1. Spirit Fanfics >
  2. Cartas para você >
  3. Capítulo 14

História Cartas para você - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


(dicionário)
memorar - lembrar
abrupto - rápido

Capítulo 14 - Capítulo 14


Fanfic / Fanfiction Cartas para você - Capítulo 14 - Capítulo 14


Eu estava tonta, minha cabeça parecia uma bomba relógio prestes à explodir. Me sento na cama ainda à sentir-me mal, até memorar dos flashbacks da noite passada.

Bar

Yura

Hyuk ... Mingi?

Bebida

Eu havia bebido muito? De certo, é um dos mais óbvios motivos para eu ter tanta dor de cabeça esta manhã. Desligo o alarme de meu celular que acionava brevemente e pisco meus olhos algumas vezes – vai ser muito difícil voltar para a realidade?

Me levanto ainda cambaleando e percebo que estou com as mesmas roupas da noite passada. Como eu vim parar em minha casa? Não sei, apesar de ser inteligente, tenho uma péssima memória. 

A casa estava um silêncio como de costume. Eu admirava isso, meu bairro era calmo e dificilmente você era incomodado por alguma coisa ou alguém. O que me restava ótimas noites de sono, se não fosse a medicina enchendo meu saco.

Voltava para o banheiro até escutar um estrondo vindo da cozinha, minha casa não era tão grande assim e tinha suas vantagens. 

As paredes definitivamente tinha ouvidos.




— O que foi isso?– Pergunto para mim mesma após enfim permanecer um silêncio, reuno a pouca  coragem que tenho e resolvo ir até a cozinha me dando de cara com uma senhora – O q-que faz aqui?

— Ah, imaginei que acordaria agora.                        – Ela sorriu, eu a reconheci olhando bem, morava na casa ao lado juntamente de seus gatinhos que sempre me fazem companhia no jardim – Desculpa fazer barulho e te acordar assim.

— O que a senhora faz aqui em minha casa?        – Interrogo confusa e caminho até a mesma ao ver  que ela mexia em algumas coisas da cozinha —

— De madrugada eu escutei alguns ruídos, pensei que alguém tentava invadir sua casa mas na verdade era um garoto bonito com você nos braços.    – Poderia-se dizer que a senhora tinha em torno de seus 60 anos, por aí. Ela parecia bem simpática, sempre que eu a via na porta de casa quando chegava da faculdade, ao menos, nunca trocamos falas longas– Seu namorado não parecia muito paciente e eu queria ajudá-lo pois parecia que você não estava muito bem.

— N-namorado?– Interrogo surpresa. Quem raios poderia ser? Garoto bonito? Bem, Mingi era um dos mais bonitos das faculdade e realmente portava um ótimo visual. Poderia ser ele? Não sei,  mas  estou curiosa. Em minha mente eu julgava ser ele. Carregada nos braços? Quanta intimidade. – Mingi não é meu namorado.

— Mingi? Ah...se me lembro bem, não era esse nome do rapaz. – A mesma fez uma expressão pensativa, o que me fez de certo duvidar... Se não foi Mingi o garoto bonito que me carregava naquela hora da madrugada, quem poderia ser?– Choi...

— Choi?– Pergunto mais uma vez a encarando, até notar do que realmente estava cogitando. Em uma madrugada da qual eu havia bebido muito, um garoto bonito me carregou até minha asa. Esse garoto seria Choi San? Não. Não mesmo. O que ele faria naquele mesmo lugar?–




Mingi o chamou; meu subconsciente foi abrupto ao cogitar essa opção.




— Não...não mesmo...isso não aconteceu, não, não. – Digo para mim mesma enquanto negava freneticamente – Choi San?

— Bem, não estou lembrada do nome dele, lembro-me apenas que ele dizia que eras muito idiota. – A senhora ditou e a olho –




Esperanças acabaram. Como se fosse um vaso de mármore sendo quebrado, uma torneira sendo ligada ou mesmo como um vento entrando momentaneamente por uma janela.

Choi Hyuk, sem sombras de dúvidas. 




— Choi Hyuk, apenas ele diz o quanto sou idiota. – Retruco dando de ombros e vejo sua expressão mudar, ela aparentou estar feliz com o fato de que lembrei o nome do garoto –                         Acho que não me dou bem com bebidas.

— Não há problemas, vivendo uma vida de universitária não vejo mal em se divertir um pouco. Mas seja moderada. – Avisou, passando por mim – Ajudei a te colocar na cama e resolvi vim hoje cedo para preparar uma sopa, se alimente bem e não se atrase muito.

— Obrigada, muito obrigada.– Faço a reverência e logo a vejo se despedir. Ela parecia ser legal e muito generosa ao fazer uma refeição matinal para mim. Depois de comer a sopa da qual ela havia preparado, resolvi me arrumar para mais um dia –




(...)




— Eunbi! Você chegou atrasada...– Yura notou assim que me viu caminhar pelos corredores. Com razão, eu realmente havia perdido meu primeiro ônibus, a ressaca ainda fazia efeito e passei numa farmácia para comprar um remédio –                              Ya! Está tudo bem?

— Não vê a cara dela? Parece que foi atropelada por cinco caminhões ao mesmo tempo só nessa manhã. – Hyuk chegou e parou ao seu lado–    A alecrim dourado sequer vai me agradecer?

— Falem baixo, minha cabeça ainda dói.                – Reclamo os encarando –

— Você bebeu muito ontem, e fez outras coisas também... – Yura citou me encarando e vejo Hyuk fazer um sinal para a mesma –

— Você é pesada sabia? Meu ombro está doendo de tanto te carregar.– O garoto voltou a falar e o interrompo –

— O que eu fiz noite passada?– Interrogo– Além de ficar bêbada, claro.

— Você não ficou quase pelada no meio de todos, como outras pessoas. – Hyuk parecia pensativo e Yura o bateu – Posso te processar por utilizar agressão física em um momento como esse, sabia?

— Ya! Ele não ficou quase pelado na frente de todo mundo. Apenas quase tirou a camisa.                      – A mesma dizia emburrada –

— Quem ficou bêbado também?                              – Pergunto baixo –

— Você e Mingi foram os que mais beberam entre nós. Aquele poste humano parecia um maluco, cantando frozen no meio da rua e tentando convencer ao taxista que realmente soltava gelo das mãos. — Hyuk indagou e solto uma leve risada –     Mas teve outros que se superaram.

— Não me diga que esses "outros " foi eu...       – Bufo desanimando – 

— BINGO! – Hyuk gritou sorridente –

— O que eu fiz? Apenas diga.                                    – Fecho meus olhos após um longo suspiro –

— Se importaria em mais uma pessoa saber que você gosta do San?– Yura indagou receosa e arregalo meus olhos de imediato – Digamos que isso aconteceu.

— Parabéns, quer presentinhos?                              – Hyuk debochou sorridente, me encarando –





Notas Finais


Ooi, espero que tenham gostado de mais um capítulo e me desculpem a demora para a postagem, qualquer erro ortográfico ou de coerência apenas ignoremkkkkkkk


Deixem o feedback de vocês ❤
Espero que estejam mesmo gostando, tem várias coisas vindo por aí...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...