História Casa comigo? (Sasusaku) - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Naruto, Sasusaku
Visualizações 223
Palavras 2.110
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Queridos leitores, decidi presentear vocês com esse capítulo mais quentinho hehehe.
Quem sabe se vocês pedirem eu não faça um hentai algum dia kkkk

Capítulo 35 - Sensações


Fanfic / Fanfiction Casa comigo? (Sasusaku) - Capítulo 35 - Sensações

Um grupo de música local se apresentava em certa parte da vila. Muitas pessoas paravam para aprecia-los, o que aumentava o fluxo de pessoas ao redor deles, e consequentemente atrapalhando a circulação.

E mesmo havendo muitas pessoas paradas ao redor do grupo, Sakura também quis parar assisti-los.

O grupo era esquisito; o baterista tinha cabelo comprido e preto, o guitarrista tinha moicano verde e a vocalista loira de chanel, e apesar de parecerem tocar musicas agitadas, na verdade tocavam uma espécie de música classica eletrizada.

- Nunca ouvi esse tipo de música antes- comentou Sakura.

- Deve ser coisa do País da Lua Crescente.

Sakura olhou intrigada para eles antes de sairmos.

Descemos a rua até um galpão cheio de luzes e cores, onde alguns jovens conversavam na frente.

- Uma casa de jogos?- Sakura leu a placa luminosa- StarGame... Parece legal.

- Uma o quê?- perguntei.

- Casa de jogos, Sasuke-kun. Nunca esteve em um?

- Hã....

Sakura sorriu.

- Está decidido, antes de vermos os meteoros vamos brincar nas máquinas de jogos.

Não tive escolha. Para que a noite fosse totalmente agradável até o final tive que ceder.

Não era exatamente o tipo de lugar que eu gostaria de estar, mas se Sakura queria ir, então eu iria junto.

A entrada era gratuita, mas os bilhetes para fazer os brinquedos funcionarem eram cobrados na bilheteria. Após comprarmos uma certa quantidade de bilhetes, Sakura escolheu um simulador de dinossauros.

- Temos que atirar kunais nos dinossauros?- perguntei, entrando na cabine escura do brinquedo, cheia de luzes e que se movia.

Sakura se sentou e vestiu o cinto de segurança- Estamos fugindo dos dinossauros. Quando eles apareceram, vamos disparar o lançador de kunais.

Me sentei ao lado de Sakura e ela me ajudou com o cinto.

- Ok... Parece fácil.

- E divertido- acrescentou Sakura, sorrindo feliz.

Quanto a divertido eu não tinha certeza. Nada daquilo parecia divertido pra mim à princípio.

Coloquei o bilhete dentro do buraco indicado e o jogo iniciou-se.

A tela do brinquedo mostrou que éramos cientistas que haviam recriado espécies de dinossauros e que por causa de um descontrole os animais haviam escapado, e agora tínhamos que escapar vivos e se necessário teríamos que sacrificar alguns deles.

E com "se necessário" o jogo queria dizer "necessário o tempo todo".

Começamos a atirar o lançador de kunais. Elas saiam com velocidade e precisão do cilindro de metal com a ajuda do gatilho e acertaram em cheio os dinossauros. A cabine se mexia para um lado e para o outro, e a tela se movia junto, dando a impressão de estarmos vivendo aquela realidade, além do som que vinha dos quatro cantos aumentando ainda mais nossa impressão.

Antes da partida acabar a máquina deu um solavanco, pois no jogo estávamos escorregando de costas de um barranco lamacento, e eu e Sakura acabamos nos assustamos.

As luzes se ascenderam e o brinquedo parou, e então saímos.

Sakura me olhou com malícia e sorriu, ela chegou mais perto e eu pude adivinhar o que ela pensava.

- Não foi tão ruim assim, foi?

- Confesso que não foi exatamente como eu imaginava.

- Houve um momento em que olhei para você e pude notar que você estava se divertindo.

Sakura ampliou seu sorriso.

- Eu estava.- Levei a mão à cintura e pensei em como tanta coisa mudou em tão pouco tempo. Esse era o típico lugar onde eu viria e participaria das atrações somente se eu fosse induzido, como tantas vezes com o time sete eu me diverti somente porque Naruto, ou Naruto juntamente com Sakura me estimulavam a participar, e eu nunca me arrependia.

- E a nossa noite nem começou!

Certamente que não. Sakura tão ingênua vestindo roupas que nem eram dela e a deixavam esquisita e parecendo ter cinco anos a menos, nem imaginava o que estava se passando por minha cabeça.

- Pra onde está me levando?-Perguntei, sendo levado por Sakura pelo salão.

