História Casal Popular clichê idiota - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Ashley Benson, Bangtan Boys (BTS), Mamamoo
Personagens Ashley Benson, Hwasa, Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Colegial, Imagine Jeon Jungkook, Kpop, Romance
Visualizações 517
Palavras 3.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde sobrinhos!

Em comemoração a enorme quantidade de favoritos, a tia resolveu postar esse capítulo grande como um presente para vcs, então espero que gostem ❤❤❤

Esse capítulo será narrado pela a S/N agora, ok?

❤❤

Boa leitura!

❤❤😍💕

Capítulo 11 - Você não sabe se amar


Fanfic / Fanfiction Casal Popular clichê idiota - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 11 - Você não sabe se amar

Moon S/N — 

Point Of View

Berna, Suíça


Quando amanheceu o dia, Jungkook me acordou e me chamou para ir tomar café junto com ele. Neguei dizendo que não estava com fome, mas a sua insistência me fez acabar indo. Comi bem pouquinho. Ele fez alguns breves comentários em relação a comida e a nossa conversa só ficou nisso. Notei que por algum motivo, ele havia ficado estranho comigo do nada. Não fiz muita questão de entender os motivos, mas eu tinha um ótimo palpite: Assim como os outros, ele também já deve ter se cansado de mim. Todos se cansavam. Eu sou uma garota chata, narcisista, irritante e ainda gorda. 

Sim, gorda. 

Desde que o Jungkook começou a me obrigar a me alimentar direito, eu havia ganhado alguns quilinhos, que ao meu ver, eram o fim do mundo! Terei que me esforçar muito nas dietas para conseguir voltar ao meu peso ideal, afinal, a garota mais popular do colégio não pode se tornar feia! Eu era uma tremenda gordinha no ensino fundamental e isso me deixou marcas devastadoras, que até hoje eu ainda não fui capaz de curá-las. O bullying fez parte da minha vida por muitos e muitos anos e quando eu finalmente decidi dar um jeito nisso, eu sai do colégio e comecei a fazer várias dietas malucas. E quando eu finalmente voltei a pisar naquele lugar, completamente diferente do que eu era, choquei a todos, inclusive aos professores. 

De início, algumas pessoas demoraram muito para me reconhecerem, mas o Jungkook nunca foi uma delas, além de ter sido um dos únicos a não querer fazer essa merda de bullying comigo! Lembro-me dele me defendendo de várias pessoas e mesmo que ele tenha feito isso, nós nunca havíamos trocado sequer uma palavra. Teve no máximo um obrigado da minha parte e nada mais do que isso. E quando ele me viu mudada e me tornando a garota mais popular, nós dois passamos a criar um ódio genuíno um pelo o outro. Ele me achava irritante e eu também achava isso dele. Ele me achava exibida e eu também pensava o mesmo em relação a ele. Nós tínhamos as mesmas opiniões sobre o outro. Mas nunca houve um motivo muito forte para a justificação desse nosso ódio. Talvez nem houvesse muito sentido nisso e eu nunca entendi o porquê dele ter me ajudado tanto assim no passado. 

Uma vez, um grupinho de garotas me cercaram na saída e jogaram comida podre em mim, dizendo que já que eu era gorda, eu deveria gostar de ingerir qualquer coisa para ser daquele jeito. E por incrível que pareça, eu nunca chorava, pelo o contrário, eu sempre sorria e dizia que elas estavam certas. O Jungkook acabou me vendo antes de sair do colégio, me pegou colo e xingou cada uma delas! Ainda me lembro das palavras que ele me disse enquanto me limpava logo depois disso. 


— Você não deve aceitar esse tipo de tratamento, S/N. Você é linda do jeito que você é e mesmo que ninguém veja isso, já será o suficiente se você mesma conseguir enxergar isso. 


