História Careless - Capítulo 5


Visualizações 25
Palavras 2.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


oe. :)

Eu demorei muito pra voltar a postar, mas e porquê eu andei tendo uns problemas e tauls.

Mas voltei. :)

Capítulo 5 - Três Espiãs Demais


Fanfic / Fanfiction Careless - Capítulo 5 - Três Espiãs Demais

— Corre, Angel, senão a gente não vai ver! — falei empurrando ela. 

— Calma, Hope, a minha mochila ta pesada! — Angel tentou avançar o passo.

Quase no fim da aula de biologia eu recebo a mensagem de Venus falando que tinha uma turma na quadra de basquete e que os caras estavam entrando nos vestiários pra tomarem uma ducha e voltarem pra sala. Nós precisávamos ver aquilo.

Quando estávamos perto, avistamos Venus nos chamando na porta do ginásio.

— Eles já saíram? — perguntei à Venus.

— Não, vão sair daqui a pouco. Melhor vocês entrarem logo.

— Mas nós não temos tempo, nós estávamos na aula de Biologia. — respondo.

— Já ta no fim da aula. Entrem logo! — Venus briga conosco.

Angel e eu entramos no ginásio e nos escondendo atrás das arquibancadas, e bem nessa hora eles começaram a sair do vestiário, sem camisa e com uma toalha no pescoço. Que visão linda. Eles conseguiam ser mais bonitos até que nossos amigos.

— Cara, que pedaço de mal caminho. — falei baixinho cutucando Angel.

— O estrago que eu faria com esses filhos de Afrodite, me engravida. — Venus falou como se estivesse conversando com um deles. 

— Pega. — um deles jogou a toalha para o outro.

— Pega eu, meu bem, pega. — Angel nos fez rir. 

Nós ficamos ali por mais alguns segundos e decidimos que era melhor nós voltarmos para nossas salas mesmo atrasadas. 

— Melhor nós…

— Oi, Três Espiãs Demais, Jerry mandou vocês? — levamos um susto quando Blake praticamente gritou e toda a atenção do ginásio foi voltada para nós.

Ele estava com o cabelo molhado, o que me levou a crer que era a turma dele. 

— Venus, você não disse que era a turma do Blake! — reclamei com os dentes cerrados.

— Se eu falasse você não ia vir! — ela respondeu da mesma forma

Todos o meninos começaram a se aproximar perguntando quem éramos nós.

— Puta merda, o Daisuke ta ali. — Angel choramingou. Eu sei que ela queria passar uma boa aparência pra recém conquista dela. 

— Vocês vão ficar aqui para todo mundo ver a carinha de vocês. — Blake riu.

No mesmo momento nós levantamos para correr, já que nós estávamos perto da saída. As meninas conseguiram, mas eu fui puxada pela minha mochila.

— Pode ficar aí. — Blake me atentou. As meninas não conseguiram voltar, já que tinha um monitor passando no momento.

— Solta, Blake! Ou você quer ficar sem filhos? — relembrei ele de ontem.

— Você não vai… abaixa! — Blake praticamente se jogou em cima de mim atrás da arquibancada. 

— Olha aqui, eu vou… — Blake tampou minha boca.

— O treinador ta vindo pra cá, fica quieta. — ele cochichou perto do meu ouvido. 

Fiquei calada e o treinador começou a perguntar para os outros meninos o que tinha acontecido, eu queria era sair dali.

— E pensar que ontem a gente tava na mesma posição, em, Hope? — Blake colocou malícia no meio. 

Eu consegui virar ele e subir por cima dele. 

— Olha, aqui, Blake! Não vai pensando que eu vou ter algo com você, só nos seus sonhos mesmo!

— Eu nunca que ia ter algo com você, Hope, tu é loira. — ele ironizou a cor do meu cabelo.

— Eu vou te socar…

Ouvimos alguém dar um chute na arquibancada e olha entre os bancos.

