História Casado com um Rock Star - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Enji Todoroki (Endeavor), Inko Midoriya, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Mina Ashido, Momo Yaoyorozu, Ochako Uraraka (Uravity), Personagens Originais, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tenya Iida, Toshinori Yagi (All Might), Tsuyu Asui
Tags Akyari, Bakudeku, Gêmeos, Katsudeku, Kirishido, Tododenki, Todomomo
Visualizações 172
Palavras 1.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


• Hey Babys!

• Finalmente dando as caras aqui depois de algum grande tempo e peço desculpas por isso, muitos até acharam que eu tinha parado à fanfic, mas gostaria de dizer que essa informação é fake kkkkkkk.

• Eu estava apenas curtindo à preguiça, mentira gente. Aconteceu muita merda esses últimos tempos e eu estava resolvendo.

• Mas fiquem felizes, vou focar mais nessa fanfic, à partir de agora.

• Beijos!

Capítulo 9 - Capítulo 09


Por Que ninguém lhe dizia onde Bakugou e aquele tal de Midoriya estavam?

Uraraka havia chegado naquela manhã em Tóquio, as coisas em Milão haviam demorado mais tempo do que ela imaginou. Foi necessária uma semana para que ela conseguisse acabar com o trabalho. Assim que o desfile acabou, ela pegou o primeiro vôo para o Japão e isso lhe rendeu umas horas à mais para pensar no que diria à Bakugou.

Aquela última semana foi um verdadeiro inferno, seu telefone não parava de tocar, Deus e o mundo queria que ela desse uma entrevista à respeito de como se sentia ao ser trocada por um simples universitário de Enfermagem. Era até compreensível que todos quisessem um depoimento seu, um dia estava namorando com Bakugou e no outro ele estava Casado.

Mas era irritante.

À pior parte era ninguém lhe dizer onde eles estavam, precisava tirar toda aquela história à limpo, por mais que soubesse o que o Loiro diria, precisava escutar dele, para só depois decidir o que iria fazer.

- Srt. Uraraka. - Uma voz calma à chamou fazendo virar.

- Eu mesma. - Tirou os óculos escuros que ela usava. - Em que posso ajudá-la? - Perguntou, nunca havia visto aquela pessoa em sua vida.

- Na verdade sou em que vai ajudar você. - Disse com um sorriso de lado.

- Como?

- Eu sei onde o casal Bakugou se encontra. - Aquela frase causou certa irritação em Ochako, mas essa era à realidade que ela não podia fugir, eles eram casados afinal e era normal que Midoriya recebesse o sobrenome de Katsuki.

- Onde eles estão? - Perguntou seria e à moça apoiou ainda mais o sorriso.

- Isso depende - Uraraka levantou uma sobrancelha em desconfiança. - Depende de quanto está disposta à me ajudar. - Aqui no intrigou à castanha que olhou para à mulher à frente.

- Te ajudar? Como exatamente? - Aquilo estava lhe cheirando à confusão e uma das grandes.

- Que tal irmos para um lugar mais rezevaso, assim posso te explicar as verdadeiras circunstâncias desse casamento. - Comentou e à Modelo demorou um tempo pra processar.

- Quem é você? - Perguntou enquanto à seguia.

- Uma amiga.

Aquela história estava muito estranha, mas dado os acontecimentos da última semana, diria até que aquilo era à coisa mais normal que estava lhe acontecendo desde que deixou o Japão.

Elas entraram em uma lanchonete e se sentaram em uma mesa afastada. Uraraka à olhou atentamente, pensando que poderia reconhecer-la, porém nunca à havia à visto antes.

- Estamos aqui... - Iniciou o assunto e à morena sorriu.

- Eles estavam bêbados, uma certa pessoa colocou um certo conteúdo na bebida deles. - Disse enigmática e à castanha cruzou as pernas prestando bem atenção na conversa.

- Quem? - Foi direta ao ponto, que Bakugou devia está bêbado ou drogado ela já desconfiava, pois para cometer tal loucura, que poderia custar sua carreira, ele só podia está muito fora de si.

- Isso eu não posso dizer, pelo menos, não ainda. - Soltou um sorriso, o que já estava irritando Uraraka.

- Se não vai me dizer nada, eu vou embora. - Se levantou. - Não estou para joguinhos, garota. - Colocou os óculos escuros e deu de costas, pronta para sair dali e ir atrás de Bakugou, como era seu plano desde o início.

- Srt. Uraraka, eu não posso lhe dizer quem foi o autor. Mas posso te dizer o motivo. - A castanha parou para anda e à olhou de novo.

- Pelo preço certo, eu suponho. - Voltou para à morena com expressão seria.

