História Casamento arranjado - Capítulo 28


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Abo, Bottom!jk, Bottom!jungkook, Jungkook!ômega, Royals, Taegguk, Taehyung!alpha, Taekook, Top!tae, Top!taehyung, Vkook
Visualizações 515
Palavras 3.686
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Kim Jeon Yeri na capa.

Capítulo 28 - Vinte e oito.


Fanfic / Fanfiction Casamento arranjado - Capítulo 28 - Vinte e oito.

Narrador




Taehyung estava mais nervoso do que na primeira vez que se casou com Jungkook. Isso porque o ômega fazia questão de manter segredo sobre a cerimônia. À única coisa que o alfa sabia era a hora e local que deveria estar, e a roupa que deveria vestir. Um terno branco com suas medalhas de honra. 



O mais velho até tentou arrancar alguma coisa de sua filhote, a subornando com promessas de sobremesa em dobro após o jantar, mas a pequena alfa se manteve fiel ao seu pai ômega e apenas deixou um beijo estalado na bochecha de Taehyung e disse que ele deveria se manter calmo e paciente.



Então foi o que ele tentou fazer. Afinal o casamento ocorreria ao anoitecer daquele dia.




Outra coisa que Taehyung sabia era que dessa vez a cerimônia não seria aberta ao público, nem aos ricos e nem aos plebeus. Seria algo íntimo, apenas com a família de ambos. Não anunciaram sobre o ocorrido também, àquela cerimônia era algo simbólico apenas para os dois.




Quando o sol deu indícios de está dando adeus, Taehyung começou a se arrumar. Tomou um belo banho e vestiu sua vestimenta com a ajuda de sua mãe. A senhora Kim estava radiante, tão feliz quanto o próprio filho.



 — Está feliz meu filho?



— Muito mamãe, vou me casar com o amor da minha vida, o pai dos meus filhotes. E dessa vez tenho certeza que ele me ama, assim como eu o amo.



— Vocês merecem ser felizes, passaram por tanta coisa meu amor.



— Sinto que agora vamos ter paz para aproveitar a nossa felicidade. Quero ser capaz de passar bastante tempo com meus filhos, ao mesmo tempo que quero ser um bom rei.



— Você é um bom rei, assim como Jungkook.



— Estive pensando mamãe, quando Yeri e Jeonghan tiverem idades suficientes, irei dar Busan e Daegu para eles. Yeri ficará com Busan e Jeonghan com Daegu, assim ambos governaram juntos mas cada um terá seu próprio reino e suas responsabilidades.



— É uma ótima idéia Tae. Mas ainda falta muito tempo para isso, você ainda tem 25 e Jungkook apenas 23. 



— Já estou pensando na minha aposentadoria.   - Sorriu sapeca para a mãe. — Não sei como a senhora e o papai aguentaram tanto tempo sendo reis.



— Porque havia muito amor entre nós. E sei que também há entre você e Jungkook, sendo assim vocês também governaram por muito tempo. 



— Claro mamãe e por falar no papai, onde ele está?



— Brincando com Yeri e Jeonghan. Sua sogra está ajudando seu ômega a se vestir, assim como eu estou te ajudando.



— Será que Jungkook está tão nervoso quanto eu?



— Aposto que sim!



[...]




Do outro lado palácio, Jungkook estava tão ansioso quanto seu marido. Se preocupava se a decoração havia ficado como pediu, se as crianças já estavam prontas. Se as cozinheiras preparavam as refeições preferidas do marido, se Bogum havia conseguido a tortas de sua mãe. 



— Calma meu filho, se continuar assim vai estragar toda a sua maquiagem.



— Será que está tudo certo mãe? E se ele dizer não? Ele pode não é?



— Gukkie! Vocês tem dois filhos juntos, e o Taehyung te ama. Você não acredita no amor do seu alfa?



— Claro que eu acredito mamãe. Mas estou nervoso, nosso primeiro casamento foi tão ruim. Eu não queria e odiava o Tae. E agora que o amo tenho medo de alguma coisa dar errado.



— Fique tranquilo meu querido, está tudo certo e você vai ver que seu alfa vai estar te esperando no altar.



— Mal posso esperar para nos casarmos de novo.



