História Casamento de contrato- Mitw - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Felipe Z. "Felps", Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Tags Mitw Cellps
Visualizações 118
Palavras 2.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Literatura Feminina, Orange, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 20 - A monster?


CELLBIT

Desperto no quarto de felps que ainda está nu, lembro da noite passada e a única coisa que se passa na minha mente é “meu deus, o que eu fiz?!?”Provavelmente estraguei toda nossa amizade! Eu sou um lixo que se deixa levar pelo tesão, uma lagrima escorre pelo meu rosto e eu a limpo com meu braço, levanto da cama de solteiro e visto minhas roupas que foram jogadas pelo quarto as pressas, logo correndo para o quarto de Thiago.

Toco na porta e ouço algo como “entra ai cellbio” e mais uma lágrima teima em escorrer em meu rosto, a seco com a manga de meu moletom preto e assim que abro, vejo a expressão dócil de Calango mudar para uma feição preocupada

-O que houve, rafa?- Ele disse, se levantando da cama num pulo e vindo para ao meu lado, desmorono no chão chorando enquanto o mesmo é deixado ali confuso.

-E-eu estraguei tudo- falo entre lágrimas e soluços que pediam por socorro- Igual sempre, eu sou um inútil!- Exclamo, batendo em minhas próprias pernas

-Como assim, Cell? Eu não consigo te entender!- Ele fala se sentando com pernas cruzadas em minha frente, num sinal para eu deitar em seu colo e eu o faço. Começo a chorar novamente sob seu jeans preto que eu o presenteei no seu aniversário de 18 anos, logo a encharcando.

-Eu transei com o felps- Ele fez uma cara de ironia, como um “ava, sério?”- Para idiota- Dou uma risada e o mesmo sorri, vitorioso- E agora eu percebi que estraguei nossa amizade!- Fico sério e volto a chorar novamente, o mesmo fica em silencio, provavelmente procurando as palavras certas para me reconfortar.

Eu não sei como havia me apegado a Felps em tão pouco tempo, acho que seu jeito engraçado de fazer piadas sem graça, ou seu jeito de ser gentil com os outros, ou o simples fato dele ser atraente, ou tudo junto! Minha mente está uma bagunça e meus pensamentos sambam sob a bosta, ah... ele ficará tão decepcionado, pensando que eu quebrei seu coração, que eu só queria uma transa! Eu o quero, só não sei como expressar isso!

-Então, você deveria falar com Felps sobre seus sentimentos, ele vai entender! Ele é um cara daora!- Thiago quebra o silêncio e o vácuo de pensamentos que aquele quarto com tons cinzentos tinha virado.

Faz sentido, afinal, ele disse que gosta de mim! Mas e se ele estivesse só afim de uma transa e eu me iludi novamente, igual fiz com Phoenix? Ah não, de novo não, NÃO!

-Ele não é- Murmuro, me encolhendo no colo aconchegante de Calango que amassava meus cabelos, logo soltando os fios.

-Como?- Diz ele, parando de mexer em meu cabelo e olhando em meu rosto.

-Ele não é daora! Ele é um igual a Phoenix!- Falo num tom seco, o que acaba me fazendo voltar a chorar

-Mas, o que custa?- Ele diz, acariciando minhas madeixas loiras não penteadas, ele está certo porém, para mim, custa demais!

-Todo resto de dignidade que eu tenho...- Sussuro, esperando que Calango não tenha escutado

MIKE

-Mike- olho para o menor, que chama meu nome sorrindente, deitado na cama-Vou dormir, boa noite, luv- Ele se vira contra mim que me arrumo no espelho, eu iria dar uma volta pelo bairro para conhecer.

Apago as luzes e saio do quarto, logo o trancando e conferindo. Caminho até o elevador e desço até o zero, seguindo rumo a lugar nenhum a pé, vejo um banco na praça que tinha ali perto e decido me sentar para ver o grupo que criaram.

OTÁRIOS DO CU DO GUAXA

Feberes- gnt que porras

Lixo- A PLINCESA APARECEU BRASEEL*meme da Gretchen*

JViado- Quem usa memes da Gretchen?

Pk pkoso- O lixo ué

Tu usa memes da tulla Luana

Piorou

Calanguete- ESCUTE AQUI NÃO XINGUE A MULHER DA MINHA VIDA

                                                                                                                        Eu-IIIH PK NN DEIXAVA EIIIN

Felpes AQUA- Aonde tá o criador do grupo?

Tayrzom- Sla men, cuida do teu macho

Pac <3- Qual a finalidade desse grupo?

                                                                                                                  Eu-Tu nn ia dormir, inferno?

Pac<3- Ui estressado

Eu to indo agora

Só vim dar boa noite

Calanguete- Ish

DR

Amoeba- EU OUVI ADR?

Calanguete- COMO CARALHOS VOADORES VOCÊ ENTROU AQUI O AMOEBA ENTALADA NO TOBA?

