História Casamento Forçado - BTS - Capítulo 51


Escrita por: e JeonKookita

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, G-Dragon
Personagens G-Dragon, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Tao
Tags Bangtan Boys, Be Black, Exo, Namjoon, Rap Monster, Ztao
Visualizações 896
Palavras 2.384
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente eu sei que demorei, mas só agora conseguir resolver meus problemas e estou voltando com um capítulo maravilhoso e emocionante (na minha opinião). E como eu passo pelo processo de criação sozinha meus problemas acabaram afetando a história é não estava conseguindo escrever, mas agora tira vai dá certo haha Espero que me perdoem pela demora ♥️♥️♥️ amo vocês e agradeço pelo carinho ♥️💜 espero que gostem do capítulo.

Capítulo 51 - Você é quem colore a minha vida


Fanfic / Fanfiction Casamento Forçado - BTS - Capítulo 51 - Você é quem colore a minha vida

                   S/N P.O.V

 

 

 

Estava assistindo a um programa  de Tv qualquer. Namjoon havia subido para tomar seu banho e Sook fazia algo para comermos. Pego meu celular e verifico as redes sociais, numa tentativa de o tempo passar mais rapidamente.

 

 

 

O relógio marca 17h, meus pensamentos não paravam um minuto sequer, com toda essa confusão eu estou ficando louca. Escutei a campainha tocar, logo Sook foi abrir a porta, nem fiz questão de olhar quem era, estava irritada demais com essa situação em que eu me encontro para receber visitas.

 

 

 

 

 

 — Ora ora. - Uma voz se faz presente no cômodo. - Um bom filho a casa torna. - Hoseok diz com um enorme sorriso em seu rosto enquanto me via deitada no sofá; com a maior cara de enterro e focada no celular. - Sorria um pouco menina, que expressão é essa? Não está feliz em ter voltado pro maridinho? - Disse tirando onda com minha cara, logo sentando no outro sofá.

 

 

 

 

- Isso mesmo Hoseok, continua - Digo me sentando corretamente no sofá e bloqueando o celular. - Pode tripudiar em cima de mim. - Ele riu. - Nunca te ensinaram que é feio chutar cachorro morto? - O questiono por ficar rindo da minha situação.

 

 

 

 

 

- Sabe que eu não me lembro de ninguém me falando sobre isso? - Semicerrou os olhos pensantivo, com uma cara de quem está tentando se lembrar de algo.

 

 

 

 

- Você não presta Hope. - Digo soltando um pequeno sorriso e revirando os olhos.

 

 

 

 

- Não concordo com você. - Ele sorri. - Ah, toma sua bolsa e a maleta do Namjoon. - Ele diz me entregando. - Tudo que estava em cima da sua mesa coloquei dentro da bolsa. -Agradeço, colocando-as no canto do sofá. - Agora me conta dessa fofoca. - Se sentou na ponta do sofá, apoiando os braços nos joelhos para ficar mais perto como se eu fosse lhe contar um segredo.

 

 

 

 

- Longa história. - Reviro os olhos com uma cara de tédio, me jogo pra encostar no sofá.

 

 

 

 

 

- E sobre a gravidez? - Assunto. - Então me diga logo, vou morrer de curiosidade e a culpa será sua. - Dou risada do seu drama.

 

 

 

 

 

 

- Ela não está grávida Hoseok. - Ouço a voz grossa de Namjoon. - Era tudo mentira do Jin.

 

 

 

 

- Eu sabia. - Hoseok diz convencido. - Mas então, o que aconteceu? - Ele volta aos questionários. Namjoon se senta ao meu lado e coloca os braços atrás do sofá.