Sorri involuntariamente ao me recordar disso. Ele foi tão fofo, meigo e terno comigo naquele dia. Porém, mesmo que eu quisesse absorver o que ele havia me dito, eu simplesmente não conseguia fazer isso. Eu não me achava digna e até cheguei a pensar que ele só tinha me ajudado por pena. Claro que seria só por isso! 

Assim como agora. 

Ele me chamou para viajar com ele do nada, estava sendo super gentil comigo, da forma dele, é claro. E na minha cabeça, isso não estava fazendo o menor sentido! Então eu só conseguia pensar no fato de que tudo isso não passava de uma farça. Uma mentira. Uma pura encenação. Não vou negar, claro que eu fiquei feliz quando ele comprou roupas pra mim. Eu estava me divertindo de verdade com ele, até a merda das minhas paranóias resolveram me assombrar. Tudo bem que eu era considerada a garota mais linda e popular do colégio, mas mesmo que eu aparente ser uma mulher convencida, eu me achava um belo desastre. 

Eu não me amava. 

Nunca me amei e talvez, seja por isso que até hoje eu nunca tenha conseguido amar alguém da "forma certa." Se você não sabe amar nem a si mesma, quem dirá amar alguém. Acho que eu jamais vou conseguir aprender isso. E dói. Meu coração dói. Eu não passava de uma garotinha escrota, que só sabe fazer merda na vida. E é por isso que o Yoongi me deixou. É por isso que ele me disse aquelas coisas horríveis quando terminou comigo. 


— Você não é nada doce, gentil, educada ou amorosa. Está mais para uma garotinha fria, egoísta e totalmente mimada. Você pode até se destacar pela a sua beleza e atrair vários homens por causa dela, mas nenhum homem irá se apaixonar de verdade por você depois de perceber o quão podre você é por dentro. 


E ele tinha razão. 

Eu era mesmo uma pessoa muito podre. Estava sendo podre agora, pois aqui estava eu, enfiando o dedo na garganta e tentando vomitar tudo o que eu havia comido há pouquíssimos minutos atrás. Aproveitei a ausência do Jungkook. Ele disse que iria lá fora chamar um táxi e essa era a única oportunidade de ficar sozinha. 

Chega de comer. 

Chega de engordar. 

Chega de ficar feia. 

Fiquei de joelhos bem ao lado da privada e continuei forçando aquele maldito vômito! Me senti brevemente aliviada quando ele finalmente veio. Joguei para fora tudo o que eu comi e me levantei com certa dificuldade. Acho que eu vou ter que tomar alguma vitamina ou um copo de suco. Não quero acabar desmaiando como sempre acontecia, ainda mais aqui na nossa viagem. 

— Respira, S/N… — Fechei os olhos, sentindo a tontura piorar. — Você consegue, você consegue... 

Dei descarga na maior lentidão possível e me preparei para deixar o banheiro. Minhas pernas começaram a tremer derrepente, minha visão ficou embaçada e tudo rodava. Parecia até que eu estava bêbada sem ter ingerido sequer uma gota de álcool. Apoei minha destra na porta e quase cai no chão. 

Caralho, isso não é bom! 

— Droga! — Bufei comigo mesma. — Por que isso sempre acontece comigo? 

Respirei fundo e voltei a caminhar. Logo conseguir deixar o banheiro, mas o meu corpo se tornou mais fraco depois de chegar na sala. 

— S/N!

Ouvi uma voz familiar gritar o meu nome e correr até mim. Fui pegada no colo de maneira rápida e eu não consegui ver mais nada depois disso. 


                     [...]


Pisquei os olhos lentamente e olhei para os lados. Minha visão foi melhorando aos poucos. Senti alguém segurando uma das minhas mãos e virei a cabeça para o lado. A expressão de Jungkook visivelmente preocupado, me deixou muito surpresa. Ele acariciava minhas mãos com a ponta dos dedos e sorriu quando percebeu que eu já estava acordada. 

Há algo ligado no meu pulso e não demorou muito para eu descobrir onde eu estava. Em um hospital. E ainda tomando soro direto na veia! O que poderia ser pior? Com certeza o fato de eu estar deitada nessa marca, toda feia. E ele ainda estava me vendo assim. 

