História Casamento de contrato- Mitw - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Felipe Z. "Felps", Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Tags Mitw Cellps
Visualizações 206
Palavras 1.031
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Literatura Feminina, Orange, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 24 - Sad!


MIKE

Ando pela mansão, após uma cochilada. Me sinto mais sóbrio agora, olho para todos os lados na intenção de encontrar algo que possa me distrair.

Pensando em tudo, em cada palavra de Tarik, de cada palavra minha, de cada palavra de Rafael, cada palavra de Alan e de cada palavra de todos os que eu machuquei.

“Sério, você é um lixo, eu deveria ter te deixado pra morrer” A voz de Mariana surge, ecoando em minha mente como um grito sussurrado e, me faz sentir como se eu estivesse me afogando em areia.

“Por que você faz isso comigo?”- A voz de Rafael ecoa junto a de Mari, parecem que eles me rodeiam e cospem em minha cara.

“Eu amo tanto você, mas eu não consigo mais!”- Tarik, tudo gira e eu balanço a cabeça, tentando deixar de lado, falhei miseravelmente.

“Por que você tá me demitindo? Eu fiz alguma coisa errada?”- Alan diz e  os flashes vem, cada um como um tiro.

“Pinky Promisse?-Tarik sorri em meio a lágrimas para mim e eu o beijo

-Pinky promisse!- Sorrio de volta, acariciando seus cabelos”

Não, não, NÃO! De novo não!

“Carrego Cellbit no meu ombro até o carro, o mesmo está quase desmaiado de tão bêbado”

Para Mikhael! Para de pensar assim!

“ Abraço Felps com força após sua volta do hospital, eu sentia sua falta”

Bato minha cabeça contra a parede, fazendo uma dor leve me atingir.

Sinto tudo parar e respiro aliviado, tudo preto novamente. Me levanto do chão e arrumo meus fios agora amarelos com a mão, ajeito meu óculos em meu nariz e continuo a caminhar, como se nada estivesse acontecendo em minha cabeça.

FELPS

Continuo deitado na minha cama desde a hora que acordei, decido sair dali e tomar meus remédios diários.

Desde que Cell foi embora tem sido uma tortura levantar todos os dias, tomar um banho, me arrumar e exercer meu trabalho, eu olho pro nada e no nada vejo ele, eu não escuto nada e mesmo assim ainda escuto ele, eu não sinto mais nada, mas por ele eu sinto.

Todos devem estar se perguntando o por que dele ter ido embora, mas eu não quero pensar nisso, não agora! Por que cada vez que eu penso nisso eu me sinto mais culpado e, cada vez que eu me sinto mais culpado, sinto vontade de manchar esse quarto cinzento padrão de vermelho, gritar com todas as minhas poucas forças no meu ultimo suspiro o quanto eu o amo e depois, finalmente ser feliz.

Desisto de hoje, foi mais um dia fracassado e olha que nem tirei meu pijama. Minha vida é um fracasso desde que me conheço por Felipe, que na verdade, não foi a tanto tempo atrás assim.

Deito em minha cama novamente e boto alguma música triste aleatória para tocar, pego meu celular e começo a rolar o feed do instagram.

Eu perdi tudo, amigos, família, meu namorado, minha vontade de estar respirando! No feed só tem pessoas aleatórias e alguns Fcs de Cellbit.
 

Eu estou sozinho pra caralho e, infelizmente, eu me acostumei a ser solitário. Acordar numa cama sozinho, conversar sozinho, talvez eu devesse tentar uma terapia, perder alguns hábitos e mudar minhas palavras.
 

Ele me amou, me amou muito, mas isso foi... antes. Nunca pensei que tempo fosse tão essencial, aquela casa não se parece mais um lar, meu coração não é mais o mesmo, eu nem sei mais meus próprios gostos.

Eu vou pedir demissão das mansão Linnyker e, logo depois, tirar minha própria vida. Eu não aguento mais essa merda.

CELLBIT

-Como assim te desculpar? Você não fez nada!- Ele exclama e num tom aliviado, eu suspiro fundo.

-Bom, eu te abandonei completamente, é bom o suficiente pra você? Eu não sou uma boa pessoa Pac, eu nunca fui.- Rio nasalmente, já contentado com a realidade.

Ele desliga na minha cara, provavelmente assustado ou Mikhael o pegou falando comigo no seu esconderijo secreto, já que o mesmo priva Tarik de qualquer contato com o mundo fora da mansão. Ele é nojento.

Rio nasalmente, com ironia e nojo de mim mesmo, eu... como pude? Ele é tão inocente e, eu deveria ter tirado ele de lá... ah, eu sempre soube que era um lixo de pessoa.

Mas se eu continuasse lá, Felipe me mataria. Eu vou contar tudo o que aconteceu!

FLASHBACK ON

Eu estava oficialmente morto.

Era uma tarde de outono fresca, folhas mortas caiam em meu cabelo e blusa xadrez, eu vi aquilo como se fosse meu enterro.

Eu assisti a ele discutindo com a Gabs,  sobre filhos, sobre assumir e sobre pensão.

Eu nunca pensei que ele engravidaria outra, eu ouvia coisas como “pode deixar, eu assumo” e também nunca pensei que Gabriela faria isso com Flávia.

Nunca pensei que eles fossem fazer isso comigo, agora eu encaro Flávia que olha o fundo da minha alma decepcionada, seus cabelos ruivos e curtos balançam pelo vento mas ela não demonstra nenhuma emoção.

Caminho até Felipe, puxando a Sasa delicadamente pela mão, algumas lágrimas saem de meus olhos e eu sinto como se a cada passo eu estivesse quebrando mais meu coração.

FLASHBACK OFF

Eu enxugo algumas lágrimas e me observo pelo reflexo do meu espelho, eu estava mais cheinho, eu tinha olheiras maiores, eu tinha mais algumas tatuagens, meu estilo mudou e várias coisas dentro de mim também.

MIKE

Eu desisto, vou até o pequeno salão de beleza que tinha na mansão e encontro Bárbara, mexendo em seu celular e sentada no banco de lavar o cabelo, ela percebe minha presença e me olha, sorrindo.

-Olá Mike, do que precisa?- Ela diz, ainda sorrindo simpática, levantando da cadeira e indo até mim, ajeitando seus cabelos curtos e azuis com suas mãos.

-Nada, só vim por que queria saber se estaria aqui- Ela assente como se tivesse entendido e diminui o sorriso.- E ai Barb, tudo bem?- Pergunto, começando um assunto.

-Sim, apenas algumas coisas... acontecendo rápido demais- Ela suspira, enquanto fala pausadamente e com uma calma impressionante- E com você, Mike?- Retoma, “arregalando seus olhos”

-Mal...-Falo olhando para o chão branco, com algumas manchas de tênis e sapatos sociais, saltos altos e chinelos simples.


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui, espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...