 

 

 

 

 

- Recebi uma ligação da secretária do Jin, me falou sobre uma gritaria onde S/N estava envolvida. Imaginei que seria sobre a "gravidez" e desci para averiguar a situação. Foi quando entrei e vi S/N com o rosto neste estado. - Namjoon segura meu rosto, virando para Hoseok ver as marcas de dedo de Jin e ainda vermelho, Hoseok fica surpreso por isso. - Nesse momento ela disse que não estava grávida e que queria terminar, claramente Jin não aceitou muito bem. - Ele deu uma pausa. - O demiti por justa causa, coloquei as rédias nessa situação e trouxe MINHA mulher de volta para a casa dela. - Namjoon me encara enquanto eu fingia que não estava o vendo. Ele focava nas expressões de Hoseok, que deu um sorriso pra mim ao ouvir o Namjoon dizendo "minha mulher". - Essa brincadeira durou tempo demais.

 

 

 

 

 

- Ele acha que é meu pai - Digo para Hoseok sobre o Namjoon. - Que pode me pegar pelo braço, me trazer pra casa, comandar minha vida como se eu fosse uma adolescente inconsequente.

 

 

 

 

 - Se você não é uma adolescente inconsequente não tome decisões inconsequentes. - Ele diz e eu continuo sem olhar para ele.

 

 

 

 

- Olha aqui. - Digo me virando para ele. - A única pessoa inconsequente aqui é você! Falando nisso, cadê a mulher que carrega seu filho? - Pergunto ao perceber que Sabrina não estava aqui.

 

 

 

 

 

- Está na casa dos pais, vai ficar com eles essa semana. - Respondeu sem importância, solto um "hum" e me viro para Hoseok, que sorria igual idiota da nossa cena.

 

 

 

 

 

- Vocês parecem gato e rato. - Hope sorri colocando a mão na testa, balançando a cabeça negativamente. - É muito bom ver vocês juntos, nada melhor do que um casal que se ama estar junto, irei rasgar imediatamente os papéis do divórcio. - Hoseok pega uns papéis na maleta os rasgando rapidamente.

 

 

 

 

 

- Esses papéis estavam com você esse tempo todo? - Questiono surpresa e ele afirma. - Por que não deu continuidade? Por que não levou para Namjoon assinar?

 

 

 

 

 

- Ele assinou, mas não achei correto dar um atestado de óbito para essa história de amor. - Ele diz colocando o resto de papel na mesinha de centro, sorrindo para nós, eu olho para Namjoon, seu semblante era sério, enquanto eu estava bestinha por Hoseok ter feito tudo isso pelas costas.

 

 

 

- Eu vou te matar seu idiota. - Digo e ele ri.

 

 

 

- Você fez certo meu amigo, eu que fui um imbecil de ter assinado esses papéis - Namjoon diz. - Muito obrigado. - Sook entra na sala e diz que os lanches estão prontos, Namjoon convida Hoseok para ficar conosco, mas ele nega, se despede e diz que tem algo para resolver, logo indo embora. Namjoon e eu ficamos sozinhos enquanto lanchavamos em silêncio.

 

 

          Algum tempo depois...

 

 

 

Um pouco mais tarde, lá pras 20:15, eu estava tomada banho e vestida com um pijaminha, de shorts e blusinha, roupas que tinham ficado aqui quando fui embora. Estava no sofá assistindo um filme de comédia com Adam Sandler, quando a campainha toca e logo a porta é aberta por Sook, escuto uma voz feminina falando com Sook e entrando na sala, me viro para ver  quem é e dou de cara com a loira oxigenada de Namjoon.

 

 

 

- Oi, boa noite o que você está fazendo aqui? - A embuste pergunta, vindo até de mim, que já estava sentada no sofá. - E ainda com essas roupas curtíssimas? - Fala me olhando com tom superior.

 

 

 

- Ô garota? Eu estou na minha casa então por favor faça o que você veio fazer e não me encha a paciência. - Digo com tédio, me levantado para ir pra quarto, já que Namjoon estava no escritório poderia ir me deitar um pouco.

 

 

 

- Sua casa? Pelo  o que eu sei essa é a casa do meu Nam! - Ela diz ainda com mesmo tom.

 

 

 

- O seu "Nam" é meu marido. - Digo num tom debochado,  ela logo desfaz o sorrisinho. -  Consequentemente, tudo que é dele é meu também, agora  me dá licença estou muito cansada, irei me deitar. - Subo as escadas deixando ela parada na sala. 