Meu Deus. 

Que vergonha! 

— Não me olha. — Pedi baixinho, virando a cabeça para o lado. — Eu tô horrível... 

— Que bobagem! — Senti suas mãos nos meus cabelos. — Você é linda de qualquer jeito. 

Achei graça. 

— Não precisa continuar fingindo essas coisas, Jungkook. Não aqui. 

— Mas eu não estou fingindo nada. — Segurou meu queixo, me forçando a olha-lo. Engoli em seco quando ele aproximou o rosto bem perto do meu. — E eu estou muito triste pelo o que você fez. Pensei que você já tinha parado de fazer isso. 

— Eu engordei por sua culpa, então agora eu preciso voltar a minha antiga rotina. — Me sentei com a ajuda dele. — Chega de comer. E já chega dessa viagem também. — O olhei séria. — Eu quero ir para casa. 

Ele soltou minhas mãos antes de perguntar. 

— Já se cansou da minha companhia? 

— Não faz nenhum sentido continuar aqui com você. — Afirmei, séria. — Tudo o que eu fiz foi engordar e engordar... 

— Mentira. — Nossos olhares se encontraram. — Você estava se divertindo muito comigo. E eu com você. 

— Mesmo assim... 

— Se você quer ir embora, eu te levo, mas eu vou ficar lá com você. 

Será que ele ficou maluco? 

Que atitude repentina do nada é essa? 

— Você ficou maluco? — Falei pasma. — A minha mãe nunca que iria aceitar você lá comigo! 

— E ela aceitava você com o Yoongi? — Questionou ele. 

— Sim, mas ele era o meu namorado... 

— Ok, e eu sou o que? — Seu semblante estava muito sério. Eita! — O seu namorado, certo? 

— Mas não de verdade! Não sei onde você está querendo chegar agindo assim... — Fiquei confusa. — Pare de se preocupar comigo, Jungkook. Continue me odiando e me tratando mal que é melhor. 

Arregalei os olhos quando senti suas duas mãos no meu rosto. 

— Eu nunca te tratei mal, garotinha irritante. Eu só implico demais com você. 

Tremi até as bases. 

Fiquei completamente sem reação quando ele se aproximou ainda mais, quebrando aquela mínima distância entre nós. Olhei para os seus lábios já prevendo o que ele iria fazer e por algum motivo, eu não senti nenhuma vontade de soca-lo. Mesmo me sentindo estranha, eu queria que ele continuasse o que estava fazendo, mesmo sem entender o porquê dele estar fazendo. Fechei os olhos quando seus lábios encostaram nos meus e antes que um beijo entre nós se iniciasse, ele se afastou com a chegada do médico. 

— Está tudo bem por aqui? — Perguntou indo até nós. — Como está a nossa paciente? 

— Melhor. — Respondi sem olhar para Jungkook. — Eu já posso ir embora Doutor?

Eu odiava hospitais. 

— Não, só depois que você terminar de tomar o soro e outra, a senhorita precisa se alimentar direito. — Repreendeu sério. Ele já era um homem bem velho. — E é bem provável que você esteja com anemia. 

— O senhor fez exames nela para saber disso? — Perguntou Jungkook, levantando-se. 

— Não, mas só pelo o que você me contou já deu para deduzir isso. — Explicou calmo. — Mas é claro que eu não posso afirmar isso sem um exame completo em mãos. 

— Então faça eles agora. 

— Não! — Exclamei rápido. — Nada de exames e nada de hospitais! Por favor, Jungkook! — Segurei sua camisa e o olhei, manhosa. — Eu só quero ir para casa. Eu não gosto daqui. Eu prometo que eu vou fazer esses exames outro dia. 

Ele se livrou do meu toque. 

— E por que diabos eu deveria acreditar nisso? — Lá vem. — E só eu virar as costas que você já enfia o dedo na garganta! 

