1. Spirit Fanfics >
  2. Carry You - Sterek >
  3. Corra para mim

História Carry You - Sterek - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


CAPÍTULO + 18
Se ainda não tem 18 anos, por favor, não leia!

Ai gente, morrendo de vergonha de postar esse capítulo, mas fazer o que, né?
Acho que perdi um pouco a linha.
kkkkkkkkkkkkkkkk
primeira cena desse tipo que escrevo, então perdoem os erros.

Muito obrigada a quem comentou, favoritou ou leu até aqui. Vocês são demais.
Por favor, comentem, digam o que acharam, é mais um incentivo para quem escreve.
Bjos e até o próximo.

Capítulo 4 - Corra para mim


Esse amor é raro

Mantenha-o escondido.

Eu preciso que você corra pra mim.

Corra pra mim, amor.

(Run - Hozier)


 

Está quente. Muito quente. O completo oposto de quando Stiles estava deitado sozinho naquela mesma cama há meia hora atrás. É impressionante o quanto a presença de Derek mexe com ele. Agora mesmo, sentindo o lobo mordiscar seu pescoço ele mal pode aguentar. Todos os seus pelos se eriçam em um arrepio e ele precisa morder os lábios para não fazer barulho nenhum. Nada além de um suspiro escapa por eles. 

Quando as mãos de Derek o acariciam sobre sua camisa ele desiste. Se senta, derrubando o maior de lado e retira - a do próprio corpo, deitando-se sobre o corpo alheio. Ele volta a beijar Derek com mais intensidade, agora sentindo o toque direto das mãos quentes e fortes. Ele pode com certeza dizer que nunca sentiu nada parecido, muito menos quando sente o gemido do lobo na sua boca. A vibração sendo sentida na sua própria língua quando ela está sendo acolhida pela boca de Derek.

Stiles tinha consciência da atração que Derek exerce sobre todas as mulheres e sobre a maioria dos homens (dos que se também se atraem por homens) com todo aquele porte físico e toda aquela beleza, mas vê-lo assim em um momento íntimo, sem toda aquela agressividade era novidade. Ele estava sendo carinhoso e cuidadoso, mas, sobretudo, envolvente. Sensual. Tanto que Stiles já podia sentir seu sangue correndo para a parte de baixo do corpo.

Enquanto Derek é calmo, ele é profundamente impaciente. 

Puxa a camisa o lobo para cima, tendo pouco sucesso, e Derek, parecendo perceber seu estado de ânimo, se senta na cama, retirando-a sozinho e direcionando a atenção para ele novamente. Com ambos sentados, Derek mantém a distância, dedicando-se a torturá-lo com beijos suaves no pescoço, e descendo em direção a sua barriga. 

-Derek... 

-Humm... 

Uma mordida perto do umbigo e Stiles já perdeu completamente na linha de raciocínio. Ele sente quando Derek para, olhando-o nos olhos por um momento. Quando percebe que o outro não consegue falar, ele volta ao que estava fazendo.

Quando chega na barra da calça, Derek olha para ele novamente, recebendo o que Stiles espera que seja um olhar de confirmação. Então o lobo logo continua mordiscando a barriga alheia enquanto abre lentamente o botão, baixa o zíper e a puxa para baixo, retirando-a pelos pés do humano e voltando a beijá-lo logo em seguida.

-Tira a calça – O menor sussurra quase sem ar. 

Derek logo tira a calça junto com a cueca, atendendo ao seu pedido e quase o fazendo babar por um segundo. Ele fica de joelhos, dando-lhe uma visão completa do seu corpo fora do comum. Ver o membro já ereto causa em Stiles uma urgência que ele nem imaginou que sentiria um dia.

Ele rapidamente puxa sua cueca, jogando-a em qualquer lugar e avança em direção ao corpo do lobo. Sentir seus corpos juntos, tocando-se sem o empecilho das roupas faz ambos suspirarem de prazer. 

-Meu pai está em casa. Não podemos fazer barulho. – Stiles sussurrou novamente, observando o lobo acenar enquanto se afasta ficando com o tronco no meio de suas pernas, mordendo a parte interna de sua coxa e subindo lentamente, chegando à parte em que Stiles mais o desejava. Derek logo o põe na boca, enquanto Stiles o segura pelos cabelos tentando se conter, mas quando ele desce um pouco mais, tocando com a língua entre suas nádegas, o menor solta um gemido alto e se afasta.

Quando percebe o que fez, Stiles deixa escapar um sorriso sem graça.

-Desculpe, é que é estranho. Dá um arrepio.

