1. Spirit Fanfics >
  2. Carnaval Xe-Xé-Nhe-Nhém (de Helenas à Porcina) >
  3. O Quinto Pecado Bege

História Carnaval Xe-Xé-Nhe-Nhém (de Helenas à Porcina) - Capítulo 43


Escrita por: PorcinaBemAmada

Notas do Autor


Como não tinha de ser: Roamnce instalado e ...pecado começado.
Eles ...agora é a vez deles e por minha opinião: merecidos!
Começando com Helena Viana e Edu, terminando hoje com o quarto bege de Atilio e Maria do Carmo!
Lindaaa! Lindosss!!

Capítulo 43 - O Quinto Pecado Bege


Fanfic / Fanfiction Carnaval Xe-Xé-Nhe-Nhém (de Helenas à Porcina) - Capítulo 43 - O Quinto Pecado Bege

Edu agora estavam na cintura de Helena, dançavam como namorados e …fingiram pra sí mesmo que ela era a mulher dele e ele o homem dela.  

E linda como era, é e sempre será, Helena Viana alí, dando liberdade aos seus principais sentimentos, liberando seus mais sexys hormonio, pulsando seu mais romantico coração, vivendo o seu mais intenso relaconamento. Sim, relacionamento de uma festa, um momento mas….era o seu incrivel momento!! Se Porcina voltava a dançar e a esquecer tudo o que aconteceu, se Carlos criava na cabeça mais fantasias e tentava disfarçar enquanto dançava com a mulher, Helena e Edu estavam prontos para um mundo somente deles. E alí ficariam por 1 música…2…3…4..5 músicas sem se desgrudarem, sem o mundo ao redor, nem as vezes ouviam de Atilio chamando de longe para beberm um vinho, chamous…olhou, chamou tanto que desistiu, pensou que estavam num papoo tão bom que entendeu que alí era o lugar dos dois. E sim, lá era o lugar de qualquer parte do mundo !

Edu fez uma pergunta interessante à Helena que a fez responder cautelosamente e a deixou pensativa:

- Helena , eu preciso..preciso  te perguntar uma coisa: voce com Atilio são …fazem, como nós fizemos lá dentro daquele quarto, em cima daquela pia?   ( Helena demorou uns 2 min para responder enquanto Edu não tirava os olhos dela aguardando ..)

- Humm, pergunta difícil, me deixou encabulada mas voiu responder: sim! Algumas vezes, raras, mas isso as vezes acontece. Ultimamente de alguns anos pra cá…só quando ele bebe.

- Alguns anos? Helena! Isso é muito tempo! Como que uma mulher assim…

- Assim….?   ( Olhou nos olhos de Edu lá no fundo,e dobrou a cabeça p/lado)

- Assim..assim  fogosa, gostooooosa, digo: deliciosa, aguenta tanto tempo não ter uma..pegada como você merece, beijos..abraços, olho no olho , bobagem no ouvido como voce merece!?!

- Edu..quando temos um relacionamento mais estavel, vamos cedendo alguns gostos, algumas vontade e deixamos de lado quem somos, o que queremos. Por respeito, pra evitar briga. Eterno ceder-se!

-Ahh mas voce pode evitar briga, ter respeito e …ter um sexo caliente! Porque isso..não me falta.

- Ah não? Não te falta? Então porque voce está olhando nos olhos, está coms os pêlos ( muuitos pêlos, eu diria até uma Floresta Amazônica), arrepiados perto de mim?

- Porque não importa a mulher que eu tenha, voce é outra mulher incrivel que agora eu tenho!

Isso soou tãooo romantico aos ouvid de Helena Viana,ela se sentou tão dele…tão próxima, como se eles já fizessem parte, como se eles já se possuíssem. Então Helena ficou muda, calada, coração saltitante e respondeu:

- Eu sou feliz com o Atilio da forma que somos, mas agora eu sou completamente  feliz por conhecer uma pessoa como você! Edu, voce me deu alegria, voce me fez redescobrir quem eu um dia fui, voce me deu vontade de usar roupas coloridas e não mais nudes, terninhos. Voce me fez querer usar turbantes, laços no cabelo…..

- Opaaa!! Calma aí, já já voce vai falar que eu peguei a Porcina  e te contaminei!! Há-há-há

- Háááhaha e que ela não ouça voce me chamar de “fogosa”, apelido carinhoso concedido por Asa Branca, padres, sacristia,  Brasil todinhooo!! Há-há-há!!

