1. Spirit Fanfics >
  2. Casamento arranjado (REVISÃO) >
  3. A verdade seja dita

História Casamento arranjado (REVISÃO) - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


Eu disse que voltaria logo, não foi? Heueheu O que uma quarentena não faz?? Segundo dia de maratona simm e logo logo tem maismxx
Aposto que vocês pensaram que eu iria demorar milênios para postar esse capítulo kkkkkk (eu não julgo). Mas cá estou eu com esse capítulo que... Caramba, não me matem! Kkkkkk É sério. Tá polêmico? Tá sim. Mas qual capítulo dessa fic não é polêmico? Kkkkk Juro que ainda tem coisa pra acontecer, então rlxx e leiam com calma.
OBG: LEIAM AS NOTAS FINAIS/ AVISO IMPORTANTE.
Bye bye

Capítulo 26 - A verdade seja dita


Fanfic / Fanfiction Casamento arranjado (REVISÃO) - Capítulo 26 - A verdade seja dita

KWAN P.O.V

Semanas se passaram. Há dias eu não o via. O pior de tudo? Ele não fez a mínima questão de me ligar, ele não se deu o mínimo trabalho de me mandar uma mísera mensagem de texto.

" Oi, kwan. Você está bem?"

Eu não merecia nem isso? Depois de todos esses anos ao seu lado, depois de todo esse tempo me esforçando para ser alguém melhor para ele, e é isso que eu ganho em troca? A sua total e frustrante falta de interesse por mim?

Eu fui uma idiota. Eu sou uma idiota.

Esses dias longe do Jungkook, apenas indo de casa para o trabalho, finalmente pude cair na real. Tentei me lembrar de alguma vez ter ouvido um "Eu te amo" saindo de sua boca, mas não, eu não lembrei. E juro que me esforcei para reviver todas as nossas lembranças juntos, mas a única coisa de que lembro, era eu dizendo que o amava. Eu. Sempre eu. Nunca ele.

Eu realmente me senti um lixo no começo de tudo isso. Logo após sua volta daquela maldita viagem com a Julie para a fazenda do seus pais. Me perguntava o porquê de sua mentira, afinal, se ele não sentisse nada por ela, não iria lhe custar a falar. Mas ele se sentiu culpado. Culpado por ir com ela e me deixar aqui. Culpado por talvez estar começando a ama- lá e por ter me enrolado durante anos e anos.

Eu gritava aos quatro ventos o que queria com o Jungkook. Eu queria me casar com ele, queria ser o senhora Jeon. Todos sabiam das minhas intenções, mas eu não sabia das dele. Foi durante esses dias longe do Jungkook que percebi que nunca fui levada a sério por sua família. Para eles eu era apenas uma diversão, e na hora de oficializar uma relação de verdade, eles escolheram outra e não aquela que esteve com ele desde o início. Não eu.

Me senti usada. Me senti inútil.

Como a pessoa que me fez "feliz" por tanto tempo, pode ser a mesma que me faz tão mal agora?

A sua recusa ao meu beijo naquele dia foi o início da comprovação. A partir dali eu passei a não procurá-lo mais, e nem ele a mim. Idiota!

Eu sentia um misto de coisas, essas que particularmente estava odiando sentir. Era uma confusão. Eu estou com raiva dele, sim. Mas também me sinto triste, e pior...

Sinto pena de mim mesma, e essa sensação é horrível. Sobre Julie... Eu simplesmente a odeio. Se não fosse por ela, nada disso estaria acontecendo. Mas eu não jogo toda a culpa em seus ombros, afinal, se Jungkook realmente me amasse, não iria lhe importar mulher alguma.

Por várias vezes parei para pensar, talvez isso fosse uma punição do destino. Eu já estava me convencendo disso, pois não sou nenhuma santa, longe disso, e me arrependo amargamente. Se arrependimento matasse? Aah, com certeza eu estaria enterrada a muito tempo. Como pude ser tão estúpida? Pensei apenas no momento, mas no final da contas, o que eu mais queria evitar antes, se tornou meu maior desejo agora. Um filho. Um filho meu e do Jungkook.