- Nada disso, não estou em busca de dinheiro. - Negou, olhando o menu da lanchonete com tédio.

- Então qual o seu interesse em tudo isso? - Perguntou seriamente, estava desconfiada.

- Eu apenas quero vê no que tudo isso vai dar. - Respondeu prontamente soltando o menu com um largo sorriso.

- Não entendo. - Disse confusa.

- Você não precisa entender, eu só quero que quem está por trás disso tudo, se dê muito mau. - Deu de ombros. - Mas não posso dizer quem é, isso me prejudicaria bastante. - Suspirou com um sorriso. - Vai querer saber o que aconteceu naquela noite ?

Uraraka não disse nada, apenas voltou para mesa e se sentou, olhando atentamente para à mulher.

O que realmente estava acontecendo ali.

¤《》¤

- Então rapaz, eu não sei muito bem o que está acontecendo, mas sei que tem alguma coisa acontecendo. - O Pai de Midoriya olhava seriamente para Bakugou, que engoliu em seco.

- Porque diz isso, Senhor ? - Perguntou serio, não podia dar bandeira, Izuku lhe avisou que à qualquer momento isso poderia acontecer, ser puxado para o terror dos genros à "Conversar" com o Pai do namorado.

- Talvez porque meu filho querido que nunca Age impulsivamente e nunca se quer me falou de você, de repente aparece Casado, principalmente com alguém como você. - O olhou de cima à baixo e Bakugou pode sentir o olhar de julgamento.

- O que você quer dizer com alguma como eu ? - Ficou irritado e não tinha como não transparecer isso.

- Não estou julgando lhe julgando, filho. Mas pelos meus anos de experiência tenho certeza que à única coisa que você leva à sério, é o seu trabalho, o seu ego é tão grande que vê as pessoas como algo descartável. Você nunca amou ninguém, porque pra você, não existe alguém bom o suficiente para esta ao seu lado todos os dias. - Cada palavra que Yagi dizia, o acertava em cheio.

O silêncio prevaleceu entre eles, Bakugou não tinha uma resposta boa pra dar. Aquele homem não lhe conhecia, mas cada palavra que dizia não passava de verdades e ele nem mesmo tinha à cara de pau de desmiti-lo.

- É verdade tudo o que disse. - Admitiu e antes que o Homem falasse, mas quase coisa, ele foi mais rápido. - Mas Você não acha que Izuku, o seu filho, seja bom o suficiente. - Yagi se surpreendeu com aquela resposta. - Eu sei que você, na verdade todos, devem está surpresos com esse casamento relâmpago. Pelo pouco tempo que estamos casados, eu já percebi...- Sorriu olhando para Izuku e sua mãe que estava na mesa do café conversando, enquanto eles estavam no Jardim.

- Percebeu, o que ? - Perguntou curioso.

- Que ele é bom demais, até mesmo para mim. - Disse passando pelo seu sogro. - Até um cego consegue vê isso. - Soltou debochado e o outro riu.

- Se você magoar meu filho... Já sabe. - Yagi, não era ruim. Ele só estava tentando protegê o filho, como qualquer pai.

- Se o senhor já parou de interrogar o meu marido. - A voz de Izuku os pegou de surpresa fazendo com que eles virassem em sua direção. - Mamãe está chamando para Tomar café da manhã.

- Já estávamos indo. - Seu pai o olhou com ternura e bagunçou seus cabelos.

- Aconteceu alguma coisa? - Perguntou depois que seu pai se afastou o suficiente.

- Nada com que você precise se preocupar. - abraçou os ombros do esverdeado. - Quando nos vamos embora desse inferno? - Não foi nem um pouco sutil, deixando claro que queria ir embora assim que possível.

- Essa tarde. - Suspirou. - Mas eu preciso te contar uma coisa antes. - Olhou para o Loiro.

- Já vi que não é coisa boa, pela sua cara.

- Uraraka está no Japão, Kirishima me ligou alguns minutos e me disse que ela está louca atrás de você. - Falou sério.

Quanto mais problema ele resolvia, mais problemas apareciam.


Notas Finais


• Esse é mais um Capítulo complementar dos outros e como eu disse as lembranças deles da grande noite, estão prestes à acontecer.

• Às bebidas foram batizadas. Quem será que foi? Monte sua teoria. Haha

• E essa mulher misteriosa? Quem é?

• O que acharam da conversa Yagi e Bakugou? Ah, não sei não. Mas o Pai de Izuku está bem desconfiado com esse casamento.

• Só uma dica:" O passado do Bakugou Katsuki, ainda é um mistério". Hahahaha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...