História Carved for Devil - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lucifer, Originais, Shawn Mendes, Taylor Swift
Personagens Lucifer Morningstar, Personagens Originais, Taylor Swift
Visualizações 19
Palavras 2.993
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Haaa olha quem voltoou, espero que gostem desse capitulo <3
espero ansiosamente vocês nos comentarios <3
Quero agradecer a betagem maravilhosa para a Nutella do Fuck D. <3


PLAYLIST DO CAPITULO
notas finais~~~~~

Capítulo 5 - Chapter Three


Fanfic / Fanfiction Carved for Devil - Capítulo 5 - Chapter Three

 

Continuei andando calmamente pelos corredores iguais da mansão de Lúcifer, isso mais parecia um labirinto do que uma casa, mas depois de se perder algumas vezes você acaba decorando os caminhos sem nem perceber. Carregava uma bacia cheia de maçãs suculentas e recém-colhidas.

O carpete acompanhava ponta a ponta da mansão, e não ouvir meus próprios passos ainda consegue me deixar bem nervosa. Virei à direita e mais a frente pude ver a entrada para a cozinha, três mordomos saíram de lá de dentro apressados.

— Bom dia — Disse a eles sorrindo quando passaram por mim.

— Bom dia, Sky — Me responderam em uníssono.

Finalmente passei pelas portas de vai e vem da cozinha, me deparando com a confusão eminente ali.

— Bom dia — Falei alto enquanto contornava alguns empregados, finalmente cheguei perto do fogão e me sentei-me à mesa que tinha no canto da cozinha.

— Bom dia pequena Sky — A senhora Tânia disse se virando para mim com um doce sorriso no rosto, ela esticou a mão e acariciou meu queixo logo voltando a se concentrar no que tinha no fogo.

— Trouxe as maçãs fresquinhas — Tânia era a melhor cozinheira do estado, Lucifer claro sempre ganancioso, gosta de manter os melhores ao seu redor, toda equipe de cozinha dele é feita pelos melhores.

Assim também como qualquer outro empregado que ele tivesse contratado.

Tânia tirou a colher de dentro da panela colocando-a ao lado e então se virou caminhando até onde eu tinha colocado a bacia cheia de maçãs.

Lucifer adora torta de maçã, e todas as quartas de manhã dona Tânia faz a sua maravilhosa torta para ele, claro as maçãs tem que ser colhidas logo cedo do pé, e como ao lado dos dormitórios fica a enorme macieira, eu já aproveito e pego algumas maçãs para ela, e em troca ganho um delicioso pedaço da torta.

Tânia pegou uma das maçãs na mão a apalpando querendo ver se eram boas mesmo.

— Você sempre escolhe as melhores — Ela disse com um sorriso no rosto.

— Como vai a nossa garotinha? — Escutei Charlotte falar atrás de mim, e ou me virar em direção à voz percebi que o movimento ali diminuirá agora as minhas duas cozinheiras favoritas estavam sozinhas na cozinha, e sabia o quanto isso poderia ser desastroso.

— Eu vou esplendidamente bem — Disse sorrindo a ela.

— Harry não voltou a lhe incomodar? — Ao escutar o nome do meu ex-namorado revirei os olhos.

— Acho que ele entendeu que acabou entre-nós — Disse decidida e fechando a cara.

— Você não deveria esnoba-lo desse jeito — Tânia disse enquanto voltava à panela.

— Não estou o esnobando, é só que simplesmente ele não faz o meu tipo, e não tem o porquê de ficar iludindo-o. — Não era mentira, só não estava contando tudo que tinha acontecido.

As duas riram, eu revirei meus olhos, já sabiam o que elas diriam.

— Você não tem tipo — Falaram as duas em uníssono e tudo que consegui fazer foi jogar a minha cabeça para trás enquanto ria.

