História Care Me, Hyung. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Choi Siwon, Kangin, Kim Heechul, Lee Donghae, Park Jungsu
Tags Donghae, Heechul, Kangin, Kpop, Leeteuk, Siwon, Super Junior, Yaoi
Visualizações 122
Palavras 6.209
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~~

Capítulo 1 - Kim Hee Chul


Fanfic / Fanfiction Care Me, Hyung. - Capítulo 1 - Kim Hee Chul

 

 

- Algum motivo?

 

- Yah... Eu não trabalho com crianças Hyung! – Resmunguei já notando o rumo da conversa, joguei-me sobre o sofá impecavelmente branco.

 

- Chulie... – Se aproximou do meu corpo, encaixando suas mãos na minha cintura trazendo-me para o seu colo.

 

- Você é um maldito de um pedófilo. – Ele teve a cara de pau de rir.

 

- Falando assim até parece que sou mesmo. – Infiltrou seu indicador no cós do meu short.

 

- E acha que não? – Busquei seus olhos – Eu tinha 14 naquela época, 14!

 

- Eu também tinha 14! – Ria enquanto protestava. – Yaah, não fale como se eu fosse um velho tarado!

 

- Você tinha 15! Era véspera do meu aniversário, seu bastardo! – Estapeei seu peito sem muita força.

 

- Você não tem argumentos válidos, meu amor.

 

Devo ter feito um bico enorme ao ouvir aquilo.

Eu sabia que não tinha.

 

- Ah! Eles vão te adorar! Você é muito fofo pra um homem de 20 anos completos! – Apertou meu corpo, mordendo minha bochecha de leve.

 

- Droga...

 

- Já quer ouvir sobre eles? – Perguntou empolgado.

 

- Anyah! Prefiro não saber, principalmente as idades... – Cocei a cabeça, nervoso – Aish! Na minha época as crianças nem sabiam o que era uma masturbação!

 

- Não sabiam o nome, mas com certeza já praticavam – Pousou a mão sobre meu membro adormecido.

 

- Eu espero que eles pelo menos tenham 15 cm! Porque eu não sou obrigado a correr o risco de ser preso sem nem ter uma foda digna!

 

Teukie Hyung quase engasgou na própria risada e eu pude rir verdadeiramente pela primeira vez no dia.

 

Bom, eu era um prostituto na descrição mais clara.

 

Apesar de eu não ir pra rua a espera de desconhecidos.

 LeeTeuk meio que me gerenciava para pessoas um pouco influentes ou que pelo menos pagassem bem.

 

 Apesar de eu saber o quanto era bonito, eu não achei que fosse valer tanto, me surpreendi com a demanda de clientes.

 

Segundo Hyung o motivo era minha aparência ser um pouco longe do padrão asiático.

 

Meus olhos eram grandes, meus lábios carnudos,  minha  pele era tão branca e macia que meu apelido passou a ser ‘Pele leitosa’. Chegavam a pensar que eu realmente era estrangeiro ou algum mestiço e eles apreciavam essa diferença.

 

Eu ganhava muito bem com essas saídas noturnas, mas de um tempo pra cá parecia que eu estava sendo assunto de adolescentes do ensino médio. Não sei como diabos foram saber sobre mim, mas todo dia apareciam mais de 3 estudantes querendo pagar por uma noite comigo.

 

Alguns chegavam pedir que o primeiro beijo deles fosse comigo, no começo eu aceitei somente beija-los, pois me era engraçado ver a ansiedade neles, porém com o tempo eles foram insistindo em sexo e claramente eu me coloquei contra.

 

Eu não era o exemplo de ser humano por evitar, apenas não queria rolo e programas com menores era furada sempre. Estaria tudo bem enquanto eu me mante-se com adultos casados ou velhos de meia idade carentes, a polícia não viria atrás de mim.

 

LeeTeuk concordou no inicio em não atender menores de idade, mas ele parecia realmente insistente nessa ultima semana. Não parava de dizer o quanto o garoto ia pagar bem e que pediu pra trazer mais dois amigos, ele acabou me vencendo pelo cansaço.

 

Coloquei meus braços pra cima segurando no encosto do sofá, enquanto sentia a língua do mais velho chupar vagarosamente meu mamilo, aquela era uma área muito sensível.

 

Meus dedos apertavam forte o tecido grosso do móvel cada vez que sua língua se movia, passou a lamber a pele avermelhada e rodar o músculo quente sobre a aureola.

 

Soltei um grunhido alto.

 

- HeeChul... Não faz isso. Quando você tenta dar uma de difícil e segurar seus gemidos só me instiga mais e eu não posso continuar agora.,, - Mesmo dizendo aquilo, sua boca ainda me maltratava.

 

- Por que não Hyung? – Usei da minha melhor arma para persuadi-lo. – Não quer cuidar do seu Dongsaeng preferido? – Fiz uma cara inocente que junto daquele olhar, nunca falhava.

 

Ele me puxou pelos tornozelos, fazendo com que nossos membros se encostassem, abriu mais ainda minhas pernas e desceu uma mão desabotoando o jeans. Sua expressão me dava tanto tesão, mordi meu lábio soltando-o de forma lenta, enquanto assistia seu olhos famintos focaram na minha boca.

