1. Spirit Fanfics >
  2. Caso Proibido >
  3. Capítulo XXIII

História Caso Proibido - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Hey Guys!!! Estão lavando bem as mãos? Espero que sim! Pra não pegar Corona Vairus ok? Já faz tempo que eu não faço um PDV Isabelle kkkk e por conta disso o capítulo ficou enorme espero que não se importem. É pra não pegar Corona Vairus
Aviso: Vai ter cenas Pervertidas nesse capítulo kkkk (Ao invés de falar +18)

Capítulo 24 - Capítulo XXIII


PDV Isabelle

Estudar, estudar e estudar... Era tudo o que eu estava fazendo nessas semanas agora com mais afinco, a minha esperança era única de aprender algo e não ter que me atrasar, meu pai estava contando que eu terminasse ainda esse ano a faculdade de Economia e se eu atrasasse minha formatura por não conseguir passar nessas matérias, eu nem queria pensar, recebi algumas instruções do professor Michael mas ainda tínhamos uma outra matéria: Metodologia de Pesquisa, Elijah havia retornado e eu já sabia, minha paz de espírito havia acabado. Estava sentada em uma das carteiras agora e ele entrou na sala, percorreu seu olhar pela a sala até se encontrar com o meu, apesar de gostar de olhá-lo decidi desviar, e me concentrar: Sim. Regra Número Um, sem manter ou alimentar qualquer olhar direcionado ao Elijah sobre mim e bom eu estava me saindo bem, a aula começou ele disse que um parente seu havia morrido por isso se ausentou mas eu sabia da verdade, vantagens de ter uma "Sogrinha" que me adora. Ele perguntou em que assunto Michael tinha parado e um aluno nerd da turma respondeu, ele disse que faria uma avaliação nessa aula e que dependendo do rendimento da sala em geral logo haveria um teste pois caso contrário se atrasaria no cronograma, bufei com isso, ele curtindo na Itália e a gente pagando o pato

Regra Número Dois, em hipótese alguma olhar para a bunda do Elijah, essa foi uma das regras que me alto estabeleci, sim gente eu sou tarada por bundas, adoro homens que tem bunda gostosa e o Elijah Infelizmente tem essa sorte, principalmente quando veste essa calça social preta sob medida dele, isso realça demais a bunda dele e minha mania era ficar parando para olhá-la na aula, isso não aconteceria mais: Foco Isabelle, Foco!

Olhei conforme ele escrevia no quadro com o Giz e quando me pegava na vontade de olhar rapidamente voltava minha atenção para a apostila, então ele nos deu tempo, tempo para começarmos a escrever nossas respostas, e bom... Olhei as perguntas e vi que pela primeira vez eu tinha alguma chance nisso tudo, comecei a catar do fundo do meu cérebro as informações contidas e isso resolveu metade da avaliação o resto, eu já havia me perdido mas isso era bom em relação as semanas passadas, bastava eu continuar no meu foco, continuei tentando mesmo sabendo que estariam erradas e dessa vez senti que alguém estava me olhando, e eu estava certa Elijah estava sentado em sua mesa me encarando enquanto os outros alunos estavam focados em sua avaliação, ele me olhava com um olhar que não conseguia decifrar mas então ele fez algo que fez meu corpo estremecer, sem querer ele passou a língua selando os lábios e deu uma mordidinha, oh céus espero que depois da baita briga que tivemos sobre não termos recaídas ele esteja flertando comigo, ou tentando me seduzir porque se for é muita cara de pau e eu não irei ceder dessa vez. Regra Número três: Evitar pensamentos impuros. Desde a minha última transa com o Stefan só estou vivendo para os livros, nem sei mais absolutamente nada que se passa na minha casa, abraço e beijo o Max, mas subo direto pro meu quarto sem olhar para trás, tomo banho belisco algo na cozinha, volto e estudo até pegar no sono e acordar no outro dia com o barulho do despertador outra vez, então eu estava muito propensa a pensar em algo assim, na verdade eu estava muito propensa a ficar excitada com aquele simples gesto dele então ao invés de deixar minha mente vagar como no começo a como seria eu fodendo com ele resolvi me concentrar absolutamente, e isso deu certo até a aula acabar ele ter que recolher nossas avaliações. Regra Número quatro, nada de Contato corporal, uma coisa que sempre me fazia reagir a seus estímulos era o simples contato de pele que eu e ele tínhamos, só isso já bastava para meu corpo reagir ele, e pegar fogo então sem esse tipo de contato tudo seria muito mais fácil. Na verdade me peguei esses dias indignada do efeito que o Elijah tem sobre mim, de uma garota normal fiquei  semelhante a uma alcoólica do AA fazendo uma lista com doze passos para sair do vício que no meu caso era ele, isso me deu mais razões para querer se libertar.

