História Caprichos do Destino (NaruHina) - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Drama, Naruhina, Naruto, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 61
Palavras 2.395
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, pessoarr <3

Qualquer dúvida sobre o Hyuuga em destaquem, deem uma pesquisada. Tem na net

Boa leituraa, seus lindos <3

Capítulo 35 - A melhor parte de mim


Fanfic / Fanfiction Caprichos do Destino (NaruHina) - Capítulo 35 - A melhor parte de mim

 

—Eu queria estar errado nisso tudo. Mas, infelizmente não estou.— 

 

Shin faz uma pausa 

 

—Hinata, sei quem matou os seus pais —

 

 

 

Coração bate até parar. Pupila dilata após uma explosão de cores, dando início a uma cegueira temporária. 

Antes fosse isso para Hinata. 

—Ainda que decidisse fazer algo a respeito, não poderá. Ele já está preso.— 

—Ele...—

—Hinata, quem matou seus pais foi  Ko Hyuuga. — 

 

 

 

Flash back on 

Moradia Hyuuga

13 anos atrás

 

—Hinata, venha cá. — Diz Hiashi 

Hinata chega até seu pai, fazendo barulho com seus lacinhos marcantes, enroscando um sobre o outro. 

—Lembra que você pediu para o papai acompanhá-la ao parque?— 

Hinata gesticula positivamente 

—E o que o papai te disse?— 

—Que talvez estaria ocupado por causa do trabalho. —

—E o papai está. — 

Hiashi presencia feição triste no rosto de sua Hyuuga, algo que dói seu coração. 

—Mas sei o quanto você está com vontade de ir, por isso o papai chamou o tio Ko para te acompanhar. —

Hinata desta vez, observa uma terceira pessoa na sala. 

—Tudo bem para você?— 

A Hyuuga sorri grande e balança a cabeça, pois há laços com Ko.

—Está certo. — Hiashi sorri. 

—Cuide da minha menina, está bem?—

—Sim, senhor Hiashi. — Ko sorri 

—Vamos?— Ko diz e Hinata pega em sua mão

A caminhada até o parque é seguida por uma boa companhia de seu tio. As brincadeiras de Ko sempre foram as preferidas e para a Hyuuga, ninguém tinha os melhores truques de cartas do que ele. 

—Por que escolheu tanto vir aqui hoje?— Indaga Ko para a pequena Hyuuga 

—Parque é bem divertido! Tem vários brinquedos, ursinhos e maçã do amor. —

Ko ri 

—E também, porque sair com o papai é sempre legal. 

—Uma pena ele não poder vir.— 

—Ah, que isso, hun?! Nada de ficar triste! 

—Seu pai me chamou porque sabe o quanto você quis vir e não queria vê-la triste. Então nada de estar triste!— Diz Ko autoritário para a Hyuuga e a morena obedece 

—Você quem nos guiará hoje. Onde você quiser ir, vamos. — 

Hinata sorri, não perdendo tempo e levando Ko para o destino. 

A turnê de Hinata e Ko é extensa. A Hyuuga aproveita da companhia de Ko para andar centenas de vezes em torno do parque. Hinata sabe que o tempo é precioso e save administrá-lo; anda em todos os brinquedos. 

A jornada  só acaba quando os pés de Hinata já não aceitam mais correr, sendo Ko obrigado a carregá-la em seu cavalinho. 

—Acho que a desculpa dos pés foi só pra você me abraçar, né?— 

—Tio! — Envergonhada, Hinata retruca 

—Brincadeira. Sei que seu coração pertence ao menino loiro. — 

—Tio Ko...— Hinata encosta seu rosto nas costas de Ko 

—E não é verdade?!—

—A gente só brinca. —

—Até porque você só é criança! — 

Hinata nada diz 

—Não tem problema você admitir isso. Não sou seu pai. —

A Hyuuga só ouve 

—Vou levar isso como um sim. — 

—Tio!...—

Ko ri 

—Ele é legal...

—Me defendeu uma vez na escola e  também tem vezes  que  me chama pra brincar. É divertido ficar com ele..—

—Hinata apaixonada aos oito anos!—

—Tio Ko! Eu já disse! — 

—Tudo bem, tudo bem. Você só brinca! — 

Hinata faz bico 

—Quero ver o que vão fazer quando enjoarem de brincar. — 

—Não se enjoa de brincar, tio Ko. — 

—Sim, você está certa. Não se enjoa de brincar. —

Ko sorri, ainda caminhando com Hinata em suas costas. 