Por várias vezes tentei o abordo. E consegui. Não eram poucas as ocasiões em que nós dois não nos protegemos, e sempre era eu que tinha que arcar com as consequências depois, mas eu nunca contei isso para ele, tinha medo de que me achasse um monstro por fazer aquilo. Tudo o que eu menos precisava naquela tempo, era de um filho em minhas costas. Não teria tempo para isso, eu era jovem demais. Mas tanta insistência em matar por tantas vezes a criança que crescia em meu ventre, me custou caro. Quando finalmente estava decidida a engravidar do Jungkook, eu não podia. Não podia porque fui burra e não soube aproveitar tantas e tantas oportunidades que tive. Eu estava podre por dentro, estava incapacitada de gerar um bebê. Todos aqueles remédios me impossibilitam hoje de realizar um dos meus maiores desejos.

Eu me sentia a pessoa mais infeliz do mundo, era um abismo sem fim que me puxava dia após dia para cada vez mais fundo. Era escuro, frio e principalmente... Solitário.

Por isso temo estar sendo punida. Por isso fui trocada por ela.

Mas talvez o destino não me odiasse tanto assim, talvez ele tivesse sentido pena da minha crítica e vergonhosa situação e decidiu me dar só mais uma oportunidade. Não haveria outra explicação, haveria?

Eu estava no lugar e na hora exata. Mais provas que isso impossível. Eu pude ver com meus próprios olhos o erro. Pude presenciar o que seria a queda daquela que todos achavam ser ingênua e pura. Julie. Afinal, ela não era tão santa assim. E mesmo que eu não pudesse ter tudo aquilo que eu queria de volta, pelo menos eu teria a satisfação de vê- lá perder, assim como eu. Eu a faria provar do próprio veneno, tirando o Jungkook da sua vida.


JULIE P.O.V

Eu estava nervosa. Não, não. Eu estava muito muito nervosa. Hoje o Jungkook ficaria sabendo da minha gravidez, hoje ele ficaria sabendo que seria pai. Ai meu Deus, eu estava prestes a ter um treco, e ainda eram oito da manhã, eu teria que esperar anoitecer para enfim encontrar com ele. Eu com certeza iria ter um colapso. Precisava me distrair, precisava contar para alguém.



"- Vem na minha casa agora!

- Bom dia pra você também, meu anjo.- falou com ironia do outro lado da linha.

- Lisa, por favor, eu preciso de você. - minha voz estava transbordando angústia e isso evidentemente a preocupou.

- Você está bem? Aconteceu alguma coisa?- Ela se alterou.

- Sim, sim. Eu estou bem, eu acho. Mas aconteceu sim uma coisa e eu preciso falar com você, pessoalmente.

- Mas eu estou no trabalho e ... Ok ok, estou indo até aí! Chego em alguns minutos."



Desliguei o telefone, colocando o aparelho no centro em minha frente. Eu não parava de pensar em qual seria a reação do Jungkook. Se ele iria gostar, se entraria em estado de choque ou...

Ou me deixaria. Essa possibilidade me matava a cada segundo. E se ele visse nesse filho a chance de acabar com o contrato? Afinal, esse era exatamente o acordo. Mesmo com tudo o que aconteceu entre nós, mesmo depois da sua mudança comigo, eu ainda me sentia insegura quando essa possibilidade finalmente surgiu.

Antes era algo distante, e estávamos presos um ao outro por um contrato de casamento. Mas agora tudo havia mudado, e eu estava com medo do desfecho disto ser exatamente aquele que nos foi imposto no início do matrimônio. A separação.

Fui até a cozinha beliscar algo para comer, afim de me distrair desses pensamentos, mas não adiantou muito. Os minutos pela espera da Lisa pareciam horas, mas finalmente ela chegou. Corri até a porta ao escutar a campainha tocar, a encontrando em um estado até engraçado.


- Você está rindo? É sério? - ela passa pela porta ofegante.

- Você está bem?- a observo aspirar fortemente em busca de ar.

- Eu que pergunto! Não se liga pra uma pessoa às oito da manhã daquele jeito! Quer o que? Me matar do coração?- abri a boca para falar, mas logo fui interrompida, Lisa continuou a tagarelar.- Eu tive que inventar uma desculpa merreca para o meu chefe! Minha vó que já morreu a três anos, que descanse em paz, teve que morrer hoje novamento para que eu pudesse sair do trabalho!

Não aguentei a risada ao escutar aquilo. O ar faltava para mim agora.