— Então venha, está na hora. E dessa vez eu mesma lhe conduzirei até o altar.



— Obrigado mamãe.  - Deixou um selar na bochecha da mais velha.




Depois que seu pai havia morrido, Jungkook e sua mãe se tornaram mais próximos. Finalmente os dois se sentiam livres para conversarem sem que seu pai os impedisse. Toda a sua vida Jungkook buscou o colo de sua mãe mas seu pai o impedia, dizendo que aquilo o tornava ainda mais fraco, claro porque na concepção de seu pai ser um ômega era ser fraco. 



Jungkook até se sentia uma pessoa ruim por ter tais pensamentos, mas a verdade era que após a morte de Mingyu e Shin tudo estava muito melhor.



[...]



Taehyung já se encontrava no pequeno altar ao lado de seus pais. Dessa vez seu terno era branco com algumas pérolas colocadas delicadamente nas mangas do paletó. A cerimônia diferente da primeira vez, ocorreria nos jardins do palácio e tudo estava muito mais bonito.



A decoração era composta por muitas flores, de todos os tipos. Alguns troncos de árvores serviam como banco, visto que haviam muitos poucos convidados. Apenas os pais de Taehyung, sua sogra, seus filhos e Bogum e alguns guardas de sua total confiança.



Do lado esquerdo se encontrava o buffet e o alfa podia sentir o cheiro deliciosos das tortas da mãe de Bogum e pratos típicos de Daegu que ele adorava. Se sentiu ansioso para prová-los mas estava mais ansioso ainda para ver Jungkook.



Então de repente uma música calma começou a ser tocada pelo violinista, Taehyung imediatamente se virou e olhou para frente, onde se encontrava o pequeno Jeonghan e Yeri que estava de mãozinhas dadas com o irmão. Os dois estavam às coisas mais lindas, Jeonghan com um terninho branco semelhante ao do seu pai alfa e Yeri com um vestido também branco, que possuía algumas pétalas de rosa desenhadas na cintura. E ao fundo vinha seu ômega, seu marido. Ele estava ainda mais bonito em seu terno branco com alguns detalhes em renda. O sorriso de coelhinho emoldurava seu belo rosto, fazendo automaticamente Taehyung também sorrir.



— Você está lindo.  - Disseram em uníssono e sorriram bobos.



A cerimônia então deu início, às mesmas palavras da outra vez com pequenas modificações. Na troca das alianças, Taehyung declarou seu imenso amor por Jungkook e o ômega fez o mesmo. Fazendo questão de expressar como era feliz com seu marido.



— Eu os declaro casados, mais uma vez. 



E com a bênção do celebrante e de sua família, Taehyung e Jungkook selaram sua união com um beijo apaixonado e as caretas de Yeri e Jeonghan.




— Obrigado por isso.   - Sussurrou o alfa no ouvido do ômega.



— Obrigado por aceitar se casar comigo novamente. 



— Como eu poderia recusar o amor da minha vida?    - Selou mais uma vez seus lábios. — Eu te amo lobinho.



— Eu te amo meu alfa, pra sempre



— Pra sempre.



[...]




Alguns bons anos se passaram, Taehyung e Jungkook continuavam se amando incondicionalmente e tendo um reinado próspero. Yeri agora já tinha seus vinte anos e seu irmão quinze. E por completar vinte anos, a alfa estava prestes a se tornar rainha de toda Busan.



A cerimônia de coroação da rainha estava prestes a começar, todo o povo de Busan e Daegu foi convocado, e todos estavam felizes pois Yeri sempre se mostrou bondosa e generosa como seus pais e seu irmão.



Enquanto a alfa se arrumava para a própria coroação, seus pais se encontravam no próprio quarto. Transando...



— Vai Tae! Mais forte!



— Porra! - Rosnou o alfa.



— Isso, continua Tae. A-ah eu vou gozar!



— Goza lobinho, goza pro seu alfa. - Mordiscou a orelha alheia.



Jungkook então gozou em jatos fortes e Taehyung veio logo em seguida, gozando no interior do marido.



— Meu Deus Taehyung! A coração!



— Precisamos de um banho.



— Céus! Porque você inventou de transar agora?