O caminho é longo, mas isso jamais será um incômodo para a Hyuuga. Desde que esteja nas costas confortáveis de Ko. 

 

Flash back of

 

As lembranças que tem de Ko passam por um flash back rápido. Além do intenso sentimento que teve durante sua presença, os porquês ressaltam de sua mente. Havia muitas pessoas em seu quadro de culpados, mas nunca se atreveu a colocar  Ko. 

Hinata queria que as pontadas em seu coração indicassem início de infarto, e não tristeza. 

As pronúncias de Hinata saem pelos olhos, no formato de lágrimas salgadas e intensas. 

Shin decide deixá-la. Mas na verdade Hinata não está só. A tristeza a acompanha. 

Como aquele tempo de criança, Hinata retoma o choro de criança também. Mas ela não é obrigada a engolir seco como fazia de costume. Não agora. 

A temperatura decai conforme a tristeza aumenta. 

Hinata queria que fosse mentira, mas quanto mais se põe a desacreditar, mais se vê de cara com a verdade. 

Aquilo dói e pode sentir novamente a vida lhe tirando seus pais. E outra vez sem que nada possa fazer. 

 

 

 

 

Loja Uzumaki

Kai ajuda Naruto a abastecer a loja com as mercadorias que acabara de chegar. 

Já era final de expediente. 

Naruto terminaria e daria uma passada na Hyuuga. 

Junto com Kai fecha a loja. 

—Vai passar na patroa?—

Naruto sorri 

—É claro. — 

—Vê se toma um banho antes, joga bastante perfume aí. Ela não merece sentir o que eu sinto. — 

Naruto  olha ameaçador e Kai entende o recado. Mas Naruto assim o faz, se arruma para sua morena.

 

 

Moradia Hyuuga

19:26

Naruto está na entrada da casa de sua amada. Faz conforme; chama por alguém, mas ninguém sai. Chama novamente e o ato se repete. 

Não perde tempo adivinhando se há ou não alguém. Liga para sua amada. 

—Não está em casa?—

—Onde?!

—Por que está na delegacia?!

—Mas Hinata... Tudo bem, eu to indo pra aí. — 

Desliga e dá passos grandes para ir de encontro a Hyuuga. 

 

 

Delegacia de Konoha

Naruto observa logo quando entra, Hinata de pé, atenta aos movimentos ali dado. O loiro observa que desde o fim do trabalho está ali, segurando um copo de café e uma cardigan preta protegendo-a de um resfriado possível. 

—Por que você está aqui?— Diz o Uzumaki lançando-na um beijo 

—E por que não senta? Os saltos não incomodam?!— Indaga Naruto enquanto olha 

—Presta atenção. — Orienta Hinata e Naruto obedece, permanecendo atento.

—Soube quem matou meus pais. — 

Naruto fica atônito 

—E como você está com tudo isso?— 

—Mal. — Sorri 

—Quem é o culpado?—

Hinata o encara 

—Você não o conhece. Mas ele sempre esteve presente na minha infância. 

—Quando meu pai não podia ir aos lugares, era ele quem chamava para ir comigo. Para cuidar de mim, era ele. Era ele. — Hinata fala com a presença de uma grande tristeza 

—Ko Hyuuga. — 

Em Naruto não há expressão. Exceto a de tristeza pela sua Hyuuga 

—Então era mesmo alguém próximo. —

—Imaginei que fosse perto, mas nem tanto. — Sorri sem ânimo 

Naruto a abraça e Hinata sente-se confortada 

—Você é meu alento.— 

Naruto sorri 

—Eu nasci para que fosse isso a você. — 

Naruto sente a respiração forte da Hyuuga 

Mesmo que a respiração da Hyuuga fosse a única coisa que Naruto desejasse ouvir, precisava saber.

—Agora a senhorita pode me dizer o porquê de estar aqui?—

—Não acha que eu preciso saber?— Dessa vez, o olha

—Preciso perguntar olhando em seus olhos por que ter de fazer isso. 