 

Ele iria perder o senso de responsabilidade quando avançou pra perto do meu rosto, mas aquela porra de campainha tinha que ter tocado. Foi como uma quebra de transe, ele piscou e pulou pra longe de mim ajeitando suas roupas, me obrigando a fazer o mesmo apenas com aquele olhar de: “Você quase me pegou”.

 

O desespero dele e o segundo toque da campainha foram suficientes para eu rir novamente, ele quase caiu quando saiu correndo até a porta. Ajeitei meu cabelo, minhas roupas estavam alinhadas, mas aquela ereção ainda era bem evidente, porém não era algo que eu precisasse me preocupar.

 

Uma vez que eu não tinha fé deles conseguirem me excitar, eu já estava pronto.

 

Ouvi vozes tímidas no hall de entrada e logo LeeTeuk liderava uma perfeita fila única até a sala de estar, onde eu me encontrava. Ele apontou pro sofá da frente e as crianças foram imediatamente se sentando, olhei pra eles e realmente tinham uma aparência muito infantil apesar do tamanho.

 

Não, nem todos.

 

O garoto do meio era o menor e devia bater no meu ombro, comecei me sentir nervoso vendo ele. Quantos anos ele teria? 12? O que eu estava fazendo da minha vida? Tirando a virgindade de crianças...

 

- Meninos, esse é HeeChul, o próprio.

 

Levantei-me assim que fui apresentado e eles desajeitados tentaram fazer o mesmo em forma de respeito, tentei esquecer que possuía uma parte racional no meu cérebro e apenas comecei a atuar como o prostituto que era e gostava de ser.

 

- Esses são SiWon, DongHae e KangIn.

 

Agora que passava a reparar nos outros dois, SiWon apesar do rosto infantil era muito bonito e mais alto do que eu, ele tinha covinhas charmosas que apareciam timidamente em seu rosto, sorri em resposta o olhando e suas orelhas avermelharam.

 

KangIn era o único que não me olhava com tanta inocência, ele devia ser o mais velho dentre os três. Seus olhos varriam meu corpo incessantemente, e sempre paravam entre minhas pernas, onde aquela ereção era bem vista. Observei o caminho que seus olhos trilhavam até se encontrarem com os meus, seu sorriso de canto indicava pensamentos que eu apreciava.

 

Talvez se eu apenas me concentrasse no mais velho o resto rolaria normalmente e com sorte logo estaria acabado. Passei os dedos entre meus fios longos e finalmente notei o Hyung me comendo com os olhos, pisquei pra ele e o mesmo tentou disfarçar voltando a falar com as crianças.

 

- O pagamento SiWon – KangIn sussurrou um pouco alto, me fazendo sorrir, por alguma razão ele parecia engraçado.

 

- Ah! Sim, aqui está LeeTeuk Hyung. – Entregou um bolo de notas na mão do mais velho e eu assoviei.

 

- Parece que alguém quebrou o porquinho. – Ele me olhou envergonhado.

 

- Na verdade é minha mesada do mês.

 

- O Appa do SiWon-ssi é muito rico! – DongHae finalmente abria a boca.

 

- Vocês devem ser muito amigos mesmo pra virem juntos fazer isso. – Cruzei as pernas, fazendo com que o short apertado mostrasse mais das minhas coxas.

 

- Nós três queríamos... Isso... Então, achamos melhor fazer juntos. – Observei KangIn que apertava o ombro do menor e novamente aquela preocupação me afligia, eu precisava saber a idade deles.

 

- Yah, qual a idade de vocês?

 

- DongHae e eu temos 17... KangIn tem 18.

 

- Devia ter dito que todos temos 20! – KangIn resmungou.

 

- Não tem necessidade de mentiras, trato é trato. O pagamento foi feito e agora vocês podem aproveitar. – LeeTeuk respondeu.

 

- Fico mais tranquilo que DongHae não tenha 12 anos como aparenta. – Ele sorriu pra mim e aquela cena foi tão fofa que eu quase soltei um “Ownt”, teria sido vergonhoso.

 

- HeeChul-ssi tem cara de mais jovem, porém já tem 20 anos.

 

- Cuidem bem de mim Dongsaeng’s.

 

Eles ficaram sem reação ao meu pedido, sorri adorando aquela inocência toda. Estava mais tranquilo por eles ao menos estarem próximos da maior idade.

 

Comecei a tirar minhas roupas, faríamos na sala mesmo, eu estava no clima de ser abusado e confesso que ver tanto homem me desejando de uma vez estava me deixando maluco.

 

Primeiro retirei meu shorts, em seguida a cueca e blusa, os três estavam boquiabertos enquanto eu subia no sofá e ficava ajoelhado de costas pra eles. Olhei sobre os ombros e todos os olhos estavam sobre mim, aquilo era uma puta massagem no ego.

 

- Quem vai ser o primeiro? –Perguntei com uma voz manhosa.

 

- Aish, só de ver ele assim já podia gozar. – Ouvi KangIn resmungar.

 

- Ele é tão bonito... – DongHae disse baixinho.

 

- E-eu tô realmente nervoso... Co-mo q-q... – O outro gaguejou.

