1. Spirit Fanfics >
  2. Caramel Macchiato >
  3. Seu cheiro é doce

História Caramel Macchiato - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá gente! Tudo bom? Mais um capítulo fresquinho! Espero que estejam gostando, obrigado a todos por todos os comentários! Por favor, continuem assim! Me deixa muitíssimo feliz! Boa leitura<3 Lembrando que é uma short fic!

Capítulo 3 - Seu cheiro é doce


— Você… — Deu mais uma garfada na boca do macarrão instantâneo quentinho — Tá muito encrencado,cara —  Apontou o talher em direção ao rosto, porém Jimin apenas revirou os olhos enquanto remexia no seu de legumes. 

Suspirou, olhando discretamente em direção ao quarto, vendo como delicadamente Jungkook soprava a comida depois de cheirar, sensível a odores. Sorriu, achando tudo aquilo fofo, apenas parando com viu a mão do amigo estalar na frente dos seus olhos. O Jung o observou por um tempo, com as bochechas cheias, parecendo analisar seriamente, estreitando os olhos.

— Aaah —  Soltou maroto, sorrindo ladino de quem tinha entendido tudo —  Ele é o seu “tcham” né, Jimin? — O dito-cujo quase engasgou com a saliva, franzindo o cenho. 

—  Não sei do que está falando —  Murmurou, desviando o olhar para o macarrão a sua frente, totalmente vermelho —  E que negócio é esse de “tcham”? 

—  Você sabe muito bem o que é —  arqueou diversas vezes as sobrancelha, cutucando o amigo com o cotovelo ao mesmo tempo em que ele lhe dava tapinhas para que parasse —  Você encontrou seu ser místico! — Celebrou, sendo calado rapidamente pelas mãos do ruivo, temeroso que o outro ouvisse. 

—  Deixa de ser idiota! Já disse que não acredito nessas coisas!

—  Não acredita, mas aconteceu — Disse abafado, sorrindo grandioso ainda. Jimin bufou — Mas tinha que ser um numa situação tão complicada? —  Indagou, apoiando o rosto sobre a mão assim que deixou o cotovelo na mesa — Ele já foi comprado, Jimin. E parece ser muito, muito caro. Alguém deve estar procurando feito louco e vai querer de volta. 

— Eu sei. —  Balbuciou, apertando a colher entre seus dedos —  Mas não vê como estão o tratando? — Questionou, pensando em cada marca roxa naquela pele. Hoseok Suspirou, dando um aperto leve no ombro do amigo desamparado. 

— Acho que ele pode ser do nível escravo —  Comentou, o que era basicamente Quando essas espécies eram tomadas apenas para servir e aguentar todo o tipo de situação, sem questionar nada de sequer. Existiam os mais simples aos de luxo. — ou melhor, servos — era só um nome mais bonitinho para ocultar o verdadeiro significado. Como havia comentado, só os que tinham sorte poderiam ter uma vida boa ao lado de alguém ou uma família. 

— Podem querer matar ele!— concluiu, quase que de forma desesperada. Já estava imaginando o pior dos piores cenários possíveis. 

— Sinceramente, acho difícil. Sem querer roubar de você, mas só a beleza dele deve o tirar desse patamar. — Hoseok aliviou a tensão do amigo, querendo de alguma forma ajudar. — E tecnicamente é proibido execuções, Jimin! — O dito-cujo enfiou uma garfada de macarrão na boca, mastigando de forma nervosa, mas sabia que o amigo tinha razão, porém ainda tinha sua pulga atrás da orelha — O melhor a se fazer é perguntar diretamente para ele. 

Jimin arregalou os olhos, quase engasgando. 

— Não!

— O que? — Franziu o cenho — Por quê? — Gesticulou com as mãos, confuso.

— Ele parece reservado e é arisco — Respondeu tristonho, girando diversas vezes o garfo sobre a toalha de mesa — Duvido que queira falar sobre si mesmo.

— Ele está assim porque não confia ainda em você. — O Jung sorria mínimo, achando graça daquele drama que o outro estava passando pela primeira vez na vida — Tenta se aproximar dele — chegou mais perto, chamando o Park com um gesto da mão. Assim que estavam próximos o suficiente, Hoseok Sussurrou em seu ouvido — E não o quer só para você?

Jimin corou novamente dos pés a cabeça. Enquanto esbravejava com o amigo que gargalhava até quase cair da cadeira, duas orelhinhas pontudas iam e viam atentas a conversa ao lado. 

[...]