Mais alguns dias passaram e bom para a minha sorte eu teria a oportunidade de ver outras pessoas que não fossem as da minha turma, para o meu azar eu teria minha família, a família Mikaelson, mas várias pessoas falando  comemorando a mais nova conquista da empresa europeia e sim eu teria que ir, teria que ir porque eu era a namorada "Noiva" do Stefan e ele seria o responsável por fazer o discurso principal então eu teria que ir, todos os outros da família Mikaelson também poderiam ir marcar sua presença.

- O lado bom dessas festas é que posso beber... (Fala Alec ajeitando o seu palitó)

- O Lado bom é que tenho algo pra fazer exceto estudar mas de resto tem a mesma carga que ficar na faculdade. (Falei dando de ombros)

- Espero que não seja muito demorado o discurso do Stefan, é uma festa não uma palestra. A propósito vai com ele de novo?

- Fazer o que não é... Sou a noiva dele preciso estar com ele do início até o fim do evento só espero que ele não crie raízes e queira ficar lá ou eu estarei morta... (Falei revirando os olhos)

Eu gostava muito da companhia do Stefan mas nessas festas dada pela Mikaelson vários sócios ficavam conversando com ele e falando o quão linda e espetacular eu sou, é entediante e chato e o pior é que Stefan aparentemente se esquece que estou ao seu lado e não se dá conta, e eu fico lá esperando. Mas ele é muito delicado e me pergunta se eu estou bem e quero ir embora.

- Já deveria ter se acostumado... Já estão até transando...

- Alec!

- Que foi? Não é verdade?

- Sim e não! Sim, nós transamos, e não, não temos um caso, foi uma vez só e já passou.

- Ele pelo menos é bom de cama? (Pergunta Alec curioso)

De uma coisa era certa, eu e Alec éramos tão grudados e amigos que não tinhamos receio ou vergonha de perguntar sobre a vida sexual um do outro.

- Sim...

Mas eu sei quem é melhor, pelo menos ao meu gosto

- E então? Porque o receio? Se transaram uma vez vai transar novamente...

- Aí é que você se engana... Meu tesão com ele foi momentâneo, eu estava estressada e meio bêbada também não estava afim de pensar.

- Uau! Coitado! Você o usou como um brinquedo, você é muito mal maninha...

- Não... Eu não o usei... É... Quase... Mas ele gostou de ser usado, não ouvi ele reclamar!

- Talvez porque você estivesse focada em ele estar em suas entre suas pernas...

Fiquei pasma com a cara de pau do meu irmão de ter dito aquilo e fiquei mais pasma ainda de que tinha uma pitada de verdade naquilo

- Alec... Vai tomar no

- Isabelle O Stefan já chegou. (Avisa minha mãe)

- E o Max? Ele já se arrumou?

- Ele não vai conosco hoje. (Falou meu pai)

- Por que não?

- Essas festas acabam muito tarde e não tem nada para crianças, ele não tem ninguém da idade dele para brincar ou conversar fora que quando pega no sono eu e sua mãe temos que ir embora mais cedo para levá-lo para casa.

- Mas nós não temos mais alguém de confiança aqui em Londres!