 

- Hyunnng – Gemi necessitado e ouvi seu suspiro de longe.

 

- Ne?

 

- Ensina o que os meninos tem que fazer, Hyung. – Abracei o sofá levantando mais o quadril, me expondo. – Mostra pra eles.

 

- Não posso fazer parte já que eles pagaram pra ter você em exclusividade.

 

- Ne... Vocês não se importam de me dividir com mais um, certo? Eu prometo que vou dar atenção a todos vocês.

 

- N-não tem problema.

 

- SiWon-ssi é tão bondoso...

 

- Eu vou arrumar isso... DongHae-ah senta naquela poltrona e vocês dois tomem um pouco de espaço um do outro. HeeChul-ssi pode começar com eles ou o com o nosso Maknae aqui. – Apertou os ombros de DongHae, aquele sorriso tímido estava me ganhando.

 

- Hyung, SiWon é o Maknae.

 

- Mas hoje você vai esquecer isso e ser o nosso Maknae... – Aproximei-me dele e sentei sobre seu colo de frente, assistindo de perto seu rosto pegar fogo de tão rubro que ficou. – Por que você é fofo.

 

- Não tenham vergonha meninos – LeeTeuk se sentava entre os outros dois – Aproveitem o show, vocês sabem como...

 

Observei sobre os ombros ele abrindo a calça e puxando seu pênis para fora da peça, começava a se masturbar me olhando. Os meninos mesmo ainda envergonhados timidamente começaram a imita-lo, voltei minha atenção ao mais novo e ele continuava de cabeça baixa.

 

- DongHae-ssi... – Chamei baixo e ele tremeu – Você já beijou alguém antes?

 

- U-uma v-vez...

 

- Você gostou? – Passei os braços sobre seu pescoço.

 

- Anyiah... Era uma menina – Levantou a cabeça.

 

- DongHae gosta de meninos? – Meus longos dedos brincavam com seu cabelo.

 

- S-sim...

 

- Pode confiar em mim, eu vou cuidar de você.

 

Seus olhos encontraram minha boca quando me aproximei mais.

 

Peguei suas mãos e as coloquei em minhas nádegas, passeie com elas sobre mim, motivando-o a se mover. E ainda encarando-o, virei o rosto beijando sua bochecha de leve, sua expressão era algo tão fofo, ele parecia ter gostado.

 

Beijei novamente o lugar e fui até seu ouvido, mordendo a ponta de sua orelha, seus ombros se ergueram pelo contado inesperado e com mais uma mordida foram suas mãos me apertando que reagiram. Gemi manhoso pedindo que ele continuasse me tocando e assim ele fez.

 

Comecei a rebolar sobre seu colo, seu membro que já estava duro desde quando sentei sobre ele, parecia bem mais duro do que antes. Eu não podia brincar demais com eles, ainda eram crianças e não tinham experiência para manter se sem gozar.

 

Tirei o rosto dele do meu ombro e segurei seu pescoço roubando seus lábios pra mim, estava praticamente o forçando a aprender o meu ritmo, toquei sua língua para se juntar a minha e totalmente sem experiência, com três movimentos ele já me seguia sem muita dificuldade.

 

Afastei um pouco a cabeça, chupando seus lábios instigando-o a buscar um novo contato e suas mãos seguiram até minha cintura, apertando o local. Seu corpo agora pressionava em cima do meu, fazia força para se juntar mais a mim, logo ele se empenhava em me beijar.

 

Sorri apreciando o quão bom aluno ele era e deixei que me beijasse mais uma vez, levei minha mão direita até sua calça, retirando seu cinto e descendo o zíper. Ele desfez o contato se afastando e observando minhas mãos trabalharem.

 

- Acha que aguenta uma chupada do seu Hyung? – Se fosse possível ficar tão vermelho quanto um tomate, ele com certeza havia ficado.

 

- HeeChul-ssi.

 

Ouvi LeeTeuk me chamar e virei-me olhando-o.

 

SiWon e KangIn estavam bem concentrados no trabalho que as mãos do mais velho fazia, LeeTeuk sentado ao centro, masturbava os dois ao mesmo tempo.

 

- Yah, não cansa muito eles Hyung!

 

- Não se esqueça da gente. – Sorriu querendo parecer fofo e o maldito conseguia.

 

- Vou fazer algo por vocês. Vamos naquele sofá DongHae. – Apontei o móvel onde eu sentava mais cedo e ele seguiu, se sentando ao centro.

 

Puxei sua calça indicando pra ele tirar e antes de sentar-se ele desceu sua calça e roupa intima chutando o enrolado de roupas para o lado.

 

 

Abaixei-me ficando sobre os joelhos e pousei as mãos em suas coxas afastando mais suas pernas. Estando naquele sofá, me encontrava de frente para o outro, eles poderiam me observar perfeitamente de costas.

 

Ergui um pouco o corpo, ficando empinado, na mesma hora ouvi gemidos de aprovação e não pude segurar a risada, minha mão já estava sobre o membro do mais novo puxando-o de lado, passei minha língua sobre a extensão e o menor quase gritou.

 

Seus olhos estavam comprimidos, fortemente aproveitei para pega-lo de surpresa de uma única vez coloquei todo dentro da boca e chupei desde o inicio, chegando na glande, me demorei massageando com a língua.

