1. Spirit Fanfics >
  2. Casei Com Minha Prima - G!P >
  3. Fiel

História Casei Com Minha Prima - G!P - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Fiel


Lauren Jauregui POV

Noiva.

Eu estava noiva de Camila, futura Jauregui. Dar meu sobrenome a ela, trazê-la para morar comigo e cuidar dela, me trás satisfação, tê-la só para mim, me deixava eufórica e ansiosa. Nós estávamos noivas e contamos a todos, que aceitaram até que bem, faz duas semanas e eu já estava trabalhando e tinha arrumado o apartamento ideal para morarmos.

O treinamento foi intenso, seis meses pesados e agora eu finalmente poderia "descansar".

Voltando a questão do meu casamento, Camila era minha prima e eu sempre gostei de ficar com ela, mas sempre esperava encontrar alguém para amar e meu último relacionamento foi uma experiência ruim para mim, fez com que eu desistisse de procurar e aceitar o que estava bem na minha frente.

Aceitar que Camila era meu destino, e mesmo que eu não a ame, serei fiel e cuidarei dela, como uma boa esposa deve fazer, afinal, além de tudo, a garota tem dezoito anos e eu vinte três, claro que preciso cuidar dela.

E não, não quero esperar mais tempo nenhum, sou capaz de lidar com uma adolescente e ainda mais a Camz, sempre tão calminha e risonha, um anjo, me dava ódio se alguém chegasse perto, o que era estranho, pois mesmo namorando com Lucy e achando estar super apaixonada, eu não permitia que alguém a quisesse.

Flashback off

Depois de uma noite intensa com Lucy, eu não poderia pedir mais nada, me sentia totalmente satisfeita.

- Amor, o que você acha do meu irmão? - Estranhei aquela pergunta e a olhei.

- Ele é legal. - Dei de ombros. - Por quê? - Questionei.

- É que conheci a Camila, sua prima, ontem, e achei ela perfeita para ele. - A olhei espantada, meu coração acelerou e eu respirei fundo.

- Camila nunca iria querer. - Lucy ficou confusa com minha afirmação.

- Por quê? - Questionou.

- Oras, Camila nunca quer ninguém, nunca mesmo, nem adianta tentar. - Aquilo era verdade e a danadinha me fazia sentir especial por aquilo, sorri ao lembrar.

- Ah para com isso, Lauren, deixe de ser ciumenta, só porque ela é parente sua, não precisa ser sua propriedade. - A olhei confusa.

- Não estou com ciúmes e se estivesse não seria por ela ser "minha parente". - Fiz aspas com os dedos. - Isso é patético.

- Você já ficou com ela? - Engoli em seco.

Flashback off

Depois daquilo tivemos uma briga terrível, mas logo nos acertamos. Enfim, o fato é que eu vou casar e de alguma forma estranha, mesmo não estando apaixonada por ela, eu sinto que é a coisa certa a fazer.

Hoje eu iria em sua casa, marcar a data do casamento com seu pai, ir morar logo comigo seria vantajoso, pois sua faculdade ficava perto da nossa casa. Cheguei em sua casa, vendo Camila se balançando no banco em sua varanda, seus cabelos soltos voavam e ela tinha um sorriso tão lindo no rosto.

- Oi, amor. - Falei, parando o balançar do banco e sentando nele, ao seu lado, Camila me olhou, as vezes eu percebia um brilho triste em seu olhar, mas na maioria das vezes ela demonstrava estar feliz.

- Oi, Lauren. - Ela não me chamava de amor de volta e sempre se mostrava receosa ao meu respeito, mas era justo já que não nos amávamos, porém eu esperava que com o tempo ela ficasse mais solta.

Beijei seus lábios, depois deixei um beijo em seu pescoço, Camz estremeceu um pouco e eu vi sua pele inteira se arrepiar, sorri ao ver o quão sensível ela era, aquilo só me deixava mais ansiosa.

- Sabe o porquê estou aqui? - Questionei.

- Sei sim, meu pai está lá dentro. - Apontou para sua casa, suspirei.

- Camz, quero combinar com você primeiro. - Ela assentiu. - Diz uma data.

- Depende de quando você quer casar, se ainda esse ano ou ano que vem. - Falou e eu sorri.

- Se fosse possível, ainda hoje. - Deixei um beijo molhado em seu pescoço, ouvindo Camila arfar, porra, só com aquilo eu já sentia o sangue se concentrar e circular mais em uma parte do meu corpo.

- Acho que três meses é o tempo ideal, fica-- - Parou de falar por eu tê-la calado com um beijo, coloquei a mão em sua coxa, ela usava uma saia preta, ficava tão linda. Nossas respirações ficaram mais pesadas, até que tivemos que parar por falta de ar e eu já estava bastante excitada. - Lauren... - Aquilo pareceu uma repreensão, ri.

- Menos de um mês, amor, você disse que queria um casamento rápido, só eu, você e as testemunhas e eu compartilho do seu gosto. - Ela sorriu.