Sakura me apresentou muitas máquinas de jogos, as quais ela quis que brincássemos. Uma delas era um jogo de luta que se passava na última guerra shinobi onde tínhamos que bater nos Zetsus brancos.

- Tem a opção de escolher um dos três Sennis- Disse Sakura- E obviamente vou escolher a Tsunade-sama.

- Eu realmente tenho que escolher entre Jirayia e Orochimaru?- perguntei meio desgostoso.

- Ah... Não. Existem essas personagens também- Sakura abertou um botão e me mostrou a vasta gama de shinobis.

- Kakashi?

- Olha só!- Sakura se espantou- Dessa que não sabia.

- Que seja- abertei o botão de enter e começamos. Seria eu contra Sakura.

Depois de certo tempo notei uma movimentação estranha por parte de Sakura. Olhei para ela e vi que ela estava jogando com um só braço.

- O que está fazendo?- Perguntei.

- Estou fazendo um jogo limpo.

- Jogando com um só braço?

- Você está jogando com um só, então achei justo igualarmos nossas chances de vencer.

Olhei para Sakura com desaprovação.

- A única coisa que você fez foi me deixar...

Sakura fechou o cenho.

- Pegue este controle direito e vamos jogar. De tudo de sí.

Eu não estava bravo, mas Sakura ascendeu em mim meu espírito de rivalidade. Se ela acha que pode ganhar de mim, mesmo com dois braços, então eu a mostraria com quantos paus se faz uma canoa.

Sakura estava com Tsunade e eu com Kakashi, mas haviam muitos outros shinobis pra escolher, eles eram conhecidos e alguns outros desconhecidos. Madara Uchiha, Minato Namikaze, o Raikage Ay, a Mizukage Mei e outros Kages do passado além de lendas como os Sennins.

Meu personagem, Kakashi, o qual eu escolhi de modo aleatório, estava levando uma surra de Tsunade, a perosnagem de Sakura, e até o final eu tive que me acostumar com a terrota já determinada. Engoli todo meu orgulho e fingi que nada tinha acontecido.

- Espero que você não fique chateado com a derrota- disse Sakura de um modo causal.

- Ser derrotado pra mim é sempre uma novidade. Mas não, não vou ficar chateado por algo tão fútil e insignificante.

Sakura deu de ombros- Então ta bom, senhor nunca perco- Ela levantou as palmas curvadas em sinal de "tanto faz".

Depois do vexame que dei Sakura não fez questão de irmos para outro brinquedo, mas ao invés disso tivemos que trocar os tickets por prêmios, e no valor que haviamos gastado podemos apenas trocar por uma caneta.

- Agora temos uma caneta, caso precisemos- disse Sakura, contendo o riso.

- Muito necessário.

Contive o riso também.

Saindo de lá, procuramos um lugar para nos informar das horas e em que momento estava previsto os meteoros, e ficamos sabendo que ainda eram oito horas e que a chuva de meteoros estava prevista para as onze horas daquele dia, ou seja, ainda tínhamos três horas para o Grand Finale.

Decidimos então tirar um momento de descanso, e voltamos para nosso quarto no Hotel Brilhantine.

Assim que entramos corri para a banheira. A água quente logo atingiu o volume esperado, então entrei.

- Sakura venha ver uma coisa- chamei.

Sakura entrou no banheiro com os olhos fechados e as mãos na frente deles.

- O que você quer me mostrar?- perguntou ela, desconfiada.

Puxei Sakura pelo braço para dentro da banheira, e ela relutante tentou escapar, mas já era tarde.

Sakura caiu ainda vestida dentro da banheira. Ela me olhou com indignação mas passei espuma em seu rosto, impedindo-a de continuar me encarando. Ela cuspiu espuma e espalhou em meu rosto também.

E ficamos nessa de passar espuma um no outro até que alguém desistisse.

- Vai tomar banho de roupa?- perguntei, olhando para sua camisa.

Sakura se encolheu- Eu nem ia tomar banho agora, Shannaro!

Me aproximei dela, puxando sua camisa para mim.

- Mas você já está aqui, certo? - Ajudei Sakura a tirar sua camisa, que aliás nem era dela, e Sakura meio relutante me ajudou.

- Satisfeito?

- Ainda não.

Sakura franziu o cenho e corou, ela olhou para o busto e negou com a cabeça.

- Está escondendo alguma novidade? Nasceu um tentáculo no meio dos seus...

- Shannaro! Não tem nada de diferente aqui!

- Então por que está se escondendo tanto?

- Se chama pudor, Sasuke-kun.

- Não é hora de ter pudor... Estamos à sós.

- ...