E deram risada, risada gostosa, risada de amigos, de velhos conhecidos! Era a última noite dos dois? Então a dúvida só lhes restava uma saída: aproveitar mais um pouquinho. E ficaram lá, dançando..dançando..não precisavam mais sair por aí buscando qualquer outro par,eles eram “o par” e isso…liberou o Atilio e liberou Maria do Carmo que….

Estavam lá, cansados, parados agora na mureta em frente a fonte, batendo papo com Sinhozinho que estava todo encanado após ver Porcina sair do quarto e até esquecera de Helena que estivera dentro do quarto com ele mas agora estava com o marido. DE mulher lhe restara agora quem ele mais temia querer e gostar: Malu. Ali, toda com álcool na cabeça, cantando “Fascinação” em voz contrauto, piscando p/Atilio ironizando  o momento do “beijo a tres” com Elis ( ler “Entrelinhas”, Historia 2 já publicada em 1 capitulo único),  e Malu…apenas estava com seu fogo aceso e queria mais. Já teria se esbaldado com Atilio anntes, mas precisava de mais.

Malu encontrara tantos pares desinteressantes ao nível da mulher que era, tão parecidos com seus ideias que se olhava como num espelho quando estava na cama com eles, que isso se tornou…chato para ela. Ela queria mais. E o que era diferente, “mais”? O oposto! Quem era o oposto? O macho alpha do Sinhozinho Malta! E essa era exatamente a conversa que estava rolando no momento entre ela, Malta, Atilio e Maria do Carmo.

O ânimo estava alterado, ela desabafava brava com malta que se impunha “machamente “ com ela. Um não dobrava o outro! E Malta…gostava desse tipo de mulher , no fundo ele gostava dessas exóticas, únicas. E alí um sentimento de intomidade em meio a briga….vai crescendo. E crescendo o meio das pernas de Malta também! Mas conto outro dia o que rolou dessas discussão dos dois…

Enquanto isso, evitando um bafa-fá, Maria do Carmo e Atilio se afastaram para o oitro lado da fonte. Estava Maria do Carmo alí massageando os ombros de Atilio que para irritar, pegou na mão dela e abaixou para seu peito e riu:

- Põe a maozinha mais pra baixo..põe. E mais..mais pra baixo

- Creeeedo! Páraaaa! Vou parar de fazer massagem se voce não parar com essas brincadeiras, já viu o que aconteceu lá na escada!

- Está tudo sob controle, a Helena já se convenceu de que voce não faz o meu tipo!

- Não? Não faço o seu tipo? ( Levantou assustada da mureta meio decepcionada também, é chato ouvir isso!) – Como assim não faço o seu tipo?

- Ah porque, quer fazer? Eu mudo e faço voce ser meu tipo agora!  ( riu Atilio apontando o colo para ela se sentar)

- Atilio eu tô fazendo uma pergunta séria, voce só ironiza! Que saco!

- Eu tô brincaaaando! Voce faz meu tipo …mais ou menos. Meu tipo é a Helena mesmo, o que eu sempre sonhei, mulher ideal e tudo que é ideal, é irreal. Ela me deu decepção profunda, marcas, já perdoei mas não esqueci e essa sombra vai ficar as vezes como uma onda no mar: vem trazendo conchinhas, estrelas do mar…mas volta levando as conchinhas  pisadas na areia, as estrelas quebradas na praia, o lixo… mas não deixa de ser uma onde bonita, fresca, romantica. E você já é aquela mulher: do jeito que nasceu, é, sincerona, diretona, sem nuvens escuras,sem máscaras, grosseira como nasceu e ficará, perfume forte Channel 5, marcante e enjoativo as vezes mas com um fogo imenso, vomtade de ousar, de ser mais, criativa, quente, legal, engraçada, dedicada, parceira…

 O coração de Maria do Carmo já estava ficando amolecido..as palavras de Atilio, os olhos do garanhão, a voz suave, Atilio já estava pegando nas mãos de Maria como um amigo, como um confidente ganhando a sua confiança e ela…começou a desejar ouvir mais, ter mais e até..beijar mais , mais do que o beijo roubado de antes.

