História Casamento arranjado - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Anna Heartfilia, Aquarius, Aries, Cana Alberona, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Libra, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Michelle Lobster, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Scorpio, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Fairy Tail, Gray, Igneel, Lucy, Mavis, Nalu
Visualizações 45
Palavras 1.699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pessoal, obrigada a todos os comentários e favoritos. Realmente me animaram um pocado.
Espero que gostem e que tenham uma boa leitura.

* Antes de criarem os relógios as pessoas usavam velas com marcações com pregos fincados em cima de pequenos pratos de metal para acordar e/ ou ser alertado sobre o tempo, a vela derretia fazendo o pego cair no prato e fazer um barulho, como um alarme.

★ na era feudal as mulheres solteiras deixavam o cabelo solto e as casadas prendiam

Capítulo 5 - Da manhã ao anoitecer


Fanfic / Fanfiction Casamento arranjado - Capítulo 5 - Da manhã ao anoitecer

Virgo povs


Terras de tenroujima


-VIRGO!

No raiar do sol, quando nem mesmo ele havia despertado, fui acordada novamente por um grito da sereia azul, Aquários:

-Levante-se ou vai se atrasar.- Apressada mais uma vez sem nenhum compromisso.

Meu emprego sempre iniciou às oito horas, mas faz dois anos que ela vem me acordando sempre às seis horas dizendo mentirosamente o quão atrasada estou, algumas vezes não sei se me incomodo com nossa vizinha ou lhe agradeço por ser tão pontual:

-Que horas são?- perguntei enquanto me levantava

-Não faço idéia - responde já dentro de meu quarto, estava mais calma.

A primeira coisa que fiz ao me levantar foi apagar a minha vela com o prego que deveria me acordar ainda fincado na cera* , ao menos poderia usá-la novamente:

-Vou preparar o café, se troque. - certos momentos me questiono se ela sempre foi tão mandona assim e em que momento eu comecei a obedecê-la.

Preguiçosa fui até ao armário para colocar meu uniforme marrom. Primeiramente foram minhas roupas de baixo, depois um vestido longo,da mesma cor do barro, de mangas até o meu pulso com uma parte mais larga perto do meu ombro tendo aproximadamente uns quatorze centímetros de comprimento e uma gola que quando virada se tornava da mesma cor do lacinho branco logo abaixo dela.

Após me vestir fui até a cozinha, o cheiro da comida estava bom ao ponto de me deixar com mais saliva do que o de costume, ultimamente as habilidades dela tem se tornado cada vez melhores, até quando eu acho que não ficariam mais perfeitas.

-Para que toda essa sua animação? - a única pista que tive dela estar animada foi o fato de estar sendo acordada ainda mais cedo.

-Minha afilhada, a pirralha já tem oitos anos e me enviou uma carta dizendo "Querida madrinha, tenho certeza que em uma terra isolada iremos nos encontrar. Está pronta para jogar?" - contava a azulada - Já faz dois dias que recebi a carta, no final dela ela colocou a data de hoje.

Não tinha ideia da aparência da tão falada garota, tudo o que sabia era onde morava, pois uma vez por ano meu primo e sua esposa iam para Magnólia, quando voltavam sua mulher sempre tinha um sorriso no rosto e ficava dias falando e sorrindo sozinha :

-Como anda o trabalho?ser empregada no castelo não me parece ser fácil

-Parece que meu mestre conseguiu aumentar as vendas de armas para o reino dos brutamontes - Não fui capaz de dizer aquilo com indiferença, estava feliz por aquele homem conseguir vender as espadas, mesmo com o fim da guerra.

Em pouco tempo tinha terminado a comida, coloquei meu avental um pouco mais claro que a cor de minha roupa atual e caminhei em direção ao porto para ver uma antiga amiga, considerada a capitã dos mares, além de ser uma das melhores negociante no comércio marítimo.

Minha vizinha preferiu não me acompanhar na minha caminhada, contou-me que tinha coisas para fazer antes de se encontrar com sua visita, ou seja, fui sozinha.

