1. Spirit Fanfics >
  2. Carry You - Sterek >
  3. Meu coração é seu

História Carry You - Sterek - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


E no feriado a gente faz o que?
Come?
Dorme?
Vive?
Não! A gente se diverte escrevendo Sterek.
Se cuidem, quem puder fique em casa, e aproveitem a leitura.
Esse é o último da semana pq agora tenho que correr atrás do prejuízo.
Bjos e até o próximo.

Capítulo 3 - Meu coração é seu


Eu não sei em que estrada estamos
Não sei para onde estamos indo
Mas eu sei que meu coração é todo seu

(Mixed signals – Ruth B)

 

Quando Derek acorda, seus pensamentos o levam de volta aos carinhos trocados durante a madrugada. Stiles está enrolado entre seus braços. O calor é quase demais para suportar debaixo dos lençóis, mas seus músculos estão relaxados demais para fazer qualquer coisa além de esperar. Ele volta a colocar o nariz nos cabelos de Stiles, sentindo seu cheiro limpo e a textura suave dos fios em contato com sua pele. Solta um suspiro satisfeito e tenta conter um sorriso, sentindo-se como um idiota por ter reações tão humanas e adolescentes quando está com Stiles. Talvez tivesse o direito de se sentir assim. Era mais jovem do que todos imaginavam e por diversas vezes sentiu falta daquele tipo de contato, mas nunca se achou merecedor de voltar a se sentir tão bem.

Ele beija a nuca do garoto, tentando acordá-lo, mas ao contrário do que esperava, Stiles apenas se aconchegou mais em seus braços com os pelos arrepiados pelo carinho que recebeu. 

-Stiles, acorda. Seu pai vai acordar daqui a pouco. Não acho que ele goste muito de nos ver assim. – Tenta se levantar, mas é impedido pelas mãos de Stiles apertando as suas. 

-Fica. A porta está trancada. Eu tô com sono. Volta aqui. 

E como se não pudesse resistir, Derek volta a deitar, envolvendo o adolescente em seus braços, se acomodando para que possa voltar a dormir.

                        …

Stiles acorda com batidas fortes em sua porta. Demora um pouco para se situar, logo sentindo falta do corpo quente e musculoso que deveria estar atrás do seu. Ele virou, ainda de olhos fechados, tateando, mas se dá por vencido ao perceber o espaço já frio. 

-Já tô indo. – Ele grita, enquanto se esforça para se levantar 

Faz todo seu ritual de higiene mecanicamente e desce as escadas lentamente, em direção ao barulho na cozinha.

Antes de chegar lá, ele é surpreendido pelo impacto de um tapa em suas costas. Embora o susto tenha sido maior que a dor, ele solta uma exclamação de indignação.

-Ai! Mas o que? – Ele girou para conseguir enxergar quem foi a criatura capaz de agredi-lo em sua própria casa. Uma Lydia de olhar travesso o encara de volta enquanto se move para mais perto.

-Seu idiota. Como teve coragem de voltar e nem me avisar? Isso foi por ter ido embora sem dar notícia. - Ela o abraça com força. – Eu senti sua falta.

-Eu também senti sua falta, Lydia. Mas nem por isso saio por aí batendo em você. 

-Deixa de drama, nem foi tão forte assim.

Eles se afastam rapidamente quando o Xerife se aproxima da porta da cozinha, olhando com uma expressão que Stiles fica na dúvida se é constrangida ou suspeita.

-O café está pronto. Vocês querem comer alguma coisa?

- Com certeza…

-Não, obrigada. Stiles e eu vamos passar o dia fora. Precisamos colocar a conversa em dia, já que ele não deve a decência de me dar nem um “bom dia” nos últimos meses. E nem adianta reclamar. – Ela fala quando vê a careta indignada que ele deve ter no rosto. – Por falar nisso, pelo amor de Deus, vai dar um jeito nesse cabelo. Nós saímos em 10 minutos. Anda!

- Tá bom, né? Já que você pediu com tanto carinho…

Ele usa seu sarcasmo habitual enquanto volta para o quarto irritado por ter que trocar de roupa quando se sente tão confortável. E também por estar com tanta fome. Nem parece que se entupiu de comida na noite passada.