Se eu pudesse descrevera a  cara de Maria do Carmo eu diria: com coração nos olhinhos. E Atilio estava como deveria: conquistando a presa . Não parava de elogiar, agora as mãos de Atilio estavam nas pernas de Maria do Carmo e ela…quente do jeito que era, isso foi só uma faísca!

- Voce Maria do Carmo…é o que um homem quer pra ser leve. Dar risada das sua fala caipira, olhar nos seus olhos e sentir confiança de estar ali com uma mulher batalhadora, forte, que vai te ajudar em qualquer momento da vida, que não teria coragem de enganar o marido com segredos, com mentiras, que assume seus erros e segue em frente!

- E o que voce quer fazer com uma mulher como eu, sentada olhando pra voce nessa fonte?

- Te olhar ( e olhou fundo), - Te tocar o rosto  ( e colocou suas mãos no rosco dela), e …te beijar  ( e ele beijo….de lingua enquanto Maria do Carmo ficava imóvel).

E eles se beijaram, Atilio beijo Maria do Carmo que agora queria tanto isso, ela se deixou levar pelo romantismo aventureiro de Atilio, pelo esporte que ele mais gostava: galantear, xavecar!

Enquanto Atilio beijava, pensava em como Maria do Carmo tinha todas aquelas qualidades que ele admirava em uma mulher. Em como Helena poderia ser menos misteriosa, reservada e mais clara, branca, sincera. E então foi um beijo de paixão, de agradeci,ento por Maria do Carmo existir. Fora que ele achava ela um tesão, sempre andando de mimi-saia,  cheia de sangua na veia… Atilio já se imaginava deitando na cama com ela.

Mas por um momento,. sua cabeça estava em Helena dançando com Edu na direção dele , com os ouvidos em malta e Malu ali do outro lado falando alto e agora já estava rindo alto por piadas de Malta  mas …aquele pergume, aquela mulher, era o que agora o estava tirabdo dos outros focod: ele gostou do beijo, não era só mais um xaveco em frente a fonte. Aquela fonte tinha magia, aquela mulher era mágica.  E Viana não estava olhando, então Atilio desceu suas mãos para os seis de Maria do Carmo, fartos, bicos durinhos pelo tesão, prontos a serem lambidos e..serão!

Maria do Carmo já estava em chamas, sua fantasia preta já estava molhando embaixo dos braços e da virilha. Ala queria esse homem, queria ouvir tudo isso denovo no ouvido. Então atrevida, direta, obejtiva, Maria do Carmo pega nas maos de Atilio  e desce até sua saia, rapidamente levanta disfarçando com o quadril e ..coloca as mãos de Atilio dentro da saia e diz?

- Sente, coloca os dedos na mina carminha e sente como estou molhada!

 Atilio com cara de safado enfia um dedinho na carminha de Maria do Carmo e sente a umidade e estava quente, molhada, pegando fogo e ele morde o lábio dela, tira os dedos  e lambe. Aque safados! Que calor!

Maria do Carmo objetiva que era,nem esperou para passar a mão no meio das pernas de Atilio, ela só olhou pra baixo  eviu o  o volume, a rigidez e olho para ele, lambeu os lábios e se levantou. Puxou Atilio pelo braço e ….foi andando na frente até um quarto bege, deveria ser o vermelho mas…a faxineira estava limpando os dois quartos usados por Porcina de um lado e Malta de outro.

Maria do Carmo com seu salto preto bico fino e paetês, leva Atilio em direção ao quarto, estava escorrendo pelas pernas de tão molhada…e Atilio vai de pênis duro apontando para frente, coloca a mão pra disfarçar e ..agora era o momento deles, únicos, donos da festa, tão difíceis mas tão..parceiros mas agora..de paixão, de pele, de corpo, de carne…e a porta se abre, Maria do Carmo fica de frente pra Atilio e pede pra ele repetir as mesmas palavras. Ele repete, ela joga o salto longe  e agarra a gola da camisa da fantasia de  Atilio e o manda :

- Morde meu pescoço e diz que sou sua !


Notas Finais


E vamos olhar pela fechadura esses dois?
Ela era o que Atilio queria mesmo? E ele? Sedutor nato.. irremediável! Mas ainda acredito no casal Atilena ou..Edulena? Mas quero só espiar essa dupla dinâmica, cara-metade na parceria, no romantismo lindo, no fooogoo!
Amanaha de noitinha tem mais.
ATENÇAO: Sabado e Domingo não será postado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...