Há exatos um ano atrás, Lúcifer tinha me escolhido dos cinco que passaram para ser de seu exército pessoal, desde então venho morando no alojamento junto com vários outros soldados.

Na primeira semana aqui, me perdi nos enormes e iguais corredores, e acabei parando na cozinha, Tânia e Charlotte foram às primeiras pessoas que conheci ali, e de cara eu as adorei.

Depois de cinco messes elas decidiram que eu precisava de um namorado, passará por cinco encontros às cegas até conhecer Harry, braço direito de Lucifer.

Harry é como o mar, pode ser maravilhoso, calmo e te fazer feliz, mas assim como o oceano muda drasticamente se tornando alguém bem diferente do que parecia.

Infelizmente para ele, eu não sou de abaixar a cabeça, e quando levantou uma mão para mim saiu com os dois braços quebrados.

Depois de tê-lo ameaçado fortemente, decidi não contar a ninguém o que havia acontecido, não por vergonha ou coisa parecida, é só que acho que ele tinha muito bem aprendido a sua lição, e se e contasse poderia muito bem acabar morto, e não quero a morte de mais ninguém em minhas mãos.

Então elas falarem bem dele me deixava enojada, mas infelizmente não poderia fazer muita coisa.

— Vocês tem que parar de tentar me arranjar homem, estou muito melhor sozinha. — Disse enquanto ficava em pé e me dirigia até a saída.

— Não pense que vai escapar assim tão fácil, dona Sky — Rindo eu passei pelas enormes portas voltando a dar de cara com o corredor.

———

— Preparada para apanhar dessa vez Sky? — Escutei Joseph falando atrás de mim, sorrindo me virei em direção a ele que entrava dentro do ringue.

Joseph e eu sempre treinávamos juntos, quando você chega à mansão, Lucifer te designa com alguém. Eu e ele não somos os melhores amigos, mas também não chegamos a ser inimigos.

Infelizmente para-nós ambos somos competitivos, e infelizmente para Joseph sou melhor que ele. Toda vez que treinamos o garoto tenta me derrotar, e toda vez ao final da luta sai perdendo.

— É só vir John — Disse, enquanto me posicionava para defender, na cabeça de John ele achou que dá um golpe forte e me pegar desprevenida daria certo, mas infelizmente para ele conhecia sua forma de lutar muito bem, então quando levantou a perna a fim de chutar minha cabeça com força, rapidamente peguei sua perna no ar, a girando e fazendo-o cair com tudo no tatami.

Voltei a ficar posicionada enquanto o via se levantar. John bufou no chão enquanto se levantava devagar.

— Odeio lutar — Reclamou enquanto entrava em posição, e se preparava para me atacar.

— Com licença — Escutamos alguém falar, e juntos nos viramos em direção ao som, um homem estava parado em pé na porta do estúdio de luta, seu terno impecável me dizia que era um dos homens direto de Lucifer.

— Bom dia — Disse educada tirando a luva e andando até as cordas.

— Bom dia, — Me respondeu e tomando fôlego continuou — Senhorita Sky o Sr. Lucifer requer a sua presença na sala dele imediatamente.

— Claro — Disse enquanto levantava as cordas para passar — Só irei me trocar e já vou até ele.

— Ótimo — O homem de terno disse e seguiu seu caminho enquanto me encaminhei para o vestiário.

— O que foi isso? — John veio perguntando atrás de mim, me seguia rápido.

Entrei no vestiário e não ligando se John ia olhar ou no que ia pensar, fui tirando a blusa preta colada, ficando com o sutiã esportista, coloquei a camisa do uniforme e troquei o short preto por uma leggin da mesma cor.

— Isso foi Lucifer me chamando para alguma missão — Falei a ele enquanto abria meu armário e me olhava no espelho.

Olhos azuis me encararam do outro lado do reflexo, junto do que todos diziam ser um lindo e delicado rosto. Eu alisei meus cabelos, e no final tinha gostado bem mais do que achei que iria. Sim, eu fiz isso por Lucifer.

