1. Spirit Fanfics >
  2. Case: Song Lan >
  3. Novo lar

História Case: Song Lan - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Novo lar


20/09/2012

Zichen saiu do trem junto com Xichen e rodopiou se sentindo livre pela primeira vez depois de tudo que aconteceu em sua vida, apesar de ter um peso na consciência por deixado Xue Yang para trás daquele modo, sem sequer olhar para trás, havia finalmente dito para ele que o amava e foi naquela situação terrível, imaginava o quão destruído ele devia estar agora, mas tratou de jogar esses pensamentos para o fundo de sua mente com a desculpa de que logo ele iria superar isso ou talvez que fossem estar juntos novamente, já que havia planejado deixar pistas para Xue que mostrava onde iria ficar.

Xichen riu ao ver como Zichen saiu correndo pela estação, apesar de ter a sua própria liberdade não era algo que podia ser comparada com a de Song, havia motivos que o prendiam ali, gostaria de poder voltar para Jiang Cheng e para o irmão.
— Vamos indo, Zichen, depois te apresento aos lugares que conheço da cidade, mas primeiro vamos ir pra casa para guardar suas coisas — O Lan disse e Zichen concordou, seguindo o mais velho para a saída da estação.

Foram andando até uma rua que era bem tranquila, onde não havia muita movimentação de carros, Xichen abriu o portão de uma casinha que parecia ter dois andares, ele sorriu para o mais novo e disse para se sentir a vontade em sua nova casa.

Zichen passou pelo portão e parou em frente à porta, se sentiu ansioso para conhecer o lugar onde iria passar seus dias de agora em diante e sorriu ao enfim perceber que estava realmente livre, era como se sua ficha tivesse caído naquele exato segundo, não havia mais seu pai e não havia mais ofensas, se virou para Lan que segurava uma câmera no mesmo momento em que ele tirava uma fotografia.
— Ei, como ousa tirar uma foto minha desprevenido? — questionou de uma forma brincalhona.
— Em minha defesa a foto ficou incrível — disse e virou a câmera para mostrar a Zichen o resultado. — Vamos entrar, pode abrir a porta, quero que tenha essa honra — Entregou a chave da porta para o garoto, que a segurou com a mão tremendo.

A porta foi destrancada com um pouco de dificuldade e a sensação de tremedeira não passou nem mesmo quando Zichen girou a maçaneta e abriu a porta, Xichen colocou a mão nas costas de Song Lan e o guiou para entrar na casa, o mesmo admirou cada cantinho, apreciando cada parte da sala, apesar de ser um pouco pequena se sentiu acolhido só de estar ali, se deitou no pequeno sofá e sorriu enquanto pensava que não iria conseguir parar de sorrir durante aquele dia.
— Vocês finalmente chegaram — Uma mulher disse, saindo de uma porta, onde Zichen pensou ser a cozinha. — Mo XuanYu preparou um almoço especial, para comemorar a chegada de uma nova pessoa para alegrar a nossa casa, por favor, venham — Zichen se levantou do sofá, deixando sua mochila nele e se aproximou da mulher, a própria o puxou para perto e o abraçou por alguns instante antes de o puxar para a cozinha. — Todos já foram trabalhar, então sinto muito que não tenha mais ninguém aqui, apesar de eles quererem muito te conhecer eles precisavam ir trabalhar.
— Qin Su, não esquente com isso, acho que Zichen vai se sentir mais a vontade assim, quando todos chegarem ele já vai estar mais acostumado com o ambiente — Xichen disse se juntando aos dois no pequeno cômodo, antes que Song Lan tivesse a chance de dizer algo. A mulher que Zichen descobriu ser chamada Qin Su foi até o balcão da cozinha e pegou dois pratos e serviu os dois.

 

Zichen contou sobre tudo que aconteceu e quais motivos o levaram a deixar sua casa e estar naquele lugar.
— Então, existem muitas pessoas que moram aqui? — Questionou, tendo um aceno positivo vindo de Xichen e de Qin Su. — Você acolhe pessoas na mesma situação que a minha?
— Houve um dia em que ouvi uma gritaria vinda da casa ao lado, eu fui ver o que era e vi um garoto sendo expulso de casa, a tia dele gritou muito e jogou roupas na cara dele antes de dizer que nunca mais ele deveria aparecer na frente dela — começou a contar. — E apesar de eu não entender o que estava acontecendo, eu o convidei pra entrar na minha casa e dormir aqui naquela noite, quando ele me contou que tinha acabado de contar para a tia que tinha um namorado e que ela surtou, foi que eu resolvi o deixar ficar na minha casa por quanto tempo precisasse. Desde então eu ajudo quem eu posso ajudar, aqui pode não ser um lugar tão grande quanto eu queria que fosse e eu gostaria de poder ajudar mais pessoas, mas eu faço o que posso, pode não ser muito, mas é o que eu posso oferecer — Ao terminar de contar Zichen a olhou com carinho, como se enxergasse nela uma amiga querida, admirou a mulher por ser uma pessoa tão boa que poderia ser comparada a um anjo.
— E esse garoto, se me permite perguntar, ele ainda mora aqui? — Perguntou se sentindo curioso em saber.
— Não, mas ele sempre vem nos visitar, a propósito foi ele quem fez esse almoço em sua homenagem — Sorriu. — Mo XuanYu é como se fosse um filho pra mim, a partir do momento que ele foi deixado por sua família eu comecei a ser a família dele, ele era um adolescente como você, ele continuou a estudar e hoje em dia ele é enfermeiro — Qin Su se levantou e foi até a sala, voltou com um quadro nas mãos e mostrou a Zichen. — Este é Mo XuanYu, algumas vezes ele aparece aqui com garotas ou garotos que apanharam dos pais e foram parar no hospital, nós dois acolhemos essas pessoas e tentamos ao máximo ajudar — comentou, Zichen olhou como ela sorria com orgulho ao mostrar a foto do filho e apesar de ter achado a história linda não pôde evitar pensar em como queria que seu pai tivesse esse mesmo orgulho dele.
— A senhora é incrível — Foi a única coisa que Zichen encontrou para dizer. Xichen se levantou e pegou o prato dos dois e os colocou na pia.
— Zichen, aqui os quartos estão ocupados, mas tem um colchão no porão, onde o seu amigo Xichen também dorme, espero que não ligue, não é bem o esperado, essa época a minha casa ficou mais cheia que o previsto — Qin Su explicou.
— Está tudo bem, qualquer lugar para mim é mais do que bom, eu me sinto realmente grato por me receber na sua casa — Zichen se levantou da mesa e foi para o lado do Lan que estava encostado na pia, o empurrou para o lado e começou a lavar a louça que estava ali.

Quando Song Lan terminou Xichen puxou o garoto para lhe mostrar onde iria dormir a partir daquele dia, ele pegou a mochila que havia deixado no sofá e então se deixou ser guiado até o porão.


Notas Finais


Essa foi a segunda e última att do dia. Espero que tenham gostado de ver um pouco mais da vida do SL e ver o Xichen junto com ele sendo uma pessoa realmente importante para tudo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...