—E eu não saio enquanto não me der uma resposta convincente

—E faria tudo isso sem me comunicar?—

—Não gosto de te envolver nesses assuntos. — 

—Se casará comigo e ainda não aprendeu que partilharemos dores também?—

Hinata só observa 

—Sei que devo, mas algo ainda me faz crer nisso. —

Naruto só a observa 

Hinata olha para os lados e toma partido no que tem de ser feito 

—Shin está me esperando. Vou lá resolver isso. — 

—Vou estar esperando. —

—Não, tudo bem. Pode ir. — 

—Eu espero. — 

—Está bem. — Hinata sorri. Mas é um sorriso diferente e Naruto percebe que consigo carrega dor.

 

      

            ~*~

 

Shin guia Hinata para uma sala como destino. Hinata sabe no que está entrando e não pensa em recuar. Rever memórias é doloroso, mas as vezes necessário. 

—Não demore, tudo bem?—

Hinata balança a cabeça positivamente, mantendo um olhar frio. 

Respira e segue. 

Hinata adentra. Seu olhar congela. O coração dispara e para. 

A morena observa Ko sentado e segurado por algemas, com o olhar baixo. 

Não demora muito para Ko olha-lá. 

Hyuuga com Hyuuga. 

Ko a olha e logo vira o olhar. Em sua feição transparece dor e tristeza. Isso, de alguma forma, faz o coração da Hyuuga doer. Mas não fraqueja. Dá o primeiro passo 

Hinata está de pé ao seu lado. Um tempo se passa desde que decide sentar-se. 

A Hyuuga é firme no olhar e Ko ainda permanece com o seu baixo.

O silêncio reina por alguns minutos. Não sabe exatamente o que dizer, mas pretende. 

—Foi homem para matar meus pais agora olhe para mim como um. —

—Olhe pra mim!— 

Hinata ergue a voz 

Ko direciona seu olhar devagar 

Olho no olho.

—Me diga...

—Me diga o porquê. 

—Eu juro que tento entender, mas não consigo.

—Então me diga. —

Ko a observa por um tempo, até que decide manifestar-se.

—Você não entenderia, pequena Hyuuga.—

Hinata não compreende, mas isso irrita-a. 

—Me faça entender. — 

Hinata nunca sentiu tanta seriedade quanto agora 

—Ao longo da vida, você já entende que ela não vai seguir como você planejou quando tinha seus cinco anos. Descobri isso da pior forma. —

—Matando meus pais?—

—Perdendo a humanidade.—

Ambos se olham 

—Talvez não tenham te contado, então eu contarei.—

A morena o olha 

—Seu pai negociou a empresa. Metade minha, metade dele.— 

Quando o autor de seu livro preferido mata o personagem principal, lá está Hinata, com o mesmo sentimento de quem não esperava por aquilo. 

—Eu o ajudava sempre que precisava. Você não esqueceu daquela vez, não é?—

Hinata entende sobre o que se trata

—Fui leal. 

—Eu merecia aquilo. Ele também sabia disso quando ofereceu. 

—E quando fomos fechar o contrato, como um covarde, ele voltou com a sua palavra. 

—Tantos planos eu arquitetei, muito já investi nela. E ele volta. 

—Ele me traiu primeiro, pequena Hyuuga!—

Hinata ouve com atenção a cada palavra dita. 

—E o que você acha, que eu seria bonzinho a vida inteira?!

—Nós discutimos. Seu pai sabe que sempre carregava uma arma. Por que foi brincar comigo?!

—Eu juro, juro que não era minha intenção, mas aconteceu. —

A Hyuuga não pode evitar a raiva subindo em sua garganta 

—Por pouco a empresa não era minha. Ela tinha que ser!—

Não evita. Hinata lança-lhe um tapa, mas sente que sua mão teve vontade própria 

—Simples assim!?—

Ko aceita o tapa

—Você acha que eu durmo bem com isso?!

—Seus pais eram a minha família. 

—Mas  perdi a insanidade antes de perdê-los.—

Nos olhos de Hinata predominam angústia e ódio 

—O único motivo pelo qual vim aqui, foi para  ter certeza que tudo isso não se passava de um grande engano.

—Me dói sair daqui errada. —

Hinata não perde tempo, parte deixando Ko sozinho naquela sala fria, com a presença inigualável da tristeza. 

 

~*~

Os corredores são passados por uma Hyuuga de coração doído, quebrado.

E Hinata se acha quando chega ao encontro de seu porto inabalável. 

Lá está ele, olhando atento para a Hyuuga enquanto caminha os corredores com seus olhos marejados. 

