História Cartas a Jaemin - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT), Red Velvet
Personagens Chenle, Haechan, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Mark, RenJun, Wendy, Yeri
Tags Jaemin, Jaeri, Nct, Red Velvet, Yeri
Visualizações 114
Palavras 3.601
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Um encontro estranho.


Fanfic / Fanfiction Cartas a Jaemin - Capítulo 12 - Um encontro estranho.

— Mamãe? - Perguntei perplexa e surpresa, vendo ela sentada ao lado de papai no sofá, Jaehyun sentado na poltrona, quieto e sério.

— Sim, Yerim. Eu sou sua mãe. Você se comporta assim aqui? Abandonando os estudos para ficar com garotos? - Me fez a mesma pergunta, explicando.

— Mamãe... Deixa eu explicar, não é bem assim. Eu fiz os meus exercícios diários na escola, estudei para a matéria da prova enquanto... - Olhei para Jaehyun e engoli seco, o vendo manter um olhar de raiva pela situação em que mamãe havia me posto. - Enquanto olhava Jaemin jogar basquete.

— Jaemin? É esse o nome do delinquente que está tirando nossa filha de casa? - Foi a vez de meu pai se pronunciar, me fazendo abaixar a cabeça.

— Vocês estão sendo muito duros com a Yerim, vocês não tem direito de tratá-la assim. Ela estuda todos os dias, revisa as matérias diárias e as vezes, ainda, estuda para a aula do dia seguinte. Ela não pode mais se divertir com um amigo? - Jaehyun disse num tom sério e se remexeu na poltrona.

— Amigo? Parecia bem mais que um amigo quando eu olhei pela janela. - Mamãe disse e me olhou novamente.

— E ela não pode mais gostar de algum garoto? É proibido, mãe? Sinceramente... 

Ele a questionou mais uma vez e eu fiquei quieta, parada em frente a porta enquanto abaixava a cabeça. Não é possível que eu tenha feito algo tão horrível assim ao sair com o garoto que eu gosto. A sala manteve seu ar tenso e quieto, ouvi o suspiro de meu pai e logo seus passos até mim.

— Desculpe, filha. Acho que nós julgamos você mal, perdoe o papai. - Ele me abraçou e eu envolvi os braços em sua cintura, sentindo o abraço quente de meu pai que não sentia há alguns meses. - Mas você vai explicar essa história para nós dois muito bem agora, venha.

Ele me puxou e eu sentei no outro sofá de dois lugares, alternando o olhar entre o sofá em que meus pais estavam e a poltrona onde Jaehyun estava. — Bem, eu gosto de Jaemin desde o primeiro ano e só tive coragem para admitir meus sentimentos esse ano através de algumas cartas dadas como trabalho pela minha professora de Literatura. Descobri que ele gosta de mim assim como gosto dele, estamos nos conhecendo melhor. Papai, mamãe, ele é incrível e juro para vocês que é um amor de pessoa... Ele me trás em casa todos os dias, tira fotos minhas, paga algumas coisas para mim... 

— As notas dele, como são? - Meu pai perguntou.

— Ótimas, um dos melhores da sala. - Fui sincera e eles assentiram com a cabeça, se entreolhando.

— Nós queremos conhecer ele, quando você achar que for a hora. - Mamãe comentou e eu sorri tímida, assentindo com a cabeça. - Agora que história é essa de seu irmão querer processar uma garota? 

— Já te disse, mãe. Ela insultou a Yerim com coisas que nunca foram feitas, isso é totalmente uma difamação. Aposto que vocês concordam comigo. Não sabem pelo que ela passou e ouviu, pais. - Jaehyun não me deu tempo para responder.

— Tudo bem, a mamãe vai ver isso para você. Agora vão tomar um banho porque eu vou fazer uma janta bem gostosa para vocês. - Ela disse sorrindo e eu acabei fazendo o mesmo, com saudade.

Fui correndo para meu quarto e tratei rapidamente de tomar meu banho. Por mais que meus pais sejam muito rígidos algumas vezes eles acabam por entender quando ouvem melhor a história, como fizeram. Não os digo totalmente conservadores, eles tem mente aberta para algumas coisas mas continuam, vez ou outra, mantendo a postura conservadora coreana. Algo que agradeço sempre que lembro é por eles não serem machistas, homofóbicos e racistas, isso eles nunca foram, pelo menos em frente a mim e meu irmão, graças a Deus!

Assim que troquei de roupa por um pijama pude pegar meu celular para ver as mensagens do grupo da turma, dos meninos, de Jaemin e uma de Jaehyun.