— Onde o senhor pensa que vai? — Hoseok indagou parado na porta da cozinha, observando o ruivo ir e vir enquanto se arrumava para sair. O Park o olhou confuso, terminando de pegar os sapatos no canto da parede.

— Trabalhar — Disse de forma óbvia para logo em seguida ter os calçados rapidamente roubados de suas mãos — Ei, o que pensa tá fazendo?!

— Eu que tenho que dizer isso! — Rebateu com o cenho franzido, como se estive nervoso, embora tivesse um bico pirracento em seus lábios — Não pode deixar o seu elfo sozinho aqui. 

— Ele não é meu — Murmurou um pouco vermelho, coçando a nuca — E eu preciso ganhar dinheiro para sustentar nós dois — Após essa frase, o Jung sorriu largo, quase maroto. Jimin viu na hora que tinha escolhido as palavras erradas.

— Então pensa em manter ele contigo, né? — Arqueou ambas as sobrancelhas, sugestivo, enquanto o Park apenas revirava os olhos como quem não ligasse para isso, mas ligava, ligava muito. Não estava nenhum pouco afim de devolver o outro para quem que o tivesse comprado. — Pode deixar que eu cubro você.

— O quê?! — Indagou, como se estive incrédulo, mas lá dentro, dentro mesmo, bem no fundo, estava feliz de poder ficar perto do garoto e se certificar de que não acabasse fugindo e se metendo em perigo outra vez.  Porém, ainda tinha um tanto de receio, afinal o que faria o dia todo com ele? Sozinhos? — Pare de brincadeiras, Hobi!

— Estou falando sério e já to indo — Largou de qualquer jeito os sapatos, limpando as mãos e simplesmente dando as costas para o melhor amigo. — Não quero ver sua cara lá, tá ouvindo? — Abriu a porta, saindo um pouco e enfim apontado o dedo para si — Nem um fio de cabelo! Nada! — Fez uma cara de quem estava falando sério. Andou vagarosamente de costas, sempre olhando para si, até que sumisse no corredor. Poucos segundo depois, retornou rapidamente apenas com a cabeça amostra — Fica! — E assim finalmente fechou a porta, fazendo Jimin revirar os olhos e sorrir um pouco.

Agora sim estava sozinho. Não sozinho no modo literal, mas se sentia assim por dentro ao lidar com o novo inquilino. Respirou fundo, secando as mãos no próprio short. Pegou alguns Donuts e um Caramelo Macchiato quentinho que não tinha bebido ainda, já que o Jung havia trazido para si sabendo que era um dos seus preferidos. 

Andou devagar até a porta, batendo fraquinho antes de entrar silenciosamente e pegar Jungkook dormindo confortável em sua cama. Sorriu com a cena, pois quando estava assim — de lábios entreabertos, respiração calma e os olhinhos fechados delicadamente —  parecia extremamente dócil e fofo. Não que ele não fosse, era claro o motivo de estar desconfiado de si. 

Aproximou-se lentamente, deixando as guloseimas em cima do criado-mudo ao lado da cama, onde um copo que antes continha macarrão instântaneo estava totalmente vazio. Enquanto ajeitava as coisas ali, o moreno abrira lentamente os olhos, focando em si. Ainda estava sonolento, mas entendia quem estava ao lado ou sentia o cheiro do café e dos doces. 

— O que está fazendo? —  Indagou baixo, literalmente fazendo com que o ruivo desse um pulo para o lado, assustado como se tivesse sido pego em flagra por algo muito errado. Suou novamente, nervoso. 

— Trouxe… —  Engoliu em seco, sorrindo —  Pra você.  

O elfo encarou as coisas ali do lado, primeiramente analisando com cautela como se tivesse algum veneno ou fosse explodir. Não que chegasse a ser tão extremo, mas poderia ter no mínimo algo para dopá-lo. Depois de alguns segundo, levantou-se minimamente, com um pouco de esforço, esticando a mão para pegar a bebida. Olhou, de cabo a rabo, aproximando seu nariz para que sentisse melhor o aroma.

Gostoso.

— Você tem cheiro disso. 

As palavras saíram meio emboladas, como se fosse um gaguejo fofo ao acrescentar um biquinho a cada repetição, formando uma sonoridade quase manhosa. Jimin corou, é claro que corou, tanto com o que foi dito quanto como estava derretido por dentro por conta dessa ação do outro. E não terminou por aí. Após soprar um pouco, outro biquinho fora formado para que a boca encostasse na lateral do copo, virando sutilmente ao mesmo tempo em que os olhinhos se arregalaram um pouco. Tomou alguns goles, afastando-se e por fim passando a língua nos lábios enquanto fazia alguns barulhinhos com a  boca de quem estavam experimentando mais o sabor. 