Quando estávamos em Nova York e precisávamos sair ligavamos para Simon, meu amigo amava passar o tempo com o Max os dois se divertiam muito por serem nerds e homens, então era muito mais fácil fora que Simon quase nunca saía de casa e os dois viraram amigos então não virou mais um problema

- Ah quanto a isso não se preocupe! Sua mãe ligou para a Clarissa hoje e ela disse que ficaria em casa, disse que cuidaria dele sem problemas e já o levamos enquanto você se arrumava.

Oh Céus... Meu pobre Max meu menino, meu amor, nas mãos daquela ruiva desmiolada? Só daria encrenca! Como se lêsse meus pensamentos Alec deu uma risadinha sátira...

- Pelo menos o Simon era nerd... Agora com a Clary pode esperar ele falando no minimo uns dez palavrões... (Disse no meu ouvido)

Alec sabia o quão apegada eu era ao Maxwell, tentava cuidar dele como um filho e ele sabia a amiga que eu tinha, as vezes tinha vontade de bater no meu irmão por sempre ser observador e por isso sempre estar certo..

💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜

Entrei no carro com o Stefan e como sempre o mesmo foi cavalheiro comigo e me elogiando ao máximo, é claro, sem contar com o seu charme, fomos então recebidos por paparazzis que faziam perguntas de quando ia ser o casamento se já tínhamos marcado, se pensávamos em ter filhos, poderia responder muito bem: Nunca, porque não estamos noivando de verdade. Mas não poderia fazer isso então me contentei em ficar calada, dar um sorrisinho para as câmeras e acenar como se eu fosse da realeza, Stefan também mantinha seu semblante cordial entre as câmeras e caminhamos para dentro e como eu imaginei tudo novamente havia começado, os sócios o cumprimentavam, Stefan como sempre muito simpático tentava dar atenção a todos, os mesmos sempre me olhavam descaradamente me secando com os olhos e dizendo o quão linda eu era, Stefan concordava timidamente mas por serem investidores não poderia dar o luxo de ser indelicado mesmo vendo o quão indiscreto eles eram em relação ao me olhar, vi que a única forma de manter esses arbutres afastados era fazer de conta que eu era incrivelmente apaixonada pelo o Stefan e o primeiro passo era manter mais contato, eu sabia que precisava fingir mas eu só mantinha o contato corporal com o Stefan quando realmente era mesmo necessário só que eu não aguentava mais a indiscrição desses babacas engravatados e decidi que como eu e o Stefan já tínhamos uma certa intimidade não era tão ruim tocar em sua pele então o abracei agarrando seu corpo pela lateral e ele me deu um beijo em minha cabeça, subi meu corpo e então sinalizei para que ele me beijasse e ele o fez, fazendo assim os sócios ficarem envergonhados e pararem um pouco com suas atitudes, esse era o segredo, mostrar a aqueles otários que o Stefan me tinha e eles não, só assim parariam, Giuseppe e Lily foram se arrumando em seus lugares e chamou o Stefan, os dois iam repassar rapidamente o momento em que Stefan iria entrar, vi meu pai minha mãe e meu irmão se sentando logo a frente e por fim vejo Rebekah adentrando com seu namorado de mãos dadas, ao fundo tinha Mikael e Esther seus pais, ela logo me cumprimenta e não precisa nem dizer que ela cheirava bem para caramba, realmente em outra encarnação eu viro lésbica, ela estava muito bonita com seus cabelos em cachos naturais, eram mais bonitos assim do que lisos na chapinha

- Você fica linda de cabelos cacheados sabia?

- Obrigado Izzy... Vou falar com o pessoal!

Marcellus me cumprimentou também seu sotaque francês como sempre um grande charme, cumprimentei Mikael e Esther por fim faltava alguém, e ele havia chegado: Elijah e sua esposa Hayley, os dois chegaram de mãos dadas mas pelo o olhar dele vi que ele estava bem distante e tenso, Hayley parecia estar um pouco distante dele e isso me intrigou, como um casal recém chegado de viagem já está brigado um com o outro? Ótimo Isabelle, isso não é da sua conta! Os dois vêm até mim e como são bem educados me cumprimentam, e então me vejo quebrando minha regra Número quatro, nada de contato corporal, esse simples aperto de mãos já fez com que ele apertasse por mais tempo que deveria sinalizando algo que eu não queria ver, me soltei dele rapidamente e voltei para Stefan e sorri... Ah... A vingança é plena... É plena mesma, eu estava plena porque eu estava com o Stefan e o Elijah estava bem ali observando tudo. O pensamento em minha cabeça logo veio com força: É hoje que ele paga todo mal que ele me fez