Depois de um tempo caminhando pude ver uma cabeleira e olhos no mesmo tom marinho escuro do mar que nos cerca sendo destacado por sua pele clara, com mais cinco passos analisei sua touca de um azul ainda mais negro de seu cabelo possuindo sua beirada enfeitada pela pele branca.Apesar de esconder o tronco por um poncho na mesmas características do acessório na cabeça, a branca mulher não conseguia esconder partes da sua camisa cheia de babados na parte do botões ou seu grande busto, muito menos suas mangas esbranquiçadas justas em seus braços até seu pulso.Quando estava mais próxima dela notei sua saia um pouco abaixo dos joelhos, presa por um cinto de couro e possuindo cortes laterais, a peça tinha o mesmo tom escuro da roupa por cima do tronco. 

Estava apenas ela trabalhando no barco, geralmente era ou vista sozinha ou sendo ajudada por homens robustos de sua tripulação, carregando os produtos a seus devidos destinos.

-Juvia! Sozinha novamente?- Reclamo quando já podia ser ouvida pela mulher

-Não, Juvia está com Juvia - ou seja, ela estava sozinha novamente.

Geralmente esperava a capitã sair do barco para  conversarmos, mas demoraria para terminar seus afazeres e vir conversar comigo, estava ansiosa pelo produto prometido por ela a mim. Mesmo com receio, que sempre tive, daquele embarcação feita de madeira entrei de pernas bambas, enquanto conversava com ela e tentava me acalmar:

-Como andam os negócios? Ouvi dizer que com a fundação da Fairy Tail certos produtos tem parado de circular como antes. 

- As guerras são muito lucrativas de fato, principalmente para nossa ilha, mas Juvia nunca gostou de lucrar através de vidas- Respondia sem esclarecer minha dúvida, acho que aquele assunto mechia com seus valores por ela ter sido a principal revendedora de armas.

Após dizer aquilo ela foi para dentro do navio, fique um tempo refletindo sobre me aventurar naquilo ,que chamam de barco, enquanto esperava minha amiga voltar para continuarmos a conversar.

Durante vinte minutos não pude vê-la, estava começando cogitar a ideia de procurá-la na embarcação vermelho sangue quando a mulher surgiu mostrando uma grande caixa de madeira, meu produto!

-Já está solteira novamente? - perguntava me referindo ao cabelo solto★

-Outro que me traiu, peguei ele na cama com minha vizinha. - as palavras haviam saído com um tom de decepção e tristeza, Juvia tinha sido traído diversas vezes, por muitas pessoas - você quer saber sobre o pacote. - ela me conhecia bem.

-Sou tão óbvia assim?

-Na verdade é um pouco raro saber o que pensa, mas é a primeira vez que pede uma encomenda, apenas imaginei que estaria nervosa.

O pacote consistia em um objeto de valor sentimental, minha amiga certa vez me recomendou alguém para restaurar minha chave, antes de vir para o território de meu rei tive a oportunidade de conhecê-lo, o senhor se auto declarava um artesão, chamava-se Makarov e ficou conhecido por seu modo Alegre de receber os convidados, além de seus excelentes produtos.

Muitos o chamavam de  "Senhor Fada", não tenho ideia de como esse apelido começou, mas depois disso tive certeza que nem sempre ganhamos apelidos grandiosos, muitas vezes as pessoas diziam que o velho reclamava e choramingava pelo modo de seus compradores se referirem a ele.

Tive receio de abrir a caixa, mas aos poucos fui tomando coragem e vendo meu precioso presente:

-Não entendo, por qual motivo guarda uma coisa que lhe lembra uma época de sua vida tão…..- Juvia sabia de minha história, sabia o que aquele objeto significava, todavia, não sabia o que dizer.

-Porque eu não quero me esquecer.- Porém, eu também não sabia o que falar a ela. 

Era a primeira vez que estávamos naquele tipo de situação, era complicado para nós conversarmos sobre o passado. Depois daquilo mudamos de assunto, para minha surpresa o barco foi ficando cada vez menos incômodo e menos perigoso de estar embarcado, claro que deixaria a arte de velejar aos outros.

Comecei a notar que o movimento estava aumentando, por isso me despedi dela e fui animada onde morava meu amado rei, trabalhar no palácio sempre foi um honra.