Hinata se afunda nos braços do Uzumaki. 

Os pedaços de seu coração estão sobre o chão, e Naruto ajuda a pegar. Um por um.

 

 

 

Moradia Uzumaki 

Duas semanas se passaram desde o encontro dos Hyuuga's. 

Naruto está junto a Hyuuga dando os últimos passos para o casamento. Detalhes, mínimos detalhes 

—O que decidiu com seus pais?— 

—Você conhece minha mãe, sabe que ela não deixaria para vir um dia antes. — 

A Hyuuga ri 

—O que ainda tem que ser resolvido?— Indaga o Uzumaki 

—Não muita coisa.—

Um sorriso resplandece em Naruto 

—Na verdade, só falta eu marcar o dia da minha despedida de solteira.—

—Que?—

—O que?! Minha despedida!—

—Não se comemora isso no Japão.—

Hinata ri 

—Não significa que eu não vá comemorar.— Diz Hinata, fazendo aquela cara

—Tudo bem, você está certa. 

—Acho que deve comemorar sim. 

—Mas se comemorar, também irei.—

Naruto solta as palavras e dá de ombro 

—Ei, como assim?— Pergunta a morena 

—Direitos iguais, meu benzinho.—

Hinata sente que Naruto está blefando, mas escolhe não arriscar

—Você ganhou! Tudo bem?—

Naruto olha para a Hyuuga

—Esse lance de despedida é mesmo perda de tempo. 

—Melhor aproveitar de outra forma. Só com as meninas, ou talvez dormindo. Né?!—

—Penso da mesma maneira. — 

—Sim, pois é.—

—Então não fará?— Diz o Uzumaki 

—Não, melhor não.—

—Hinata sábia. Ótima escolha!—

Naruto sorri, dando-lhe um beijo 

—Escolhemos bem!— Afirma a morena

—Escolhemos?— 

Hinata o olha sem entender 

—Você disse que não faria, mas eu não disse.—

—Mas você só pode estar de brincadeira comigo! — Diz Hinata, lançando contra si uma almofada. 

Naruto ri da expressão de sua garota. Contenta-se em vê-la com a preocupação em outras coisas. 

 

 

Centro de Konoha 

Não existe um motivo exato, mas Naruto anda nervoso pelas lojas de Konoha. 

Hoje é o dia de escolher o anel que ficará para sempre no dedo de sua amada. A preocupação vai além do normal. Naruto é detalhista e quer que saia o perfeito possível. 

O Uzumaki entra na loja em que lhe foi recomendada. Tinha em sua mente um modelo, o que tornaria as coisas mais fáceis, mas se apaixona ao ver as demais em exposição. O que vem em sua mente é o dedo de sua amada e seus olhos brilhando com o fulgor de uma. 

Quer uma que assemelhe a personalidade de sua Hyuuga: delicada, mas marcante. Reluzente, porém discreta.  Linda como ela.

Única como ela. 

 

 

**********************************************************************************************************************

 

Centro de Konoha

Tenten, Sakura e Hinata. As três carregavam consigo um grande propósito, e não sairiam daquele centro sem estarem satisfeitas com a escolha. 

Encontrar um perfeito par de lingerie. 

—Hinata, o que acha dessa? Marcante!— Fala Tenten, dispondo uma peça de tecido fino

—Cade a lingerie daí? Ta faltando um pedaço dela!— 

Tenten faz bico 

—Essa é perfeita pra você!— Diz a Haruto, mostrando um par branco 

—Eu camuflo nisso!— Afirma Hinata

—Hinata, você é difícil!— Diz Tenten 

—Vocês que não ajudam! Sabem da minha escolha. Sem muito detalhe, mas marcante, que o chame atenção. 

—Minha querida, quem disse que pra você chamar atenção, precisa de um belo par de lingerie?! Com esse corpo tá mais que feito!—Explica Sakura

Hinata sorri

—Mas ainda preciso. — 

Tenten e Sakura suspiram, mas não abandonam a Hyuuga pela busca implacável por uma lingerie. 

Milhares são vistas até encontrar a perfeição. 

Hinata encontra uma linda na medida. 

Não precisa de nenhuma palavra para ser aprovada pelas duas, o que torna Hinata ainda mais feliz pela escolha e desejando poder usá-la logo.  

 

 

 

Continua...

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...