[ jaejae ] 

Yerim, não venha com o Jaemin para casa hoje. Se você não vier com ele vai evitar vários questionários e nossos pais sendo chatos. (16:10)

Veja o celular, por Deus!!!!!!! (17:45)

Bem que ele tentou me avisar, um ato falho sim, mas pelo menos tentou. Maldito encanto que Jaemin pôs em mim para esquecer do mundo em minha volta quando estou com ele.

[ Nana♡ ]

Acabei de chegar em casa e já estou com saudade de você. (18:34)

[ eu ]

Também estou com saudade, Nana. Acabei de passar por um questionário sobre você. Meus pais viram a gente. (19:05)

[ Nana♡ ] 

Puta merda, sério? Eles falaram o que? Aceitaram a gente? Quer dizer, não nós, mas... você entendeu. (19:07)

[ eu ]

Foi bem tenso de início, mas eles aceitaram a gente. (19:08)

[ Nana♡ ] 

Ótimo. Mas se eles não tivessem aceitado a gente eu iria continuar contigo, mesmo que escondido. Aí se você não aceitasse isso, eu morreria. (19:08)

[ eu ] 

Jaemin! Não diz isso, palhaço. Eu preciso descer para comer com eles. Nos falamos depois. (19:09)

Optei por esconder a parte que meus pais querem conhecer ele agora, não quero falar isso tão cedo porque sei lá, ele pode ficar com medo e desistir de mim. Deixei o celular sob a cama e fui para a cozinha, no meio do caminho já sentindo o cheiro da comida da minha mãe, me fazendo respirar fundo de saudade. Me sentei ao lado de Jaehyun e ele me olhou sério, abrindo um sorriso em seguida e segurando em minha mão.

— Tudo bem? - Perguntou baixo e eu assenti com a cabeça, sorrindo.

— Sim, Jae. Obrigada por me defender hoje. - Ele negou com a cabeça e se inclinou, beijando minha testa.

Mamãe não demorou para terminar de fazer a janta, nós comemos muito e conversamos sobre várias coisas, escola, trabalho, nossos relacionamentos e os negócios dos meus pais. Eles vão ficar aqui até o final de semana, como hoje é quinta-feira temos mais alguns dias para aproveitar a presença dos dois. Combinamos de ir ao shopping amanhã, então infelizmente não vou poder ver o Jaemin na parte da tarde, meu coração até se quebra ao lembrar disso. 

— Mamãe, papai... Eu infelizmente não vou poder ficar com vocês no final de semana, irei viajar com Jaemin e seus amigos para a praia. - Disse com um biquinho, tentando convencê-los e eles riram.

— Tudo bem, filha. Só vá nos visitar quando puder, sentimos saudades de você brincando com o Puppy, correndo pela casa com Jaehyun, gritando... - Papai respondeu com um sorriso no rosto. - Agora me mostre uma foto de Jaemin, não consegui ver o rosto dele direito.

Saí da sala em passos rápidos e fui até meu quarto, pegando o celular de cima da cama e descendo em seguida para a sala novamente, sentei ao lado de papai e desbloqueei o celular, abrindo a conversa de Jaemin. Entrei na mídia e procurei pela nossa foto no Grand Park, dei zoom em Jaemin e estendi o celular para papai, que inclinou-se e viu a foto dele junto com mamãe; os dois observaram atentamente e me olharam com um sorriso no rosto. 

— Ele é bonito, você tem bom gosto. - Mamãe disse com um tom brincalhão e eu sorri, assentindo com a cabeça como uma boba.

— Os pais dele fazem o que? - Papai perguntou enquanto me devolvia o celular.

— A mãe é médica e o pai é advogado. - Eles fizeram uma cara e eu e Jaehyun demos risada.

— Metidinho. - Minha mãe resmungou e eu revirei os olhos.

— Ele não é metido, mamãe! Não é, Jae? - Nós olhamos para ele que assentiu com a cabeça. 

 

...

Estava deitada conversando com Jaemin por chamada de vídeo já que ele não aguentou ficar sem me ver, um fofo mas grudento. Observava ele falar animado sobre o novo anime que ele tinha terminado até que alguém abriu a porta, inclinei a cabeça para ver quem era e vi mamãe me olhando curiosa.

— Está conversando com quem? Já é de madrugada, filha. - Olhou para meu celular e abriu um sorriso. - É com ele?

— Quem é, princesa? - Ouvi Jaemin perguntar curioso do outro lado do celular.

— Minha mãe, Nana. - Ela entrou no quarto e deitou atrás de mim, aparecendo na chamada de vídeo, fazendo Jaemin arregalar os olhos e ajeitar a postura na cama.