Nos corredores daquele lugar luxuoso jóias de diferentes tipos se misturavam com as paredes tornando brilhante e luminoso todos os cômodos, o teto do salão principal era de vidro, escadas exuberantes e grandes fazendo com que subir fosse missão de corajosos.

Apressada troquei meu avental e rapidamente iniciei meu trabalho, limpei durante toda tarde e manhã, cansando meus braços que já estavam doloridos:

-Levi! Procurando quem dessa vez? - Dizia para minha amiga enquanto continuava o serviço.

-Estou procurando o rei, precisamos discutir ! Sinceramente ...- respirou fundo, deu uma ajeitada em seus curtos fios azuis com o laço negro em sua cabeça e continuou, dessa vez mais calma - ele me deixou encarregada das finanças, mas isso não significa que ele pode me responsabilizar por isso e ir caçar! Existem coisas a serem discutidas com o rei!

- Acho que nunca irei me cansar da maneira tão informal que você fala de vossa majestade. - comentava para baixinha, enquanto fitava por um pequeno momento os seus olhos negros naquela expressão irritada.

- No começo era estranho, mas foi dito para ser desta maneira, enfim acredito que ele não passou por aqui, até mais.- movimentou as mãos dando uma pequena despedida breve.

Passou a seguir o seu caminho de maneira rápida novamente, seu vestido tomara que caia balançava no mesmo ritmo, ela se destacava com aquela corpo claro, coxas volumosa, seios pequenos e sua roupa com aquelas cores, um preto no espartilho e o  verde musgo em sua saia de comprimento até os joelhos:

-Obrigada - a ouvi dizer quando os sons dos sapatos de salto pararam

Apenas sorri, acenei com a cabeça demonstrando um sim. Aquela garota era estranha.

No final do dia fui para casa, junto do pacote recebido pela manhã, uma chave dourada com um símbolo desenhado, no meio do caminho vi meu primo ao lado de sua mulher e me aproximei devagar:

-Olá, o que fazem a essa hora? Dar as saudações a nossa Deusa mamacocha?

- Boa noite senhorita - foi então que notei uma pequena loira aos pés de Aquários.

- Viemos nos despedir da pentelha - respondeu chorando a azulada 

- Oh, sim. Peço desculpas por aparecer em um momento delicado, se possível gostaria de conversar apropriadamente em um próximo encontro. - a menina estava em frente a um navio charmoso, imaginei que fosse filha de um senhor nobre.

- Claro, virei ansiosa para conversar melhor com uma jovem senhorita de olhos azuis e um cabelo rosado tão belos. - com aquelas palavras fiquei envergonhada.

Deu uma pequena risada e abraçou carinhosamente uma chorona e um velho com o cabelo de duas cores, entrou na embarcação e velejou até sumir de nossas vistas. Fomos acompanhando um ao outro em direção a nossos lares, quando cheguei disse ao casal:

-Quem era a garota? - tinha a impressão de reconhece-la

-Minha afilhada, Lucy. 

E foi embora, sem dizer "até amanhã" ou algo parecido, estranhei, mas deixei para me preocupar em outra hora, afinal isso não muda o fato de que serei acordada duas horas mais cedo do que deveria de novo.

















Notas Finais


Site que me baseei para as roupas durante os capítulos e a relação da virgo, como empregada com o rei e sobre a deusa desse reino:

https://www.sohistoria.com.br/ef2/medieval/p6.php

https://cidademedieval.blogspot.com/2014/06/relacoes-entre-empregado-e-empregador.html?m=1

https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.camphalfbloodrpg.com/mamacocha&ved=2ahUKEwiGrMiowZjmAhWuH7kGHa-hB9UQFjAIegQIBhAB&usg=AOvVaw1CZrAFv8gmFmSmpy3Xh1uo&cshid=1575342943875

P.s. ainda não decidi os outros deuses e adoraria se houvessem comentários de vocês que me digam onde devo melhorar e o que está bom

Obrigada por ter lido💯❤️
Desculpa a demora hehehe, até o próximo capítulo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...