Derek ri da sua expressão envergonhada.

-Não se preocupe com isso. – Beija sua bochecha. – Vai ficar tudo bem. – Um beijo rápido nos lábios.  – Eu devia estar surpreso por você ter camisinha e lubrificantes aqui? – Derek pergunta quando o vê se inclinando em direção ao criado mudo.

-Na verdade, não. – Stiles ri. – Você não é meu primeiro namorado. Malia, lembra?

-Certo. Realmente não deveríamos falar sobre isso agora. Não sei se devo me sentir culpado por estar transando com o ex da minha prima. 

Derek se inclina sobre Stiles, deitando-o na cama novamente, mas para sua surpresa, Derek permanece sentado em seu colo e leva as mãos de Stiles para suas nádegas e o fazendo apertá-las enquanto se esfrega contra sua barriga. 

– Você tem certeza que realmente quer assim? – Stiles pergunta. Para ele sempre foi óbvio que se alguma coisa desse tipo acontecesse, Derek seria o ativo.

-Claro. Por que não?

-Sei lá, você é sempre tão… Macho Alfa... Deixa pra lá. Vem cá. – Ele puxa Derek pelas pernas, o deixando deitado de costas enquanto se posiciona no meio das pernas, e lambuza um dedo com lubrificante. Stiles o acaricia por um tempo até senti-lo relaxar, penetrando logo em seguida. Ouviu um suspiro de Derek, e não se deixou abalar. 

Derek está impaciente pela demora, mas tudo o que Stiles não quer é estragar tudo por ser apressado e acabar machucando o outro.

-Stiles, isso já está bom. Eu sou um lobo, lembra? – Derek resmunga em seu ouvido, dando uma mordida logo em seguida.

Stiles também mal consegue se manter, tamanha a necessidade que sente, por isso deixa-se levar quando Derek o segura, levando seu membro para a própria entrada, deixando o fôlego escapar logo que Stiles força a passagem. 

-Ah, meu... isso é muito bom. Muito, muito bom. – Ele fala com a voz manhosa, tentando conter um gemido. Derek, por outro lado, não parece tão confortável.

-É sim. – A voz do lobo é dolorida.

-Está tudo bem? Você quer que eu saia? 

-Não, está tudo bem. Pode continuar agora. 

Stiles começa a fazer movimentos lentos, tentando encontrar um ritmo bom o suficiente para os dois, esforçando-se para ir devagar. O calor excessivo tirando sua concentração no que está fazendo para concentrar-se no quanto aquilo é prazeroso. Até ouvir um gemido de dor.

-Derek... – Ele respira fundo, a voz fraca refletindo seu estado de excitação. – Nós podemos parar.

-Não precisa. Eu estou gostando. Está bom.  – Derek fala. Stiles lhe lança uma careta de indignação e ele finalmente cede. – Tá. Não está não, mas eu só preciso me acostumar.

Ambos riem, mas Stiles vai um pouco mais devagar, aproveitando para beijar o pescoço e o rosto de Derek enquanto começa a masturbar o outro. Ele está prestes a chegar ao próprio ápice quando para de se mexer, concentrando-se em Derek até que ele venha em suas mãos enquanto respira forte.

-E você? – Derek perguntou, sentindo Stiles sair de dentro dele, mas ainda completamente ereto. É difícil se concentrar no estado de torpor em que se encontra, mas o objetivo era que ambos sentissem prazer.

-Eu estou bem. Podemos tentar de novo mais tarde. E nem me olhe com essa cara. Eu mal estava conseguindo me segurar. Não queria que você sentisse dor. – Stiles fala com uma expressão carinhosa enquanto vê a cara rabugenta que Derek está no momento, por mais que seja pura fachada.

Cansado demais para se concentrar nisso, Derek fecha seus olhos, sentindo o toque suave de Stiles em seu rosto e virando o rosto de lado para beijá-lo, lento e doce. 

 

Derek faz cócegas em Stiles, esfregando a própria barba no pescoço do outro enquanto Stiles tenta fugir dele, rindo baixinho no processo.

-Meu Deus você está insuportável. – O humano levanta, tentando vestir a roupa. – Já são quase duas da manhã, Derek. Sossega.

Mas Derek não quer sossegar. Tudo o que ele quer no momento é aproveitar o tempo com Stiles.

-Eu sei que você gosta da minha cara azeda, mas que gosta ainda mais de mim assim. – Stiles lhe mostra a língua. –Vem cá.

Stiles volta ao seu lado, deitando a cabeça em seu peito.