— Você não vai entender os meus motivos! Ninguém entende! — Arranquei aquela merda de soro do meu braço e fiquei de pé. — E eu não vou ficar aqui nem mais um minuto!

O médico me olhava surpreso e acabou saindo daqui quando o Jungkook pediu. Ele voltou a me olhar quando voltamos a ficar a sós, os braços cruzados e a cara fechada. Seus cabelos negros estavam perfeitamente no lugar, ele estava usando um moletom preto e uma calça jeans. Olhei para os seus lábios e acabei ficando vermelha. Nós teríamos nos beijado se o médico não tivesse aparecido. 

E o pior, ainda seria um beijo de verdade! 

— Será que dá pra você se acalmar? — Me puxou pelo o braço, todo tosco. Bati em seus ombros e me afastei, emburrada. — Foi você que fez merda aqui, S/N. E eu só te ajudei. Eu também não gosto de ver você aqui nesse hospital, mas infelizmente, você precisa. E nada disso teria acontecido se você tivesse se alimentado direito! 

— Mas eu comi! 

— É, comeu sim, pra vomitar tudo depois! — Falou bravo. Me sentei na cama e fitei meus próprios pés, pronta para ouvir ainda mais sermões. — Será que você não percebe o que você está fazendo consigo mesma? Você não sabe se amar não? 

— Sei, e é por isso que eu estou fazendo isso. — Respondi baixo. — Porque eu preciso ficar magra para ficar mais bonita.

O ouvi rir. 

— E eu posso saber quem foi o idiota que te disse isso? — O observei vim até mim e se ajoelhar na minha frente, colocando as mãos sobre os meus dois joelhos. — Foi o Yoongi? 

— Não, foi o mundo. 

Não há lugar para pessoas gordinhas no mundo. Só magras. O mundo só enxerga isso. As revistas só mostram isso. Os homens só querem isso. Então eu tenho que me tornar isso. É assim que funciona, caso contrário, eu vou me tornar uma garota excluída que sofre bullying de novo. Igualzinha ao passado. 

— O mundo não sabe de nada, S/N. E você está sendo muito idiota por agir assim, você precisa de ajuda médica. 

— Mas eu nem estou doente. 

Ou eu estava? 

O olhei a procura de respostas. Não há problema nenhum em querer fazer dietas. Muitas pessoas fazem isso todos os dias. E eu estava muito longe de ser a última. 

— Está sim. — Afirmou sério, sem tirar os olhos dos meus. — E eu quero muito poder te ajudar, mas isso não será possível se você não aceitar. 

— Eu não estou doente. — Afastei suas mãos e me levantei, dedecidida a ir embora. — Você trouxe o meu celular? Eu preciso ligar para os meus e pedi que um jatinho venha me buscar. 

— Não precisa. Eu te levo. — Revirei os olhos quando ele me sentou encima da marca e olhou para o soro. — Mas só depois que você terminar de tomar isso. Eu não quero que você desmaie de novo, S/N.

— Eu não quero tomar nada. 

— Mas você precisa! 

— Jungkook, para de continuar querendo cuidar de mim! — Empurrei seus ombros antes que ele colocasse aquela merda de soro em mim! — Mas que saco! 

Ele passou as mãos nos cabelos, todo frustado. Acho que agora ele estava começando a ficar irritado comigo, como sempre. Eu sempre irritava todo mundo. 

— Ok, você venceu! E quer saber de uma coisa? — Me arrependi depois de ver o seu rosto. Ele não parecia assim tão irritado. Na verdade ele parecia...triste? Eu consegui deixá-lo triste? — Foi um tremendo erro eu ter te chamado para essa viagem! Você só sabe reclamar e se maltratar! Enquanto eu, continuo aqui, querendo só te ajudar e nem um obrigado em troca eu recebo! 

— Eu nunca pedi a sua ajuda. 