Cresci ouvindo que o que ele falasse é lei, e como uma boa soldada obedeço quem faz as leis. Passei a mão alisando meu cabelo preso, e ajeitando a minha franja, uma coisa eu havia feito apenas por mim, o tom do meu cabelo agora não é mais aquele cobre que quase parece ouro, eu pintei-o e hoje ele está em um loiro perfeito, achei que talvez assim ficasse com menos cara de anjo e com algo que realmente parecesse, só não fazia ideia do que era.

— Você está indo para uma missão Sky, não para um show de moda — John falou caçoando.

— Cala essa boca, você nem tinha o porquê de estar aqui. — Falei e pegando minha bolsa me dirigi para a saída do vestiário que dava para fora do lugar.

Não era a primeira missão que fazia com Lucifer, e sabia que não seria a última. Mas toda vez eu sempre me sentia do mesmo jeito, nervosa, impaciente e ansiosa.

Escutava meu tênis pisar contra o chão de areia, enquanto finalmente chegava na entrada da mansão, limpei-os rapidamente para então entrar dentro da grande casa, onde andar era tremendamente silencioso.

Meus pensamentos continuavam a correr de um lado para o outro, mesmo que tentasse mantê-los em foco.

Talvez me sentisse assim, porque nesses raros momentos sabia que ficaria perto dele. Ou talvez fosse realmente o nervosismo de saber que a vida de Lucifer sempre fica em minhas mãos. Engoli em seco e fechei meus olhos fortemente por alguns instante, tentava esvaziar meus pensamentos, a fim de me concentrar apenas no que tinha que fazer.

Finalmente me pus em frente a porta do escritório de Lucifer, eram 2 lances de escadas para finalmente conseguir chegar ali. Os dois seguranças ao lado da porta, ficavam sempre parados como estátuas, mas tente entrar ali sem ter autorização, pode acreditar que eles vão te picar em pedacinhos.

Fechei meus olhos, e respirei fundo algumas vezes antes de finalmente bater na enorme porta.

— Entre — Pude escutar alguém falar do outro lado, e tomando fôlego abri a enorme porta.

— Boa Tarde — Disse sorrindo enquanto varia o cômodo com um olhar treinado, a fim de registrar tudo que poderia daquela cena, Lucifer estava em pé em frente a uma das enormes janelas do cômodo, do outro lado da sala, dois homens que sabia serem seus conselheiros estavam sentados em frente à mesa de madeira polida enquanto conversavam, nem sequer viraram em minha direção.

— Boa tarde, Blue — Escutar meu nome na boca de Lucifer sempre me causaria arrepios, é um dos únicos que ainda me chamava assim, e o fato de não nos vermos tanto tornava isso raro.

— Mandou me chamar? — Perguntei a ele, que finalmente se virou em minha direção.

Seus olhos escuros encontraram-se com os meus, e foi como entrar em transe, eles me hipnotizaram.

— Mandei sim. — Me respondeu, pisquei voltando a realidade, acenei com a cabeça pedindo para ele continuar. — Como sabe, Harry está tirando uma férias — Falou enquanto sorria para mim — E infelizmente não confio em mais ninguém para estar ao meu lado se não você.

Era irônico ele confiar em mim e Harry, só que nem desconfiar do que aconteceu entre a gente.

— Fico contente em ouvir isso — Disse docemente, abrindo um pequeno sorriso.

Lucifer deu alguns passos em minha direção.

— Eu vou fazer uma entrega para um novo cliente, — Olhá-lo era como matar uma fome que estava me matando, era algo que eu precisava quase desesperadamente, e nem tinha percebido até aquele momento, cruzou os braços em frente ao peito enquanto me olhava relaxado — ouvi muito sobre ele e dizem que pode ser bem arisco, e também mora bem longe, então temos que ir de avião. Gostaria que estivesse na área de embarque, dentro de uns 10 minutos.

