1. Spirit Fanfics >
  2. Casa de espelhos - Bokuaka >
  3. Amo tanto que.. - Capítulo Único

História Casa de espelhos - Bokuaka - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


olá! você que está do outro lado da tela. tudo bem?
eu não sou muito bom escrevendo nas notas, então não irei me prolongar muito aqui.

apenas espero que gostem e que eu possa atingir ou até mesmo superar suas expectativas para esta história, já que é minha primeira One Shot oficialmente publicada neste site.
e já vou avisando que no começo a história pode ser um pouco confusa, mas no final tudo se esclarece.

espero poder receber o feedback de vocês na área dos comentários, isso sempre me deixa muito feliz e animado!
então se sintam livres para comentar qualquer coisa, tanto elogios e surtos de fofura com a história, quanto críticas construtivas para me ajudar a melhorar cada vez mais.

me desculpem qualquer erro e boa leitura! 💗

Capítulo 1 - Amo tanto que.. - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Casa de espelhos - Bokuaka - Capítulo 1 - Amo tanto que.. - Capítulo Único




𝘕𝘦𝘮 𝘴𝘦 𝘫𝘶𝘯𝘵𝘢𝘴𝘴𝘦 𝘢𝘴 𝘧𝘰𝘳𝘮𝘢𝘴 𝘮𝘢𝘪𝘴

𝘷𝘢𝘳𝘪𝘢𝘥𝘢𝘴 𝘥𝘦 𝘮𝘢𝘵𝘦𝘳𝘪𝘢 𝘥𝘰 𝘮𝘶𝘯𝘥𝘰..♡

─────────────────────────────────────





Parece que todos os dias são iguais, eles sempre se repetem da mesma forma. Eles terminam e acabam em um loop infinito sem significado e desgastante, e eu apenas fico vendo isso acontecer. Por mais que eu tente correr contra isso, eu sempre acabo me perdendo, não tendo mais noção do tempo.

É como se eu estivesse em um labirinto, labirinto esse que eu não sei escapar... ou melhor, é como se eu estivesse em uma casa de espelhos. Os reflexos me confundem e todos os caminhos parecem iguais, como se eu estivesse dando voltas e nunca progredindo, mesmo que eu desse tudo de mim...

Eu sempre vejo minha imagem distorcida nos espelhos, e isso me assusta, me deixa com raiva, com nojo. Eu odeio tanto ver isso, que cubro os espelhos com lençóis ou toalhas, mas parece que sempre surgem mais espelhos e eu nunca consigo evitar de ver o reflexo que eu tanto odeio.

Parece que eu vou enlouquecer, vendo minha imagem espelhada por todos os cantos enquanto tento sair desse labirinto infinito, e quanto mais eu demoro para achar a saída.... mais o meu tempo diminuiu. Como areia se esvaindo dentre meus dedos no vento.

Eu estou tão cansado de tentar continuar, que quanto mais minha esperança some, mais as luzes desse lugar estão perto de se apagar. E eu sei que quando se apagarem, não conseguirei mais sair dessa casa de espelhos, ficarei preso aqui.... Mas foi exatamente o que aconteceu, tudo se tornou um completo breu em um momento e eu nem sei mais o que significa a palavra esperança.

Eu estou perdido, e nem sei como isso aconteceu.. Nem sei como entrei nesse lugar, mas sei que não consigo mais sair...

Mas.. quando eu o conheci, parece que essa luz que já não existia mais voltou, e iluminou tudo novamente. A sua luz iluminou tudo novamente.

Quanto mais eu o conhecia e passava o tempo com ele, mais esses espelhos que me atormentavam sumiam, ele os quebrava, e pouco a pouco abriam o caminho que eu procurava... a saída.

Mas ainda parecia que havia algo me impedindo de sair daquele lugar.., de alcançar a liberdade. Quanto mais eu pensava nisso, mais a saída se tornava distante.. pois mesmo que os espelhos não existissem mais, eu ainda pensava naquilo. Porém sua frase me fez esquecer tudo, e aquela casa de espelhos não me sufocava mais.


⭑⭑⭑


Ele me olhou nos olhos e segurou minhas mãos, começando a falar.