 

Sua reação foi a mais inesperada.

 

Ele imediatamente agarrou com as duas mãos em meus cabelos, puxando uma grande parte para o lado, era um movimento involuntário dele, mas aquilo significava que faze-lo de lado era mais prazeroso pra ele.

 

Sua mão segurou seu membro para que eu pudesse apenas deitar a cabeça de lado e acaricia-lo daquele jeito e vê-lo mordendo o lábio enquanto segurava meu cabelo e ainda ditava seu ritmo segurando seu membro daquela forma tão sexy.

 

Eu realmente me excitei.

 

Quando notei que ele estaria próximo do ápice tirei-o da minha boca, um resmungo de protesto foi ouvido e até LeeTeuk riu ao ver a cena. Levantei-me ficando em pé em frente a ele e segurei sua bochecha beijando uma última vez sua boca.

 

- Não podemos acabar assim tão rápido, por mais que eu queira te abusar mais – Ele me olhava agora com tanto desejo.

 

- Certo! Agora ocupa um pouco esses dois.

 

- HeeChul Hyung é todo de vocês! – Abri os braços.

 

Andei até eles e sem pensar apenas usei LeeTeuk como poltrona, sentando de costas em seu colo, puxei os braços do mais velho pra me segurar pelo tronco. Virei-me para SiWon a esquerda e levei as mãos até a nuca dele, puxando-o pra mim.

 

O garoto de imediato avançou me beijando afoito, suspirei entre o contato ao sentir as mãos de LeeTeuk circularem meu pênis, ele massageava com movimentos lentos porém com grande pressão no aperto. Aquilo era tão bom.

 

SiWon me beijava tão bem que esqueci de todos por um momento, focando-me apenas nele. Sua mão segurava a junção do meu pescoço e ombro, enquanto seus dedos acariciavam meus cabelos, uma sensação dormente me acometia.

 

Em dado momento sua língua se colocou a me instigar, o contato se tornando mais erótico e eu não havia notado que a mudança tinha sido dada por mim, quando senti uma cavidade quente cobrir meu membro.

 

Soltei SiWon dando de cara com KangIn me chupando, ele fazia questão de me olhar, tentei voltar de onde parei, fui incapaz quando vendo o que eu pretendia ele havia passado a língua lentamente sobre minha glande.

 

Mordi os lábios e fechei os olhos  segurando aquela vontade de bater nele por fazer aquilo tão bem. Então ele estava disputando atenção? Senti um chupão no meu pescoço e gemi satisfeito. Adorava ser disputado.

 

Segurei os cabelos de KangIn impulsionando meu quadril em sua direção, enquanto dava atenção a ele, SiWon beijava cada parte do meu corpo. Minha pose em meio aquilo com certeza era a melhor.

 

Teukkie segurava-me no colo como um bebê, um braço circulando minhas costas e o outro minha perna direita levantada, deixando-me aberto para que KangIn se encaixasse no meio, esse que me segurava nos quadris.

 

Estava com uma mão sobre a cabeça de KangIn e a outro atrás da minha própria, facilitando o acesso da boca de Wonnie em meus mamilos.

 

Me sentia um rei sendo servido do meu maior prazer.

 

Meu peito já ardia de tão sensível com inchaço causado pelas sucções fortes que SiWon me dava, sua boca trabalhava de um lado e seus dedos já ficavam no outro, apertando o bico.

 

- Você é um tarado garoto – Sussurrei rouco em seu ouvido aproveitando sua proximidade.

 

Ele subitamente virou o rosto sorrindo de lado ao me olhar nos olhos, ainda lambendo o botão antes rosado, agora rubro. Aquele sorriso de covinhas safadas.

 

Peguei em seus cabelos e puxei-o pra mim, agarrando seu pescoço, ataquei sua língua massageando-a, seus lábios comprimiam os meus e a sensação macia era alucinante.

 

Segurei-o até que meu ar faltasse, ele ainda teve a audácia de puxar meu lábio inferior depois do termino. Passou a palma da mão na lateral do meu rosto e sentou-se ao lado recuperando o folego.

 

Colei as costas no peito de LeeTeuk, fazendo-o me soltar da posição anterior.

 

Joguei meus braços pra trás cruzando-os na nuca dele e ergui o rosto quando senti suas mãos descerem pela lateral do meu corpo.

 

Podia sentir o arrependimento dele, por ter me dado serviço justo na folga que tínhamos pra nós. Porém agora já era muito tarde.

 

Fiz uma cara convencida que ele já sabia muito bem o significado.

 

“Eu avisei”.

 

Decidindo parar de ignorar a criança mais velha, dobrei a perna direita assim dando maior liberdade a ele. Essas ações sempre deixavam os clientes embaraçados pela minha falta de escrúpulos, porém fui surpreendido por aquele menino.

 

- Se você quer durar mais, não devia ficar nessa posição.

 

Ouvi a frase e olhei rapidamente pra ele juntando as sombrancelhas.

 

Ele achava que eu não daria conta deles se gozasse uma vez?

 

Resolvi entrar na dele ao invés de destruir a atmosfera com a minha resposta dura.