Amoeba- Você mim respeita que eu sou de família

E eu entrei aqui quando o Feberes me adicionou hoje a tarde

Calanguete- vdd né

Enfim adoradores de rola

Vou fazer uns negocio aq

Amor ve se não morre

Não se comam

Bjs

FIM DE CHAT

Desligo o celular e começo a andar por ai, até que esbarro em um cara baixo, com cabelos negros e pele morena.

-Desculpe- Ele diz, sua voz é aguda, então soa calmamente em meus ouvidos

-Não se preocupe, como é seu nome?- Digo, olhando para o rapaz que agora, fita o chão

-Meu nome é Michael, mas me chame de café- Ri nasalmente

 

FELPS

Me levanto da cama e já não vejo cellbit por lá, nem suas roupas, suponho que tenha se levantado mais cedo que eu e ido tomar um café.

Me levanto relutante mas logo cedo a mim mesmo, tomo um banho rápido e escovo meus dentes, logo pondo uma roupa casual e indo de encontro a Cell e Calango na cozinha, sentados nos bancos próximos a bancada

-Oi gente-Digo dando um sorriso simpático, me sentando em um banco da bancada

-Oi Felps!- Calango diz animado tomando mais um gole da sua xicara de café, olho para cell e ele me parece para baixo, seus olhos estão inchados e seu rosto está vermelho, cabelos bagunçados e seu nariz parecia escorrer um pouco

-Oi- Ele disse num murmúrio, me assustando um pouco, afinal depois do que fizemos noite passada, não pensei que ele estaria bravo comigo.

-Depois posso conversar com você?- Digo, passando a mão em uma mecha de seu cabelo que caia em seu olho, o mesmo assente fitando o piso de cerâmica que tinha naquela cozinha, continuamos nosso café em silêncio até que Calango suspira

-Enfim, vou trabalhar! Videos não se fazem sozinhos- Ele disse dando ombros e saindo do cômodo, me deixando sozinho com o cellbit.

Olho novamente para ele e o mesmo está corado, o clima fica mais pesado e eu decido me pronunciar

-Então Cell, eu queria dizer que...- Sou interrompido

-Felipe não! Eu sei exatamente o que vem agora, um pedido de namoro informal e depois de alguns meses juntos você vai me abandonar completamente, ou colocar mais um chifre em minha cabeça!-Ele exclama irritado, se mantendo o máximo longe de mim. Logo após sai pisando forte

O que será que ele pensa que eu sou? Um monstro? Eu acho que sim...

CELLBIT

Desperto no quarto de felps que ainda está nu, lembro da noite passada e a única coisa que se passa na minha mente é “meu deus, o que eu fiz?!?”Provavelmente estraguei toda nossa amizade! Eu sou um lixo que se deixa levar pelo tesão, uma lagrima escorre pelo meu rosto e eu a limpo com meu braço, levanto da cama de solteiro e visto minhas roupas que foram jogadas pelo quarto as pressas, logo correndo para o quarto de Thiago.

Toco na porta e ouço algo como “entra ai cellbio” e mais uma lágrima teima em escorrer em meu rosto, a seco com a manga de meu moletom preto e assim que abro, vejo a expressão dócil de Calango mudar para uma feição preocupada

-O que houve, rafa?- Ele disse, se levantando da cama num pulo e vindo para ao meu lado, desmorono no chão chorando enquanto o mesmo é deixado ali confuso.

-E-eu estraguei tudo- falo entre lágrimas e soluços que pediam por socorro- Igual sempre, eu sou um inútil!- Exclamo, batendo em minhas próprias pernas

-Como assim, Cell? Eu não consigo te entender!- Ele fala se sentando com pernas cruzadas em minha frente, num sinal para eu deitar em seu colo e eu o faço. Começo a chorar novamente sob seu jeans preto que eu o presenteei no seu aniversário de 18 anos, logo a encharcando.

-Eu transei com o felps- Ele fez uma cara de ironia, como um “ava, sério?”- Para idiota- Dou uma risada e o mesmo sorri, vitorioso- E agora eu percebi que estraguei nossa amizade!- Fico sério e volto a chorar novamente, o mesmo fica em silencio, provavelmente procurando as palavras certas para me reconfortar.

Eu não sei como havia me apegado a Felps em tão pouco tempo, acho que seu jeito engraçado de fazer piadas sem graça, ou seu jeito de ser gentil com os outros, ou o simples fato dele ser atraente, ou tudo junto! Minha mente está uma bagunça e meus pensamentos sambam sob a bosta, ah... ele ficará tão decepcionado, pensando que eu quebrei seu coração, que eu só queria uma transa! Eu o quero, só não sei como expressar isso!

-Então, você deveria falar com Felps sobre seus sentimentos, ele vai entender! Ele é um cara daora!- Thiago quebra o silêncio e o vácuo de pensamentos que aquele quarto com tons cinzentos tinha virado.

