1. Spirit Fanfics >
  2. Caso 273: Hugo Weasley >
  3. Capítulo 11

História Caso 273: Hugo Weasley - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Capítulo 11


Passei o resto daquele dia todo na casa dos meus pais, voltei pra casa quase meia noite. Quando sai do carro dei de cara com o Scorpions.

- Achei que não voltaria pra casa - Sua voz aliviada não passou despercebido, seu ar um pouquinho mais tranquilo, também não. - Rose eu...

- Põe ela na cama, mas sem acorda-la - o cortei. pedi olhando para Ava que dormia no banco de trás- Ela inventou de ficar em pé no balanço e acabou caindo - Quando Scar a tirou do carro, pode ver melhor o machucado no queixo, 4 pontos que estavam doendo na minha alma.

Me senti tão culpada, como se eu tivesse deixado a minha raiva me dominar, e esse era o preço por eu me precipitar em sair de casa com a cabeça quente. 

Esperava que Scorpions fosse me culpar ou algo do tipo, mas ele não fez, ficou sentido por ela, era sempre assim quando nossa pequena se machuca, nós sofremos.

- Rose, olha... por favor me desculpa por aquelas bobagens... eu sou muito idiota, você sabe, um idiota ciumento. - Scar mal entrou no nosso quarto e já foi falando- Eu não sei o que acontece, eu fico cego de ciúmes de Você... sempre foi ssim, e eu nem controlo essa porra. e me perdoa por... você sabe

- O problema é que são muitas desculpas Scar - suspirei cansada- Nós somos casados, temos uma filha, e eu nunca te dei suposições sobre ser infiel, pra vc desconfiar de mim.

- Amor... eu confio em você, eu não confio no resto. por que você é toda linda, incrível, qualquer um teria a sorte grande em ter você. - Eu me sentei na cama e ele se ajoelhou em meu colo.

- Mas quem me tem é você, olha em volta? Scorpions eu te confiei a minha vida, eu escolhi você e nunca tive dúvidas... mas se você tem

- Não! não tenho dúvidas Rose, jamais pense isso - Eu tive uma pequena vontade de rir do seu desespero- É você que eu amo desde muleque, mesmo os nossos pais se odiando, nunca pensei em desistir de Você, nem antes e nem agora que temos a Ava, e eu tô cansado dessas coisas. de uns tempos pra cá estamos de um jeito que eu não tô gostando, não é saudável, nem pra gente e nem pra nossa filha. Quero viver bem com você de novo.

- Eu também não gosto Scar... temos Ava e....  suspirei, baixando a cabeça- Minha menstruação tá atrasada tem 3 dias

- O que? você tá falando sério? - Scar falou eufórico - Finalmente aconteceu ? Vamos ser pais de novo - Ele me puxou para um abraço - obrigada amor

- São só 3 dias de atraso, não significa nada, mas...  naturalmente eu já devia tá com os sintomas da menstruação e não tô- Falei carinhosa - Scar... vamos prometer não brigar por essas besteiras de hoje em diante.

- Eu prometo amor, prometo tudo que você quiser.. que dizer, vocês- Eu estava em pé e ele se abaixou na altura da minha barriga, a beijando - Daqui uns meses isso aqui vai tá enorme de novo, com um bebezinho chutando muito pro papai, que nem na primeira vez... Ava vai amar saber que terá um irmãozinho.

- Amor... melhor esperar, tá muito recente, quando tivermos certeza, falaremos.

- Tá, está bem- Sorri com toda aquela empolgação e não teria como eu ter escolhido outra pessoa, senão esse bobão na minha frente. - Esse dia foi cheio, vamos dormir... vocês precisam descansar.

- Eu não sabia que sentia suadades de vc falar no plural comigo até agora- O beijei- te amo seu boboca!

- Te amo sua bobona...- ele me soltou e fez uma dancinha- Isso! Eu consegui te engravidar de novo, ah garoto.

- Você é tão idiota vida, não sei como conseguiu essa proeza- brinquei-

- Hoje é sua noite de sorte por que eu vou te mostrar exatamente como eu consegui- aquele sorriso galanteador que eu tanto amava, me mirava, antes de me ter em seus braços. - Ô jesus, 9 meses sem aqueles dias, as coisas estão melhorando pro meu lado

- Mamãe - viramos para a porta onde uma certa garotinha coçava os olhos - meu dodói tá doendo, eu bati com a mão, quando tava dormindo.

- Ótimo... por que fomos inventar de ter filhos? 

- Scar! - ralhei-

- Tô brincando... vem cá com o papai princesa- Ava correu para o colo dele - vamos passar um remedinho e te devolver pra sua cama

- Eu queria dormir com a mamãe hoje - 

- Só com a mamãe? e o pai ninguém gosta né- Scar se fazia de ofendido, arrumei a cama para deitarmos- Filha o que você acha de um irmãozinho ou irmazinha pra brincar com vc? não quer um também?

Revirei os olhos incrédula, Que boca grande!

- Não quero irmão nenhum! nunca- Ava fechou a cara com birra, surpreendendo a mim e ao pai.

- Amor, um irmãozinho vai te fazer companhia, brincar com você- alisei seu rosto.

- Não quero irmão nenhum. se pegarem um bebê pra cá, eu vou embora dessa casa, morar com os meus avós- Ava saiu correndo antes que eu pudesse reaprender suas falas, e eu senti algo estranho, de repente queria que aquilo fosse só um atraso.

- Parece uma mini adolescente - Scar me abraçou- Quando ver o bebê, ela vai mudar de idéia.

- Como saber disso? você é filho único, eu tive um irmão por 4 anos e nem lembro, esse campo é novo pra gente. Mas se for um atraso, vamos espera mais uns 2 anos ta bom?

- Amor, eu entendo seu medo, e está tudo bem. não fique pensando nisso atoa.

Resolvi tomar um banho antes de dormir, e quando sai do banheiro, Scar já dormia, apenas sorri, Fui ao quarto de Ava e ela estava dormindo no tapete, provavelmente tentando deixar de dormir para brincar, mas era igual ao pai. a coloquei de volta em sua cama e percebi como ela estava pesada e grande, meu coração apertou ao perceber que meu bebê já não era mais tão bebê assim, fiquei cheirando seu cabelo, o pescoçinho, lembrando de quando ela era só um bebê. 

Eu tive tanto medo quando descobri que estava grávida, e mais ainda quando soube que era uma menina. o medo dessa praga pegar em mim e eu não conseguir amar minha filha me assombrava. Eu quase pirei, mas tudo sumiu quando eu vi o rostinho dela pela primeira vez, alí eu renasci, com mais força, por ela e pra ela.

- Mamãe- Ava falava mesmo com os olhos fechados, desde que aprendeu a falar, ela me chamava durante o sono, e eu amava que até dormindo ela sentia minha falta. - mãe

- Eu tô aqui minha vida - a embrulhei.

Tantos e tantos medos em relação a tudo, mas principalmente a minha filha, 7 anos e eu acredito que estou indo bem, mas ainda tem muito chão pela frente.

Voltei para o meu quarto e me deitei, precisava descansar, dormi pensando que logo Hugo vinha nos visitar e eu tinha que preparar os quartos.




Notas Finais


perdoem os erros.




hein gente, tem bb ou não tem ? (aquele suspense kkk) não deixem de comentar viu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...