História Casa de Julieta - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, Louis Tomlinson, One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles
Tags Harry Styles, Julieta, Louis Tomlinson, One Direction, Romeu, Violencia
Visualizações 12
Palavras 1.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Capítulo 3


 

Eu realmente não entendo essas pessoas que se sentem bem ao tratar mal as pessoas. Por que isso? Eu sempre considerei a ignorância como falta de consideração e educação, e posso afirmar que não me arrependo de considerá-la assim. Meus pais sempre me ensinaram a ser gentil e educada com as pessoas para um qualquer chegar e fazer isso comigo? Eu acho isso tão injusto.

 

Depois do contratempo que tive, arrumo meu vestido que estava sujo com o tombo e endireito a minha bolsa lateral e logo começo a andar de volta ao meu hotel.

 

As ruas estavam começando a ficar mais movimentas pelo horário e eu? eu estava morrendo de fome já que não almocei, então resolvo ir ao pub que se localizava ao lado do hotel. Chego na frente do mesmo e subo para tomar um banho e me arrumar. Ora, eu estou na Itália e não sei oque e quem posso encontrar nas ruas. Cumprimento com um aceno de cabeça a senhora que se encontrava atrás de balcão e continuo caminhando rapidamente as escadas que levariam ao meu quarto.

 

Já de banho tomado visto uma calça skinny preta, uma blusa vermelha com alguns detalhes, uma jaqueta de couro e nos pés meu velho vans que na verdade deveria ser trocado por outro o mais rápido possível. Pego minha bolsa e saio pela porta indo até o pub.

 

O lugar pelo incrível que pareça estava bem cheio, ele continha mesas com bancos acoplados na parede oque dava um ar de confortante, as luzes fracas com uma boa música ao vivo combinavam com o bar, parecia que eu estava em um pub qualquer da França. Lembro-me bem de quando fui lá aos meus 17 anos. Sento em um dos bancos perto do bar-man e faço meu pedido.

 

"Boa noite, me vê um martini por favor" 

 

"É pra já senhora". Disse o bar-man gato. Nossa, na Itália tem muita gente bonita. Graças a Deus. "Aqui está senhorita...?"

 

"Nicola" Abro um sorriso de orelha a orelha estendendo a mão para que eu pudesse cumprimenta-lo. Pego minha bolsa e estou pronta para dar o dinheiro com o homem a minha frente se pronuncia.

 

"Ah, aquele senhor sentado ali falou que pagaria um de seus pedidos e pediu para que você fosse lá" Disse ele. Que senhor abusado é esse?

 

"Qual deles?" Pergunto.

 

"O de camisa social branca". Olho na direção que ele me indicou e me deparo com um homem sentado a algumas cadeiras distantes da minha. Ele tinha cabelos castanhos, seus olhos eram verdes/azuis, com a pouco iluminação não consigo identificar a cor, estava usando uma blusa social branca com as mangas levantas e os primeiros botões abertos dando para ver seus braços cobertos por tatuagens e seu peito com algumas delas. Meu Deus. Desço do banco indo vagarosamente em sua direção e sentando ao seu lado.

 

"Acho que devo te agradecer pelo martini" Digo abrindo um sorriso.

 

"Não precisa agradecer senhorita...?"

 

"Nicola, Nicola Smith".

 

"Sou o Louis Tomlinson, prazer." Diz ele abrindo um sorriso perfeitamente alinhado e branco.

 

"O prazer é todo meu" Tento parecer o mais simpática possível. "Acredito que você não é daqui já que posso reconhecer esse sotaque de longe".

 

"Parece que a senhorita me pegou, sou da Inglaterra. Mas creio que você também não é daqui."

 

"Não sou não, sou de Nova Iorque, mas fui criada na Austrália"

 

"Meu Deus eu amo esse lugar (Austrália), confesso que nunca fui para Nova Iorque, mas sempre vou para a Austrália. Tenho alguns amigos que moram em Sidney"

 

"Ah sério? Faz tanto tempo que não vou até lá, tenho muita vontade de voltar a ver minha família". Digo em um tom triste.

 

(...)

 

"Hahahaha ah sério Louis? não acredito nisso" Digo entre lágrimas de tanto rir.

 

"Juro por Deus, ele ficou olhando pra minha cara como se eu tivesse acabado de condená-lo a morte" Disse Louis rindo ao lembrar de suas últimas palavras dirigidas ao seu ex chefe.

 

Louis era um ótimo homem, seus 26 anos não eram entregues assim de cara já que seu bom humor e ânimo de adolescentes eram fixos em sua personalidade. Só sei que ficamos conversando até 23 horas da noite e então resolvemos ir embora, mas não sem antes trocamos os números e nos despedirmos com beijos na bochecha.

 

(...) 

 

Acordo com dores no corpo já que cheguei de qualquer jeito e apenas me joguei na cama. Pego meu celular na mesa de cabeceira de olho o horário 8:40. Ótimo. Aproveito e olho meus e-mails encontrando um que chamou minha atenção.

 

Resolvo respondê-lo dizendo que a viagem está ocorrendo bem e que quando acabar a matéria enviarei-a por e-mail. Deixo meu celular encima da mesa e vou até o banheiro para fazer minhas necessidades e tomar um banho.

 

Hoje o sol estava de queimar, então cá estou eu, de short jeans, regata e um tênis a andar até a Basílica de S. Anastasia, um dos pontos turísticos mais famosos de Verona e o qual eu não vejo a hora de conhecer. Não vou dizer que o caminho até fala foi curto pois não foi, mas até que foi recompensado quando entrei na basílica. Era linda. Suas paredes eram extremamente detalha das, o teto era todo desenhado. Era realmente de tirar o fôlego.

 

Já sentada em uma mesa com guarda sol em um restaurante em frente à igreja, começo a almoçar até avistar um homem de longe o qual me chamou atenção. Ele era alto, usava uma blusa estampada com os primeiros botões abertos, suas mangas eram curtas dando uma bela visão de tatuagens, seus cabelos eram castanhos e usava óculos escuros vintage. Ele não era-me estranho, eu o reconheço de algum lugar.

 

"Olá Nicola, como vai?" Uma voz me tira do transe e encontro Louis a minha frente com um sorriso divertido em seus lábios.

 

"Oi Louis, estou ótima. Fiquei surpresa de te encontrar aqui". Digo me levantando para que o pudesse dar um abraço. 

 

"Ah estava a andar por esse sítio e então te avistei por aqui e resolvi te cumprimentar".

 

"Ah fico muito feliz, eu realmente precisava de uma companhia, sente-se" E então ele senta ao meu lado na mesa redonda e logo chama o garçom para fazer seu pedido. Olho novamente na direção de onde o homem o qual eu tinha visto de localizava e o encontro mais perto de minha mesa a olhar diretamente para mim. Seus óculos escuros estavam eu sua cabeça e seus olhos hipnotizantes estavam analisando cada detalhe meu. Meu Deus, é o garoto do qual eu esbarrei ontem


Notas Finais


eu realmente estou muito orgulhosa da minha dedicação à esse história. e creio que já deva ter algumas pessoas a ler. espero que estejam gostando, não se esqueçam de votar e comentar oque estão achando para que eu possa fazer algumas mudanças e por as minhas ideias em prática.

you always in my heart, yours sincerely Ana Luiza♡ (quem entendeu, entendeu!)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...