— Woah! —  Soltou, os olhos redondos ainda mais arregalados, vibrantes e brilhantes, virando rapidamente o rosto em direção ao seu fornecedor dessa bebida que o agradou demais — Que gostoso! —  Soltou fofamente, com um toque de um bigode bem marcado no seu beiço.  

Puta merda! Jimin queria se jogar no chão e deitar em posição fetal.

— O que é isto?! — Indagou, enfiando mais uma vez alguns goles a mais garganta abaixo ao mesmo tempo em que encarava Jimin com aqueles grandes olhinhos negros a procura de uma resposta.

— Caramel Macchiato — respondeu, se permitindo sorrir um pouco — gostou? — Viu um aceno rápido da cabeça, virando de uma vez os últimos resquício da bebida quente. — Posso fazer mais. 

— Por favor. — Sussurrou, voltando a sua posição inicial de afastamento, porém suas bochechas estavam vermelhas como um morango. "Por isso o cheiro daquele humano é estranhamente bom". Divagou, limpando com a língua o seu novo bigode de café — Geralmente… — Comentou, hesitando por um momento, sentindo o olhar do ruivo voltar para si — Geralmente… As pessoas daqui tem cheiros fortes e artificiais… Ou doces demais — Estava se referindo aos perfumes que os humanos costumam usar no dia a dia e o moreno simplesmente odiava isso, irritava seu nariz — Mas você… — Pensou um pouco, fitando-o — Você é diferente. 

E apreciava isso. 

Jimin não sabia como reagir. Seu coração batia forte, podia sentir no peito. Engoliu em seco, tentando achar as melhores palavras para aquela situação, mas desconhecia alguma que pudesse dizer. 

— Ah… — Encarou os donuts coloridos sobre a mesinha , sentindo-se quente ao ponto de parecer explodir — É… é um diferente bom, pelo menos? — tentou rir, mas só saiu um som nervoso. 

— É. — Jungkook respondeu simples, mordendo de leve o copo com a pontinha do dentes. 

— Ah… Bacana. — Bacana?! Jimin queria se jogar de um prédio depois disso, bater em sua própria cara até tomar vergonha e responde algo decente. Mas que broxante. O garoto tinha o elogiado, falado praticamente uma filosofia, e ele aqui com um “é, bacana”. Queria se estrangular! — Então… — Parou seu surto interno,chamando novamente a atenção para si — Você não quer tomar banho? — Pensou melhor nessas palavras, surtando novamente ao pensar que disse besteira — Não que eu esteja mandando uma indireta, não estou, apenas pensei que poderia querer se limpar depois de passar um tempo na rua e correndo sem parar, sangrando e tudo mais! — Isso foi dito em menos de três minutos. 

Jungkook piscou alguma vezes, o encarando, para então soltar uma risadinha com o jeito atrapalhado do outro. Então, logo após, os dois estavam rindo, mais confortáveis com a nova presença. O moreno colocou a mão na boca, arqueando a cabeça para trás, gargalhando. O Park o observou, pensando que até mesmo a risada alheia era fofa. 

— Você… É engraçado. — Comentou, diminuindo o ritmo das risadas, pois aquilo estava causando dores a seus ferimentos. Suspirou, esperando que passasse — Como te chamo? — Dificilmente o elfo se interessava em saber sobre os outros, até mesmo algo simples como nomes. Até aquele momento, nenhum realmente foi merecedor de sua atenção. 

— Ah! — O ruivo finalmente notou que não havia se apresentado — Jimin. 

— Chimin? — Tombou a cabeça. O dito-cujo sorriu, achando aquilo ainda mais fofo. Isso o fez lembrar de infância, quando seus pais ou seus amigos o chamavam pelo apelido — o que foi?

—  Na verdade, é Jimin — Repetiu, ouvindo o outro sussurrar atrás —  Mas pode me chamar de ChimChim se quiser. — Jungkook concordou com a cabeça, mostrando que tinha entendido certo dessa vez. 

— Ok, ChimChim! 

Era o oficial, o ruivo iria morrer de ataques de fofuras em excesso.


Notas Finais


espero que tenham gostado de mais esse capítulo! Por favor, comentem para que eu possa ficar feliz e ter motivação para continuar!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...