Sakura se silenciou, e me encantando preferiu ceder, já que não ia conseguir vencer mesmo, ela mesma terminou de se despir e se sentou de costas pra mim, encostando-se em meu peito.

- Pronto. Era isso o que você queria?- Sakura sorriu maliciosa.

- Na verdade não.

Olhei para ela traveço, e Sakura me respondeu me jogando água.

- Você tem muita sorte de estar merecendo- Sakura me beijou de leve, um selinho após o outro, e sentada em meu colo, molhou meus cabelos, colocando minha cabeça levemente para trás e beijou meu pescoço e desceu até minha clavícula.

Molhei seu cabelo quando ela se afastou e fiz o mesmo com ela, mas a diferença é que não parei em sua clavícula. Beijei entre os seus seios, e trazendo-a mais para cima, beijei sua barriga até seu umbigo e subi mais uma vez, abaixo de seus seios, entre eles, sua clavícula e pescoço.

Sakura pendeu sua cabeça para trás, e devagar franzia a testa enquanto eu a beijava.

Quando cheguei em sua boca ela se aproximou ainda mais, e corpo a corpo nos beijamos com intensidade, até que começamos o esperado.

Infelizmente com apenas um braço eu não podia fazer muita coisa, como toca-la como eu desejava, mas me esforcei como pude pra que ela se sentisse amada por inteiro.

Agarrada em meu pescoço não vi como estavam suas feições, mas eu sabia que estava gostando pois estava trabalhando junto comigo.

Sakura abertou minhas costas e senti suas unhas correrem por ela, me marcando suavemente, sem me ferir. Ela suspirou em meu ouvido e me senti mais animado para continuar.

Trouxe seu rosto até o meu e continuei a beija-la, apalpando o caminho entre suas pernas e seus seios.

- Vamos sair- disse ela, e fazendo selos Sakura ativou um jutsu medicinal onde faixas de chakra envolveram meu braço amputado dando-me uma prótese temporária.

Não neguei seu presente, pois eu estava disposto a usa-lo ainda hoje.

Com os dois braços levantei Sakura da água e fora da banheira continuei a beija-la encostada na pia, com as pernas ao meu redor continuei.

Momentaneamente olhava meu reflexo no espelho atrás de Sakura, e via a água descendo de seus cabelos grudados em suas costas até seu cox.

Ela escorregava, mas com dois braços era mais fácil de segura-la.

Continuamos alguns minutos ainda sobre a pia até que eu a levei para a cama, onde tivemos ainda mais espaço e mobilidade.

Agora sem ter que segura-la rente a mim, eu podia me mexer melhor, e com o Sharingan vi seus pontos de chakra se movimentando em ondas e ali eu os toquei.

Eu sabia o que fazer e o as ondas significavam. Só parei quando a oscilação ficou mais rápida e frenética.

Guardei o Sharingan e olhei para o resultado: Uma Sakura que se contorcia abaixo de mim fazendo caretas, até que relaxou.

Suprimi a risada de prazer ao ver essa cena, e continuei do jeito de sempre até que ela sentisse o desejo de mudar o modo como fazia-mos.

Sakura respirava fundo e suspirava, mas eu ainda não tinha conseguido fazer com que ela soltasse chiados e gemidos, ou ela estava os comprimindo bem.

- Akai Ito- Sakura pegou minha mão e prendeu seu dedo mínimo ao meu- Promete nunca mais me deixar?- perguntou ela, sorrindo com ternura para mim.

- Nunca mais.

- Isso é uma promessa?

- Nem se eu quisesse, Sakura- apertei seu dedo no meu- Você já está dentro do meu coração a muito tempo.

Sakura sorriu emocionada e me abraçou. Eu não pude continuar daquele jeito.

Não foi nossa transa mais longa, mas uma das mais carinhosas e românticas

Eu não me importei com a durabilidade de nada, pois eu sabia que teríamos muito tempo para terminar o que começamos.

Sakura escorregou mais para cima, até o travesseiro, e me levou com ela. Ficamos deitados e abraçados, sem nos importar se estávamos molhados ou não.

Ela contornou meus lábios com os dedos e os beijou com cuidado. E me olhando nos olhos ela sorriu de leve, e meu coração queimou. Puxei-a até que ela ficasse grudada a mim.

- Daqui uma hora e meia acordamos.

- Você promete que vamos levantar a tempo?

- Prometo.

Na realidade eu nem dormi. Puxei as cobertas até nós e ali ficamos. Achei que Sakura havia dormido mas seus olhos estavam apenas fechados, descansando.

Sem dizer nada ficamos ali, sentindo um ao outro, conectados por algo maior que a carne ou até Akai Ito, do jeito que era pra ter sido desde o início.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...