— Oh, sim. Olá, senhora Jung. Eu sou Na Jaemin, prazer em conhecê-la. - Disse formalmente e sentou-se na cama, curvando o corpo e me fazendo abrir um sorriso bobo ao vê-lo fazer isso.

— Oi, Jaemin. Prazer em te conhecer. Não acha que está muito tarde? - Ela perguntou e eu soltei um 'mãe!' para repreender ela, a ouvindo rir. - Estou brincando, querido. Conversem mas não fiquem até tarde.

— Tudo bem, senhora! - Deu um sorriso grande, o tal que me fazer ficar mais apaixonada a cada dia e minha mãe beijou minha testa, saindo do quarto em seguida. - Sua mãe é fofa como você, babe.

— Para, Jaemin! Você me deixa com vergonha as vezes. - Dei uma risada e ele fez o mesmo, deitando na cama novamente.

— Mal posso esperar pra você conhecer os meus pais... - Murmurou baixinho e eu fiquei quieta, sem reação e com as bochechas quentes. - Ficou sem reação? Foi mal.

— Idiota... - Ele riu.

— Uma pena que não vamos ficar juntos amanhã. - Fez um biquinho. - Meus pais me chamaram para ir num happy hour com eles, coisa do trabalho do meu pai e ele vai arrastar a gente. Não gosto muito disso...

— Eu não queria ficar sem te ver também, quer dizer, sem ser melosa e tal... Mas se divirta lá, Nana. Só não vai beber e ficar doido, pelo amor de Deus!

— Vou beber para esquecer que estou sem você lá. - Fez drama e eu ri, observando seus olhos negros. - O que você tá tanto olhando? 

— A sua beleza. - Fui sincera e ele riu, negando com a cabeça.

— Pensei que era só eu que ficava fazendo isso quando estou contigo, felizmente não sou. 

...

— Oi, posso me sentar com você? - Ouvi uma voz meramente conhecida, me fazendo levantar a cabeça e procurar pela voz. - Acho que não me conhece, sou Yangyang, acabei de entrar na escola.

— Oh, sim! Eu te conheço sim, você faz basquete, não faz? - Ele puxou uma cadeira e sentou na minha frente, tirando seus materiais da mochila e botando em cima da mesa. 

— Sim, eu faço junto com seus amigos. - Respondeu e abriu seu caderno, rolando os olhos pela folha. - O que você é do Jaemin?

— Hm, amiga, eu acho. - Respondi confusa, ainda não sabia como responder a isso.

— Que bom, ontem chamei você de namorada dele por causa do jeito que você estava agindo mas que bom que não são. - Abriu um sorriso e eu sorri amarelo, bem que os garotos disseram...

— O que está achando do time de basquete? 

— Os garotos são muito bons e receptivos, só não fui muito com a cara do capitão. Ele é muito mandão, namoral, só porque eu tava fazendo algumas gracinhas ele veio chamar minha atenção. - Revirou os olhos e eu dei uma risada baixa.

— Ele é meu irmão. - Disse e o garoto me olhou com os olhos arregalados, parecendo estar em choque. - Ele é assim mesmo, não ligue para isso, é só prestar mais atenção.

— Entendi. Me desculpe por ter falado assim dele. - Deu um sorriso tímido e eu assenti com a cabeça, abaixando ela para prestar atenção no conteúdo novamente. - O que está fazendo aqui sozinha de tarde?

— Estou esperando meu irmão terminar alguns assuntos da comissão para irmos embora juntos, mas parece estar demorando bastante. - Dei ombros e encarei o novato, vendo que ele me encarava.

— Entendi, podemos estudar juntos mais algumas vezes, normalmente eu também estudo na biblioteca. - Sorriu amigável e eu assenti com a cabeça. - Pode me passar seu número? Para conversarmos sobre estudar. 

— Hum, tudo bem! - Escrevi meu número em uma folha pequena e a destaquei, entregando para ele.

Ficamos mais alguns minutos estudando ali até meu irmão chegar e eu ter que ir embora, me despedi Yangyang e segui para casa com meu irmão, fomos conversando sobre as coisas que sempre falamos. Estava anoitecendo e o céu estava lindo, tiramos algumas fotos e apressamos o passo, quando chegamos em casa, tomamos banho e trocamos de roupa para irmos ao shopping. Meu irmão pediu um uber até o shopping e mamãe foi discutindo com papai sobre em qual restaurante iríamos jantar, eu e Jaehyun apenas ríamos da bobagem pela qual estavam discutindo. 