- Não achei que você quisesse ir tão rápido, pensei que iria querer curtir um pouco mais a vida de solteira. - Afastei meu corpo do seu e a olhei confusa.

- Não tenho mais uma vida de solteira desde que assumi uma responsabilidade com você, Camila, que tipo de pensamento é esse? Você está pensando que sou do tipo de pessoa que acha que é certo trair? Porque não sou e não vou fazer, assim como não quero que você faça, se eu quero respeito, preciso respeitar, certo? - Camila pareceu não acreditar muito em minhas palavras, mas assentiu, aquilo me deixava um pouco desanimada, pois ela demonstra não se importar se eu ficasse com outra, como se fosse natural, mas eu iria mostrar a cada dia do nosso casamento que sou dela e de mais ninguém.

Depois disso a beijei mais uma vez e fui falar com seus pais, combinando que a cerimônia seria daqui três semanas e vendo qual dia o juiz estaria livre.

Eu sabia que era um passo enorme e que a maioria das pessoas fazem isso quando tem certeza que amam a outra, mas eu estava super segura da minha decisão e só de pensar que poderia ser outro ou outra em meu lugar, eu tinha mais certeza ainda e no momento, mesmo sem ainda tê-la, não me era interessante a ideia de ficar com outra pessoa.

Cheguei em casa, amanhã eu trabalhava, tive só dois dias de folga essa semana, estava fazendo hora extra para ocupar meu tempo. A campainha tocou e eu fiquei confusa sobre quem poderia ser, rapidamente troquei de roupa e vesti uma calça de moletom e uma blusa preta sem mangas.

- Lucy? - Questionei, ficando totalmente surpresa com sua visita.

- Eu... Queria falar com você, saber da sua vida, faz tanto tempo que não conversamos e eu... Sinto sua falta. - Neguei com a cabeça, sem crer que aquilo era real.

- É mesmo? Por que não pensou que sentiria minha falta antes de jogar na minha cara que nunca se casaria comigo, que eu prestava apenas para satisfazê-la? - Lembrar daquilo já não me dói como antes.

- Lauren, você precisa entender aqui aquilo foi um lapso, eu só fiquei assustada quando você mencionou um casamento. - Suspirei, eu realmente tinha sido precipitada.

- Você tem razão, só estávamos namorando há três meses e eu confesso que me excedi um pouco. - Confessei, Lucy sorriu.

- Será que podemos conversar um pouco mais sobre nossa relação agora que você reconheceu seu erro? - Ela se aproximou de mim e avançou em minha boca, porém não dei tempo a ela para encostar seus lábios nos meus e a empurrei delicadamente.

- Não posso, eu vou casar. - Falei, na cara dura e ela arregalou os olhos.

- Com quem? - Perguntou, claramente com raiva.

- Camila. - Disse, simplesmente.

- Sua prima? Meu Deus! Você perdeu a noção mesmo depois que eu terminei nosso namoro. - Franzi o cenho. - Terminamos há apenas dois meses e você já vai casar? Como reconhece que foi precipitada comigo e vai casar com outra? - Suspirei, a achando um pouco burra.

- Primeiro, com quem vou ou não casar, pouco diz respeito a você, segundo, não perdi a noção, fiquei realmente chateada, mas logo passou, desculpe por isso, Afrodite e terceiro, não que eu precise dar-te alguma explicação, porém a conheço minha vida toda, era só raciocinar um pouco e me privar de ter que dizer o óbvio. - E é assim que eu trato quando não estou apaixonada, um pouco rude, eu sei.

- Nossa... Lauren Jauregui, nunca imaginei que você seria tão sem educação comigo, uma falta de delicadeza incrível, isso tudo é tentando me afastar, com medo de largar esse casamento sem sentido e voltar para mim? - Gargalhei.

- Querida, vaza. - Pedi. Lucy me olhou com aquela cara que eu bem conhecia, colando seu corpo junto ao meu, não me mexi.

- Vamos brincar um pouco pelo menos, uma despedida, o que acha? - Ela desceu a mão até meu pênis, o acariciando por cima da calça, senti ele dar sinal de vida, ri e neguei com a cabeça, pegando sua mão e a afastando finalmente. Aproximei meu corpo do seu novamente e colei minha boca em seu ouvido.

-  Sabe quem eu quero fazendo isso em mim nesse momento e estará bem em breve e se depender de mim para vida toda? - Senti ela prender a respiração. - Camila. - Ela me empurrou pelos ombros e eu gargalhei, vendo sua expressão magoada.

- Ok, senhora fiel Jauregui, vamos ver até onde vai esse seu auto-controle, nem a ama, não vai durar com essa pose de fiel nem três semanas, assim que tiverem a primeira briga, saiba que vou estar esperando de portas abertas. - Cruzei os braços e esperei que ela saísse, ficando calada.

Espero que ela não esteja certa, eu não sou assim e nunca faria isso.
























Notas Finais


Olha ela, fiel


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...