-Acho que já está passando da hora de contarmos que estamos namorando, certo? – Derek pergunta, ficando incerto quando sente Stiles tenso em seus braços.

-Estamos namorando? – A voz de Stiles é ainda mais baixa.

-Pra mim, sim. Você não quer? 

-É claro que eu quero. – 

Mas Derek pode sentir que há um “mas”. Ele continua calado, sério, mas Derek não consegue sentir nenhum cheiro específico que possa ajudá-lo a identificar o que o “namorado” está sentindo.

-Você sabe que pode falar o que está te incomodando, não é?

-Eu sei. Só estava pensando... como nós vamos ficar se eu puder voltar para o FBI.

-Vamos continuar juntos. Não vou repetir meu erro novamente. Eu sempre posso ir com você. Ou podemos nos falar todos os dias por telefone caso precise ficar com o pack. Posso visitá-lo nos feriados e você sempre vem nas férias. Podemos fazer isso funcionar. 

-Eu gostaria disso.

Derek beija Stiles novamente, ficando mais e mais intenso. Com um gemido ele se encaixa no membro do menor.

-Não deveríamos esperar um pouco? Não é ruim pra você assim? – Stiles fala, enquanto deixa a cabeça repousar em seu ombro. 

-Eu me recupero rápido, lembra?

 

Dessa vez parece melhor. Derek já não se sente tão desconfortável. Ele toma o controle, movendo-se lento, mas constante, com as mãos de Stiles o segurando pelas costas. O lobo consegue senti-lo pulsar dentro de si. E ele realmente está gostando. O cheiro do suor de Stiles inebria seus sentidos e ele tem certeza que conseguiria gozar dessa forma se Stiles não tivesse feito isso primeiro. Ele dá uma pausa, esperando-o se estabilizar. Ao contrário do que ele espera, Stiles não sai de dentro dele, mas começa a masturba-lo rapidamente enquanto beija sua boca. A língua tomando a sua com rapidez e desejo. Ele quase não consegue acompanhar e antes que consiga perceber, chega ao ápice com um gemido alto, que felizmente é abafado pela boca faminta do namorado.

Sorte sua que o Xerife não acordou.

                        …                      

Ainda é cedo. Stiles sabe disso porque o céu ainda está escuro lá fora. Ele olha para o lado, descobrindo o motivo de ter acordado tão cedo. Derek está de costas, olhando para a janela falando baixinho no telefone com alguém, mas parece perceber que ele acordou, porque vira e o olha atentamente nos olhos. Ele dá um sorriso, mas Stiles ainda consegue ver preocupação ali. Ele espera pacientemente até que a conversa seja encerrada para se aproximar do lobo, abraçando-o pela cintura e sendo imediatamente correspondido.

-Eu vou precisar fazer uma viagem. Braeden acabou de me ligar. Alguma coisa a respeito de lobisomens sendo atacados por caçadores novamente. É perto de onde Cora está. Eu sei que ela pode se virar, mas quero me certificar de que ela esteja segura até que Braeden descubra o motivo dos ataques. 

-Tubo bem, claro. Você está fazendo o certo. Ela é sua família. – Ele dá um sorriso orgulhoso. – Quando você vai? 

-Logo que o sol raiar. Quero resolver isso o mais rápido possível. Assim consigo voltar mais rápido também.

-Hum. Tudo bem. Você deveria descansar um pouco. Não dormimos quase nada e você dirigindo sem dormir é uma ideia que realmente me preocupa. Por mais que você seja resistente, um acidente na estrada é…

-E que tal se, ao invés de dormir, nós pudéssemos nos despedir de verdade, e pela manhã eu procurasse uma passagem de avião? O que você acha? - Derek propôs.

-A isso eu com certeza não me oporia.

                                                                                                                   ....

Stiles apoia as mãos nas de Derek, apertando com força enquanto se move dentro dele. Parece que finalmente ele pegou o jeito. Derek mal abre os olhos, mas quando o faz, tudo o que ele consegue ver são os olhos nublados de prazer no rosto do outro. Derek levanta as pernas, apoiando-as em seu quadril, dando mais espaço para a invasão. 

Eles se olham nos olhos, enquanto as respirações ofegantes são os únicos sons no local. Stiles investe lentamente, mas com força sobre o corpo de Derek. Por vezes deixando que seus lábios se encostem, mas sem realmente se beijarem. Não teriam fôlego para isso.

Derek ofega quando Stiles começa a morder seu ombro com força, tentando conter os próprios gemidos. Stiles sabe que Derek está perto. Muito perto. Por isso segura suas mãos com ainda mais força, se ajustando para aumentar o ritmo. 

