1. Spirit Fanfics >
  2. Cartas de Amor - Em Hiatus >
  3. 9- Um encontro

História Cartas de Amor - Em Hiatus - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Oi! Não sei para postar ontem porque a luz de casa ficou caindo, aí sem energia, sem internet. Então não deu para postar. Mas agora está tudo resolvido!

O começo do capítulo é da Jirou com o Kaminari, mas o final é do Midoriya. Leiam até o final, vai ter uma cena que vocês vão gostar!

Boa leitura!

Capítulo 9 - 9- Um encontro


Jirou Kyoka 

Depois que a Yaomomo se acalma e consegue dormir, eu e as meninas vamos para os nossos respectivos quarto. Noto que a Uraraka está um pouco tensa, talvez por causa das cartas que o Midoriya anda recebendo.

Depois que tomo banho, fico de toalha deitada na cama. Chega uma mensagem no meu celular.

[26/11 8:40 PM] Kaminari: Manda um nude aí, gata.

Até derrubo o celular da mão.

O que raios significa isso? O Kaminari me pedindo nudes? Ele ficou doido ou o que? Quem chega pedindo fotos desse estilo? Eu nunca mandaria uma foto dessas!

A mensagem é apagada.

Acho que ele queria mandar isso para outra garota.

Que tarado! É tão errado pedir nudes. Fotos podem vazar e aí dá um problemão. Outra mensagem chega e eu já me preparo para xingar.

[26/11 8:42 PM] Kaminari: Desculpa aí, foi pra pessoa errada.

[26/11 8:42 PM] Jirou: Seu tarado. Não sabe tratar uma menina direito e fica pedindo fotos delas peladas.

[26/11 8:43 PM] Kaminari: É só uma foto. Não é nada de mais.

[26/11 8:44 PM] Jirou: E se vaza? Sua foto pelado pode estar por todas as redes sociais.

[26/11 8:44 PM] Kaminari: Não mostro o rosto.

[26/11 8:44 PM] Jirou: Às vezes você é pior que o Mineta.

Ele para de responder.

Levanto da cama um pouco triste.

O Kaminari é uma pessoa tão horrível. Ele pode ser bondoso e querer ser super herói, mas é um tarado que só pensa em sexo.

A porta do quarto é aberta de uma vez só.

- O que?! - me escondo com a toalha. É o Kaminari.

- Oi… - ele me olha de cima a baixo de um jeito malicioso. - Vou esperar você vestir a roupa, abre a porta quando estiver vestida. - nisso, ele sai e fecha a porta.

Eu queria entender por que ele não fez um comentário malicioso. Ou sei lá, avançou em mim para me beijar. Garotos tarados deveriam fazer isso, certo? E também, eu não sou uma criança. Já tenho dezoito anos e se ele quisesse fazer sexo comigo eu…

Quem eu quero enganar? Eu moro de medo de sexo. Seria assustador se o Kaminari tentasse abrir as minhas pernas.

Visto a minha roupa e abro a porta.

- Finalmente. - entra. Bate a porta e a tranca.

- O que você veio fazer aqui? - Kaminari continua me olhando, espero que gostando do meu pijama roxo.

- Vim esclarecer uma coisa. - se joga na minha cama. - Eu não sou igual o Mineta.

- É só isso? Pode ir então. - aponto para a porta.

- Também quero a minha carta de volta.

- Por quê?

Eu não vou devolver uma carta que eu escrevi. Ela é minha.

- Porque foi a coisa mais fofa que uma menina fez por mim. - me sento ao seu lado.

- E o que as outras meninas fizeram? - suas bochechas ficam vermelhas. - Você é um safado.

- Um pouquinho, talvez. Mas vem cá, você quer mesmo saber? - a pergunta dele roda na minha cabeça e não sei o que dizer. Eu quero saber? - Sei que você é tímida, mas se quiser saber…

- É que, Kaminari, eu nunca tive contato com essas coisas. - coço a nuca. - Já você...

- Nunca? Não brinca. Você certamente já viu pornô, né? - balanço a cabeça negativamente. - Então, já se tocou?

- Como assim se tocar? Eu tô tocando no meu corpo.

- Não isso, Jirou. Tô falando de masturbação. - fico vermelha. - Você já… brincou?

- N-Não! Claro que não! - com vergonha, cubro meu rosto com as mãos.

