História Casamento arranjado - Capítulo 23


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Abo, Bottom!jk, Bottom!jungkook, Jungkook!ômega, Royals, Taegguk, Taehyung!alpha, Taekook, Top!tae, Top!taehyung, Vkook
Visualizações 487
Palavras 1.711
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 23 - Vinte e três.


Fanfic / Fanfiction Casamento arranjado - Capítulo 23 - Vinte e três.

               

5 anos depois






Foi um dia cansativo na sala de reuniões. O rei de Seul finalmente aceitou o acordo financeira com Busan e Daegu e agora eu poderia dormir tranqüilo com uma questão importante resolvida.



Esses cinco anos foram extremamente bons para os reinos e para meu casamento. Eu pensei que não podia me apaixonar ainda mais por Jungkook, entretanto a cada novo dia o ômega me fazia amá-lo ainda mais.



Yeri estava enorme com quase sete anos. A pequena alfa era bem esperta e vivia correndo pelos corredores do palácio com os filhos de algumas servas. Jungkook morria de ciúmes, pois nossa filhote não ficava mais tão agarrada a si, preferia brincar com as outras crianças a ler um livro com Jungkook.



Foram inúmeras vezes que meu ômega reclamou que estava triste pois Yeri não passava mais tempo consigo. Mas a pequena alfa sempre aparecia na hora e enchia seu pai ômega de beijos, alegando que o amava demais mas que também amava brincar.



Nossa vida está perfeita, e com a partida de Mingyu, nada mais nos impediu de sermos felizes.



[...]



Subi as escadas até o segundo andar. Como a reunião acabou muito tarde, sabia que minha filhote já estaria dormindo porém mesmo assim adentrei seu quarto e deixei um pequeno selar em sua testa. Fiquei alguns minutos observando seu sono e decidi sair enfim para meu quarto.




Esperava encontrar Jungkook também dormindo, mas tive outra visão assim que adentrei o cômodo.



Jungkook estava de costas para a porta, olhando a noite através da enorme janela. Sua blusa feita de um tecido fino, deixava sua pele branquinha bem visível. Seu cheiro delicioso estava tomando conta de todo o lugar e automaticamente meus passos foram em sua direção.



— Me esperando? - Circulei meus braços ao redor de sua cintura fina e apoiei meu queixo em seu ombro.



— Estava com saudades, como foi a reunião?



— Tudo resolvido, não se preocupe. - Afastei meu queixo de seu ombro e comecei a depositar selares em seu pescoço.



— Tae...



— Hum? - Continuei beijando e mordiscando a pele de seu pescoço, sentindo Jungkook estremecer em meus braços.



— Isso é tão bom.



— Você é muito sensível amor. - Parei com os beijos somente para vira-lo de frente para mim.    — Eu adoro isso em você.



Tomei seus lábios vermelhinhos e iniciei um beijo cheio de vontade. Minhas mãos desceram até suas coxas fartas, apertando com vontade a carne macia. Impulsionei Jungkook para que envolvesse as pernas ao redor de minha cintura e assim ele fez, deixando o beijo ainda mais gostoso. 



Caminhei com meu ômega ainda em meu colo, o colocando em nossa cama macia e me afastando minimamente somente para admirar sua beleza.



— O que foi?   - Suas mãos tocavam meu rosto em um carinho singelo, enquanto as minhas acariciavam seus fios de cabelo que estavam espalhados entre os travesseiros.



— Eu não canso de olhar o quão bonito você é.



— Você é bobo Tae! - Deu aquele sorriso de coelhinho que eu tanto amava.



— Sou completamente bobo por você Kim Jeon Jungkook.



— E eu por você, meu alfa.



Voltamos a nos beijar cheios de desejo. Não importa quantas vezes fazíamos amor, não importa quantas vezes eu o tenha para mim. Nunca é suficiente, eu sempre preciso de mais e mais de Jungkook.



Abri os botões de sua camisa e a tirei, deixando seu tórax ao meu mercê. Eu adorava colorir sua pele em tons de vermelho que mais tarde se tornaram minha cor favorita, roxo. 



Sendo assim não demorei em começar em distribuir chupões por todo seu torso nu. Fazendo questão de marcar cada pedacinho dele com meus beijos e língua. 



— T-Tae! - Gemeu quando passei a estimular um de seus mamilos amarronzados.



Jungkook era muito sensível e eu adorava brincar com seus biquinhos erijecidos, sendo chupando ou apenas torturando-o passando minha língua devagar.



— Tae por favor!



— O que foi meu amor?



— Faz alguma coisa, qualquer coisa!



— Eu vou fazer meu bem, seu alfa vai cuidar muito bem de você. Apenas aproveite.



Desci minhas mãos para sua calça e a retirei, aproveitando para deixá-lo sem a roupa íntima e completamente nu. Seu membro estava duro, pingando pré gozo e sua lubrificação natural escorria de sua entrada, deixando o cheiro de morangos ainda mais forte pelo nosso quarto.



— Por onde eu devo começar Gukkie? - Lambi toda a extensão de seu membro.  —Você é tão delicioso. - Levei meus lábios para sua entrada e deixei uma bela lambida no local.



— Alfa por favor!



— Você quer que eu te chupe aqui. - Comecei a masturba-lo devagar com uma das mãos.  — Ou aqui amor? - Ameacei introduzir um de meus dedos em sua entrada.



— Nos dois!



— Sempre tão guloso Gukkie, eu vou te dar tudo o que quiser meu bem.



Sem delongas passei a chupar o membro do meu ômega com gosto, do jeitinho que sei que ele gostava. Jungkook gemia sôfrego com as sensações que lhe proporcionava, mas quando passei a estoca-lo com meus dedos ao mesmo tempo que continuava chupando seu membro, meu marido foi a loucura.