— Não ouvi você reclamar enquanto eu te fodia lobinho.



— Idiota!  - Entrelaçou suas mãos e puxou o marido em direção ao banheiro.     — Vem, vamos rápido.


Tomaram um banho realmente rápido e se aprontaram rapidamente.



— Tae, vá ver se o Jeonghan já está pronto por favor.



— Tudo bem, te encontro na sala de jantar. -Deixou um selar na bochecha do amado e foi até o quarto do filho mais novo.




Jeonghan se tornou muito apegado ao pai alfa. À profecia de Jungkook de que o filhote seria ômega se tornou real, e Jeonghan acabou sendo mimado demais pelo pai alfa, que sempre fazia suas vontades, claro escondido de Jungkook.



Como tinha muita intimidade com o filho, Taehyung não bateu na porta de seu quarto e se arrependeu amargamente.



Jeonghan, seu pequeno filhote, que não era mais tão pequeno assim, estava debaixo de um alfa, enquanto recebia beijos molhados por toda sua epiderme.



— KIM JEON JEONGHAN!



O ômega se assustou, o alfa que estava em cima de si pulou da cama e acabou caindo do chão.




Taehyung rosnou tão alto que logo Jungkook apareceu na porta tentando entender o que estava acontecendo.




— Papai!  - Jeonghan exclamou, colocando a camisa de novo e se levantando mostrando que estava usando suas calças. Taehyung deu um pequeno suspiro de alívio.




— Eu vou infartar Jungkook! Eu vou infartar!



— O que houve Tae?



— O que houve? O que houve?   - O alfa respirava pesado. — A gente cuida tanto de um filho, dá amor e carinho pra ele crescer e nos decepcionar assim. Eu entro no quarto do meu filhote e encontro ele aos beijos com esse alfa delinquente! Onde eu errei Jungkook? Onde eu errei?        - O mais velho começou a chorar de nervosismo.



— Amor.  - Jungkook segurava os risos.  —Jeonghan já tem quinze anos, não é mais um filhotinho. 



— Ele é meu filhotinho sim! 



— Taehyung!  - Jungkook revirou os olhos.  —Jeonghan e Seungcheol se gostam, já faz algum tempo.



— O QUE? E EU SÓ FICO SABENDO DISSO AGORA? E VOCÊ JEONGHAN PORQUÊ NÃO ME CONTOU HEIN?



— Papai me desculpe. - Respondeu cabisbaixo.



— O universo que me ajude.  - Taehyung dramatizou mais.     — E esse delinquente aí, quem é?



— Me chamo Seungcheo vossa majestade, muito prazer.      - Se curvou em respeito.



— Ele é filho dos reis de Seul Tae.  - Sussurrou Jungkook.



— Pois podia ser filho do rei da França! Quem ele pensa que é para sair agarrando meu bebê?



— Papai! Eu não sou mais um bebê!



— Jeonghan? 



— Papai, me desculpe mas o senhor precisa entender que eu cresci. Eu sempre vou te amar papai, e o senhor sempre vai ser meu herói. Mas eu cresci e amo o Seungcheol e quero me casar com ele.



— Jungkook eu vou infartar, me segura!



— Para de drama Taehyung!



— Tudo bem, por enquanto eu não vou falar nada. Mais assim que acabar a coroação eu vou ter uma conversa séria com os reis de Seul e você Jeonghan.  - Olhou sério para o filho. — Se esse alfa te magoar, o papai vai acabar com ele ok?



— Obrigado papai!   - O ômega abraçou forte seu pai alfa.



— Ai meu bebê...



— Papai...



— Tudo bem, vamos ver sua irmã ser coroada.




[...]



Todos estavam reunidos nos enormes pátios do palácio real esperando pela entrada da futura rainha de Busan. O povo estava eufórico com a ideia de ter uma nova majestade, e sabiam que a jovem princesa governaria de forma sábia.



Enquanto o povo e os nobres ansiavam pela entrada triunfal da futura rainha e da família real, Taehyung se encontrava inquieto ao lado de Jungkook.



— O que foi Tae? Aconteceu alguma coisa?



— Você ainda pergunta Jungkook? Olha aquilo ali!