— Daqui a exatos 10 minutos estarei lá. — Disse olhando-o dentro dos olhos enquanto afirmava com a cabeça sem nenhum pingo de dúvida.

— Muito obrigado, Blue — Falou e me deu as costas voltando a olhar a janela, sabia que essa era minha deixa para ir.

Assim que fechei a pesada e enorme porta atrás de mim, pude soltar o ar aliviada, os dois soldados ao lado da porta de Lucifer continuaram estáticos e quietos.

Engoli em seco e sai o mais rápido que consegui dali.

———

Depois de ter me equipado e me preparado, ainda tinha 5 minutos de vantagem, então fui caminhando até o lugar de embarque calmamente, ao chegar lá era a primeira.

Fiquei posta e quieta esperando todos os outros chegarem. Em menos de dois minutos havia se formado uma pequena fila ao meu lado. E logo vi Lucifer vindo em nossa direção, atrás dele Chloe sua secretária vinha rebolando em seu lindo vestido bege, aquela mulher é maravilhosa, só conseguia pensar o quanto queria estar no lugar dela, o quanto eu não queria a vida que tinha.

Engoli em seco, sabendo que de nada adiantaria reclamar, no fim sabia que conseguiria chegar alto, sou a melhor e farei de tudo para conseguir o que quero, tenho as habilidades certas, só me faltam oportunidades.

Engolindo em seco, pude ver também vindo ao lado de Chloe enquanto conversavam seriamente, o Major Edward.

Os três seguiram até a escada para embarcar no avião, Lucifer entrou na frente dos dois, e depois de trocarem mais algumas palavras, o Major acenou para Chloe e enquanto ela seguia o mesmo caminho que o chefe, o outro vinha em nossa direção.

Assim que Chloe desapareceu a escada foi tirada e a porta deles fechada, enquanto o compartimento de carga e descarga do avião era aberto.

Vi vários soldados levaram caixotes enormes para lá a mando do major, e sabia que deveria ser a entrega de Lucifer, pelos caixotes deduzi que eram armas, quando terminaram de carregar foi finalmente a nossa vez de entrar.

Nos sentamos em bancos compridos um ao lado do outro, não tínhamos visão nenhuma do que acontecia lá fora, e para um soldado isso não é nada confortável.

4h depois, o avião finalmente estava pousando, fomos liberados primeiro, e um atrás do outro saímos com nossos coletes a prova de balas, e armas na mão.

Embora gostasse do poder que uma arma pode dar, me sentia desconfortável ao empunhar uma.

— Blue Sky — Escutei o Major chamar meu nome, rapidamente dei um passo ao lado saindo da fila.

Fiquei parada olhando para o jovem de cabelos curtos e ombros largos, ele correu os olhos castanhos por todo o meu corpo antes de voltar a olhar em meu rosto e então falou.

— Lucifer pediu para que ficasse sempre do lado dele nessa viagem, então espere ele desembarcar.

— Sim, senhor — Disse ao Major, confirmando com a cabeça.

Saindo realmente da fila segui até a porta do avião onde estavam preparando o desembarque.

Parada ali esperando, pude olhar ao redor com atenção, embora fosse tudo floresta, sabia que não estávamos sozinhos. O sol brilhava no alto, já passava de metade da tarde, nunca era uma boa ideia ficar muito tempo em uma floresta, principalmente naquela.

Lucifer finalmente desceu do avião, e sorrindo se pôs ao meu lado.

— Boa tarde novamente, Blue — Me cumprimentou.

— Boa tarde — O respondi sorrindo por educação e enquanto abria um botão de seu terno começamos a andar.

Podia sentir o perfume dele da onde estava, e não consegui me conter, queria sentir aquele cheiro a todo momento, queria decorá-lo. Buscando me manter sã, respirei fundo, o que só fez com que o perfume amadeirado e misterioso se impregna-se em minhas narinas, nunca mais conseguiria esquecer aquele cheiro.

