História Casamento Forçado - BTS - Capítulo 23


Escrita por: ~ e ~JeonKookita

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, G-Dragon
Personagens G-Dragon, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, Tao, V
Tags Bangtan Boys, Be Black, Exo, Namjoon, Rap Monster, Ztao
Visualizações 2.047
Palavras 1.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi olha que voltou. Desculpa a demora do que meu celular quebrou e eu gosto de escreve por ele . Capítulo a pequeno mas é só pela demora que eu postei esse então a parti de segunda vou posta frequentemente porque vou saber se passei ou não . Então é isso amores 💜❤️

Capítulo 23 - O que aconteceu?


Fanfic / Fanfiction Casamento Forçado - BTS - Capítulo 23 - O que aconteceu?

 

                 S/N P.O.V



 Paralisei quando entrei e vi aquele homem alto e músculoso mexendo em minha estante de livros. Enquanto eu estava paralisada só observando, ele largou um livro em cima da minha mesa e veio até mim estendendo a mão.


 
- Jay Park. - Ele diz e eu aperto sua mão. Por um momento, não sei porquê, achei que seria um louco. - Você deve ser a senhorita S/N? - Ele fala e me olha dos pés a cabeça. - Minha nova advogada é a melhor! - Ele fala me olhando no fundo dos olhos, ele é tão lindo, não sei como mas ele me encanta com um simples olhar. Foco S/N!

- Ah, sim sou eu mesma. - Digo seria. - Sente-se. - Digo me sentando a sua frente. - O senhor veio mais cedo.


- Sim, estava ansioso por notícias... E quando a secretaria falou que não seria mais Hoseok que cuidaria do caso, quis logo ver que seria.


- Ahh sim. - Falo. - Chamei o senhor aqui por 2 motivos, o 1° é para o senhor assinar a troca de advogados e o 2° é que quero saber se o senhor quer fazer um acordo com sua ex mulher? - Pergunto e ele sorri, ele é tão bonito.

 
- Não, não quero acordo nenhum com aquela vadia. - Diz  em tom de sarcasmo.


- Ok, o senhor tem algum filho com ela? 


- Não. - Responde simplista  e me encara, fico um pouco envergonhada e volto a olhar uns papéis que falam sobre o caso.


- Você é nova demais para ser advogada, não acha? 


- Sim, pulei alguns anos na faculdade. - Digo e ele faz um ahh.


- Como conseguiu um emprego nas empresas Kim? 


- Desculpa... Mas o assunto aqui é você e não eu. - Entrego uns papéis para ele assinar confirmando a troca de advogados, ele assina e me dá um lindo sorriso. Conversamos mais um pouco sobre o caso é já eram 14:01, terminamos de organizar tudo.

 
- Bom, era isso. - Digo me levantando para levar ele até a porta.


- Obrigado. - Ele fala já na porta. Fui abrir  e ele colocou a mão junto da minha na maçaneta, puxo a mão e ele ri abrindo a porta. - Tchau S/N, ah e antes que me esqueça adorei a troca. - Ele fala piscando pra mim e indo em direção ao elevador.


- Ok, está tudo bem... Não aconteceu nada. - Digo para mim mesma.



 O  dia passa rápido, logo são 17:50, começo a pegar uns papéis os guardando na gaveta. Minha mesa estava uma zona, não sou muito organizada. Termino de arrumar, me despeço da Lisa e vou até Namjoon. Subo e chego no seu andar, saio e vou direto para sua sala, passo pela Suzi e dou um sorrisinho sabe aqueles bem falsos? 


Dou duas batidas e abro a porta, quando eu entro dou de cara com a sala toda quebrada e Namjoon de costas para porta, com as mãos em cima da mesa, curvado sobre a mesma com a cabeça baixa. Olho ao redor e tem papéis, livros, o computador... Tudo ao chão. Não vou negar que fiquei um pouco assustada pelo estado da sala, fechei a porta devagar para não fazer barulho, coloco a bolsa numa poltrona perto da porta e vou até ele, andando em passos leves, não quero chamar a atenção dele. 


Escuto soluços e me aproximo dele, graças ao céus os meus saltos não fizeram nenhum barulho, deve ser porque estou andado como se estivesse em uma corda bamba. Coloco minha mão em seu ombro e ele agarra meu pulso com força, se virando para mim. Eu arregalei os olhos pelo susto.

 
- Ah, é você. - Ele fala baixinho, soltando meu pulso e me abraçando, não vejo seu rosto, mas sei que ele está querendo chorar.

 


- Nannie, o que está acontecendo? -  Pergunto ainda o abraçando.


- Não fala nada, só me abraça. -  Ele cai no choro, não faço nada, apenas o conforto, nunca vi ele assim, ele é sempre tão sério que achei que ele não chorava. Passamos uns 3 minutos  abraçados, ele me solta ficando de costas e limpando os olhos.


- Quer me contar  o que aconteceu? - Pergunto calma, fazendo um breve cafuné em seus cabelos macios.


- Não, vamos para casa. - Disse baixinho, apenas  concordo, ele vai até a mesa trancado uma gaveta e guardando a chave no bolso, logo procura no chão a chave do carro. Acha, pegamos nossas coisas e como sempre ele pega minha bolsa antes de mim mesma.


- Olha, não querendo brigar mas eu consigo levar minha bolsa. - Digo com a sobrancelha arqueada e de braços cruzados.


- Eu sei, mas gosto de levar ela para você. - Ele diz abrindo a porta me dando passagem, saio e ele fecha a porta e passamos pela Suzi.


- Suzi, antes de sair peça para arrumarem minha sala. - Namjoon fala e ela concorda sem olhar pra ele.


- Tchau querida, foi um prazer te conhecê-la. -  Digo irônica.


- O prazer foi meu, senhora. - Ela fala e sinto a raiva em sua voz.


 Descemos e fomos para o carro, entramos e ele coloca a bolsa no banco de trás. Liga o carro saindo do estacionamento. Ele está normal como se não tivesse acontecido nada á alguns minuto atrás.


- Ah, eu tinha esquecido. - Ele fala me fazendo o olhar. - A Sook ligou e disse que precisou sair hoje com a Sun, elas foram na casa de um parente que adoeceu. 


- Ok. 


- Então...


- Então o que? - Pergunto.


- Sabe cozinhar?


- Ahh, só sei fazer comida brasileira mas não quero fazer nada hoje. - Digo olhando com cara de cachorro perdido.


- Ahh ok, também não quero... Vamos num restaurante. - Ele fala. - Você tá me devendo contar como foi sua infância, lembra? - Ele fala sorrindo.


- Lembro... -  Digo lembrando que ele me contou sobre sua infância de manhã e me fez prometer que iria contar da minha. Eu sempre fui uma criança rebelde, já fui expulsa de 2 escolas quando mais nova. Tenho certeza que ele vai rir muito de mim - Então para qual vamos? - Pergunto olhando a avenida.

 
- Que tal um Japonês? - Ele pergunta me olhando de relance.


- Ok, vamos num Japa. - Digo ele muda o caminho para irmos a um restaurante japonês. Eu ainda tô achando estranho essa história da sala. Mas é melhor não me meter por enquanto. - Penso.
         

 


Notas Finais


O que acharam? 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...