de coisas legais – ele suspirou e assentiu – chama o Lou, assim passam um dia divertido e com as crianças não vai ter discussões – ele riu – agora vai dormir, ou vai acabar parecendo um zumbi amanhã.

- Vou tentar – ele resmungou levantando-se – boa noite – ele foi para o quarto e Nick ficou ali pensando como poderia ajudar seus amigos, Harry ficava perdido sem Louis e isso era horrível.

Louis acordou assustado, Alex estava em cima dele rindo e pulando enquanto Vinícius ria com Vitória nos braços, ele riu coçando os olhos e agarrou o garotinho o jogando na cama e fazendo cocegas. Uma risada diferente chegou a seus ouvidos, ele ergueu os olhos e parou de sorrir quando viu Harry parado na porta. Ele vestia apenas uma camiseta e uma bermuda, estava com os cabelos molhados e estava recostado na porta sorrindo.

- O papai vai levar a gente para passear, vamos papa? – Alex falou levantando-se animado e Louis se arrumou sentando encostado na cabeceira.

- Não meu amor, hoje é o dia de vocês com seu pai – ele falou calmo vendo seu menino murcha um pouco.

- Pode ir conosco – Harry argumentou.

- Eu tenho trabalho, mas sei que vão se divertir – ele respondeu saindo da cama – vamos arrumar as coisas assim aproveitam melhor o dia, Vi me dá a Vitória que eu vou arrumar ela – seu mais velho assentiu e entregou a sua irmã, a menina se agarrou a Louis sorrindo – vão se trocar – os dois meninos saíram passando por Harry e Louis o encarou – pode ajuda-los?

- Claro ... eu vou – ele saiu triste, queria mesmo que Louis aceitasse ir com eles, mas nada é como queríamos.

Depois de arrumar as crianças e suas mochilas Louis ajudou Harry a colocar as cadeirinhas no carro, fez algumas recomendações, beijou cada um deles e os viu partir. Harry ainda tentou convencer ele a ir, mas ele realmente precisava trabalhar, também achava que ele tinha que ter um momento com seus filhos, talvez assim ele veria o quanto fazia falta.

Harry seguiu a dica de Nick e levou as crianças para o clube, fazia muito tempo que não ia ali, ia muito quando era criança com Louis, foi ali que ele ensinou o menor a nadar, tiveram muitos momentos juntos ali. Seus pais eram sócios daquele clube a anos, era um bom lugar para passar o dia com as crianças, com um parquinho, piscinas, campo de golfe, quadra de tênis, restaurantes e outras coisas.

Ele colocou sua caçula em uma boia e ficou com ela ali na piscina das crianças vendo os meninos brincando, eles estavam felizes e eufóricos, até o Vinicius que é sempre calmo estava pulando de um lado para o outro, isso o fez sorrir. O dia passou muito rápido e ele levou as crianças para almoçar e depois para casa, Louis estava concentrado no trabalho, ainda vestindo um pijama sentado na mesa de jantar, então ele se ofereceu para dar banho nos menores e ele acabou aceitando.

- Papai, você vai voltar para casa? – Vinicius perguntou da porta do quarto de Vitória, Harry estava terminando de vestir sua garotinha sonolenta no berço, ele olhou para trás e o menino se aproximou.

- Hoje não garotão, ainda temos que resolver alguns problemas – o menino recostou do seu lado olhando sua irmã brincar com seus dedos – mas logo estarei de volta, vou vir velos sempre.

- Se não voltar mais e se separaram, vão nos devolver? – ele soltou com a voz baixa e Harry o encarou chocado, ele o pegou pelos ombros e o fez encará-lo, seu menino estava com os olhos cheios de lagrimas.

- Eu sou seu pai, nos dois somos, nada que acontecer vai mudar isso, entendeu? – o menino fungou e assentiu – eu e o Louis estamos passando por problemas, mas vamos resolver, se algo der errado vamos continuar sendo seus pais, vou estar sempre aqui para vocês , eu os amo mais que tudo e isso não vai mudar nunca – ele o abraçou e seu menino chorou em seu peito, Harry segurou as lagrimas – sinto muito.

- Eu também te amo papai – eles ficaram ali por um tempo até Alex chegar saltitando e se juntar ao abraço os fazendo rir.

Continua ...


Notas Finais


chorei muito fazendo esse fim, sinto muito bjbjbjbj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...