1. Spirit Fanfics >
  2. Cartas de amor antes de morrer (Reescrevendo) >
  3. Capítulo 2

História Cartas de amor antes de morrer (Reescrevendo) - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo 2


Estranhamente, foi mamãe que escolheu minhas roupas naquele noite. Ela estava revirando o guarda roupa em busca de algo útil e começei a sentir pena de suas mãos. Os cabides estavam fora do lugar assim como eu.

- Quer algo mais feminino?- ela perguntou enquanto enxugava o suor da testa.

- Não sei se você vai encontrar.

Estou na cama, fitando o teto e batendo os pés no ritmo de uma música esquecida ao invés de ajudá- la. Mamãe poderia me bater com um cabide caso o fizesse.

Em minutos, uma saia vermelha surgiu diante de meus olhos. Em seguida, há uma camisa polo com flores da mesma cor que me fazem imaginar várias coisas.

- Estas servem.

- Hum.

- Não conheço pessoas com a alma vermelha- Mamãe se sentou no meu lado, frustrada.

- Isso é bem difícil- falei, refletindo. Será  que alma de Seokjin era vermelha?

No estacionamento, abri um sorriso para minha mãe em uma declaração de amor tímida. Ela beijou minha testa e temi que houvesse suor cancerígeno. Já na fila pra comprar bilhetes, Seokjin não estava tão diferente de um espírito do bem. As fadas talvez o tenham adornado. Ele vestia calças pretas e camisa branca, e Hoseok, bastante atraente, jazia ao seu lado, cutucando com o indicador um botão luminoso de seu casaco escuro. Ele sorriu ao me ver.

- Está bonita, Summer- Jin diz e sinto que posso desmoronar. 

- Obrigada.

- Jungkook foi comprar refrigerante junto com os dois- Hoseok comentou.- Vão fazer xixi a cada dez minutos.

Depois que o filme começou, Yoongi foi o primeiro a sair para usar o banheiro. Não me importei quando ele sem querer tropeçou no meu pé e sussurrou desculpas. Estava observando Seokjin. Naquela escuridão decidi ignorar a tela pra me concentrar nele. Decidi que também não ia chorar, apesar de meus lábios começarem a tremer de modo irritante. Senti que era tão triste que podia magoar os outros.

Seokjin, cabelos tingidos de amarelo, olhos negros e lábios atraentes. Uma pessoa que se sente bem com olhos curiosos sobre os seus. Seokjin, que possui um irmão tão recluso e sentimentalista que me deixa melancólica. 

Jungkook, que guardava um segredo triste como o olhar de um demônio apaixonado. Yoongi era observador como um demônio...

                        ***

Depois de desperdiçar uma hora e meia de minha vida, a luzes do cinema surgiram tão inusitadamente que realmente pensei que fosse um sinal. Os garotos começam a recolher suas coisas e iniciam uma conversa tradicional e envolvente.

- O que achou do filme, Sun?- É Hoseok quem pergunta.

Percebi então que sequer sei o nome do bendito filme.

- Bom...- murmurei.

- Foi o pior filme que já vi na minha vida- diz Yoongi, aborrecido.- Não acredito que gastei dinheiro com isso.

- Você diz isso porque o filme ideal deve ostentar sangue e essas outras coisas - falou Jin.- Concordo com Summer.

O Kim pôs as mãos sobre meus ombros. E depois desse gesto, passei a noite em claro com a mente em confusão. Tentei respirar com normalidade mas o que o universo ne deu em troca foi uma dor esdrúxula. Senti medo. Queria correr por todo o mundo.

Fui escoltada até minha casa, entregue à minha mãe, atormentada por sentimentos chatos.

Escrevi porque senti que iria explodir.

"Querido Jin,

Estou sentindo algo estranho. Faz dois dias que sinto borboletas no estômago. Há também calafrios que percorrem meu corpo em uma sequência rápida e confusa. Quando durmo, minha cabeça e meus olhos se fecham com a súbita vontade de se abrirem. Mamãe não para de falar que está me perdendo para uma bolha periódica.

Hoje pude observar seus traços com calma e concluí que seria difícil retratá - lo em uma obra. Você é difícil e detesto quando as coisas vão além de minha capacidade. É nessas horas que me sinto como um extraterrestre.

Jin, já não consigo ser boa demais. Não sei se isso é bom ou ruim. Não se esqueça que eu te amo.
                                                    Com amor,
                                                      Summer."