─ A beleza de alguém não significa a ausência da sua. Só porque você acha alguém mais bonito que você, isso não significa que você não seja uma pessoa bonita.. Todos nós somos bonitos, só que cada um de uma maneira diferente. ─ Ele termina, me abraçando logo em seguida.


⭑⭑⭑


Ele era a única coisa que importava, apenas ele.. e ele me fazia a pessoa mais feliz do mundo. Nem sei como seria se não tivesse o conhecido; aquele jeito alegre, eufórico e escandaloso, sorriso e risada contagiantes.. Eu era a pessoa mais feliz do mundo só por tê-lo em minha vida. Tudo começou a ter algum sentindo.


⭑⭑⭑


Era noite, e estávamos sentados no sofá da sala com as luzes apagadas enquanto assistíamos um filme aleatório. Bokuto parecia mais inquieto que o normal, mas ignorei, se ele quisesse me contaria o motivo.. então fingi não perceber nada. Mas alguns segundo se passaram e ele se virou de frente para mim, com apenas uma das pernas no sofá.

─ Akaashi... A gente precisa conversar.

Sento de frente para ele também, com um precentimento ruim, mas ignoro, achando que não era nada e somente algo da minha cabeça. Fico olhando o meio platinado, esperando para ouvir o que ele tinha a falar.

O garoto a minha frente olha para baixo e começa a brincar com suas mãos.

─ Eu queria ter essa conversa com você há algum tempo... mas não tive coragem. Porém achei que seria melhor eu te falar logo isso, para não se tornar algo de certa forma tóxico para nós dois. ─ Ele para e me olha, e nesse momento meu coração para. ─ Eu quero terminar... Não sinto mais o mesmo de antes, desculpa, mas eu não consigo mais. É muito difícil ter que lidar com sua insegurança e baixa autoestima... é muito desgastante para mim.

Nesse momento meu mundo caiu. Meu coração quebrou em milhares de pedacinhos e eu me sentia a pior pessoa do mundo... me sentia culpado, me sentia alguém horrivel, e meu peito doía. Doía como se tivessem desferido um tiro no local. Eu queria chorar, queria muito, mas não consegui... apenas fiquei parado o olhando, por um bom tempo. Parecia que havia um buraco no lugar de meu coração, e a casa de espelhos foi surgindo novamente, de pouco em pouco...

Eu sabia que isso não iria durar muito, sabia que ninguém poderia aguentar tanto tempo comigo, não do jeito como eu sou... do jeito que eu sempre me sinto, não sendo eu.

─ Akaashi...

Tudo ficava escuro novamente, e uma luz forte quase me cega.


⭑⭑⭑


─ Akaashi... Ei.

O platinado segurava meus ombros com cuidado me chamando, e um olhar atencioso e preocupado toma sua face pouco iluminada pela luz da lua, que entrava pela janela coberta por uma cortina de tecido fino e transparente do quarto. Logo leva calmamente suas mãos até meu rosto, limpando algumas lágrimas que escorriam pelas minhas bochechas com seus polegares. Nem havia percebido que estava a chorar...

─ Por que choras? ─ Sua voz sai baixa e suave, com uma leve rouquidão característica do sono recente.

Mordo meu lábio inferior com força, lembrando do sonho, enquanto as lágrimas tomavam conta de meus olhos querendo sair, embaçando minha visão. E em um segundo já chorava em desespero, como se minha vida dependesse daquilo.

O garoto que antes estava levemente inclinado por cima de mim, agora se ajeitava deitando na cama e passando um de seus braços por baixo de meu pescoço e ombros, me trazendo para seu peito e me abraçando, enquanto eu me permitia chorar como uma criança.

─ Eu sei meu amor, não precisa dizer nada, tá bom? ─ Ele diz, fazendo carinho atrás da minha orelha e bochecha, afagando meu cabelo.

Apoio meu rosto na curva de seu pescoço e sinto seu cheiro ─ que na minha opinião era viciante ─, tentando me acalmar. Consigo, mas a forte dor de cabeça começa a se fazer presente, me fazendo soltar um pequeno grunhido de dor.

Bokuto percebe e consegue imaginar o que é, já que levantou da cama devagar e foi até o banheiro, voltando com meu remédio para dor de cabeça e pegando o copo d'água que costumamos deixar na estante ao lado da cama, me entregando. É normal eu ficar com dor de cabeça após chorar, então ele sempre sabe o que fazer.