 

- O que quer dizer com isso, lindo? – Gemi a última palavra de forma manhosa e ouvi LeeTeuk rir baixo.

 

Ele sabia que quando eu elogiava alguém era uma tentativa de mascarar meu deboche.

 

- Que se eu começar... Isso só vai ter fim quando você gozar.

 

Sorri ladino pingando malicia.

 

Adorava provar o contrário para clientes que tentavam me subestimar.

 

- Me mostre.

 

Por um momento ele pareceu surpreso, mas logo mudou para uma expressão determinada, se levantou cobrindo meu corpo até alcançar minha boca. Mordeu meus lábios passando a língua por eles e pegou-me no colo.

 

Depositou-me no sofá vazio  e levantou minhas pernas segurando a parte interna dos meus joelhos, sem o auxilio das mãos sua língua traçou meu membro dos testículos até a cabeça.

 

Ahh... Era uma tremenda sorte a dele, ter descoberto meu ponto fraco sem a intenção. Meu corpo era muito sensível e toques mais leves me faziam gemer loucamente.

 

Sua língua continuava a deslizar sobre cada veia saltada da carne ereta. Mordia meus lábios fortemente cada vez que sentia a pressão do órgão molhado próximo ao topo.

 

Meus dedos bagunçavam seus cabelos curtos, por vezes os puxando.

 

Soltei um grito inesperado quando fui tocado mais intimamente, sua boca agora se insinuava simulando penetrações na minha entrada. Foi impossível segurar meus gemidos, com os olhos comprimidos eu perdia completa noção do mundo ao meu redor.

 

Eu queria tanto sentir algo maior me dando prazer.

 

- Oohn Kang... K-KangIn hmmm... Me fode, me fode! -  

 

No momento em que ele segurou meu pênis e começou a bombeá-lo num ritmo rápido em direção a sua boca que cobria apenas a glande, abri os olhos fitando com dificuldade o teto, meu pescoço completamente esticado.

 

Não sabia mais o que fazer com as minhas mãos, se puxava os meus cabelos ou os dele.

 

- Ahhhh! – Reclamei frustrado.

 

Eu estava no caminho e eu iria cruza-lo.

 

Com os movimentos contínuos, senti meu corpo ceder e apenas deixei-me levar, arqueando as costas, contraindo todo meu corpo. Alcei o ápice envolvendo sua cabeça em meus braços, tremia gozando na boca dele e ele continuava me chupar fazendo aquele frenesi se estender.

 

Sorri satisfeito.

 

Levantei sobre os cotovelos, podendo observar seus lábios me sugarem lentamente até soltar minha pele, fazendo o membro cair amolecido na minha virilha.

 

- Que perigo brincar assim comigo.

 

- KangIn! Você fez ele gozar! – Ouvi DongHae contestar e ri da inocência dele.

 

- Eu consigo gozar até 4 vezes ao dia, dependendo minha disposição, acho que até mais... – Troquei um olhar cumplice com meu amigo.

 

- Wah... Isso é... Uau.

 

- Como fazemos pra você se excitar de novo? – SiWon perguntou realmente curioso.

 

- Teukkie Hyung vai mostrar pra vocês.

 

LeeTeuk levantou-se e veio até mim, virou meu corpo de costas e fiquei sobre os joelhos empinado pra ele, eu adorava aquela posição. Por cima do meu ombro podia ver com deleite o desejo brilhar nos olhos de quem estivesse atrás de mim.

 

Ele levou seu dedo indicador e médio até a frente do meu rosto e abri a boca devagar abocanhando seus dedos e chupando-os até que estivessem bem molhados. Levou-os até minha entrada e forçou a invasão me fazendo suspirar.

 

Começou a movimentar aumentando a velocidade gradativamente, deitei a cabeça jogando meus cabelos de lado. Balançava os quadris me sentindo esquentar, sua outra mão tocou meu membro constatando que ele já estava desperto novamente.

 

- Ele parece estar no cio – KangIn comentou rindo e os outros meninos o acompanharam.

 

- Deve ser a maior qualidade dele – LeeTeuk completou – Ele ta pronto já. Não é?

 

Deixou um tapa na minha bunda e eu ri excitado.

 

Os três garotos se aproximaram e eu me levantei pronto pra atacar o primeiro que viesse, porém KangIn nem me deu tempo de ir até ele, pegou-me pela cintura e trouxe até seu colo desnudo. Seu pênis tão duro quanto uma rocha, estava totalmente ereto, ver o pré-gozo me fez salivar.

 

E antes que eu pudesse piscar, ele já me adentrava.

 

Ardia um pouco, mas como eu tinha uma vida sexual bem ativa não chegava a machucar. Meus gemidos não eram nem um pouco falsos, aquilo esquentava como o inferno, mas era tão gotoso, ele me abraçava pela cintura.

 

- Está machucando?

 

- Se a intenção for essa... N-não uunhm.

 

Ele deu uma curta risada e retirou o membro, esperei pacientemente para ver o que ele faria e mais uma vez fui surpreendido. Colocou-me de volta ao sofá de costas pra ele, suas mãos grandes seguraram minhas nádegas, separando-as expondo minha entrada.

 

 Passou o indicador no orifício e pressionou.