[ Nana♡ ] 

Acabei de chegar no restaurante, meu deus, que pessoal chato.~ (19:47)

[ eu ] 

Por que não pediu para ficar em casa? (19:48)

[ Nana♡ ] 

Meu pai não ia deixar, ele adora mostrar minha beleza para seus amigos. kekeke~ (19:48)

[ eu ] 

Convencido! (19:48)

— Sai desse celular, Yerim! - Mamãe chamou minha atenção e eu guardei o celular na hora, dando uma risada como se não tivesse feito nada.

O uber estacionou em frente ao shopping e o papai pagou a corrida, nós quatro saímos do carro e começamos a andar para dentro do local. Jaehyun e eu estávamos mais atrás seguindo nossos pais, estávamos mais quietos apenas ouvindo eles conversar. 

— Vamos alugar o seu terno, Jaehyun e seu vestido, Yerim. Tem uma loja muito boa nesse shopping, a gente procurou. - Ouvimos mamãe falar e nós dois comemoramos, batendo as duas mãos em mais comemoração. 

Entramos no shopping e o clima pareceu esquentar um pouco por conta do ar condicionado, subimos até o último andar onde ficavam as lojas mais chiques e junto com a praça de alimentação. Andamos até a loja que mamãe tinha falado e começamos a procurar pelos vestidos e ternos de festa, ela disse para não nos importarmos com o preço e eu revirei os olhos, óbvio que iria ver antes de pegar para alugar. Senti meu celular vibrar no bolso e ignorei, deveria ser o grupo dos garotos; continuei procurar por algum vestido que fosse do meu estilo e assim que encontrei, foram vários, então tratei de experimentar todos pra ver quais meus pais e Jaehyun achavam bonitos, contando com minha opinião. Ficamos alguns bons minutos apenas procurando e experimentando, conseguimos alugar e voltaríamos para buscar quando fossemos embora. Cara, eu juro que vou ficar muito linda nesse vestido! 

— Vamos comer, mocinhos! - Papai disse e nos abraçou, um com cada braço, me fazendo rir. Meu celular vibrou novamente, mas que merda! 

Fomos puxamos para um restaurante muito chique e papai disse que era um que eles são fornecedores, então seria mais barato(metade do preço), então isso me tranquilizou. Procuramos por uma mesa enquanto ouvíamos uma delas gritar e comemorar, falando alto, isso me deu nos nervos. Meu celular vibrou mais uma vez e eu revirei os olhos, tirando ele do bolso e olhando quem era o insuportável que não parava de me mandar mensagens: Jaemin e Yangyang, abri as mensagens de Jaemin enquanto me sentava sob o estofado confortável.

[ Nana♡ ] 

Que coincidência. Mesmo local e mesma hora. (19:57)

Pelo menos podemos nos ver agora. (20:35)

Não revire os olhos pra mim, gatinha. (20:36)

Arqueei a sobrancelha e olhei em volta, procurando por Jaemin que aparentemente estava no mesmo shopping. Olhei cuidadosamente todas as mesas e assim que parei o olhar sob a mesa cheia de homens com terno, vi Jaemin me encarando com um sorriso aberto no rosto; meu estômago sentiu um calafrio no mesmo momento e eu sorri boba, o encarando. 

— Parece que até quando é para não se encontrarem vocês se encontram. - Ouvi Jaehyun dizer e ri, vendo Jaemin mexer as sobrancelhas para cima enquanto me encarava. Estava flertando comigo descaradamente assim?

[ Nana♡ ] 

Me encontre no jardimzinho que tem aqui dentro depois que você comer. (20:37)

O encarei e assenti com a cabeça, vendo ele abrir um sorriso grande e logo mais voltar a atenção para um homem, falando algumas coisas. Olhei para meus pais e abri um sorriso tímido, pegando o cardápio em seguida e procurando por algum prato que eu goste. Vez ou outra meu olhar percorria pelo local para olhar para Jaemin e ele já me encarava, ficávamos nos encarando por alguns tempos até ele piscar para mim e fazer eu ficar sem graça, encerrando nosso contato.

Eu e minha família enquanto comíamos conversávamos sobre várias coisas que me deixavam perdida, alguns assuntos de adultos me deixam com medo de ser adulta e isso é uma merda. Jaehyun comentava sobre seu vestibular no final do mês e nossos pais começaram a incentivá-lo e dizer coisas positivas, isso é algo bom sobre nossos pais: eles incentivam seus filhos em quase tudo. Meu celular vibrou e eu olhei discretamente para Jaemin que me olhava sorrindo, revirei os olhos com um sorriso no rosto e chequei meu celular.

[ Nana♡ ] 

Você fica linda quando está confusa. (20:54)

Fica linda de qualquer jeito, na verdade. (20:55)

— O que você tanto olha nesse celular, Yerim? - Minha mãe perguntou um pouco irritada e eu desliguei a tela do celular.