- Por que a vergonha? É uma coisa tão natural.

- Não é natural! É nojento!

- Para com isso. - puxa meu rosto com a mão, se sentando no processo. - Brincar com o seu corpo é o que todos devem fazer. Sabem o que dizem… você tem que saber mexer no próprio motor antes que alguém abra o seu capô.

Quando ele termina de falar, minhas bochechas estão queimando de vergonha.

- Você fala cada coisa. - afasto meu rosto da sua mão.

- Mas é sério! Masturbação é natural, assim como sexo. E bem, é muito gostoso. - diz a última parte num tom malicioso. - O que você sabe sobre sexo, Jirou?

- O que eu sei? - tento me lembrar das aulas de biologia. - Tem a vagina e o pênis, aí eles se junto e dá sexo. Depois vem o bebê. Pronto, acabou. - Kaminari começa a dar risada. - Para de rir!

- Deixa eu te contar um segredinho. - Deixa a boca pertinho do meu ouvido, o que me faz ter um arrepio muito bom. - Sexo é maravilhoso. A sensação é tão gostosa que você se sente nas nuvens. E quando começa, você não quer parar de jeito nenhum.

- K-Kaminari!

- Para de ter vergonha! Eu sou seu melhor amigo, pode falar comigo sobre isso. - joga o braço em volta dos meus ombros. - Temos intimidade o suficiente para falar qualquer merda que quisermos. Tipo, me conta, você nunca beijou, né?

- Por que quer saber disso? - deito a cabeça no ombro dele sem querer, mas resolvo ficar desse jeito.

- Sei lá. Acho que você ainda é bv.

- Você é idiota, mas está certo. Eu sou bv. - murmuro. Kaminari encosta a cabeça dele na minha.

- Não pretende perder?

- É… Não sei. Kaminari, acho melhor você ir pro seu quarto. Se te pegarem aqui vou tomar uma suspensão enorme.

- Eu também vou. Então pelo menos vamos estar juntos, na merda, mas juntos. Jirou, posso dormir com você?

- O que?! - afasto-me dele e fico de pé, o olhando assustada. - Do-Dormir? J-Juntos?

- Não pensa besteira. Eu só... - suas bochechas estão vermelhas. - É gostoso ficar abraçando você e dormir assim deve ser melhor ainda.

Agora sou eu que estou com vergonha.

- Você fala cada coisa! - dá uma risadinha. Suas mãos vai para a minha cintura e me puxa mais para perto. - Kaminari, o que foi?

- Dorme comigo hoje.

Midoriya Izuku

- Todoroki-kun, oi! - digo assim que abro a porta e posso ver o bicolor parado na minha frente. - Precisa de algo?

- Na verdade, sim. - dou espaço para ele entrar.

- Sente-se, fique à vontade. - se senta na cama. Pego a minha cadeira de rodinhas e me aproximo. - Então?

- Eu descobri quem me enviou a carta de amor. - meus olhos se arregalam. Curioso, mostro um olhar que indica para ele continuar. - Foi a Yaoyorozu.

- Eita! - fico sem uma resposta melhor. - Eu nunca imaginei que ela pensaria sobre namoro.

- Eu também não. Na verdade, a Yaoyorozu me parece a garota que é focada nos estudos e no sonho em ser heroína, não em… beijar um garoto.

- Realmente. Mas o que você vai fazer? Ou já fez algo?

- Conversamos e eu disse que não tenho sentimentos por ela.

Essa sua frase me deixa um pouco aliviado. Sei muito bem o motivo disso, mas prefiro não comentar.

- Ela ficou triste?

- Sim. Eu escutei a Uraraka conversando com a Ashido esses dias, parece que a Yaoyorozu chorou bastante. Estou me sentindo mal por magoa-la, mas não sei o que posso fazer. Não posso ficar com alguém por pena, seria muito cruel.

- Tem toda a razão. Ela vai superar, pode demorar um pouquinho, mas logo ela vai estar bem como sempre! - digo para tranquiliza-lo.

- Obrigado por me escutar, Midoriya. Você é um ótimo amigo.

Minhas bochechas esquentam.

- Todoroki-kun, você também é. - desvio o olhar.

- Posso fazer uma pergunta?

- Claro.

 - Quer sair comigo nesse final de semana?


Notas Finais


Até semana que vem! Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...