- Você disse que sua vó morreu?!- enxugo as lágrimas no canto dos olhos e suspiro forte para controlar a vontade de rir novamente.

- Sim! Eu praticamente matei minha vó hoje! - ela não se contém de cai na risada também- Ai Pai, perdoa meus pecados, amém. - Lisa faz uma breve oração de arrependimento e se joga no sofá. - Agora senta aqui e me diz, o que diabos aconteceu?



[...]



- Eu vou ser titia?!

Pela altura do seu grito, eu não estranharia se recebesse presentes no dia seguinte, porque toda vizinhança com certeza havia escutado aquilo.

- Shiii!! - a puxei de volta para o sofá, já que ela estava pulando em minha frente. - Se controla! Até parece que é você que vai ter um filho.

- Um filho do Jimin não seria nada mal, não é? - Ela me olha de modo astuto, com os olhos em risquinhos e um sorriso sapeca nos lábios, me fazendo rir novamente.- Mas e aí? Como o maridão reagiu quando você contou?

E novamente volto a lembrar das minhas preocupações.

- Bom... É exatamente esse o problema. Eu ainda não pude contar para o Jungkook. Soube da gravidez ontem e ele ainda está em uma viagem de trabalho, mas volta essa noite! O que faço?

- O que você faz? Ué? Conta pra ele!

- Mas eu tenho medo da reação dele, Lisa. Se ele não gostar?

- Olha, se aquele idiota não gostar de uma notícia maravilhosa dessas, e por acaso não querer assumir a paternidade, vamos fazer o seguinte. - ela se ajeitou no sofá, como estivesse se preparando para explicar algo para uma criança de cinco anos.- Você larga ele, mora comigo e nós criamos esse bebezinho, fim. - Sua solução para a pior das hipóteses foi tão simplista que até pareceu fácil. O que me tirou mais um sorriso. - Estou brincando.- ela abre um sorriso junto comigo.- Não sobre te apoiar, você sabe que pode contar comigo. Mas não acho que o Jungkook seja um canalha a esse ponto. Você não disse que estavam bem?

- Sim, nós estamos bem. Estamos finalmente bem. Mas tenho medo que isso mude. - abaixo a cabeça, receosa.

- Olha, você tem conversar com ele primeiro. Conta sobre o filho que está esperando e depois vê a reação dele. Se ele realmente te ama, vai ficar feliz por essa criança, acredite.



[...]



Lisa passou mais algumas horas em minha casa. Conversamos um pouco mais e eu realmente fiquei mais tranquila. Ela tinha toda razão, não iria adiantar ficar sofrendo antes do tempo e tentar imaginar como o Jungkook reagiria a notícia. Eu falaria e pronto. Logo após ela sair, corri para tomar um banho e preparar o jantar, queria falar sobre a novidade em um ambiente agradável e faltavam poucos horas até Jungkook voltar para casa. Quando finalmente estava tudo pronto, um frio na barriga cresceu pela ansiedade de esperá-lo. E minhas pernas ficaram bambas ao ouvir enfim a tranca da porta ser aberta. Ele havia chegado. Era agora.

Andei apresada até a entrada para recebê-lo. A porta se abriu e eu coloquei um sorriso nervoso, mas feliz nos lábios. Quando olhei em seus olhos, sua expressão... Meu coração acelerou. 

Jungkook me olhava com raiva, seu olhar sobre mim era o mais puro ódio, eu podia sentir isso sem ao menos ouvir uma palavra sua.


- J-jungk...

- Eu quero você fora da minha casa, agora!


É...

...Talvez a noite não iria acabar do jeito que eu estava esperando.


***


Notas Finais


Uauuu
Não surtem kkskksk já basta eu surtada.

Mas o que vocês acham que aconteceu para o Jungkook estar assim??? Me contem aí nos comentários e eu digo oq acho!

Ps: Pessoal, infelizmente essa fic tá chegando nos seus últimos capítulos (estou de coração partido), mas não fiquem triste! Eu estou pensando em escrever outra história por aqui, e gostaria de saber a opinião de vcs sobre o tipo de fic que gostariam de ler! Me deixem sugestão para história que eu vou adorar ler e responder, ok?
É istuu S2 *-* um beijão e até a próxima treta.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...