 Stefan me pegou pela cintura e começou a fazer carícias em meu rosto em meus cabelos e me deu beijinhos na bochecha, vi um Elijah com olhares nada agradáveis para seu irmão e então ele saiu, parece que havia se casado de nos ver e eu até que não tinha culpa porque tínhamos que fingir mas pela primeira vez tive o gostinho de vê-lo olhando.

Entre conversas e mais conversas, Giuseppe sinalizou ao filho de que deveria se preparar, então eu vi a chegada de Hayley na frente e atrás Elijah e Niklaus acompanhado de uma ruiva cujo nome eu não sabia, a mesa que ficava eu e Stefan ficava na frente da de Hayley e Elijah não me pergunte como isso aconteceu, ao lado tinhamos Niklaus e a sua ruiva, e do lado da mesa deles tínhamos Marcel e Rebekah em seguida o restante dos convidados percebi que atrás da mesa do Elijah estava meu pai e minha mãe e atrás e do lado deles estava meu irmão Alec que no momento estava sozinho mas logo um uma loirinha de cabelos curtos sentou se ao lado dele, a menina de tinha cabos tão loiros que chegava a serem brancos, logo então um outro jovem de cabelos tão loiros quanto o dela só que eram mais amarelos e  maiores e olhos azuis chegou ao recinto, ele olhou para Alec com um olhar estranho ao meu ver e se sentou ao lado da mesa deles. Desviei minha atenção para eles e então Stefan começou o seu discurso, Stefan era muito inteligente e dedicado o problema que seu amor por números já estava distraindo o público do foco principal e me fazendo revirar os olhos de tédio, eu não podia fazer isso mas nem eu sou imune a chatice de alguém falando falando sem parar, tomei uma taça de champanhe, e comecei a ficar inquieta sabia que se eu continuasse a ouvir aquilo iria dormir sentada então me levantei discretamente, sei que alguns sócios deveriam estar me olhando mas eu não estava nem aí, eles é que prestassem atenção no discurso não eu, percebi que o salão de festas tinha uma porta de junto dos banheiros, abri meio curiosa e percebi que era uma saída nos fundos e então minha mente pairou em uma raiva enorme. Se o salão de eventos da Mikaelson Business tinha entrada para os fundos esse tempo todo, porque eu tinha que enfrentar flashes e paparazzis o tempo todo? Argh!!! Que vontade de bater no filho da puta que fez isso, aproveitei um tempo para ficar só aquele discurso estava um tédio e depois eu comentaria isso com o Stefan, encostei a cabeça na parede e senti o frescor da noite, foi até bom para me libertar daquele clima quente de lá, fecho meus olhos e relaxo um pouco, logo então escuto um barulho na porta, parece que alguém está entrando, já que estava entreaberta, abri os olhos rapidamente e então a pessoa aparece: Droga Elijah, o que ele faz aqui?

Olhei para ele com um rosto estranho, era impressão minha ou ele estava me seguindo? Não... Não podia ser coincidência. Fiquei por um momento ali pensando em ignorar sua presença mas mesmo assim não funcionou porque ele começou falando algo que me fez arregalar os olhos na hora

- Me desculpe Izzy...

Droga, aquela voz rouca dele e máscula ainda iria me matar, continuei de olhos fechados lembra da minha primeira regra? Evite contato visual, e eu estava fazendo isso quanto menos eu olhasse para o Elijah menos eu seria compelida pelo o seu olhar obscuro e selvagem de desejo

- Eu sei... Que te tratei como deveria... Você é tão... Tão... Linda... Magnífica... E com uma áurea esplêndida, não deveria fazer o que fiz.

- Mas eu estava desesperado sabe? Meu casamento estava todo indo por água baixo e desde quando eu bati os olhos em você, você plugou na minha mente....