— Cala a boca, vocês querem ser pegos? — um dos amigos do Blake brigou conosco.

Comecei a fazer demonstrações com a mão de como eu ia estrangular Blake e ele prendeu a risada. Ameacei dar um soco na área preciosa dele e ele franziu a testa falando um “vai se fuder” sem som.

O treinador saiu do ginásio depois de um tempo falando que ia atrás de Blake, eu não sei porquê já que a aula dele tinha terminado. Saí de trás da arquibancada socando Blake sem parar e ele dando umas risadas cínicas.

— Quase fode meu óculos me derrubando! — reclamei. Os amigos dele riram de nós. — Vocês também vão se fuder, eu odeio todos vocês, seus lixos! 

Saí do ginásio ouvindo comentários dos meninos falando que eu era engraçada até com raiva, malditos sejam. Corri tentando não chamar atenção, atravessei o pátio principal e entrei no prédio onde estava a sala de matemática. A porta estava fechada e eu sabia que ia levar uma bronca por ter chegado atrasada. 

— Merda. — xinguei já pensando no quanto eu ia ouvir daquele professor.

— E aí, Hope! 

— Puta que me pariu, Blake! — falei alto me virando pra trás encarando-o colocando os óculos. 

— O que que foi?! — ele perguntou em entender. 

— Para de me seguir, é sério! Ontem eu quase te deixo sem bolas! — falei com a voz rasgada.

— Que menina estressada, meu pai. — ele passou por mim parando na porta da sala de matemática. — E eu não tava te seguindo, gênio. Agora também é minha aula de matemática.

— Mas o que? — perguntei confusa.

Eu vou trocar essa grade de horários hoje.

Blake deu dois toques na porta e o nosso professor abriu a porta. 

— Demorou, não é, Blake? — ele ironizou. Virou o olhar pra mim e sorriu. — Estava com a namorada?

— Eu não… — Blake tampou minha boca.

— Pois é. Sabe como é, né, Tom? Tem que dar um jeito nessas meninas de vez em quando. — mordi a mão dele. — Calma, amor. — ele continuou com a mão lá.

Como ele não tirou a mão com uma mordida dessa?

— É isso mesmo, garoto. — o nojento do professor deu risada. — Podem entrar. 

— Vamos, amor. — Blake tirou a mão da minha boca e passou o braço por cima dos meus ombros. 

Só não dei um surto ali porque estava dando certo. 

— Nossa, olha quem ta namorando com o Blake. Hmm, apoio. 

— Cala a boca, Abigail. — me soltei de Blake, deixando ele com marcas no braço pelo aperto que eu dei, e caminhei até minha cadeira.

Como eu detestava essa menina. De todos nessa escola, ela era nível insuportável. 

Ela não era nossa amiga, nós nem gostávamos dela, mas ela entrava de penetra em quase todas as nossas saídas. Ela só não saiu conosco porque nós não temos o contato dela e nem ela o nosso.

Infelizmente eu tive que me sentar ao lado dela, era o único lugar vago. Meio óbvio já que ela enchia o saco de todos. Ela era uma garota comum, mas era muito inconveniente e gostava de opinar onde ninguém queria a opinião dela.

— Hmm, você e o Blake, em…

— Abigail, para, eu não gosto dele! — falei irritada.

— Eu acho o Blake lindo. — ela encarou Blake que estava escrevendo em seu caderno. 

— Engole ele, Abigail. — peguei meu caderno. 

— Vou falar com ele hoje. O que você me recomenda fazer pra conquistar ele?

— Abigail, eu to copiando. — suspirei me controlando.

— Você acha que eu devia ser ousada ou certinha?

— Abigail. — fiz ela se calar. Se ela falar mais uma vez nada do que um socão no meio da cara não resolva. Felizmente ela calou a boca e me deixou estudar em paz — se é que eu estava estudando, eu não era fã de matemática. 

No fim da aula, eu estava arrumando meu materiais para ir embora quando o professor me chama na mesa dele. Lá vem merda. 