— A-alfa! T-tae!



Não diminui minha velocidade de ambas as ações, pelo contrário, acrescentei mais um dedo em seu interior quente, o estocando agora com três.



O corpo de Jungkook tremia em pequenos espasmos, e a cena era linda demais. A boca entreaberta, os lábios avermelhados. O cabelo com os fios grudados em sua testa, e meu ômega gemendo meu nome em alto e bom som.



— T-tae, a-ah!



Jungkook gozou em jatos fortes em minha boca. Retirei meus dedos e provei de seu sabor mais uma vez, não lhe dando muito tempo pra se recuperar e o beijando com todas as forças mais uma vez.



O ômega inverteu nossas posições e agora por cima, retirou as roupas que eu ainda vestia. Eu adorava quando Jungkook ficava no controle, adorava suprir todas as suas vontades e desejos.



— Quero sentar em você bem gostoso alfa.



— E o que está esperando?   - Deixei um tapa estalado em sua nádega.



Jungkook sabia como provocar quando queria e era isso que estava fazendo agora, enquanto descia bem devagar em meu membro. 



— Amor não me torture assim, hum?



— Assim como? - Rebolou bem devagar.



— G-gukkie, vá mais rápido amor.



— Mas eu gosto de sentir todinho dentro de mim alfa, bem assim. - Ele se levantou e voltou a sentar no meu membro de uma só vez.



— P-porra!



— Eu também gosto assim. - Começou a cavalgar em meu membro rápido demais.  —E gosto quando a gente faz assim. - Entrelaçou nossos dedos e ficou olhando em meus olhos.  — Gosto de tudo com você.



— Então cavalga em mim amor, mostra todos os jeitos que você gosta.



Jungkook levou minhas mãos para sua cintura, em um pedido mudo para que eu o ajudasse a ditar os movimentos.




Eu podia sentir meu membro entrando e saindo com facilidade de si. Sua boca estava entreaberta e o puxei para um beijo, antes de virá-lo e invertemos novamente nossas posições.



— De quatro amor. - Pedi, vendo meu ômega se endireitar na cama e empinar a bunda branquinha em minha direção.



Voltei a penetrar em Jungkook, mas agora mais forte e fundo. Não parei com os movimentos até que meu ômega tivesse gozado e eu logo em seguida dentro de si.



Ficamos alguns minutos recuperando nossas respirações. Deixei um beijo em sua marca, sendo retribuído da mesma maneira.



— Eu amo você lobinho. 



— Eu também Tae.  - Se aconchegou mais em meus braços e logo senti sua respiração serena contra meu pescoço, sinal que havia adormecido.



[...]



— Gukkie me deixa entrar, por favor.



— Não! Saí daqui Taehyung!



— Amor por favor... -Forcei a fechadura da porta mas foi em vão.



— Já disse pra... Merda!



— Kim Jeon Jungkook se você não abrir essa porta imediatamente eu vou arromba-la.



Escutei o barulho da chave e logo a porta do banheiro foi aberta.



— Pronto, satisfeito?  - Jungkook estava pálido, o rosto molhado por água e os lábios secos.



— Porque você trancou a porta amor? 



— Você não precisa me ver assim.



— Gukkie,  - Me aproximei, colocando minhas mãos em sua cintura.    — Na saúde e na doença, lembra?



— Mas não quando eu estiver colocando até meu fígado para fora.



— Amor venha aqui.   - Entrelacei nossos dedos e o levei até nossa cama.       — Você precisa ir ver o médico real.



— Tae, foi alguma coisa que eu comi. Apenas isso.



— Você disse a mesma coisa semana passada e até desmaiou. Sabe o quão preocupado eu fiquei? 



— Não se preocupe tanto. - Acariciou meu rosto.



— Você é teimoso demais.  - Beijei sua mão que ainda repousava em minha face.    —Mas vai ver o médico sim senhor.



— Está bem senhor rei.



— Eu amo você lobinho.



[...]



O médico real estava há alguns bons minutos examinando Jungkook em nosso quarto. Eu já estava quase cavando um buraco no chão de tanto andar de um lado para o outro, quando enfim o médico saiu do quarto.



— Então doutor como está meu ômega?



— Seu ômega pediu para que o senhor entrasse majestade, ele quer lhe contar.



— É grave? - O pânico me invadiu.



— Só posso lhe dizer que o rei Jungkook irá precisar muito do senhor. 



— Tudo bem obrigado, por favor retire seu pagamento com um dos guardas do salão.



— Obrigado majestade.  - Se curvou e foi embora.



Respirei fundo e entrei em meu quarto vendo Jungkook ainda deitado na cama. Seu olhar não dizia absolutamente nada, me deixando ainda mais preocupado.



— Venha aqui Tae.



Obedeci seu pedido e me sentei em nossa cama, pegando uma de suas mãos.



— O que o médico disse Gukkie?



— Tae, você precisa ser forte. Eu vou precisar muito de você agora.



— É grave? Eu prometo que vou trazer os melhores médicos da Ásia, irei atrás de qualquer medicamento que precise no continente mais distante. Eu...



— Taehyung! - Me interrompeu.     — Não é nada grave.



— Hum?



— Kim Taehyung, você vai ser papai de novo amor.



O mundo começou a rodar e tudo ficou escuro demais, e então eu desmaiei.



Notas Finais


SURPRESA!

Até semana que vem 💜

Link grupo whatts : https://chat.whatsapp.com/Df6nsgkEMaILF7RA73tEFu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...