 

 

 

 

                

 

                 Namjoon P.O.V

 

 

 

 

Estava no escritório terminado umas planilhas, quando Liz entra na sala muito irritada.

 

 

 

- Como você tra uma mulher pra morar com você? - Ela dispara eufórica.

 

 

 

- Senta aqui Liz. - Ela o faz. - Você sabia que eu tinha me separado da minha esposa e sabia que eu nunca deixei de amá-la, acabou que nos reconciliamos. - Dei uma pausa. - E não podemos mais continuar com isso que temos. - Ela faz uma cara de tristeza e desprezo.

 

 

 

 

- Isso!? Nós namoramos Namjoon e você chama o nosso relacionamento de isso!? Como se fosse só um casinho. - Ela diz em tom fraco. - Você é um monstro, brincou com meus sentimentos, só me usou para esquecê-la, e quando ela volta você me dispensa como se eu fosse descartável. - Ela diz deixando algumas lágrimas caírem. - Mas está tudo bem, eu que fui trouxa de ter me envolvido com você, me arrependo do dia que te conheci. - Ela diz se levantando e faço o mesmo. - Seu cafajeste.

 

 

 

 

- Você tem todo direito de me xingar e de me odiar, não tiro sua razão e espero que me entenda um dia. - Digo sério. - Espero que encontre alguém que te faça feliz.

 

 

 

 

 

- Como tem coragem de fingir que se importa? Nunca mais quero te ver na minha vida Kim namjoon. - Liz saiu da sala, batendo a porta com força.

 

 

 

 

- Foi mais fácil do que imaginei. - Digo para mim mesmo me sentando de volta a cadeira e voltando a fazer o que não tinha terminado. Liz era uma boa moca, gentil, feliz, engraçada, boa de cama... Mas não me fazia sentir o que apenas uma mulher consegue...  Eu espero de verdade que Liz encontre alguém que a faça se sentir bem assim como S/N me faz.

 

 

 

 

Umas 21:30 terminei o que tinha que fazer, Sook já tinha terminado o jantar, logo S/N desceu as escadas, se juntando  a mesa comigo e jantamos em silêncio, só a presença dela aqui já me fazia bem. Terminamos o jantar e ela foi assistir, eu fui para o jardim para pensar em tudo que estava acontecendo, o tempo estava agradável nem frio nem quente, com uma leve brisa de vento.

 

 

 

 

Depois de uns 30min ali fora entrei e me sentei no sofá para assistir um pouco. Peguei o filme no final, bem no casamento dos personagens, não demorou muito e o filme acabou, ela escolheu outro e colocou, tudo muito rápido.

 

 

 

 

- Que filme é esse? - Pergunto sem tirar os olhos da televisão, que por enquanto só passava os patrocinadores do filme.

 

 

 

 

- Quero matar meu chefe. - Ela diz e o filme começa. Assistimos, depois vimos a segunda parte de mesmo filme que era o "Quero matar meu chefe 2". Quando acabou eram 01:22, ela desligou a televisão me deu boa noite e subiu para o quarto, demorei uns 10 minutos e subi também entrando e vendo ela deitada, fecho a porta e vou até a cama, me deitando com cuidado e me aconchegando nos lençóis. Depois de uns 15 minutos sem conseguir dormir resolvi ver se ela estava dormindo.

 

 

 

 

- S/N? - A chamo e me apoio com o cotovelo na cama para ver se ela responde.

 

 

 

 

- O que é? - Respondeu-me baixo, sem se mover.

 

 

 

 

- Estou sem sono. - Digo. - Você está com sono? - Pergunto.

 

 

 

 

- Não, não estou conseguindo dormir. - Ela diz se mexendo e deitando de barriga, para cima encarando o teto.

 

 

 

 

- Quer fazer alguma coisa?

 

 

 

 

- Quero comer bolo. - Ela diz e eu dou risada.