Um sorriso brota automaticamente no seu rosto ao se lembrar da última noite. Mas decide tomar um banho antes de checar seu celular, torcendo que tenha recebido alguma mensagem. Com um sorriso ele caminha até o banheiro.

 

-Stiles, anda. Ou então vou ser obrigada a ir até aí -  Lydia grita onde parece ser o topo da escada.

-Já tô indo. Só preciso checar uma coisa. – Senta na cama com o celular na mão. Olha rapidamente e sente o coração acelerar e um sorriso brotar no rosto ao ver a notificação de uma mensagem de Derek.

“Oi! Bom dia. Precisei sair cedo, mas volto à noite. Se você quiser que eu vá. ”

Ele começa a responder, mas uma ruiva irritada entra em seu quarto como um furacão e antes que possa perceber ele está sendo puxado escada abaixo enquanto seu celular continua ligado em cima da sua cama.

-Ei! Deixa pelo menos eu pegar meu celular.

-Nada de celular hoje. Você não vai precisar dele. 

Ele até pensou em retrucar. Mas quando chega à sala, vê que seus amigos estão lá novamente. Scott está rindo animadamente enquanto conversa com Isaac, Liam, Hayden, Mason e Corey. Até Jackson e Ethan estão na sua sala, e isso o faz sentir um pouco estranho. Muito estranho na verdade.

-O que está acontecendo aqui? Por favor, se foi mais alguma ameaça sobrenatural, eu imploro, não me digam. Eu não aguento mais.

Scott caminha até Stiles e o abraça de lado, mantendo uma mão no seu ombro enquanto fala.

-Não se preocupe, cara. Nós só sentimos sua falta. E como você não avisou a ninguém que estava de volta eu resolvi fazer isso por você. Vamos todos sair e nos divertir.

Um coro de confirmação soa pelo ambiente.

-Mas... Jackson... Ethan…

-Qual é Stiles? Não sabia que você guardava rancor. – É Jackson quem se manifesta, vestindo, como sempre, sua máscara que de indiferença arrogante, mas em seus olhos tem algo diferente, que diz a Stiles que ele realmente se importa.

-Jackson e Ethan entraram para a matilha agora. – Lydia decide interferir

-Mas...- e então é arrastado para fora enquanto é seguido pelo grupo, sem tempo de protestar.

-Isaac e eu vamos na minha moto. Mason, Corey vão com Jackson e Ethan. Liam e Hayden podem ir com…

-Na verdade, Hayden está de carro. A irmã dela deixou ela levar hoje. – Liam diz enquanto Scott divide quem vai com quem.

-Oh. Tudo bem. Então Stiles e Lydia? – Scott lança um olhar em dúvida para Stiles, que não parece tão confortável. - Nós podemos…

-Tudo bem. Stiles vai comigo - Lydia diz antes que Stiles possa responder.

 

Stiles não sabe como se comportar direito, já que a garota preenche o espaço com os acontecimentos recentes que ele perdeu. Ele não sabe desde quando ela se tornou tão falante, já que essa característica costumava ser dele antes. 

No fim, não é tão irritante quanto ele pensou que seria. Eles tomam o café da manhã juntos em uma cafeteria, fazendo barulho o suficiente para espantar todos os clientes dali enquanto juntavam várias mesas para poder abrigar todos juntos. Só não sabe como não foram eles mesmos expulsos. 

Depois do café eles andaram por horas dentro de um shopping com Stiles reclamando enquanto era empurrado para todo tipo de loja enquanto seus amigos se ofereciam para comprar presentes. Várias horas de cinema e jogos depois eles vão para o parque de diversões da cidade. Stiles quase se sente parte do grupo novamente. Se sente acolhido e percebe o esforço que os amigos fazem para fazer as coisas serem como antes. E no fim ele pode dizer que se divertiu, como há muito tempo não fazia. Se sentia como um adolescente normal novamente, se é que já havia sido alguma vez.