— Sim. — pergunto fria.

— Hope, você não melhorou do ano passado, não é? — ele perguntou. 

— Sr.Mitchell, eu não gosto de exatas. Eu me esforço ao máximo, e olha só, eu to passando. — me expliquei.

— Você tira só C nas notas finais. — me explicou mostrando meu dever. Eu tinha tirado a metade da nota do dever. 

— São notas ótimas. — destaquei. Meu forte nunca foi exatas.

— Me preocupa. Você é muito inteligente em humanas e línguas, mas em exatas você continua com as mesmas notas. Se continuar assim, vai perder vaga nas faculdades.

— Professor, o senhor só tem que me dar aula…

— Eu te inscrevi no grupo de estudos de matemática. Segunda você começa.  

— O que?! — perguntei indignada. — Que horário é essa palhaçada? — era melhor eu não contestar. 

— Das duas às três. É apenas uma hora, Hope. — ele me deu um papel. — O tutor já sabe que você está no grupo dela, nem ouse faltar. Era só isso.

Sorri cínica pra ele e fui direto para o corredor resmungando.

— “Você é muito inteligente em humanas e línguas, mas em exatas você é ruim” — resmunguei. — Va te faire foutre! — gritei um “vai te fuder” em francês. Ninguém ia entender mesmo. 

Fui chutando o vento emburrada até o estacionamento na intenção de esperar meu ônibus. Maldito seja esse professor, espero que arranhem o carro dele hoje. De longe eu avistei minhas amigas, Kyle, e Hideki.

Santa cavalinha, eu tinha esquecido de ontem e as fotos que ele me mandou, sem contar que eu ainda estava com o anel dele. Como eu ia encarar ele sem lembrar que vi ele sem roupa? Assim não dá. O pior é que eu ainda nem apaguei as fotos.

— Finalmente, Hope. — Venus reclamou. 

— Onde você tava? Você é a primeira a chegar. 

— O professor me atrasou. — expliquei e olhei para Hideki que sorria de canto. — Oi, Hideki. Seu anel. 

— Oi, Hope. — ele riu pegando seu anel eu acompanhei na risada. Pelo menos ele encarava como uma coisa engraçada, eu ainda estava assustada.

— Do que vocês estão rindo? — Angel perguntou nos olhando maliciosa.

— Olha, o Blake. — Hideki apontou para atrás de mim.

Blake vinha fazendo uma cara estranha e de surpresa.

— Que foi, Blake? — Kyle perguntou.

— Abigail veio com um papo esquisito de nós sairmos.

— Você aceitou? — Hideki perguntou rindo.

— Eu corri. — dessa vez até eu ri. Todo mundo fugia dela. 

Blake me olhou sorrindo muito largo, até assustei com aquele demônio.

— Fiquei sabendo que a loirinha vai ter que entrar no grupo de estudos de matemática. — ele me encheu o saco. 

— Para de cuidar da minha vida, por gentileza. — sorri ironicamente. Intrometido do caralho.

— As meninas dizem que o tutor é gatão, vai que você cai no charme dele. — insinuou.

— Eu em. — fiz cara de nojo. 

— Ah, seu irmão falou para nos encontrarmos com ele num salão de festas. Ele quer decidir onde vai ser o casamento. — Hideki se lembrou.

— Ethan não decide nada sozinho? — pergunto a mim mesma abrindo a porta do carro de Hideki. Eu pedi para Angel ir ao lado de Blake para evitar que ele me enchesse o saco, já não basta o que eu passei hoje.

Hideki nos levou até um salão onde o carro da minha mãe estava estacionado. Seria bom se nós tivéssemos olhado só esse salão, meu irmão nos fez olhar mais cinco só naquela tarde para ele concluir que tinha gostado do primeiro. Eu quis bater nele até ele chorar, Ethan era mais indeciso que mulher quando vê liquidação.