Eu continuei em silêncio e sem olhar estava tentando manter minhas emoções sob controle, Izzy não ceda, senti seu perfume mais próximo de mim eu não podia ver mas sabia que ele estava se aproximando

- Agora vi o erro que foi ter te tratado tão mal assim....

- Isabelle olhe para mim! (Dessa vez ele já estava me tocando)

Ele pegou na minha nuca de um jeito delicado e me fez abrir os olhos

- Isabelle... (Ele sussurrou em meu ouvido)

Tá aí... Eu disse que ele ia me matar com essa voz dele

Isabelle não ceda, Isabelle não ceda, olhei para os olhos dele e com toda coragem que eu tinha perguntei

- E o que mudou?

- Eu vi que não adiantou nada... Posso não me separar da Hayley no momento mas sei que nossa relação está mudada desde que você chegou...

- E o que eu tenho a ver com isso?

- Eu quero você... Mais uma vez...

Ele então ofegou em minha nuca aparentemente estava contemplando meu cheiro

- Elijah você está se ouvindo? (Tentei manter o meu foco)

- Sim... Eu sei... Eu sou um canalha, um cachorro alguém sem coração, mas.... Isso não muda o fato de que eu te quero e te quero mais do que você imagina..

Fechei os olhos, se ele pensou que eu vou concordar com isso ele se ferrou

- Não me importa Elijah! Se você quer ou não quer...

Tentei me afastar dele mas ele segurou o meu corpo

- Você já perdeu...

Nossos rostos estava muito próximos e minha última frase saiu como um sussurro, mas isso foi o que ele precisava para avançar sobre minha boca, sim ele encostou meus lábios nos deles sem nenhuma permissão e aos poucos foi querendo aprofundar o beijo também e minhas resistências desabaram, e quando eu retribuí ele pegou em meus quadris e me prensou contra ele, nosso beijo agora já estava repleto de luxúria e desejo porque era assim que nós funcionavamos a base de provocação e desejo, era um péssimo modo de se viver com alguém mas quem pode mudar ein? Era essa diferença, Stefan não queria apenas ter um caso comigo ele queria ser algo mais e ele passava doçura em tudo o que fazia mas Elijah não, quando estava entre paredes comigo ele se tornava muito transparente, e tinha uma pegada espetacular, suas mãos inquietas e provocantes começaram a amassar meu vestido pelas as costas, meu corpo começava a esquentar com essa mão boba dele, ele então começou a inalar meu aroma no pescoço e então começou a chupá-lo com vontade só esperava que ele não deixasse marca porque estávamos no fundo de uma festa, sua mão desceu até minha bunda e apertou, soltei um gemido baixo com isso e peguei nas suas calças senti um belo volume em minhas mãos, céus ele estava pegando fogo, ele então me encostou na parede novamente e me fez suspirar com provocações em meus lábios sentia sua língua me devorar, tudo nele me devorar, e jamais eu duvidaria de sua fome por mim agora, ele não me deixava ter pausa e eu temia onde isso iria parar

- Porra Elijah...

Grunhi quando ele começou apertar meus seios e chupar a parte descoberta

Logo me bateu uma leve culpa, o Stefan estava lá fazendo o seu discurso e eu ao invés de estar assistindo estava me pegando com o irmão dele lá no fundo? Tentei afastar o Elijah de perto de mim

- Elijah eu não posso... Para...

- Não é o que o seu corpo diz... (Ele continuou a me provocar com as mãos)

- Não importa o que o meu corpo diz se eu agisse pelo o meu corpo você me tornaria uma máquina de sexo...

- Essa ideia é muito boa sabia? (Ele piscou descaradamente)

- É sério Elijah... (Com suas mãos massageando minhas partes embaixo por cima do vestido achei que eu estava gemendo mais do que pedindo)

- Deixa eu só checar uma coisa...