— Chloe não vem? — Perguntei enquanto piscava tentando me manter no presente e atenta.

— Ela acha arriscado demais vir junto — Lucifer disse indiferente, concordei com a cabeça e continuei o seguindo floresta adentro.

Atrás de nós e na nossa frente se tinha ao menos 10 soldados espalhados, enquanto 3 deles levavam enormes caixas, pelo esforço que faziam eu tive certeza que deveriam de ser armas.

— Para quem exatamente são as armas? — Perguntei e admito ter ficado assustada, com o quão brusco ele parou, mas ao me aproximar, pude notar a expressão calma de Lucifer.

— São para Kingmaker, ele manda nas coisas por aqui, sequestra meninos da cidade, normalmente os que não têm uma boa qualidade de vida, e os trás para serem escravos aqui na ilha. É um dos humanos que mais desprezo. — Lucifer contou enquanto andávamos um ao lado do outro, fiquei em silêncio assimilando o que ele falará — Não vou mentir para você, tem um outro motivo do porque está aqui — Ele nem sequer olhava em minha direção, curiosa com a estória levantei as sobrancelhas — Kingmaker, acha que mulheres não servem como soldadas, ou se quer acha que vocês são pessoas, e eu trouxe você para mostrar a ele que está errado.

— Você quer que ele se irrite? Por quê? — Perguntei franzindo as sobrancelhas.

— Matá-lo não adiantaria de nada, ele já tem alguém para assumir o seu lugar, e não quero fazer nenhuma chacina. Eu preciso que ele tenha medo de mim, não pode achar que vamos ser amigos ou qualquer coisa parecida.

Afirmei com a cabeça entendendo aonde queria chegar.

— Você quer assustá-los. Para que assim você tenha o controle da relação de vocês, e não o contrário. É uma boa estratégia. — Foi a primeira vez que Lucifer direcionou seus olhos castanhos em minha direção, eles tinham um brilho a mais de curiosidade.

Em silêncio ele me analisou por alguns segundos, eu retribui o olhar querendo saber o que tinha acontecido. Lucifer esticou sua mão e tocou em meus finos cabelos loiros, que agora estavam bem mais claros e lisos.

— Você realmente os alisou — Comentou, logo tirando a mão deles, mas os olhos não — Eu disse que ficaria muito mais bonita assim.

Eu não esperava por esse comentário, mas tentando manter minha postura abri um sorrisinho e levei a mão até a minha franja como se estivesse arrumando-a.

— Eu também gostei bastante dele assim — Lucifer acompanhou meu sorriso e enquanto voltava a andar na minha frente pude ouvi-lo sussurrar.

— Ainda parece um anjo — A voz distante me dizia que talvez ele não quisesse que eu ouvi-se aquilo, não sabia se deveria levar como elogio ou crítica, mas podia ver o quanto esse fato deixa Lucifer incomodado.

Seguimos andando pela floresta por mais algum tempo, tentava gravar na memória o caminho que seguíamos, mas parecia sempre tudo igual ali.

Depois de mais algum tempo andando, adentramos uma trilha curta e estreita, ao começarmos a sair dela finalmente pude começar a ver um vilarejo.

Formado literalmente no meio da mata, se abria em um enorme campo, várias pequenas casas feitas de madeira quase caíam aos pedaços no caminho que seguimos. Crianças pequenas andavam de um lado para o outro, enquanto meninos de 7 anos seguravam enormes Norinco Type 56, todos os que moravam ali ao captarem nossa presença se calaram, parando tudo que faziam e se viraram em nossa direção.

Lucifer que ainda estava a minha frente, deu algumas passos para perto dos garotos, e sorrindo falou:

— Meu nome é Lucifer Morningstar, e eu tenho uma entrega para Kingmaker


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...