 

- Fica nessa posição.

 

Suas mãos voltaram até minhas nádegas e começaram a me alisar e apertar a pele, aquilo me fazia empinar em sua direção cada vez mais. Separou as carnes e voltou a penetrar seu dedo, agora o contato sendo mais direto.

 

- Mmm gostou da visão? – Balancei a cintura me insinuando.

 

- Você é a puta mais gostosa que eu já conheci e por incrível que pareça nem é mulher.

 

- Então é a sua primeira vez com um homem? – Mordeu minha bunda – Hmmm.

 

- Eu prefiro mulher, mas confesso que você me vez cruzar essa linha - Me deu um tapa forte.

 

Com certeza sua palma ficaria marcada na minha pele.

Arhg! Eu adorava um homem bruto e másculo.

 

- Me deixa te chupar! – Fiz biquinho.

 

- Eu não quero a sua boca, quero o seu rabo.

 

- Aigoo! Me come gostoso!

 

- Eu vou!

 

Quando ele se distraiu abrindo o pacote de camisinha, senti o sofá se mexer e olhei pro outro lado encontrando SiWon. Seu membro estava na mesma situação que o mais velho deles, vê-lo tão duro e aquele líquido viscoso escorrer me fez agir sem pensar.

 

Sai daquela posição virando-me para o lado que ele estava sentado, seu corpo se encontrava de frente pra mim. Engatinhei até ele e senti dois braços fortes me cobrirem, o membro grosso do garoto roçando em minha entrada.

 

- KangIn-ah... hmm que delicia... – Fechei os olhos.

 

- Onde pensa que vai gracinha? – Seu corpo sobre o meu, era a melhor sensação.

 

- Queria brincar com o Wonnie enquanto você me fodia por trás – Respondi num tom inocente.

 

Andou comigo até mais próximo do outro e ergueu-se, ficando de joelhos no sofá, enquanto eu deitava a cabeça sobre o abdômen do mais novo e já esperava com a língua pra fora tocar seu membro.

 

KangIn segurava minha cintura apertando fortemente às vezes estapeando minha bunda, toda vez que ele fazia isso e empurrava seu quadril na minha direção fingindo uma penetração, eu não conseguia evitar fechar os olhos e morder os lábios.

 

E assim se iniciou aquele sexo grupal.

 

KangIn me fodia com rapidez e força, levando-me as portas do paraíso a cada investida, SiWon havia achado seu próprio ritmo e se enfiava na minha boca hora rápido, hora devagar.

 

Querendo testar a reação dele acabei mordendo sem muita força seu membro e ele de imediato parou soltando um palavrão. Me coloquei a rir.

 

- Você gostou?

 

- Não, isso machuca!

 

- Então me bate e diz pra fazer direito.

 

- E-eu... Não.

 

- Vou continuar te mordendo.

 

- Aish...

 

E mais uma vez o mordi.

 

SiWon era muito inocente ainda, tinha que fazer ele perder a cabeça.

Na quinta mordida, ele finalmente cedeu e me deu um tapa na cara sem muita força, era pouco, eu queria mais! Ousei morder pela sexta vez e agora mais forte.

 

- Yaaah! Para com isso caralho!

 

Sua mão puxou meu cabelo com força, fazendo com que minha cabeça fosse pra trás, gargalhei adorando. KangIn cravava as unhas nos meus quadris e mordia meus ombros, havia voltado a uma velocidade mais leve evitando o orgasmo.

 

- Me fode com força KangIn- ah – Levantei o tronco abandonando o membro que chupava – Eu gosto com força.

 

Encontrei seus olhos por sobre o ombro.

 

- É uma droga que eu tenha que te dividir. Agora é a vez de DongHae. – Beijou minha boca, segurando meu pescoço, forçando um contato mais intenso, apenas quando acabou com meu folego que fui solto.

 

Lambi os lábios olhando-o.

 

- Você é uma puta mesmo e das boas.

 

- Obrigado – Sorri meigo.

 

- HeeChulie, que tal uma DP? – LeeTeuk sugeriu.

 

- Eu não quero ficar alargado, mas se for os nossos dois mais novos acho que não tem problema. – Fiquei sobre os joelhos no meio do sofá.

 

- Não vai ser um problema. - Disse terminando de colocar a camisinha no menor.

 

Ele era uma graça.

Estava todo vermelhinho pela excitação e pela timidez.

 

- Vem Hae, eu já estava com saudades. – Estendi meu braço.

 

Coloquei Hae na minha frente e SiWon atrás, os dois tão próximos de mim que mais um pouco nos fundiríamos. Peguei o membro de SiWon que era maior e coloquei primeiro, seus braços foram pra trás dando equilíbrio ao corpo inclinado pra frente.

 

Fui achando lugar para Hae e deixando deslizar pra dentro devagar, eu não era tão fã de dupla penetração, porque obviamente era bom alargar um viado, porém ser alargado não.

 

Com uma paciência que não me pertencia consegui acomodar os dois no meu canal e mal acreditei, estava tão preenchido. Segurei nos ombros de Hae buscando apoio pra me mover.

 

- Espera um minuto Chulie – Parei na mesma hora sem me mexer enquanto LeeTeuk revirava os bolsos de sua calça jogada.