                       ***

Na manhã seguinte, meus olhos estavam duros como pedra. As pálpebras superiores quase não se desgrudaram das inferiores por conta das lágrimas secas. E mesmo assim, às 06:00 horas da manhã, andei pela casa como um fantasma. 

Senti a madeira fria sob meus pés descalços, absorvi o cheiro de mofo e toquei as paredes decoradas tentando encontrar familiaridade com aquele toque quase ancestral. Havia quadros nas paredes, e em um deles, um homem bonito e radiante. Seria a primeira vez que vejo uma pessoa de alma vermelha?

- Mãe - grito por extinto.

Em segundos, mamãe está na soleira da porta com os cabelos presos e as mãos molhadas. E eu sabia que havia lhe provocado um mini infarto. E que poderia levar um tapa na orelha.

- O que foi? O que aconteceu?

Ela pareceu uma daquelas pessoas que sentem que tem algo de errado na hora errada.

- Mãe, quem foi meu pai?- foi a minha explicação.

Ela soltou um suspiro trêmulo e passou as mãos finas pela cabeça com a excitação no sangue diminuindo. Talvez quisesse me matar naquele momento.

- Agora?- ela perguntou.

- É, agora.

- Parece importuno. Você acabou de acordar.

Meu suspiro foi tão alto que minha cânula nasal saiu do lugar. Mamãe sabia me drogar.

- Ele me parece estranho- falei por fim.

- Mas é estranho, Summer.

- Por isso preciso que me diga sobre ele.

Ela coçou o queixo, pensando em como seria difícil descrever o pai suicida de sua filha. 

- Emmet Wattson. 31 anos. "O gostoso misterioso".

- Ele não parece gostoso.

- É um estranho pra você- ela retrucou, erguendo as sobrancelhas enormes e ameaçadoras.

Olhei mais uma vez para a fotografia e tentei entender aquele mistério desnecessário pra minha vida.

- Ah, ele ganhou alguns quilos depois que saiu da faculdade- ela disse.

                        ***

Assim que adentrei a sala, Jimin veio ao meu encontro com uma leveza empolgante. Os fios loiros frontais estavam úmidos por conta do suor que brotava da mínima testa oculta.

- Precisamos conversar- foi a primeira coisa que disse enquanto agarrava meus braços finos. Sua voz mergulhada em euforia me causou arrepios.

- Não tenho outra escolha- respondi com a cabeça girando.

- Jungkook. Aniversário.

Ele sequer formou uma frase.

- Hoje? Então deixe que eu vá dar os parabéns...- tentei chegar até Jungkook que rabiscava em seu caderno, mas Jimin pareceu surtar. 

- Hoje não. Tentei convencê-lo a fazer uma festa mas quase perdi os olhos.

Observei seus olhos grandes. Bom, pareciam grandes. Quase pude me ver refletida neles como em um daqueles sonhos malucos.

- Ele simplesmente odiou a idéia.

- Talvez eu consiga convencê-lo.

Jimin sorriu com certa urgência.

- Boa sorte com a fera.

                               ***

- Não.

As palavras saíram lentamente. O som foi tão bem pronunciado que os olhos de Jimin se encheram de lágrimas.

- Mas Hyung!- o loiro tentou. 

- Não quero- Jungkook cruzou os braços em um perfeito "X".- Quer que eu desenhe?

- Só queremos comemorar com você- quis argumentar.- Você é nosso amigo.

- Ainda não vejo motivos pra programar uma festa. Não temos dinheiro nem pra comprar cuecas novas.

- Sabe que temos- Jimin é quem cruza os braços agora.

Ambos pareciam disputar algo que intimamente me excluía. Me excluía em um modo que não deixava minha mente perturbada. 

Jungkook decidiu que seria melhor rabiscar seu caderno velho e perigoso.

- Onde está Seokjin?- perguntei, aturdida.

Jungkook decidiu que seria melhor me encarar. Senti meu corpo magro em chamas.

- Banheiro.

- Hoseok?

- Sala de informática.

- Yoongi?

- Em um lugar que não me interessa.

- Poderiam estar aqui- Jimin diz com a expressão aborrecida.- Jungkookie, seu aniversário é amanhã e seus amigos estão por perto. O que há de errado?

Eu realmente cheia a frase de Jimin inocente, mas Jungkook o encarou com tanta intensidade que senti como se ali houvesse uma hostilidade não vingada.

Então o Jeon estava tão perto do loiro que o ar parou.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...