História Carpe Diem - Capítulo 17


Escrita por:

Visualizações 2
Palavras 1.951
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura 😊

Capítulo 17 - Unicórnio


Tobias

-Eles são tão fofinhos.- a voz de Nolan soa próximo a mim.- Dá vontade de enfiar os dois dentro de um pote e encher de glitter, o que acham?

-Acho que você é estranho.- consigo ouvir a risada de outras pessoas quando Thaís se pronuncia.- Não é por nada mas, mesmo que eu goste do Tobias tenho medo que ele machuque a Lou. Ela tem um problema gigantesco com relacionamentos e não quero que ela se machuque mais.

-O Tobias pode ser o que for, e eu posso até dizer que ele não serve para namorar, mas quando ele ama alguém, pode ter certeza que ele fará de tudo, menos magoá-la.- novamente Nolan comenta, dessa vez mais distante de mim.

-Ele é incapaz de machucar quem ama.- dessa vez ouço a voz de Liam, que parece ser o que está mais distante.

Consigo ouvir suspiros em meio ao silêncio que se formou, o que torna o clima mais tenso.

-Tudo que a Thalia desejava, era que o Tobias encontrasse alguém que cuidasse dele, fizesse ele enxergar o mundo de um jeito mais colorido… Desde muito pequeno teve que lidar com um pai ausente e que quando aparecia fazia de tudo para machucar a irmã, também teve que aprender a ser o "homem da casa" com apenas treze anos porque o pai abandonou a família, e tem o desastre que ocorreu ano passado. Apesar de parecer um cara que só vive em festas, bebendo ou até mesmo fechado, que só convive com nós dois, ele passou por muitas coisas que fizeram ele criar um muro contra o amor.- Em meio a fala de Nolan, sinto um nó se formar em minha garganta.- Se ela for a pessoa que vai fazer meu irmão melhorar, então eu vou apoiar, porque sei que ela também precisa de cuidados e o Tobias nunca iria machucar alguém que é importante para sí.

-Você tem razão.- pela primeira vez escuto a voz de Sebastian.- A Lou também precisa aprender o que é o amor. Não que ela não saiba o que é, porque todos nós damos o máximo de afeto, carinho e amor para ela; eu digo no sentido de ter alguém para conversar todos os dias, saber como é ser desejada, poder se sentir aceita consigo mesma. E como o Nolan disse, se ele for a pessoa que vai cuidar da minha princesa, fazer ela se sentir bem, então eu vou apoiar. Confio no Tobias e sei que ele vai cuidar dela.

Após alguns segundos em silêncio, escuto se retirarem do quarto e, enfim, abro meus olhos, podendo pensar em tudo que acabei de ouvir.

Ontem Louise me contou que sua mãe dizia que ninguém nunca iria se apaixonar por ela, e ouvir o que Thaís disse só confirma o que a mesma me contou.

Mesmo que eu tenha lutado contra isso e até negado quando Nolan questionava, sei que estou apaixonado por ela. Louise me fez apaixonar por ela em duas semanas, com seu jeito quieto e delicado, a preocupação que tem pelos amigos, o respeito por tudo e todos, tudo isso me fez querer tê-la para mim, cuidar dela e poder acordar todo dia sabendo que tenho a mulher perfeita comigo.

Olho para o lado e percebo que Louise está deitada no colchão de Sebastian, bem próximo a mim.

Me viro em sua direção, observando cada detalhe de seu rosto e sorrio ao perceber que está abraçando o desenho que lhe dei.

Observo os fios ruivos espalhados pelo travesseiro, as lindas sardas que enfeitam seu rosto e o torna mais belo, o pequeno nariz e as bochechas rosadas, tudo que a compõe é unicamente lindo. 

Enquanto passeio por seu rosto,acabo por descer meu olhar até sua boca, tão bela e chamativa, que parece fazer um convite a mim para provar o sabor que tem.