Descobriu que com a exceção de Lydia, que havia sido aceita em Harvard, e Liam, Mason, Hayden e Corey, que estavam terminando a escola, todos os outros haviam sido aceitos na faculdade do estado e não precisaram se mudar. Descobriu também que a cidade estava tranquila ultimamente, o que era um alívio, e que os casais estavam firmes e fortes. Mason e Corey não se desgrudavam, assim como Ethan e Jackson. Era até meio nojento de ver e ele fazia cara de nojo sempre que eles estavam se agarrando pelos cantos, mas na verdade achava fofinho. Já sabia por meio de Malia que ela e Scott haviam terminado. Na verdade, nem chegaram a namorar, mas se surpreendeu ao ver o interesse de Isaac no Alfa, sempre por perto e tocando-o quando tinha a chance. E Scott inclinava-se para ele sem ao menos perceber, retribuindo os toques espontaneamente, como se nem estivesse consciente dessa nova interação entre eles.

Stiles gostou de ver. Eles estavam indo bem, como uma matilha. 

 

Na volta eles fizeram o mesmo arranjo, de forma que todos tinham uma carona para casa. Stiles estava exausto, mas ainda assim fazia piadas e cantava junto com Lydia enquanto a garota dirigia para deixá-lo em casa. Quando chegam, Stiles se despede e desce do carro, mas, surpreendendo-o, a ruiva o segue.

-Você quer entrar? – Stiles pergunta.

-Não. É só que eu realmente senti sua falta. E você sabe que eu gosto muito de você, não é? Eu sei que apesar de tudo nunca me desculpei, eu não fui muito legal você a vida inteira, pra dizer o mínimo. Me desculpe por isso. Nunca tive a chance de pedir desculpas de verdade, e eu realmente não me sinto orgulhosa disso. Sinto muito.

Na tentativa de confortar a amiga, Stiles a abraça, sendo correspondido logo em seguida.

-Deixa disso. Você sabe que não preciso disso. Está perdoada. Além do mais, parece que eu sempre tenho uma queda por pessoas não tão gentis. – Ele fala, tentando fazer piada, mas só depois notando que talvez não tenha soado como deveria.

Ele tenta se afastar, mas tem sua mão segurada e vê, um pouco alheio, enquanto a garota se inclina em sua direção. E então eles estão se beijando.

                        …

Derek está se sentindo realmente ansioso. Já passava do meio da tarde, mas ainda não havia resposta. Ele olha para o celular pela centésima vez. Sua mensagem foi visualizada logo cedo, então Stiles não está mais dormindo. Ele começa a se preocupar que algo tenha acontecido e por isso decide correr até a casa do garoto. Ele se transforma parcialmente, sentindo os ossos do seu corpo se reajustarem. Desce as escadas e segue pela floresta que fica logo atrás do seu prédio. 

Ele não leva mais do que 10 minutos para chegar, pensando se Stiles não teria apenas se arrependido e queria evitar contato, mas ainda assim a preocupação é maior quando não ouve o coração do garoto.

Ele entra pela janela do quarto, vendo-o vazio e escuro. Além do celular em cima da cama, não há nada de errado. 

Sabendo que a casa está vazia, ele desce, sentindo que ninguém esteve ali recentemente, e junto ao cheiro de Stiles existem outros. Todos eram conhecidos. Todos amigos do humano, por isso ele fica um pouco mais tranquilo, até conseguir identificar um cheiro de alguém específico. Cheiro que o incomoda profundamente. Ele fecha os olhos, tentando conter seu ciúme. Se recusa a ser o tipo que se irrita com os amigos do “namorado”. Mesmo que esteja irritado com eles na maior parte do tempo. 

Devem ter saído juntos.

Derek permanece na sala por um tempo, ele perde a noção de quanto, sem saber exatamente porque não voltou para casa. Mas consegue ouvir ao longe um carro diminuindo a velocidade. Ele não reconhece o barulho, mas logo seus ocupantes ficam evidentes. Stiles e Lydia. Ele pode ouvi-los conversando, por mais que queira evitar invadir a privacidade deles, e além do mais, o cheiro que exala de Lydia o deixa mais enciumado do que ele consegue lembrar de já ter sentido. Então decide voltar para o quarto, mas quando chega no meio das escadas o coração de Stiles dispara, batendo tão violentamente que parece ter a intenção de fugir do seu corpo. 

Por impulso, ele caminha em direção a porta para chegar até a possível ameaça, mas quando consegue abri-la se depara com o garoto se afastando do que parecia ter sido um beijo. Com o barulho que ele faz ao abrir a porta, os dois se voltam na sua direção.