 

- Vai me fotografar seu safado? Não acha que já tem material demais pra suas punhetas solitárias? – Falei sério e ele riu – Vocês não se importam ne? Não vai mostrar nossos rostos. Nenhum deles se opôs.

 

- Já tirei.

 

- Hyung.... Preciso me mexer – SiWon quase suplicou segurando abaixo das minhas nádegas – É muita tortura.

 

- Pedindo assim o Hyung deixa.

 

Deitei o corpo no peito dele e enlacei seu pescoço, segurando sua nuca, só que daquele jeito não conseguiria me mover, bufei.

 

- Teukkie me ajudaa! Como faz isso?

 

- Aish, que tipo de prostituto é você? – Zombou de mim e eu quase pulei pra bater nele – Desse jeito não tem como, eles não tem força pra te erguer.

 

Ele afastou a mesinha de centro de perto do sofá e puxou o tapete felpudo pra mais perto, colocou o menor deitado no chão, falou pra que eu ficasse de quatro por cima dele e SiWon ficasse ajoelhado atrás de mim.

 

- Agora eu entendi. – Rebolei em cima do menor e sorri – Wonnie, enfia em mim.

 

Quando ele estava completamente dentro, peguei o outro membro e o coloquei junto, sentado sobre o quadril de Hae com as mãos espalmadas em sua barriga, comecei a me mover.

 

O maior inclinava mais o quadril para que seu membro ficasse em pé e não saísse com facilidade, logo criava minha própria velocidade e rebolava circulando o quadril sobre ambos, os gemidos graves se fazendo ouvir.

 

A sensação dos dois me dando prazer era demais, meus olhos não deixavam o rosto de DongHae, ele parecia delirar e seu prazer devia estar sendo maior que o meu. Sensível do jeito que parecia ser. Seu braço tentava cobrir a face, mas eu o retirava.

 

Abaixei mais o corpo colando meu peito ao do menor, meus braços ao redor do rosto dele, fiz contato visual com ele e o mesmo fechou os olhos tentando se cobrir novamente.

 

Coloquei meus braços na altura de seus ombros impedindo que suas mãos chegassem até o rosto, ele soltou um resmungo de desanimo. Aquela carinha me seduzindo, tinha vontade de morde-lo inteiro.

 

Estiquei o rosto até o pescoço alvo dele, rocei o nariz na pele macia e incrivelmente cheirosa, abri a boca observando seu Pomo de Adão subir e descer a cada gemido arrastado e prendi meus lábios no local.

 

Chupei a tez deixando marcas  por todo lado, manchas avermelhadas e riscos finos que meus dentes faziam, estava imerso no que fazia que mantive meus olhos fechados. Os sons de aprovação que ouvia agora eram mais altos e urgentes.

 

Levantei a cabeça respirando pesadamente e quando voltei minha boca encontrou outra boca, as mãos dele sobre minhas orelhas, forçando meus movimentos. Nos beijávamos como se não houvesse amanhã, ele estava entregue a mim tanto quanto eu a ele.

 

Senti uma mão segurar meu ombro e abri os olhos tomando um pequeno susto, sem me mover apenas senti SiWon segurar meu pênis e seu polegar pairar sobre meu ponto sensível.

 

Hae ainda me beijava com devoção, seus lábios descendo pela lateral do meu pescoço, aquilo era muito bom, aquele garoto estava sendo um problema.

 

- Aish! Você está me fazendo perder a cabeça garoto! – Levantei um pouco o corpo, e puxei-o pelos cabelos.

 

Ele estava sorrindo.

Mostrando aqueles dentes alinhados e branquinhos, um charme.

 

- Seu diabinho! – Mordi o mamilo dele e o soltei.

 

- A-ah... Hyung malvado.

 

- Yah... Inacreditável.

 

- Hyung... – A voz de SiWon foi um alerta para o ponto que ele se encontrava.

 

- O que foi Wonnie? – Voltei a rebolar de forma vagarosa fazendo os dois gemerem alto.

 

- E-eu... Aigooo...

 

- Goza dentro... Não se segure.

 

Visto que os dois já alcançavam seus ápices, sentei-me sobre eles e comecei a cavalgar com vontade, jogava minha cabeça pra trás fazendo meus cabelos balançarem de um lado para o outro.

 

Tinha meu indicador na boca, chupava o digito enquanto minha outra mão estava sobre a mão de SiWon em meu membro. Contrai meu canal e aquilo foi o suficiente para que eles finalmente gozassem, SiWon abafou seu gemido mordendo minhas costas e aquele maldito cavalo tinha mordido forte.

 

Gemi com a dor e voltei minhas mãos sobre o peito de Hae, que estava absorto em seu próprio prazer apertando minhas coxas. Eu nem precisava de um espelho pra ter noção que devia estar todo avermelhado, visto que eu era bem branco.

 

SiWon retirou-se primeiro e levantou em seguida, levei minha mão até o membro do menor, retirando-o eu mesmo e deslizei para o lado dando-o espaço para se levantar.

 

Assim que ele ficou em pé, fez menção em me ajudar a levantar, mas KangIn o parou.

 

- Preciso de ajuda Chulie Hyung.