Apontou para o canto da sala onde estavam esperando Yeri chegar para que enfim a coroação se desse início, e Jungkook pôde ver Jeonghan juntamente com Seungcheol, os dois estavam de mãos dadas e trocando sorrisinhos apaixonados entre si.



Fofos. Foi o que o ômega pensou.



— Jeonghan, venha cá!



Chamou e o pequeno ômega foi rapidamente até o pai que o olhava com os braços cruzados na altura do peito.



— Sim, papai?



— O que eu disse antes? Depois da coroação de sua irmã nós conversamos, por enquanto fique longe daquele alfa!



— Mas papai...



— Sem mais Jeonghan, agora fique aqui comigo e seu pai.



O ômega cruzou os braços formando um biquinho adorável nos lábios, podia ter quinze anos mas suas ações eram tão infantis, igual ao de seu pai.



— Não ligue para seu pai Jeonghan, ele só se preocupa demais.   - Jungkook comentou sussurrando no ouvido do filho, esse apenas concordou com a cabeça.



— Estou pronta, podemos ir?



Uma voz feminina se fez presente e os presentes ali levaram seu olhar até Yeri, que estava belíssima. Suas roupas, seu cabelo, simplesmente tudo estava lindo nela.



— Filha, você está tão linda.



— Minha princesa cresceu tanto! - Comentou Jungkook com lágrimas nos olhos.



— Obrigada papai.   - Abraçou os dois a sua frente se mantendo firme para não chorar, não queria e nem podia borrar a maquiagem que demorou tanto para estar pronta.



— Vamos?



— Sim.



Seguiram então até o principal e maior pátio de todo o palácio. Toda a família real estava reunida em um tipo de palco, onde todos ali presentes podiam ver perfeitamente seus reis. Logo ao centro se encontrava o cerimonialista responsável pela cerimônia de coroação que se daria início em questão de segundos.



— Estamos todos reunidos aqui para a coroação da jovem princesa Kim Jeon Yeri, filha de Kim Jeon Taehyung e Kim Jeon Jungkook, como a nova rainha de Busan. Podem trazer!



Pediu e logo dois servos trouxeram consigo uma belíssima coroa e uma belíssima capa, ambas sobre duas almofadas vermelhas bordadas com linhas de ouro.



— Meus reis, gostariam de dizer algumas palavras antes da oficialização da cerimônia?



Jungkook que chorava de emoção apenas negou, pois apenas com um olhar podia passar todas as energias positivas para sua filhote que estava se tornando tão independente e responsável agora. Jurou para sí mesmo que não choraria e que se manteria forte, mas não conseguiu cumprir.



Por outro lado Taehyung acenou que sim com a cabeça e deu dois pequenos passos ficando frente a frente com Yeri. Sorriu para a filha sentindo seu peito se enchendo de orgulho, ainda lembrava da pequena alfinha correndo pelos corredores do palácio brincando com as outras crianças, e agora estava prestes a virar uma rainha.



— Agora, nesse momento eu e seu pai Jungkook estamos te passando o poder e a honra de governar Busan, e nós sabemos que você será uma rainha muito sábia e saberá como governar de forma justa!



As lágrimas não foram poupadas e tanto Yeri quanto Taehyung choravam, mas era de alegria. Uma alegria imensa que não poderia ser expressada por palavras.



O cerimonialista pôs então a coroa sobre a cabeça de Yeri e a vestiu com a deslumbrante capa. Todos os olhares ali presentes agora estavam voltados para a mais nova rainha de Busan.



— VIDA LONGA A RAINHA YERI! VIDA LONGA A RAINHA YERI!



Após algumas palavras de Yeri e mais saudações do povo a família real juntamente com alguns nobres seguiram para a sala de jantar, onde seria servido um enorme banquete para celebrar a coroação.



E quando tudo acabou Taehyung fez questão de ter uma conversar séria com Jeonghan e o alfa que ele julgava ser delinquente. Estavam reunidos no escritório do palácio. Taehyung olhava seriamente para Seungcheol enquanto Jungkook se controlava para não rir daquela situação.



— Quantos anos você tem? - Perguntou sério sem desviar o olhar do alfa a sua frente.