 

 

 

 

- Vamos fazer? - Pergunto e ela afirma, nos levantamos e fomos até a cozinha, pegamos os igredientes e começamos a fazer o bolo de chocolate, logo colocando no forno e deixando a calda que também estava pronta esfriar um pouco, enquanto estávamos fazendo o bolo conversamos sobre coisas aleatórias, porém muito agradável. Fomos para sala para esperar, enquanto passava desenho animado, olhei para ela e vi ela sorrindo para televisão, e automáticamente sorri em ver aquela mulher maravilhosa sorrindo, tão perto de mim e ao mesmo tempo tão longe.

 

 

 

 

Passou alguns minutos e o forno apitou, fomos até a cozinha enquanto eu tirava o bolo do forno enquanto ela pegou o prato para desenformar, fizemos tudo, colocamos a calda e colocamos na geladeira para esfriar um pouco. Ela estava encostada na bancada e eu estava na porta que dava acesso ao jardins da casa.

 

 

 

 

- Já visitou o jardim? - Quebrei o silêncio.

 

 

 

 

- Ainda não. - Ela veio até onde estava, a noite estava um pouco fria - Quer me acompanhar a uma visita a ele? - Ela diz enquanto abria a porta de vidro e saindo logo cruzando os braços por causa do frio, saí atrás dela enquanto ela passava pelas flores, parando em suas favoritas rosas brancas.

 

 

 

 

- Elas estão lindas. - Ela diz sorrindo, enquanto passava a mão sobre elas.

 

 

 

 

- Cuidei delas pessoalmente. - Digo e ela me olha, sorriu sem mostrar os dentes e voltou o olhar as flores. - Senti sua falta. - Me aproximo mais dela, segurando seu rosto, a fazendo olhar para mim. - Não imagina como foi difícil todas essas noites sem você na cama me aquecendo, me fazendo rir das suas palhaçadas, as conversas de madrugada.... - Dou uma pausa olhando nos olhos dela, enquanto ela não dizia nada, apenas me olhava também, não demorou muito e ela colocou suas mãos sobre as minha em seu rosto. - As noites se tornaram cada vez piores, cada vez mais frias e solitárias, enquanto o dia ficou cada vez mais sem cor, sem vida... Porque você é quem colore minha vida, você tem meu coração em suas mãos... Eu tentei te substituir, mas não tem como. - Ela abaixou a cabeça e eu a levantei novamente fazendo seus olhos se encontrarem novamente com os meus. - Você é insubstituível, sem você minha vida não tem graça, sem você minha vida não tem sentido... Eu te amo S/N, eu sempre vou estar com você, ao seu lado, nunca mais vou deixar você escapar de mim. - Ela não disse nada, ficamos um tempo em silêncio só nos olhando, eu me aproximei, numa tentativa de  beijá-la mas ela se afastou, voltou a cruzar os braços.

 

 

 

 

 

- É isso que me assusta. - Ela diz olhando para as flores novamente. - Sempre que estamos juntos algo dá errado... Essa relação só nos machuca, não quero mais te ver sofrer e nem  quero sofrer. - S/N volta seu olhar para mim, fiquei sem ter o que falar. - Acho que o bolo esta pronto. - Ela diz passando por mim. - Você não vem? - Eu seco algumas lágrimas que acabaram caindo, viro e adentro a cozinha indo ao seu encontro. Ela com o bolo já em mãos o colocou na mesa e cortou dois pedaços fartos, me entregando um enquanto provava o outro.

 

 

 

 

 

- Nossa está muito bom. - Ela diz sorrindo - Somos muito bons, bate aqui. - Levanta a mão, eu dou uma batidinha e voltamos a comer o bolo.

 

 

 

 

 

- Realmente está muito bom. - Eu digo. - Também né, eu sou um mestre em tudo que faço. - Me gabo e ela sorri.

 

 

 

 

- Besta.

 

 

 

 

Terminamos e deixamos a louça suja, guardamos o bolo e subimos para finalmente dormir. Já deitados um de costas para o outro, sinto seus braços me contornarem, me viro enlaço nossos corpos em um abraço, assim dormimos.

 

 

                

 

 

 

 

 

                 


Notas Finais


Me diga se gostaram 💜♥️ beijão


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...