 

E eu nem pensei duas vezes antes de engatinhar até a poltrona, onde ele estava sentado de pernas abertas se masturbando. Fiquei sobre os joelhos e espalmei as mãos em suas coxas.

 

- Abre a boca.

 

Obedeci.

 

Seu polegar passeou pelo meu lábio inferior, roçando sobre a carne rubra, ouvi-o suspirar quando ousei passar a língua no local, tocando seu dedo antes de recolhê-la pra dentro.

 

- Eu adoro a sua boca – Confidenciou com a voz rouca de desejo – É a boca mais gostosa que eu já vi.

 

Sua mão foi para minha nuca e fez força, olhei pra baixo achando a direção e logo voltei a olha-lo, coloquei a língua pra fora novamente e alcancei sua glande. Ele segurou seu membro e assim virei o rosto um pouco de lado pra que ele pudesse ver tudo.

 

Puxei meu cabelo colocando-o atrás da orelha e cobri sua glande, começando a fazer sucções, sua mão foi até meus fios e o prendeu entre os seus dedos. Ele controlava tudo, eu apenas chupava aproveitando pra passar o musculo molhado ao redor, sentindo o gosto amargo do sêmen.

 

Apertei suas coxas com minhas unhas, aumentando a velocidade, fazia questão de chupa-lo até o topo, assim como mais cedo, chupando sua pele. Notando aquilo, ele puxou a pele mais pra baixo, deixando apenas a cabeça exposta, as veias todas saltadas.

 

- Me mostre do que essa boquinha é capaz.

 

Disse deixando que eu me movesse livremente, encostou-se ao estofado e soltou seus braços na lateral do móvel. Se tinha uma coisa que eu fazia muito bem, era aquilo e eu iria mostra-lo.

 

Fechei os olhos e com ele inteiro na boca, comecei a bombea-lo rápido, chupava o topo com força e voltava para a base, deslizando minha língua por seus testículos.

 

Ele praticamente rosnou.

 

Fazia pequenas sucções entre a divisão de seus testículos e membro, voltava lambendo-o, contornando e massageando suas veias. Notei que ele já expelia muito pré-gozo, provavelmente estava se segurando demais.

 

- Deve estar doendo já.... Não é Dongsaeng? – Puxei seu membro de lado, passando a boca por ele – Goza na minha boca, que o Hyung vai cuidar de você.

 

Aumentei a velocidade, minha mão subia e descia sobre ele, sentei-me sobre minhas pernas e ele logo se arrumou na poltrona, voltando a controlar. Aproximou-se mais, sentando na ponta do móvel e segurou minha nuca com a mão esquerda enquanto a outra se mantinha em movimento.

 

Passei a língua sobre os lábios antecipando o que viria.

 

Quando alcançou o clímax colocou apenas a cabeça na minha boca, iria chupar, mas ele queria ver então fiquei parado com a boca aberta. Quando ele terminou me fez engolir tudo.

 

- Isso Hyung... Agora limpa essa sujeira que você fez. – Sorrindo safado lambi seu membro, limpando os vestígios de sêmen.

 

Ele segurava o pênis que já amolecia e eu supostamente precisava apenas lambe-lo pra limpar, porém não me aguentei e o cobri novamente com a boca, foi quando senti puxarem minha cabeça por trás.

 

E só pelo fato de ser um puxão leve e gentil de quem pedia pra eu parar, sabia que era LeeTeuk. Abri a boca soltando-o e olhei o mais velho de baixo, sorri pra cara que ele fazia e seus braços me levantaram.

 

- Você já acabou com eles.

 

Foi quando olhei em busca dos outros dois e eles já estavam vestidos e deitados no sofá preguiçosamente, KangIn levantou-se vestindo sua roupa rapidamente e eu dei por terminado aquilo.

 

- Felizmente eu ainda tenho você – Sussurrei no ouvido dele, encostei meu quadril na lateral do corpo dele e ele sentiu minha semi ereção.

 

Olhou discretamente pra baixo e sorriu virando o rosto.

 

- Okay. O que acharam garotos? – Teukkie perguntou enquanto vestia sua calça.

 

Sentei na poltrona vestindo minha cueca apenas.

 

- Eu agradeço pela paciência de vocês com a gente! – SiWon o mais polido respondia me olhando, pisquei pra ele.

 

- Hyung realmente cuidou de nós! Obrigado! – DongHae curvou-se.

 

Abri os braços pedindo um contato antes dele ir embora, afinal não sabia se o veria novamente alguma vez. Ele se aproximou e me beijou no rosto abraçando-me.

 

Teukkie deu um cartão para cada um e os levou até a porta, despedi-me deles e corri, ficando de joelhos no sofá esperando. Quando ouvi a porta fechar e vi o mais velho aparecer, sorri meigo em sua direção.

 

- Oppa! Eu estou me sentindo muito quente...

 

- Ah, HeeChul-ah...

 

- É bem aqui no meio Oppa... – Fazia um biquinho como se explicasse algo complicado, levando a mão na frente da virilha.

 

- Oppa vai cuidar bem de você.

 

Vi suas covinhas apareceram e sorri cúmplice.

A noite ainda continua.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Nunca nem vi.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...