Imediatamente ele coloca no rosto sua expressão que fica entre indiferente e irritado. A garota, que ele tem vontade de bater, diga-se de passagem, exala confusão enquanto Stiles está completamente sem cor à sua frente. 

-Derek, o que você faz aqui? – A ruiva chama a atenção para si novamente.

-Nada demais. – Ele responde com seu tom de costume, enquanto passa direto pelo meio deles, fazendo com que se afastem. 

Stiles parece perceber que estava perto demais da garota, porque imediatamente coloca mais distância entre eles.

- Derek, hey, não… - Stiles tentou alcançá-lo.

Mas Derek estava chateado. E confuso.

-Tá tudo bem, Stiles.

Caminha em direção à floresta novamente. Mas dessa vez ela é escura e fria ao seu redor.

                        …

Stiles está prestes a seguir Derek quando ouve sua amiga chamando. Ela está cada vez mais confusa, ele pode sentir. Quando volta a olhar para a frente Derek já desapareceu entre as árvores.

Merda!

-Olha, Lydia. Eu sinto muito. Desculpe por não ter feito as coisas direito nem ter dado um final adequado às coisas que aconteceram. Me desculpe por ter deixado você me beijar agora a pouco. Eu devia ter imaginado. Droga! 

“Porque as garotas não me beijavam assim quando eu achava que era hétero? ”

Ele suspira, esfregando as mãos no rosto. 

Pensa rápido, Stiles. Você vai ligar para ele. Vai pedir desculpas. Vocês vão se acertar. Vai ficar tudo bem.

Ele caminha de um lado para outro, concentrado em como consertar as coisas. 

Droga! Ele vai terminar comigo. Oh, Céus. Se aquele “está tudo bem” significa que está tudo bem eu beijar outra pessoa porque nós não temos mais nada?

Ele está a ponto de arrancar os cabelos quando Lydia grita ao seu lado para finalmente ser ouvida.

-STILES! Como assim, achava que era hétero? Você não é? Você e Derek...? - Stiles nem havia percebido no momento em que começou a divagar em voz alta.

-É. Estamos juntos. Estávamos. Meu Deus, espero que ele não termine comigo.

Ele volta a andar de um lado para outro até ter seu ombro segurado.

-Ei! Me desculpa, eu nem imaginava. Eu vou falar com ele, tudo bem? Desculpe mesmo.

-Não precisa mesmo. Não se preocupe, eu vou falar com ele. Vai ficar tudo bem. Eu deveria ter contado. Mas eu acho melhor entrar agora. 

-Tudo bem. Eu já estou indo. Até mais – A ruiva tem uma expressão triste e preocupada no rosto, mas no momento Stiles está concentrado em outra coisa. Ele só quer ir atrás de Derek.

Tanto tempo tentando suprimir seus sentimentos, ele tinha esquecido como eram intensos, quase sufocantes. Mas agora, com as coisas bagunçadas novamente, ele só queria chegar até o lobo e abraçá-lo até que estivesse tudo bem.

Sem esperar que Lydia vá embora, ele entra em casa e fecha a porta atrás de si, sobe as escadas correndo e vai até seu celular. Encontra o contato de Derek e liga uma, duas, três vezes. Mas nada de ser atendido. Frustrado, ele está disposto a ir até o loft a pé, mas como sempre, a sorte não está a seu favor.

-Ei, ei, ei. Onde pensa que vai mocinho? – Seu pai pergunta quando eles se esbarram na porta.

-Estou indo dar uma volta. – Fala apressadamente, sem paciência para conversa furada.

-Nem pensar. Você não acabou de chegar com seus amigos? Vi o carro de Lydia no caminho. Você acabou de voltar para casa. Eu também preciso de um tempo com meu filho.

-Eu sei, mas é que...tenho umas coisas pra resolver.

-Nada de “mas”. -  Noah empurra para dentro de casa novamente.

-Pai! É o Derek. – Ele fala por impulso, se arrependendo ao ver a expressão de seu pai. É uma que ele só fazia quando Stiles fazia uma bagunça das grandes.

-Hum. O que tem o Derek?

-Ele está com problemas. Precisa de ajuda.

-Logo da sua ajuda? Não seria mais fácil falar com o Scott?