Sento na cama e ponho a pílula na boca, engolindo junto com a água e entregando o copo vazio para o maior. Ele larga o objeto onde estava e arruma seu travesseiro na cabeceira da cama para não machucar suas costas, sentando ao meu lado na cama.

─ Vem cá. ─ Ele me chama.

Vou até ele já mais calmo, e sem malícia alguma, sento em seu colo de frente para ele. O platinado abraça minha cintura e beija carinhosamente minha bochecha, passando a pontinha de seu nariz no local. Seus olhos estavam lindos como nunca, brilhavam mesmo com o local escuro, me fitando intensamente, e seu cabelo estava baixo do jeito que eu amava.

Já havia dito ao garoto algumas vezes que era minha preferência, mas não que eu odiasse seu cabelo para cima, já que era o penteado que o deixava com "cara de Bokuto". Mas seu cabelo baixo o deixava mais bonito do que o normal.

─ Já passou? Está mais calmo? ─ Ele volta a olhar para mim e eu assinto com a cabeça

─ Você ainda está tendo aqueles sonhos comigo?

─ Sim. ─ Respondo baixo e triste, enquanto ele fazia carinho em minhas costas.

─ Você sabe que é apenas um sonho, não? É apenas algo da sua cabeça, que sua mente cria por causa da sua baixa autoestima. ─ Ele diz apontando para o meu peito. ─ Mas nada disso é verdade, você sabe que eu nunca vou te deixar... porquê eu te amo, te amo mais que tudo nesse mundo. Amo tanto que mesmo se juntasse a areia de todas as praias que existem, não seria suficiente; ou se juntasse todas as estrelas, planetas, galáxias e componentes do espaço intergaláctico... ainda não seria suficiente.

─ Nem se juntasse as formas mais variadas de matéria do mundo? ─ Pergunto em brincadeira, desafiando-o.

─ Não ─ Ele diz sorrindo, com seu rosto próximo. ─ Nem se juntasse as formas mais variadas de matéria do mundo.

─ Eu te amo. ─ Digo e ele me beija.

O toque suave e molhado de sua boca era viciante, as línguas logo se encontraram e travaram uma guerra por domínio. O beijo era quente e calmo, exalava todo nosso amor e carinho enquanto nossas línguas mantinham uma dança perfeita e sensual dentro de nossas bocas. Ele chupava minha língua e apertava minha cintura com as mãos, enquanto eu mordia seu lábio, colocando meus braços apoiados em seus ombros e puxando levemente os curtos fios de cabelo de sua nuca após levar minhas mãos até o local, ato que o fez arrepiar. Logo a falta de ar se fez presente, nos fazendo se separar do beijo com alguns selinhos.

─ Eu te amo e nunca vou te deixar. ─ O platinado diz, após recuperar o fôlego, encostando nossas testas.

Ficamos um tempo apenas apreciando o contato e carinho, até que o cansaço se fez presente. Então voltamos a deitar na cama, abraçados, deixando o sono tomar conta.





─────────────────────────────────────


⭑⭑⭑


𝘕𝘦𝘮 𝘴𝘦 𝘫𝘶𝘯𝘵𝘢𝘴𝘴𝘦 𝘢𝘴 𝘧𝘰𝘳𝘮𝘢𝘴 𝘮𝘢𝘪𝘴

𝘷𝘢𝘳𝘪𝘢𝘥𝘢𝘴 𝘥𝘦 𝘮𝘢𝘵𝘦𝘳𝘪𝘢 𝘥𝘰 𝘮𝘶𝘯𝘥𝘰..♡





Notas Finais


eai? o que achou? a história foi de seu agrado ou poderia ser melhor?
espero que tenham gostado!

eu realmente adorei escrever esta One, mesmo que no começo eu tenha quebrado a cabeça para ter idéias..

pretendo escrever mais histórias com outros casais de Haikyuu, então se quiser me dar alguma idéia aí do que escrever... estarei recebendo de bom agrado.
e se quiserem, sigam minha conta para lerem mais fanfics assim.

todos os devidos créditos aos autores das fanarts usadas nas capas.

enfim, dêem coraçãozinho, comentem e tals.
bom dia, boa tarde, boa noite! 💗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...