— Tenho dezessete.



— Pelos céus, ele é dois anos mais velho!



— E qual o problema disso? Você também é dois anos mais velho que eu.



— Mas esse caso é diferente Jungkook!



— Deixe disso Tae.



— Continuando, quem você pensa que é para beijar o meu bebê? Hein?



— Papai, pare com isso.



— Agora não Jeonghan.



— -Senhor eu realmente amo o Jeonghan e quero me casar com ele, eu prometo que farei ele muito feliz!



— Já teve seu primeiro cio?



— Taehyung você está indo longe demais! - Agora foi Jungkook que interveio tentando a todo custo não rir das ações de seu alfa.



— Me responda garoto, vamos.



— A-ainda não.



— Isso é pior ainda Jungkook! - Choramingou agarrando o seu ômega e fingindo chorar.



Escutaram batidas na porta e Jungkook mandou que entrassem, reconhecendo que era um dos reis de Seul, pai de Seungcheol.



— Estava procurando o Seung, me disseram que ele estava aqui conversando com vocês.



— Nos desculpe por não ter o comunicado rei Yeosang, mas era um assunto importante.



— Não tem problema, mas sobre o que estão conversando?



— Digamos que sobre o futuro dos nossos filhos,   - Jungkook comentou vendo Taehyung negar com a cabeça.   — Onde está seu marido?



— Ele estava se sentindo um pouco indisposto e decidiu ir descansar um pouco.



— Entendo, se sente por favor.  - Apontou para a cadeira vazia ao lado de Seungcheol.



— Não sei se sabe mas seu filho estava se aproveitando do meu bebê, do meu indefeso Jeonghan. - Taehyung se pronunciou e o rei de Seul o olhou sem entender.



— Como assim? O que você fez Seungcheol?



— E-eu não fiz nada papai.



— Claro que fez, eu vi muito bem quando entrei naquele quarto!



— Papai por favor, entenda que eu já não sou uma criança e que eu me apaixonei. Me apaixonei pelo Seungcheol!  -
Jeonghan foi até o pai lhe abraçando apertado.



— Eu te amo muito papai, mas eu também amo o Seungcheol. Você não vai me impedir de ficar com ele não é?   - Fitou intensamente os olhos escuros do pai a sua frente.



— Vamos Taehyung, fale alguma coisa. -Pediu Jungkook, tão ansioso quanto seu filhote.



— O que você acha sobre isso Yeosang? - Olhou para o rei de Seul, esperançoso que ele não permitisse. Ainda não estava preparado para entregar seu filhote para um alfa qualquer.



— Por mim tudo bem, se eles se amam de verdade eu serei o primeiro a apoiar. Além de que assim teremos uma união entre os dois reinos.



O alfa parou para pensar um pouco e vendo o olhar ansioso de seu filho sobre si entendeu que eles realmente se amavam. E saber que seu filho estava bem e feliz era o mais importante para si.



— Tudo bem, eu permito vocês namorarem. Mas se esse alfa te fazer alguma coisa de ruim eu acabo com ele!   - Seungcheol engoliu em seco assustado.



O ômega pulou de alegria deixando um beijo estalado na bochecha de Taehyung e um abraço apertado em Jungkook antes de correr para Seungcheol. O alfa mais novo envolveu o ômega em seus braços deixando um beijo em seus lábios.



— Ei ei, não façam isso aqui!



Se levantou na intenção de separar os dois mas foi pego de surpresa por Jungkook, que o puxou e selou seus lábios em um selinho demorado.



— Não seja chato assim Tae.



— Acho que estou sobrando aqui! - Yeosang comentou se levantando.   — Irei ver como meu ômega está. Juízo Seungcheol! -Advertiu ao filho antes de sair da sala.



— Seungcheol, vamos até o jardim? Quero te mostrar uma coisa.



— Vamos.



Deram as mãos e saíram pela porta do escritório deixando Taehyung e Jungkook sozinhos.



— Eu não quero me arrepender mas eu estou quase indo lá e sequestrado o Jeonghan e o colocando trancado em nosso quarto! Ele podia voltar a ser um bebê de novo, assim ele poderia voltar a dormir conosco, eu não gostei muito desse Seungcheol! E se ele for um pervertido? Eu não posso deixar o meu filhote com uma pessoa como ele e...