-Ei, eu não sou completamente inútil, tá legal? E é mais complicado que isso. Tá legal? – Ele pondera, tentando decidir se conta ou não a verdade. 

-Stiles?

-Nós meio que brigamos e ele não me atende. O que talvez seja compreensível, já eu acho que meio que traí ele. – Stiles começa a tagarelar, já se distraindo com seus próprios pensamentos.

-Espera. O que?! Agora senta aí e me explica isso direito. Céus, quanto mais você fala mais confuso fica.

 

                        …

Derek definitivamente não quer receber visitas. Principalmente da pessoa que causou o problema para começar. Mas agora Lydia está na sua porta, dizendo que sabe que ele está lá e que não vai embora até ser ouvida.

Ele só precisa de um pouco de autocontrole. Ele geralmente é bom nisso, mas não quando se trata de algo relacionado a Stiles. Ele sabe que o garoto não o trairia deliberadamente. E ele estava disposto a ouvir. Mas depois. Só queria ficar um pouco sozinho pra colocar seus sentimentos em ordem e talvez assim não piorasse a situação. Mas a garota insistia em continuar na sua porta. 

Com um suspiro cansado ele manda uma mensagem para Stiles, respondendo às suas ligações e mensagens. Ele não sabia se teria atendido, mesmo se pudesse falar enquanto corria de volta para casa, mas também não conseguiria deixá-lo no escuro. Não agiria dessa forma.

Está tudo bem. Sei que não foi sua culpa, mas preciso ficar sozinho um pouco. Amanhã passo na sua casa.

Ele lê o que escreveu e se sente profundamente frio, mas também não sabe de que forma falar. Então envia a mensagem, recebendo quase imediatamente uma resposta.

Certo. Vou esperar. Sinto muito. Durma bem.

Antes que possa responder uma outra batida violenta à sua porta o faz levantar impaciente, dando de cara com uma Lydia completamente séria à sua frente. Ela entra sem ser convidada, invadindo seu espaço, e isso o irrita ainda mais. Suas mãos em punhos enquanto tenta se conter para não ser grosso.

-Precisamos conversar.

 

-Stiles não teve culpa. Eu que beijei ele. Ele se afastou logo, então não tem porque ficar bravo nem terminar com ele por causa disso.

-Eu sei. Não vou terminar com ele.

-Então porque saiu daquele jeito? – Lydia perguntou.

Derek não respondeu. Não estava óbvio? Ele tinha acabado de ver seu… namorado? companheiro?... beijando outra pessoa. 

A garota continuou:

- Olha, eu sei que você não me deve explicação nenhuma, mas eu gosto do Stiles. Estou apaixonada por ele, mas demorei demais para perceber. E agora ele gosta de você e... Eu não sei. Só gostaria de saber o que está acontecendo entre vocês. Ele ficou muito abalado quando você foi embora.

Derek sentiu a culpa imediatamente.

-Estamos “namorando”. - Não tecnicamente, mas ela não precisava saber disso.

-Não sei como não percebi de cara. Ele estava diferente, mais feliz, realmente. Como começou? – Uma expressão que parece simpatia aparece no rosto da garota. 

Derek não sabe se quer conversar sobre Stiles com a garota que é apaixonada por “seu namorado” e por quem este foi apaixonado durante quase toda a vida, não era amigo dela, e não queria ser, mas não consegue evitar se exibir um pouco sobre como ele foi capaz de fazer o garoto esquecer a Lydia.

-Eu estava no México procurando pistas de um grupo de caçadores que estava matando lobisomens quando alguém plantou falsas provas que me acusavam de algum crime que não tinha cometido. Stiles, pelo que me contou, tinha acabado de entrar no FBI na época. Ele viu o caso, tentou me encontrar para tirar a história a limpo e conseguiu. Aquela criatura irritante e insistente conseguiu organizar um cerco e eles me pegaram. Quando o vi na minha frente pensei que para fugir teria que machucá-lo, mas ele me ajudou. Estávamos em um prédio, não me lembro qual, e ele me indicou as saídas e rapidamente conseguimos sair de lá, mas ele acabou sendo baleado enquanto tentava me ajudar. 