Um dos seus joelhos está no colchão, e uma de suas mãos aperta o quadril do lobo, forçando-o para cima, trazendo mais perto a cada investida, beijando o mais velho apesar das respirações descontroladas. Sem conseguir evitar, Derek começa a gemer baixinho, deixando-se dominar pelo seu companheiro.

Os gemidos de Derek levam Stiles ao seu limite, obrigando-o a parar para se recompor, antes de deixar Derek na mão. Ele lambe um dos mamilos do maior enquanto acaricia os cabelos do outro com carinho. 

Quando acha ser o suficiente, Stiles agarra uma das coxas de Derek, levantando-a ainda mais, enquanto volta a estocar com mais velocidade. 

E então ambos perdem o controle. Derek geme alto, levando Stiles a um outro nível de prazer. Ele sente seus lábios sendo mordidos pelo lobo e o beija. 

Dessa vez Derek é mais agressivo enquanto crava as unhas em suas costas, inclinando-se em direção a ele. A língua do lobo invade a boca de Stiles, abafando o barulho.

Os dois se tornam igualmente intensos nos movimentos. A cada investida de Stiles, Derek responde abaixo dele com a mesma força, contraindo-se a ponto de machucar, mas Stiles não poderia se importar menos. Não agora com a onda de prazer que domina seu corpo a ponto de fazê-lo tremer, indo mais rápido, mais fundo e mais forte, até ouvir o gemido descontrolado abaixo de si. E ele também não se importa com isso. Derek chegou ao ápice e ele sabe que está vindo logo depois.

                                                                                                      ....

-Stiles, ei. Acorda. 

Ele vira para outro lado, tentando ignorar quem quer que seja que está perturbando seu sono. - Stiles, eu já estou indo. Precisamos conversar antes de eu ir. É assunto sério. Vamos lá.

Surpreendentemente paciente. É assim que Derek o acorda, dá tempo para que ele acorde o suficiente para uma conversa.

-Ainda não são nem 7 horas, Derek. E você acabou comigo noite passada. Você não pode exigir muito de mim hoje. – Ele sai reclamando do banheiro e sentando ao lado do namorado na cama.

Derek dá risada.

-Tem certeza que não foi o contrário? Se não fosse um lobisomem tenho certeza que ficaria exausto por dias.

-Exatamente. É assim que eu me sinto. – Stiles retruca, mas ele na verdade não tem do que reclamar. Quer apenas implicar tentando esconder a tristeza de ter que ficar longe logo agora que eles se acertaram de vez.

Derek, por outro lado, observa as marcas que deixou em seu pescoço, torso e costas, imediatamente ficando um pouco menos brincalhão. 

-Sinto muito por isso.  Mal me lembro de quando fiz isso. Não quis te machucar.

-Não se preocupe com isso, sourwolf. Não machucou. Mas me diga, o que tá acontecendo?

Ele muda de assunto, tentando distraí-lo.

-Eu só queria pedir pra você ficar com o Scott quando seu pai não estiver em casa. Eu senti um cheiro de alguma coisa estranha na floresta esses dias. Tentei rastrear com o pack, mas seja lá o que for, é inteligente. Conseguiu me despistar e encobrir os próprios rastros. Não temos nenhum sinal. É só por precaução. E eu sei que você sabe se cuidar sozinho, mas não sabemos do que se trata. Já conversei com todos para ninguém ficar sozinho por muito tempo. Todos da alcatéia estão em duplas. Scott me disse que passaria pra te pegar pela tarde. Você está bem com isso?

Por um momento ele pensou em retrucar, mas ao ver o olhar de preocupação naqueles olhos verdes ele acabou cedendo. Não faria mal nenhum passar uma tarde com Scott.

-Tudo bem. Vamos ficar com a babá, então. 

Derek levanta da cama, o puxando junto, segurando o corpo dele contra o seu, mas não fala nada. Depois de olhar em seus olhos por um longo tempo ele o beija, lento, como se quisesse lembrar daquela sensação por um longo tempo, e quando se afasta parece um pouco chateado.

-Preciso ir, ou então vou perder meu voo. Tenha cuidado.

-Você também. – Stiles responde, observando o lobo saltar da janela e correr para longe.

                                                                                                            ....

Já é quase meio dia e Stiles está entediado. Muito entediado.

Já tentou jogar videogame, assistir, ler, analisar alguns casos do seu pai, mas nada conseguia prender sua atenção.