Jungkook calou o marido selando seus lábios aos dele, assim quem sabe seu alfa deixaria de falar tantas besteiras. Jungkook empurrou o corpo esbelto de Taehyung na cadeira sentando em seu colo logo em seguida.



Sem deixar de se beijarem Taehyung levou suas mãos até a cintura de Jungkook fazendo pressão ali. O ômega sorriu e desceu seus beijos para o pescoço do alfa, onde deixou um beijo casto bem em cima de sua marca.



— Vem comigo.



Se levantou do colo de Taehyung pegando em sua mão e o puxando consigo para fora do escritório.



— Quer repetir o que fizemos mais cedo?



Um sorriso malicioso surgiu nos lábios do mais velho e Jungkook revirou os olhos ao perceber o quão pervertido seu marido é.



— Na varanda Jungkook? Você tem algum fetiche por isso? Alguém pode nos ver.



O alfa foi se aproximando do outro com segundas intenções mas rapidamente Jungkook o segurou o impedindo.



— Não é nada disso Tae.



— E então?



— Eu queria conversar com você.



— Sobre?



— Sobre nós.



— Você… por acaso deixou de me amar? -Teve receio de perguntar. Não iria aguentar se fosse isso.



— O que? Claro que não seu bobo. - Sorriu pelo seu desespero.



— E então?



— Tae, - Pegou em suas mãos as entrelaçando às suas, olhando fundo em seus olhos.    — Desde sempre você se sacrificou por mim, deixou Daegu que foi onde você nasceu e sempre viveu, para vir para Busan por minha causa. E agora que Yeri já é rainha eu queria devolver o que fez por mim.



— Não estou entendendo onde você quer chegar.



— Seus pais moram em Daegu e poucas vezes vamos para lá, eu quero que eu e você  se mudamos para Daegu e passarmos a morar lá, depois claro de alguns meses do reinado de Yeri, precisamos ajudá-la.



— Você está falando sério?



— Sim. Você quer, não quer?



— Claro que eu quero meu amor.



Taehyung tomou Jungkook em seus braços o prendendo em um abraço apertado e carinhoso. Sem dúvidas amava o homem certo.



— Eu te amo Tae, e se fosse necessário passar por tudo que passamos para estarmos aqui, juntos eu faria tudo de novo. Por nós.



— Eu te amo lobinho.



E selaram seus lábios como se fosse a primeira vez, se entregaram um ao outro de corpo e alma e se amaram como dois apaixonados.





"Sim, e eu te amarei, querido, sempre.


E estarei ao seu lado por toda a eternidade sempre.


Eu estarei lá até as estrelas deixarem de brilhar,


Até os céus explodirem e as palavras não rimarem.


E sei que quando morrer, você estará em meu pensamento.


E eu te amarei, sempre."



Always - Bon Jovi




Notas Finais


Então acabou :(

Eu adorei escrever e desenvolver esse ploot com a @kimbabycrazy05. Foi uma parceria muito legal, nos entendemos muito bem e uma sempre completava a idéia da outra.

Obrigada por cada comentário, cada favorito e cada palavra de incentivo que vocês deixaram aqui. Obrigada aos leitores anônimos que não aparecem, mas sei que existem. Todos vocês são maravilhosos 💜

A parti de agora estou entrando em hiatus por tempo indeterminado. Mas quem sabe se Deus quiser e tudo na minha vida se resolver, eu posso voltar logo?

Fiquem bem, bebam sempre muita água e se alimentem direitinho. Não esqueçam, love is mutual.

Até qualquer dia, Lari.


Infelizmente chegamos ao fim dessa fanfic e eu fiquei bem triste por causa disso ;-; mas eu fico feliz em saber que vocês gostaram dessa história e o resultado foi muito bom para nós duas. Escrever essa fic com a Lari foi muito bom tanto pra mim quanto pra ela e quem sabe depois nós voltamos com mais histórias pra vocês♡

Thuliane💜



Link do grupo whatts : https://chat.whatsapp.com/Df6nsgkEMaILF7RA73tEFu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...