Derek tem certeza que seus olhos demonstram culpa agora. Não gosta de lembrar do que aconteceu depois. Seu tom de voz ficou ainda mais sério quando prosseguiu: 

– Ele foi atingido no braço e estava perdendo muito sangue. Ele estava prestes a desmaiar e não podia ser visto comigo, ou os policiais poderiam me prender e vê-lo como cúmplice no processo. Então o levei para o lugar onde estava “morando”. Um galpão velho que continha apenas um colchão e minhas coisas mais pessoais. Era a primeira vez que o via depois que saí de Beacon Hills e ele estava prestes a morrer na minha frente. Consegui remover a bala, mas não tinha nada para fechar a ferida. Disse que o levaria para o hospital, mas ele recusou. Disse que me prenderiam se aparecesse, por isso me contentei em dá-lo alguns anti-inflamatórios, estanquei o sangramento e o fiz descansar. Observei ele dormir e tirei sua dor a noite inteira, com medo de que piorasse.

    Apesar de estar constrangido ao contar a história deles assim, Derek fala livremente. Toda a angústia daquela noite, e como foi bom ver Stiles acordar fazendo piada de manhã, mostrando que já se sentia melhor, apesar dos ferimentos. O incômodo que gerou nele ter que mantê-lo naquele local sujo. Não sabia exatamente o que estava sentindo, mas soube que queria ter um lugar melhor para abrigá-lo. Queria ter remédios para cuidar dele de forma adequada, por isso ficou irritado a manhã inteira. Obviamente Stiles não sabe disso. Não sabe como Derek temeu que ele acabasse com uma infecção e devia associar seu humor naquele dia pela falta de sono, já que ocupou o único espaço em que era possível dormir.

Depois de comprar comida, pegou o jipe e dirigiu até Beacon Hills, evitando as estradas principais para que não fossem pegos. Foi uma longa viagem, mas valeu a pena quando o viu sendo recebido por Melissa no hospital. Sabia que finalmente ele ficaria bem, mas não conseguia dormir durante a noite, passava-as inteiras ouvindo os gritos na própria cabeça, revivendo o momento em que ele desmaiou de dor enquanto Derek cuidava de seu braço. Isso foi uma ótima motivação para uma clandestina visita noturna ao hospital. Conseguiu entrar no seu quarto enquanto ele estava sozinho e o viu acordar. Stiles, como sempre, riu e fez piada, dizendo que Derek havia se tornado um coração mole, mas não conseguiu se irritar com isso. Estava feliz demais por vê-lo bem. Ele e Stiles conversaram durante toda a noite e quando o sol começou a nascer, enquanto Derek se preparava para ir embora, Stiles o fez voltar, agradeceu por ter cuidado dele, e o puxou pela mão. Era de se esperar que com sua força humana Derek nem se movesse, ainda mais com o efeito dos analgésicos que Stiles estava tomando, mas de alguma forma ele sabia que queria aquilo. Stiles o beijou na bochecha e depois beijou seus lábios. Foi só um selinho, mas ainda assim... Foi importante para ele.

    Olha para a mulher ao seu lado depois de contar tudo. Acredita que ela nunca o viu falar tanto, por isso segura uma expressão surpresa em seu rosto. Parece que ainda tenta processar tudo.

    -Então você aceitou assim, de boa, nem tentou se afastar? Sempre achei que se algo assim acontecesse você tentaria matar o pobre coitado que tentasse se aproximar. Você sempre foi tão, sei lá... “macho alfa”.

    -Na verdade fiquei um pouco confuso sim. – Derek solta uma risada abafada ao se lembrar da confusão que sentiu naquele dia, pensando no que aquele simples beijo causou em tudo que já havia sentido antes de conhecer Stiles. – Era óbvio que ele estava sedado e nem lembraria daquilo depois. Eu não podia culpá-lo por isso, mas também não voltei a visitá-lo no hospital. Não até quando o grupo de caçadores ameaçou expulsar todos os lobos da cidade. Acabamos nos aproximando novamente para ajudar Scott. Ninguém sabia que já estávamos na cidade já que eu estava sendo procurado e os agentes acreditavam que Stiles tinha morrido tentando me prender. Ninguém nunca soube, mas sempre acabávamos em algum local abandonado, isolado de tudo e todos. E ao contrário do que você deve estar pensando, não ficamos nos agarrando por aí. Conversávamos sobre muita coisa... nos conhecemos como amigos, descobrimos como foi nossas vidas desde que fui embora. Ele, como sempre, organizou um plano para enganar a todos para que pensassem que tínhamos ido embora, só que a maioria de nós ficou escondido. Eu fiquei na casa dele. Já que ninguém sabia que nos tornamos amigos, não me procurariam lá. Foi em uma dessas situações que ele me beijou de novo. E dessa vez eu não fugi nem fingi que nada havia acontecido. Foi a primeira vez, tirando quando ele levou o tiro, que dormimos juntos. Não aconteceu nada demais, só dividimos a cama e continuamos assim por muito tempo.