Nós acabamos voltando para casa às oito da noite. Hideki parou na porta da minha casa, falei para as meninas entrarem também.

— Ei, vocês vão pra casa do Blake mais tarde, né? — Hideki perguntou.

— Ah, é, hoje é sexta. — eu dei um tapa na testa. 

Eu tinha esquecido que sexta a noite nós íamos para casa do Blake jogar e conversar sobre a escola.

— Hideki, você pode voltar aqui e passar na nossa casa? — Venus pediu.

— Eu vou começar a cobrar, vocês acham que eu sou Uber? — perguntou.

— Por favor. — Venus fez bico. 

— Aff, ta bom. — respondeu ligando o carro. — Até mais tarde. 

Acenamos para ele e entramos em casa. Ethan estava no sofá brincando com a Chloe e eu não pude deixar de dar um beijo neles, eu os amava demais. Subimos para o meu quarto para eu arrumar minhas coisas para ir passar o final de semana com meu pai. 

Meu pai e minha mãe eram separados e por isso eu tinha meio que uma guarda compartilhada, isso até eu entrar na faculdade. Eu poderia ter escolhido não ter convivência com meu pai desde o ano passado, mas eu preferi ir ver ele. Ele sentia minha falta.

—  Você vai odiar, né? — Venus perguntou sentando em minha cama.

— Como sempre. — ela não estava falando de eu ir para casa do meu pai e sim de ele ser vizinho de Blake.

Blake nasceu para ser meu inferno.

— Será que essa noite ele vai levar mais meninas pra casa dele? — Angel perguntou me entregando uma mochila fazia que eu tinha para carregar roupa.

— Blake sempre leva, né? Infelizmente, a janela do quarto dele fica virada para a minha. É muita perseguição. — comentei bufando e socando uma roupa na minha mochila. Coloquei outras coisas de higiene pessoal que eu ia precisar na casa do meu pai.

— Vocês não eram amigos quando crianças? — Venus perguntou pegando meus óculos e provando ele.

— Não exatamente, a gente brincava junto, mas ele ainda me enchia o saco. Desde os meus nove anos eu conheço o Blake. 

Eu conheço o Blake há mais tempo que os outros, mas eu nunca fui com a cara dele. Foi no ensino médio que entrei para a a Troy High School e conheci os outros, mas Blake também entrou. E por mais que eu tivesse implorado para não colocarem Blake no nosso grupinho, eles gostava de Blake.

— Chega, não aguento ficar muito tempo com seus óculos. — Venus tirou meus óculos lacrimejando.

— Ninguém mandou. — eu ri dela enxugando as lágrimas. 

— Ah, eu esqueci de contar pra vocês. — Angel começou. — Daisuke pegou meu número. Nós vamos casar.

— Com quem? — Venus perguntou curiosa.

— Eu não sei, mas ele pegou. — Angel falou sorridente. — A gente vai casar e ter três filhos. — ela fingiu choro. 

— Ele não parece sombrio? — pergunto rindo. 

— Ele é, por isso gosto dele. É o príncipe das trevas, cara. — Angel falou empolgada.

Eu não sei por que ela gostava desses caras muito fechados.

— Ele nunca sorri, mas é muito lindo. — Venus comentou. 

— Tira o olho, falsa! — Angel falou alto. 

— Eu já tenho crush, minha querida!

— Hmm, e quem seria, Venus? — perguntei sentando ao lado dela.

— Pra falar a verdade, não é um crush, ta mais pra um interesse.

— Quem, Venus? — questiono curiosa.

— Hideki. — ela respondeu rindo. 

No mesmo momento lembrei que eu tinha que apagar as fotos que ele tinha me mandado antes de eu ir para a casa do meu pai.

— Puta merda! — me alterei pegando meu celular e indo direto na galeria. 

Mas tive uma bela surpresa quando abri a galeria…


Notas Finais


Não esqueçam de comentar o que acharam e de favoritarem :)

Até depois!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...