Suspiro tentando manter esse pensamento longe e decido me levantar, ficar tão próximo dela sem sua autorização pode causar um desconforto por sua parte, o que, com certeza, eu não quero.

Antes de sair do quarto, olho uma última vez para o corpo encolhido em meio as grossas cobertas e sorrio.

------

Louise

Durante a noite, acordei algumas vezes, sempre me esquecia onde estava e quem segurava minha mão.

Me sentia desconfortável na enorme cama de casal, e, por diversas vezes, tentei encontrar a posição que me deixaria confortável, mas nada parecia bom o suficiente. Cheguei a sentir inveja do sono profundo em que todos se encontravam.

Olhei para o relógio em cima da prateleira cinza, e os enormes números verdes indicavam 04:17.

Que droga, estou faminta e  não posso ir na cozinha porque nem sei onde é, e não vou acordar Tobias para isso.

Ao me recordar do garoto, olho para o colchão ao meu lado e sorrio ao ver o rosto sereno do mesmo.

Depois de um tempo, uma imensa vontade de me deitar ao seu lado surgiu, então me levantei com o maior cuidado e pedi para Sebastian trocar de lugar comigo, o que, para ele que nem raciocinava por causa do sono, não foi tarefa difícil.

Assim que me deitei, passei a  observar o rosto do garoto e me questiono se a frase que, sem querer, deixou no ar tinha algum significado.

"Como eu poderia não me apaixonar por você?"

Será possível ele gostar de mim?

Tobias compreende as coisas que passo, pois já viveu tudo isso com sua irmã, então, talvez, ele me trate dessa forma apenas por entender e respeitar minha situação.

Entretanto, quando paro para pensar em uma pessoa ideal para me apaixonar, tudo se relaciona a ele, a forma como trata as pessoas, o respeito pelos amigos, o amor pela família, a maturidade, tudo que o compõe é o que almejo.

Tobias consegue ser um cara social, que toca em uma banda, tem a garota mais bonita da escola ao seu lado e ser o rei das festas, e ao mesmo tempo é calmo, protetor, introvertido, que prefere a família ao invés do tumulto.

Eu o conheço há duas semanas... Duas semanas foi o necessário para que todo meu plano de não me apaixonar por ninguém até minha cirurgia ir por água abaixo, foi o suficiente para encontrar um garoto caído no chão de um banheiro, escutar seus problemas e dias depois, me apaixonar.

Me aproximo de Tobias e entrelaço nossas mãos, percebendo que esse simples toque me causa sensações que jamais provara antes.

Fecho os olhos ao sentir o perfume pelo qual me descobri apaixonada, e agradeço a Deus por me permitir vivenciar isso.

---

Sinto uma movimentação estranha no colchão ao lado, percebo um corpo próximo ao meu e uma respiração contra meu rosto. Sei que se trata de Tobias por conta do cheiro que invade meu nariz.

Mesmo que seja errado, a expectativa crescente de um toque, uma carícia ou até mesmo um beijo, me faz imaginar dezenas de cenários, não durando por mais de segundos já que sinto a respiração se afastar e o colchão ficar vazio.

Okay Louise, você é muito iludida.

Quando abro meus olhos, me deparo com a silhueta de Tobias rente a porta, olhando para mim sorrindo.

-Toma cuidado.- faço-o se assustar e me olhar com o semblante interrogativo, mas ainda sorrindo.

-Com o que?- volta-se para o quarto e se senta na beira da cama.

-Se continuar me olhando desse jeito vai acabar se apaixonando.- sorrio ao ver suas feições de surpresa.

-Está confiante desse jeito mocinha?- apenas afirmo com a cabeça e continuo a sorrir.- Pois então saiba que já me apaixonei.

Abro ainda mais meu sorriso e nego com a cabeça.

-Não brinque com coisas assim…- me sento sobre o colchão, puxando as cobertas para me cobrir.

-Não estou brincando Louise.- meu sorriso começa a se desmanchar quando ouço essas palavras e sinto minhas mão gelarem.- Me apaixonei por você e não pense que estou brincando.

