1. Spirit Fanfics >
  2. Cartas Pra Você >
  3. Primeira part. II

História Cartas Pra Você - Capítulo 20


Escrita por: ElektraVieira

Capítulo 20 - Primeira part. II


Eles chegaram na porta de um dos quartos e Sakura segurou na maçaneta, até que ouviu seu namorado:

— Sakura?

— Sim, o que houve?

— Você não acha meio cedo, pra gente... Você sabe, não é?

— Para de pensar nisso Sasuke-kun, meu Deus do céu.

— Então você...

— Eu quero ficar num lugar privado com meu namorado, qual o problema? Eu não quero que os empregados da sua mãe, vejam a gente namorando.

— Ah tá.

— E eu sei que você tem uma camisinha, bem ai no seu bolso esquerdo.

— O quê?

— Eu não sou idiota.

— Eu... Eu peguei, caso a coisa fosse rolar, entende, responsabilidade.

— Responsabilidade é? Sei.

Ela abriu a porta do quarto, e ambos deitaram em uma cama, e ficaram se olhando, até Sakura perguntar:

— Sabe eu sempre me perguntei... Porque pessoas ricas, tem vários quartos em casa?

— Eu também. – Sasuke respondeu.

Ambos ficaram no quarto deitados, conversavam sobre as coisas da vida, inclusive sobre o pai de Sasuke que nunca mais deu sinal de vida.

— Depois que o Itachi assumiu a vice-presidência, o pai parou de pegar no nosso pé, até porque ele sempre quis isso.

— Mas se a empresa é na realidade da sua mãe, por que seu pai banca de dono dela?

Sasuke entortou a boca, aquilo era uma pergunta que ele nunca tinha se feito, ele olhou pra namorada e disse:

— Pra ser sincero não sei.

— Depois daquele dia, vocês dois...

— Não, meu pai agora me odeia.

Sasuke levantou da cama e suspirou fundo, Sakura então colocou delicadamente sua mão esquerda no ombro do namorado e disse:

— Se quiser chorar... Chora, não precisa ter vergonha.

— Não, eu prometi a mim mesmo, que não iria chorar por ele, a não ser no dia do seu enterro.

— Ai credo Sasuke-kun.

— O que? Uma hora, todos morrem.

— E você quer que seu pai morra, assim, agora?

— Agora não, mas eu quero que morra.

— Você precisa tirar esse ódio todo do seu coração, Sasuke-kun.

— Eu não sinto ódio dele, só é decepção mesmo, mas quando ele vê nossa banda fazendo sucesso, ele vai voltar... Eu sei que vai. – Sasuke deu um sorriso de canto, e Sakura sentiu seu coração esquentar, o sorriso dele era a luz do coração.

— Então, vamos parar de falar daquele meu sogro mané, e voltar a namorar.

Sasuke pegou Sakura e a colocou no seu colo:

— Eu te amo Sakura Haruno.

— Também te amo Sasuke Uchiha.

Eles ficaram namorando no quarto durante um tempo, e depois foram assistir filme na sala, quando estava escurecendo ela foi embora, e na hora do jantar, Mikoto perguntou:

— Você e a Sakura?

— Não rolou nada mamãe, ficamos assistindo televisão, e ficamos conversando coisas... banais.

— O papai? – Itachi perguntou pro seu irmão, que fez sim com a cabeça e Mikoto suspirou, ela sabia que os meninos sofriam por causa do Fugaku, mas depois de tentar matar seu caçula, voltar com ele estava fora de cogitação.

— Então você apenas desabafou, com a Sakura, sobre o seu pai...

— Sim. O que é que tem?

— Nada filho, aliás, namoradas são pra isso também.

— Ele era durão mas no fundo gostava dele.

— Hey não fala como se o velho tivesse morrido, aliás, ele me mandou te dá um presente.

— Um presente pra mim? Itachi você tá me zoando, né?

— Digamos que antes do tio Madara ir pro Havaí ele fez só elogios, pro papai e ainda falou sobre a minha ideia de você virar garoto propaganda da empresa.

— E você sabe não é Sasuke? Seu tio sabe muito bem, como manipular as pessoas, e o Fugaku não está ileso dele. – Mikoto comentou.