— É, e eu sou um tremendo imbecil por ter me preocupado com você mesmo assim! — Forçou uma risada. — Como sou tolo, é claro que você não se importa! 

— Desde o início, a única coisa que eu te pedi foi para que você fingisse ser o meu namorado. — O lembrei. — Mas você anda levando tudo isso a sério demais, Jungkook. Então apenas pare de fazer isso. 

— Se eu fizesse isso, você estaria muito pior. E sabe por que? — O ouvi atentamente. — Porque de todas as pessoas, eu sou o único que não te enxerga apenas como uma garota mimada. Eu sou o único que sei como você se sente inferior aos outros. — Senti um rubor em minhas bochechas quando ele ousou chegar perto demais. — Sou o único que sei o que se passa aqui nessa sua cabecinha. — Congelei no lugar quando senti seu polegar acariciando minhas bochechas. — E praticamente, eu também sou o único que insiste em querer te ajudar. Então pare de me afastar. 

— Você fica dizendo que eu estou doente... — Falei triste. — Realmente pensa isso de mim? — Busquei seu olhar. — Realmente me acha só uma doente? 

— Não, eu não acho. — Continuou me acariciando. — Você não é só isso. Acredite em mim, S/N. Tudo o que eu disse sobre você é verdade. 

— E eu queria muito poder acreditar nisso. — Toquei suas mãos e pensei em tirá-las do meu rosto, ainda mais quando ele roçou meus lábios com o polegar. — Mas eu não consigo... 

Minha respiração se acelerou. Pensei que ele fosse me beijar ou algo do tipo, mas isso não aconteceu. Me senti frustada. Será que ele só estava sentindo pena de mim? 

— Então eu irei te ajudar. 

Fechei os olhos quando ele me puxou para um abraço e descansei a cabeça na altura de seus ombros. O perfume dele era muito bom. Bom e inebriante. Ele me apertou contra si e beijou meus cabelos, todo carinhoso. Quis abraçá-lo de novo quando ele se afastou. Eu estava me sentindo muito vulnerável. Temia o que eu poderia fazer se estivesse sozinha. Eu não confiava em mim mesma. Jungkook acabou conseguindo me convencer a tomar o resto de soro e quando o médico finalmente me deu alta, ele tratou de chamar um jatinho para me levar para casa. Notei que ele estava muito estranho por não poder me levar para a casa dele hoje, como nós dois já havíamos combinado. Será que haveria algo de especial lá? Seja lá o que for, decidi não perguntar nada e acabei dormindo durante toda toda a viagem. 

Eu não queria o causar ainda mais problemas, então insisti para que ele não fosse para a minha casa e que eu ficaria bem. Também prometi que faria aqueles benditos exames depois! Ele não parecia muito afim de brigar e eu também já estava cansada de discutir com ele sempre pelo os mesmos motivos. Ele acabou por aceitar as minhas decisões, porém, ele disse que só ficaria tranquilo se eu o deixasse ir na consulta médica junto comigo. Confirmei dizendo que ele poderia ir e esperei que o meu motorista particular viesse me buscar. 

Jungkook ficou do meu lado durante todo o tempo, comprou um lanche leve e me fez jurar que iria tentar comê-lo mais tarde. Ele estava sendo muito cuidadoso comigo e por algum motivo, eu estava começando a gostar disso. 



Notas Finais


Então, nesse capítulo vcs puderam saber mais um pouco sobre a S/N. Ela tem muitos problemas de autoestima e eu tentei passar a forma como muitos jovens se sentem hj em dia, que é o fato de nunca conseguirem se aceitar e se amar. Eu também já passei por isso e é algo muito ruim. Então se vc se sente assim, procurar ajuda ou dizer para alguém como você se sente pode se tornar uma ótima ajuda.

Se amem, vcs são belos e únicos.

E se alguém quiser conversar comigo sem ser por MP, eu tenho Instagram: nakook_do_kook

Amo vcs!

❤❤❤🌈

Bjs da tia naty!

😍😍❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...