História Casamento De Mentirinha - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Tags Bruno Gadiol, Daphne Bozaski, Gadizaski, Gune
Visualizações 156
Palavras 644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amores, mas um capítulo pra vocês.
Espero que gostem! ♥

Capítulo 16 - Porta do banheiro parte:1


P.O.V Bruno Gadiol


Daphne tinha se trancado no banheiro e eu estava morrendo de vontade de fazer xixi. Bati a porta e educamente e pedi para ela fosse mais rápido, que me deixasse usar o banheiro mas Daph estava com um mau humor do cão e se recusou a deixar que eu fizesse minhas necessidades.

Sem escolhas e não aguardando mais, fui até a janela, abaixei minha bermuda e minha cueca, colocando meu super Bruno para fora. Abri a janela e olhei para baixo. Tinha muita gente passando por ali. Comecei a mirar meu amigo para lá e para cá, mas nunca achava um espaço vazio para me esvaziar. Que saco!

Quando Daphne saiu do banheiro enrolada em uma toalha, aliás ela super sexy, ficou revoltada com a minha atitude. Muita cara de pau né, sendo que foi por culpa dela que essa cena desastrosa aconteceu! Corri para o banheiro e depois de em aliviar, uma ideia passou pela minha cabeça.

Por quê não me vingar da minha Daphnezinha?

Agi normalmente com ela para que não despertasse suspeitas e assim que saiu para ir ao shopping com uma amiga, peguei uma caixa de ferramentas e fui até o banheiro. Peguei uma chave de fenda e passei a desparafusar a porta. Depois de meia hora, consegui retira-la e pedi para um empregado do prédio retirar e usar a porta como quiser.

Satisfeito com minha vingançinha, comprei umas comidinhas gostosas por telefone e fui jogar meu videogame. Depois de alguns minutos, meus lanches chegaram e fiquei comendo enquanto jogava meu joguinho. Algum tempo depois, Daphne apareceu cheia de sacolas de compras. Aposto que não comprou nem uma bala para mim.

- Como foi o passeio? - Perguntei tentando ser simpático, enquanto colocava meu jogo no pause.

- Foi ótimo, comprei muitas coisas. - Disse animada.

- Que bom Daphnezinha. - Falei com minha irônia de sempre.

- Vou no banheiro, maridinho. - Ela fez uma careta e saiu de lá. Segurei meu riso. Alguns segundos depois, ela voltou para a sala.

- O que você fez com a porta, Bruno Gadiol?! - Ela perguntou cruzando os braços com um bico enorme na cara.

- Eu? - Me fiz de desentendido. - Nem sei do que você está falando. - Voltei a jogar meu joguinho.

- Tô falando do que você fez com a porta do banheiro Bruno! Não há porta alguma lá!

- Ah sim, também reparei. Acho que os ets abduziram a porta. - Dei um sorrisinho de canto de boca e continuei olhando para a TV. - Ou será que alguém ladrão roubou a nossa porta?

- Dá pra você prestar​ atenção em mim? - Bateu o pé. Adoro quando ela fica bravinha, pois fica mais linda. Daphne foi até a tomada e desligou meu vídeogame.

- Poxa Daph, eu tava jogando! - Resmunguei levantando do sofá. - Agora vou ter que começa do zero de novo.

- Tô pouco me lixando para a porcaria do seu jogo. Quero saber por quê removeu aquela porta!

- Porque você não me deixou usar o banheiro. Simples assim!! - Arquei a sobrancelha.

- Então é isso? Foi pra se vingar? - Indagou chocada.

- Exatamente. Agora você não vai mais ficar enrolado no banheiro. - Ri pelo nariz.

- Você me paga, Bruno. - Fechou a cara e eu me aproximei.

- Pago é? - Segurou o rosto dela entre minhas mãos e sentir seu arrepio.

- Bruno... - Ela mordeu os lábios e a levei até o sofá, jogando-a com pegada por lá e ficando por cima dela. - Você sabe que vou dar o troco, não? - Perguntou sapeca.

- Claro que sei. - Sorri. - Mas será que dá para deixar essa vingançinha para o dia? - Fiquei olhando para aqueles lábios carnudos dela. Que vontade de beija-la. E eu sei que ela está sentindo a mesma vontade que eu.

- Acho que dá sim. - Ambos sorrimos e uni meus lábios aos dela, voltando a beija-la ardentemente.





Notas Finais


Eles se beijaram de novo 😱

Se gostaram do capítulo já sabem... 😊

Até a próxima, beijinho beijinho 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...