Faz sentido, afinal, ele disse que gosta de mim! Mas e se ele estivesse só afim de uma transa e eu me iludi novamente, igual fiz com Phoenix? Ah não, de novo não, NÃO!

-Ele não é- Murmuro, me encolhendo no colo aconchegante de Calango que amassava meus cabelos, logo soltando os fios.

-Como?- Diz ele, parando de mexer em meu cabelo e olhando em meu rosto.

-Ele não é daora! Ele é um igual a Phoenix!- Falo num tom seco, o que acaba me fazendo voltar a chorar

-Mas, o que custa?- Ele diz, acariciando minhas madeixas loiras não penteadas, ele está certo porém, para mim, custa demais!

-Todo resto de dignidade que eu tenho...- Sussuro, esperando que Calango não tenha escutado

MIKE

-Mike- olho para o menor, que chama meu nome sorrindente, deitado na cama-Vou dormir, boa noite, luv- Ele se vira contra mim que me arrumo no espelho, eu iria dar uma volta pelo bairro para conhecer.

Apago as luzes e saio do quarto, logo o trancando e conferindo. Caminho até o elevador e desço até o zero, seguindo rumo a lugar nenhum a pé, vejo um banco na praça que tinha ali perto e decido me sentar para ver o grupo que criaram.

OTÁRIOS DO CU DO GUAXA

Feberes- gnt que porras

Lixo- A PLINCESA APARECEU BRASEEL*meme da Gretchen*

JViado- Quem usa memes da Gretchen?

Pk pkoso- O lixo ué

Tu usa memes da tulla Luana

Piorou

Calanguete- ESCUTE AQUI NÃO XINGUE A MULHER DA MINHA VIDA

                                                                                                                        Eu-IIIH PK NN DEIXAVA EIIIN

Felpes AQUA- Aonde tá o criador do grupo?

Tayrzom- Sla men, cuida do teu macho

Pac <3- Qual a finalidade desse grupo?

                                                                                                                  Eu-Tu nn ia dormir, inferno?

Pac<3- Ui estressado

Eu to indo agora

Só vim dar boa noite

Calanguete- Ish

DR

Amoeba- EU OUVI ADR?

Calanguete- COMO CARALHOS VOADORES VOCÊ ENTROU AQUI O AMOEBA ENTALADA NO TOBA?

Amoeba- Você mim respeita que eu sou de família

E eu entrei aqui quando o Feberes me adicionou hoje a tarde

Calanguete- vdd né

Enfim adoradores de rola

Vou fazer uns negocio aq

Amor ve se não morre

Não se comam

Bjs

FIM DE CHAT

Desligo o celular e começo a andar por ai, até que esbarro em um cara baixo, com cabelos negros e pele morena.

-Desculpe- Ele diz, sua voz é aguda, então soa calmamente em meus ouvidos

-Não se preocupe, como é seu nome?- Digo, olhando para o rapaz que agora, fita o chão

-Meu nome é Michael, mas me chame de café- Ri nasalmente

 

FELPS

Me levanto da cama e já não vejo cellbit por lá, nem suas roupas, suponho que tenha se levantado mais cedo que eu e ido tomar um café.

Me levanto relutante mas logo cedo a mim mesmo, tomo um banho rápido e escovo meus dentes, logo pondo uma roupa casual e indo de encontro a Cell e Calango na cozinha, sentados nos bancos próximos a bancada

-Oi gente-Digo dando um sorriso simpático, me sentando em um banco da bancada

-Oi Felps!- Calango diz animado tomando mais um gole da sua xicara de café, olho para cell e ele me parece para baixo, seus olhos estão inchados e seu rosto está vermelho, cabelos bagunçados e seu nariz parecia escorrer um pouco

-Oi- Ele disse num murmúrio, me assustando um pouco, afinal depois do que fizemos noite passada, não pensei que ele estaria bravo comigo.

-Depois posso conversar com você?- Digo, passando a mão em uma mecha de seu cabelo que caia em seu olho, o mesmo assente fitando o piso de cerâmica que tinha naquela cozinha, continuamos nosso café em silêncio até que Calango suspira

-Enfim, vou trabalhar! Videos não se fazem sozinhos- Ele disse dando ombros e saindo do cômodo, me deixando sozinho com o cellbit.

Olho novamente para ele e o mesmo está corado, o clima fica mais pesado e eu decido me pronunciar

-Então Cell, eu queria dizer que...- Sou interrompido

-Felipe não! Eu sei exatamente o que vem agora, um pedido de namoro informal e depois de alguns meses juntos você vai me abandonar completamente, ou colocar mais um chifre em minha cabeça!-Ele exclama irritado, se mantendo o máximo longe de mim. Logo após sai pisando forte

O que será que ele pensa que eu sou? Um monstro? Eu acho que sim...


Notas Finais


espero que tenham gostado<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...