— Eu sei.

Depois de comer Mikoto chegou pro seu filho e disse:

— Quer fazer as pazes com o seu pai?

— Mãe...

— Eu não vou ficar brava filho, muito pelo contrário, vou ficar feliz da vida, porque meu casamento com o Fugaku acabou, mas ele vai ser sempre seu pai.

— Eu sei... Acho que preciso de mais um tempo.

— Ele é seu pai.

— Eu sei. Mas mesmo assim, valeu mãe.

Sasuke abraçou Mikoto que por sinal segurou suas lágrimas, afinal ela sabia que seu menino estava sofrendo, depois eles desfizeram o abraço, e ele foi pro quarto, quando chegou lá, Itachi foi logo entregando:

— Esse é o presente do velho?

— Um videogame?

Ele pegou o aparelho, mais precisamente um mine videogame portátil, Itachi sorriu e disse:

— Esse ai ainda nem foi lançado.

— Não me diga que...

— Essa vai ser sua vantagem irmãozinho tolo, como garoto propaganda, você vai ganhar, videogame, consoles e etc.

— Tá ai, adorei.

— Só não sei se a sua namorada, vai gostar.

— É... Agora porque o Fugaku, tá querendo me dar essas coisas? Ele nunca quis antes...

— Talvez ele tenha percebido que agiu feito um idiota, e como ele caiu na real, deve tá arrependido.

—  Será? Itachi nosso pai...

— Infelizmente ele é um humano, tem sentimentos, e pode ter se arrependido.

— É... Mas mesmo assim...

Itachi abraçou Sasuke, que chorou, e o mais velho disse:

— Isso irmãozinho, chora tudo o que tá preso ai, eu tô aqui com você.

Sasuke foi parando de chorar aos poucos, mas nem ele e nem o Itachi fazia questão de se separar.

— Eu destruir...

Itachi largou o menor e olhou nos olhos dele, enquanto segurava o ombro dele.

— Nunca mais diga essa frase, okay? Foi o nosso pai que vacilou, não você, Sasuke você é meu sonho realizado.

— Como?

— Eu nunca te contei que quando criança, eu me sentia sozinho, e vivia pedindo pro papai e pra mamãe um irmãozinho?

— Não.

— Então, meu desejo foi concedido e o melhor, um homem que nem eu.

Ambos deram risada e depois se abraçaram de novo, e depois disso foram dormir.

Quando acordaram, eles se arrumaram e Sasuke foi pra escola, e seu irmão e sua mãe trabalhar, quando chegou lá, viu todos seus amigos reunidos, e disse:

— Hey bando de idiota, olha o que meu velhote me deu? E detalhe, ainda nem foi lançado.

— Caraca Sasuke, eu voltava a falar com o meu pai na hora.

Sakura e as outras meninas chegaram perto, e a rosada falou:

— É sério Sasuke-kun?

— Sim. O Itachi me disse, que ele resolveu me dar esse mini videogame apenas pra testar, até porque eu vou ser o garoto propaganda, e todos os videogame, jogos e afins são todos meus.

— Ah não teme, é a banda inteira.

— Não Naruto, só eu.

— Mundo injusto. – Sai disse e Neji concordou.

— Mas vai ter pra mim, não é? – Sakura perguntou.

— Você joga? – Sasuke perguntou assustado.

— Sim, por quê?

— Nada.

— Só por eu ser mulher, eu não posso gostar de jogar?

— Não é isso, é que a gente nunca falou sobre isso, e também você é treinee de uma empresa de entretenimento... Então...

— Tá... Sei... E aquele assunto de ontem...

— Okay.

Todos sentaram quando viram o professor chegar, dessa vez era o Iruka e não o Kakashi, então não havia atrasos, foram três aulas seguidas de física, quando acabou Sakura pegou a mão de Sasuke e o levou pra um lugar escondido na escola.

— O que houve?

— Não consigo parar de pensar sobre ontem.

— Queria que rolasse?

— Sim.

— Então hoje depois do ensaio rola.

— Sé- sério?

— Sim, porque eu também quero... Pra valer, sem enrolação.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...