Nesse momento o mundo parecia ter parado de girar, não haviam ruídos, até mesmo o pássaro que cantava animadamente se calou.

Pode parecer exagero de minha parte, mas tudo que já vivi me leva a transformar quatro palavras em uma coisa enorme.

Minha respiração acelera e o corpo treme, fico em Pânico ao lembrar da voz dela ao dizer que nunca seria amada, consigo sentir o aperto de seus dedos em minha pele, o impacto em meu rosto.

-Ei Lou, me desculpe. Eu não deveria ter falado nada, não sabia que iria reagir assim- ouço ao fundo a voz grave de Tobias em um tom preocupado.- desculpa, desculpa...- olho para seu rosto e percebo que seus olhos brilham. Tento me acalmar, suspiro diversas, mas ainda sinto meu corpo estremecer.

Fecho os olhos na tentativa de estabilizar meu corpo, estico meu braço tateando o colchão até encontrar a mão fria e trêmula de Tobias. Entrelaço nossos dedos e, ainda de olhos fechados, me aproximo do garoto, em busca de sentir o conforto que o mesmo me trás.

A mão que não se encontra junta a de Tobias, se vê livre para explorar seu rosto, sentir o suave toque de sua pele morna, e um pequeno arrepio sobe por todo meu corpo quando os curtos fios em seu rosto roçam contra meus dedos.

Lentamente abro os olhos, tendo a visão invadida por um singelo feixe de luz, nada que me impeça de admirar o rosto corado a minha frente.

Observo pequenas cicatrizes em torno de seus lábios, e inconscientemente passo meu polegar por cima dos pequenos riscos esbranquiçados. Encaro os profundos olhos verdes e percebo uma auréola dourada em volta da íris, suas pupilas mudando constantemente de tamanho e o inflar de suas narinas, deixando claro o nervosismo do garoto.

Não posso negar que não estou igual ou até pior que o mesmo. Posso sentir a falta de ar que começa a surgir, as batidas em meu peito aumentarem gradativamente e a vergonha invadir todo o meu corpo.

Ignoro todos os sinais de alerta que meu corpo insiste em dar sobre possíveis ataques, não posso me permitir perder essa oportunidade, essa chance de começar a esquecer o passado e aceitar os presentes do futuro.

Aproximo meu rosto do de Tobias, e posso sentir toda a tensão que se forma em seu corpo quando repentinamente aperta minha mão. Começo a acariciar sua bochecha com a mão que já estava em seu rosto e deixo um simples beijo em sua bochecha.

-Saiba que é mútuo.- sussurro assim que me afasto. Olho para nossas mãos juntas e sorrio.- Pode parecer pouco mas é o máximo que irei conseguir fazer no momento.- subo meu olhar por todo seu tronco até chegar nas órbitas esverdeadas.- Ainda preciso trabalhar sobre isso… sobre me relacionar.- Mesmo que seja impossível, consigo ver seus olhos brilharem quando digo tais palavras.-Saiba que vou te entender caso não queira ficar comigo desse jeito e…

-Não termina essa frase, okay? Estou apaixonado por uma garota perfeita e tudo que ela precisa é que eu espere  e entenda ela. Acha que não vou atender a isso? Quando estiver pronta, eu também estarei.- sinto lágrimas se formarem e me esforço para não chorar. 

Sorrio para Tobias, que retribui prontamente e sem pensar duas vezes me aconchego em um abraço, e faço questão de aspirar todo o cheiro de seu pescoço.

-Não faça isso princesa…- ouço sua voz em tom de brincadeira e sorrio. 

Assim que vou respondê-lo, soa pelo quarto um barulho altíssimo, como o ronronar de um leão.

Começamos a rir ao que percebemos ser minha barriga implorando por alimento.

-Vamos lá princesa.- Tobias se levanta e estende a mão para me ajudar.



Notas Finais


Espero que tenham gostado, comentem o que acharam :)
Até a próxima 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...