Depois que Derek saiu ele tentou dormir novamente, mas seu pai batendo na porta o acordou pouco tempo depois. Algum caso de urgência que ele não entendeu qual era por estar tão tonto de sono.

E ele poderia sair para dar uma volta, mas seu jipe estava em outra cidade e sair caminhando sozinho naquele tempo e com alguma criatura desconhecida solta não estava entre seus planos. Não que ele estivesse com medo. Mas promessa é promessa. Ele não sabia se deveria estar arrependido de tê-la feito.

Ouve a porta fechando e espera algum grito de seu pai ou de Scott se anunciando, mas nada chega aos seus ouvidos. 

Scott não tinha chave, então provavelmente entraria pela janela. 

-Pai? – Ele grita, colocando a cabeça para fora. Nenhuma resposta. Silenciosamente pega o taco de baseball debaixo da cama e desce as escadas. – Pai, você tá aí?

Nenhuma resposta.

-Isaac? Se for você, não tem graça. Vou contar para todo mundo que você gosta do Scott. 

Ainda nenhuma resposta. Ele tenta voltar para o quarto quando percebe que está sem o celular. Ligaria pra Scott e ele viria. Sim. Ficaria seguro.

Se não fosse impedido por uma mão segurando um de seus braços e tapando sua boca.

Com o susto ele deixa cair o taco, mas não mexe para alcançá-lo. Tem alguma coisa afiada encostando em seu pescoço.

Ele sabe que quem o segura é provavelmente uma mulher, é magra, mas não tão pequena. Quase de sua altura. E não é humana. O aperto em suas mãos mostra isso. 

-Shh. Não fale nada, ou não vai sobrar nada de você para encontrarem, tá bom? – A voz está diferente por algum motivo, mas ele a reconhece imediatamente.

Quando o aperto diminui ele pergunta:

-O que você quer aqui? – Distração é a melhor maneira de conseguir sair e pedir ajuda.

-Agora não é hora. Em algum momento você vai descobrir. Ou talvez não. – E então deixa uma risada irritante escapar.

Ele aproveita o momento para empurrá-la para trás com toda a força que consegue reunir.

Ele corre em direção à porta dos fundos tentando abri-la, mas ela nem se mexe. Está trancada. Ir para o quarto está fora de questão. Pular a janela fugindo no mínimo quebraria suas pernas e atrás da mulher, uma coluna de fogo impedia a saída pela porta da frente.

-Você não vai conseguir nada me matando. Eu sou o mais frágil, o único humano sem poderes e sem nenhuma habilidade especial. Vá em frente se acha que isso vai te servir de algo.

Ele tenta manter o controle enquanto analisa uma chance de sair. Sua única chance.

-Mas é claro que vai servir, ou eu não estaria fazendo isso, Stiles. Pena que talvez você não consiga ver.

Com isso, ele corre para a janela aberta na sala do outro lado de onde ela está. Ele está quase lá. Só um pouco mais, e ele já pode ver a rua, escurecida pelas nuvens de chuva. Ele consegue chegar até ela, levantando com facilidade e abrindo-a o suficiente para conseguir passar seu corpo. 

Ele quase acredita que tem a chance.

Mas antes que consiga, tudo fica escuro ao seu redor.

                        …

Derek chega ao aeroporto pela tarde, e rapidamente avista Cora o esperando. Como sempre, eles trocam apenas cumprimentos formais. Por mais que Derek ame sua irmã, intimidade não é seu forte. Nem o dela. Eles conversam sobre como resolver o problema com os caçadores, mas nenhum dos dois tem nenhuma ideia de como começar.

Já dentro do carro ele pega o celular para checar suas mensagens. Descarregado.

Ele solta um bufo irritado, sendo observado de canto de olho pela irmã. Ele espera por algum comentário sarcástico, mas ele não vem. Então lembra que Cora não gosta disso. Stiles, por outro lado…

Ele não vê a hora que chegar em casa.

Quando chegam ao apartamento de Cora ele vai direto para o banho. Está exausto demais, mas antes de dormir coloca o celular para carregar o suficiente para ligá-lo. Várias mensagens bombardeiam a caixa de entrada com as ligações não atendidas.

Droga!

Ele sabe imediatamente que não deveria ter saído de Beacon Hills.

Antes que possa processar qualquer coisa, o toque de uma nova chamada chama a atenção para o nome de Scott na sua tela.

Assim que atende é bombardeado pela voz urgente e ansiosa do Alfa.

-Derek, você tem que voltar pra casa agora.

 


Notas Finais


E então?
De quem vocês acham que se trata?
Curiosa para saber as teorias.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...