— O namoradinho dela está aqui, mãe. - Jaehyun me dedurou e eu soquei seu braço, arregalando os olhos.

— Mentira, mãe! - Disse alto e ela cerrou os olhos. - Tá bom, ele tá. Desculpe, mamãe.

— Onde ele está? - Olhou em volta e eu fiquei quieta, ela olhou em nossa diagonal e pode ver Jaemin na outra mesa, conversando com sua mãe. - Ali está ele, olha, querido. Como esse garoto é bonito.

— O que tanto conversa com ele nesse celular? - Foi a vez de papai perguntar e eu revirei os olhos, como adoram saber sobre a minha vida! 

— Ele só está me elogiando. - Desviei o olhar e eles limparam a garganta, sabendo que eu estava mentindo. - Meu Deus! A gente tava combinando de se ver, tá bom? Vocês me deixam sem graça perguntando tudo isso. - Eles e meu irmão riram alto, Jaehyun apertou minha bochecha e eu estapeei sua mão. 

— Na hora de enviar mensagem pro seu namorado não tem vergonha, né? - Mamãe disse num tom brincalhão e eu tampei o rosto, abaixando a cabeça, totalmente envergonhada.

Meus pais são o cúmulo! Adoram zoar com a minha cara quando tem a oportunidade, agora que sabem que eu gosto de um garoto vão brincar comigo até eu não aguentar mais. 

— Sabe que estamos brincando, filha. Pode mandar mensagem para o seu namorado, só não esquece de nós aqui! - Meu pai disse sério e eu o encarei, abrindo um sorriso fechado em cooperação. 

[ eu ] 

Foi mal não ter respondido antes, meus pais estavam zoando de mim. (21:01)

[ Nana♡ ] 

Eu vi eles rindo de você, foi engraçado de ver. Meus pais estão achando que eu estou doente, fico rindo de você e sorrindo enquanto vejo você. Acho que daqui a pouco vão embora pra me levar no médico. kekekeke~ (21:02)

[ eu ] 

Então para de olhar pra mim! (21:02)

[ Nana♡ ] 

Impossível. Agora que posso olhar sem medo nunca mais vou tirar os olhos de você. (21:02)

Podemos nos ver agora? (21:02)

Assim que levantei o olhar vi ele saindo da mesa e passando ao lado da minha discretamente, com um sorriso ladino no rosto, maldito... — Vou ao banheiro, eu já volto. - Dei qualquer desculpa para meus pais e Jaehyun, me levantando em seguida.

Segui Jaemin até o jardim e olhei discretamente para trás, checando se meus pais não estavam me observando, felizmente não estavam. Quando cheguei no local em que o rosado havia combinado, não o avistei, deve ter ido ao banheiro primeiro. 

— Procurando por mim? - Ouvi a voz de Jaemin atrás de mim e senti suas mãos em minha cintura, me virando para si e me puxando para perto.

— Claro. - Dei um sorriso e ele fez o mesmo, selando meus lábios rapidamente. - Você está lindo hoje, Nana.

— Só hoje? - Fez um biquinho e eu revirei os olhos, arrancando um riso seu. - Você está sempre linda, como eu disse. Cara, qual a probabilidade de estarmos no mesmo local na mesma hora? Fiquei em choque quando vi você aqui.

— Também pensei isso, mas fiquei feliz por conseguir ver você. Eu acho que estou me apegando demais, isso não é bom. - Fui sincera e ele me encarou sério, parecendo pensativo.

— Eu também estou. Mas se você quiser a gente se afasta um pouco... - Disse num tom baixo e eu levei a mão até seu rosto, acariciando suas bochechas, o fazendo sorrir.

— Eu não quero, por incrível que pareça. - Jaemin abriu um sorriso grande e selou meus lábios mais uma vez, apertando minha cintura.

Nosso beijo foi mais profundo, nossas línguas se entrelaçavam com saudade, explorando nossas bocas com calma. Quando o ar se fez ausente nosso beijo foi finalizado com Jaemin selando meus lábios lentamente várias vezes, mantendo nossas testas coladas; meus olhos se mantinham fechados e eu estava apenas aproveitando aquele momento.

— Jaemin? Quem é essa garota, meu filho? - Ouvimos uma voz masculina e abrimos os olhos, olhando para onde a voz vinha.

— Pai, essa é Jung Yerim, a garota que eu gosto. - Ele disse seguro de si e minhas pernas amoleceram, meu coração bateu mais rápido e eu encarei o pai de Jaemin, nervosa.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...