-E vocês estão juntos desde então? Desde que ele te ajudou a fugir? – Lydia pergunta. Na verdade, não fazia ideia de porque estava contando tanto deles, mas parece bom poder falar pra alguém.

-Na verdade não. Depois ele teve que voltar para Nova York e eu fiquei meio abalado com isso. Não sabia muito como lidar. Então só fui me afastando até pararmos de nos falar completamente. 

- E você o ama.

Derek hesita para responder. Ele nunca tinha parado para nomear aquele sentimento. Mas quando pensa sobre o assunto, ele descobre a resposta.

-Sim. Eu amo.

-Então o que você está fazendo aqui?

 

Derek fica parado por um momento enquanto observa Stiles através da janela. Já passa da meia noite e o vento balança as árvores ao seu redor, inclusive a que ele está sentado. Mas ainda assim, Stiles continua acordado. Ele revira de um lado para outro até que parece desistir e pega o celular, olha para ele por um momento, e o deixa de lado novamente. Parecendo impaciente, esfrega o rosto com as duas mãos e Derek consegue ouvir seu bufo à distância. Quase deixa um sorriso escapar com isso. Tem sorrido muito na presença de Stiles.

Silenciosamente, Derek troca seu assento na árvore pelo telhado do garoto. Agora mais próximo ele pode ver a expressão de cansaço que marca o rosto do seu garoto. Uma batida é o suficiente para que Stiles levante o rosto assustado, e mudando para confuso enquanto se aproxima para deixar que ele entre.

-Oi – o mais novo se encolhe, protegendo-se do frio com os braços enrolados ao redor do próprio corpo. – Pensei que você só viria amanhã.

-Essa era a intenção. 

Derek se cala, sem saber como prosseguir. Por mais que saiba o que quer dizer, não sabe como colocar as palavras no lugar. Ele nunca foi bom em conversas e isso não mudou, por isso se aproxima de Stiles, avisando-o com o olhar o que pretende fazer. Para sua felicidade o menor imediatamente descruza os braços, recebendo-o em um abraço apertado.

Ele finalmente respira tranquilo, podendo sentir o cheiro que emana do humano.

-Me desculpe. Eu não sabia que ela... - Stiles tenta, mas Derek já sabe de tudo isso. Ele já sabia antes mesmo da visita de Lydia que Stiles nunca o machucaria de propósito.

-Eu sei. Eu que fui um idiota saindo daquele jeito. Me desculpe. Foi grosseiro e estúpido. Eu fiquei com ciúmes e não sabia como lidar. 

Stiles se afasta bruscamente com um olhar malicioso.

-Derek Hale com ciúmes. Quem diria?

-Eu tenho um histórico ruim, e por mais que saiba que você não é como nenhuma das mulheres que já fiquei, as coisas não costumam dar certo pra mim. Não me espantaria nada se você descobrisse que ainda é apaixonado por Lydia e me deixasse para ficar com ela. Não pode me culpar por ser cauteloso. – Ele fala de forma descontraída, mas Stiles ainda consegue perceber o tom de tristeza por trás de sua expressão.

-Oh, Derek. Desculpe mesmo. – Stiles beija seu rosto. – Eu não devia brincar com isso.

E antes que ele possa continuar, Derek beija sua boca carinhosamente, acariciando seu rosto com uma das mãos enquanto outra desliza até a base de suas costas, fazendo Stiles arrepiar e colocar os braços em volta do seu pescoço. Quando sente o cheiro de amor que emana de Stiles, ele se sente em casa novamente.

 


Notas Finais


E é isso aí.
Espero que tenham gostado.
; )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...