Ele então sobe meu vestido e eu sinto o frescor da noite sob minhas pernas, quando eu penso em reclamar ele então adentra seus dedos ágeis sobre minha vagina me fazendo tremer

- Oh céus... (Reviro os olhos)

- Senti saudades de sentir isso em você... (Ele fala enquanto provoca minha intimidade e sussurra em meu ouvido)

Eu estou a dias sem sexo, aí vem o Elijah com uma mão dessa na minha vagina... Ah por favor...

- Me diz agora... Isabelle... Você quer que eu pare? (Ele fala enquanto agiliza mais seus movimentos)

Fechei meus olhos o que aconteceu com o Elijah merda? Ele está louco!

- Você...é.. lou...co.. (tentei falar)

- Você fez isso comigo... (Ele mexe sua mãos sobre meu clitóris mais forte)

- Fala pra mim..... (Ele então desestimula mais forçando seus movimentos mais ficarem mais lentos)

- Me quer ou não?

Eu não respondo e ele para seus movimentos me deixando com raiva

- Olhe nos meus olhos Isabelle...

Eu abro os olhos para ele e então ele começa lentamente novamente

Mas mesmo com ele ali querendo me dar prazer e me pedindo desculpas eu ainda tinha muita raiva dele e mais raiva ainda por ele está me provocando

- Desgraçado...

Ele sorri de lado

- Eu não te perguntei isso...

- Cretino..

Dou um tapa nele mas cá entre nós não saiu com tanta força, mas acho que ele entendeu errado o meu gesto de raiva já que avançou em cima de mim com mais fúria ainda, um beijo ainda mais intenso do que o outro.

- Quer descontar sua raiva? (Ele falou ao se separar de mim)

- Então eu te darei motivos para me bater..

Eu não entendi ao certo só sei que olhando em seus olhos eu vi que ele queria fazer algo nada bonito, quando me vi ele desabotoou sua calça

- O que está fazendo...

Foi rápido, tão rápido que ele já estava me pegando e me colocando em seu colo

- Elijah seu... (Ele desceu minha calcinha)

Quando eu menos espero seu pênis está me provocando

- Agora me xingue...

Ele continuou roçando seu membro ereto sobre meu clitóris, e apertando minhas pernas com força, nessa altura eu já estava muito doida mesmo de tesão

Ele continuava a apertar minha perna com força enquanto me prensava na parede ele desceu minha alças do meu vestido com uma mão e então começou a chupar meu seio, ele me beijou novamente

- Estamos ficando muito tempo longe da festa... Logo irão nos procurar... Então você tem duas respostas pra mim dar: Ou termina isso logo...

Eu já sabia o que ele queria dizer mas nessa altura quem não queria que parasse era eu

- Termine logo com isso seu cretino! (Sussurrei)

- Gosto de ouvir você falando palavras sujas... Isso me atrai... (Ele então logo adentrou em mim)

Ele deu uma estocada forte em provocação

- Me xingue... (Ele ordenou)

Ele deu mais outra me provocando

- Solte sua raiva...

Ele me deu mais outra

- Argh... Cachorro!

Ele deu um riso de lado e seus olhos ficaram ainda mais obscuros nunca tinha visto Elijah desse jeito

- Continue... (Ele fez)

Me atingindo mais fundo enquanto me penetrava

- Filho da puta!

Ele me deu um tapa na minha perna

- Corno desgraçado.. aahh..

Se algum tempo atrás me dissessem que eu estaria transando com um homem casado e meu professor, atrás de uma festa repleta de gente e com um noivo falso discursando eu ia internar essa pessoa no hospício mas se o pior disso tudo fosse eu estar transando num beco escuro enquanto xingava e gemia um nome de um cara, essa pessoa estaria na quinta geração da cocaína.

- Oh você me traiu? (Ele disse meio rouco)

Não quis responder nós não tínhamos nada mesmo, ele riu novamente

- Diga-me (E continuou me provocando)

- Sim... Ahh Você é...

Não podíamos demorar então sem pretexto ou enrolação, eu sabia que iria gozar logo porque meu estado me denunciava muito, então ele me segurou forte e me penetrou rápido, senti nossas testas soarem, e aquele membro grosso entrar e sair de mim novamente me senti como a primeira vez só que dessa vez meu corpo tremia porque eu estava muito excitada e eu só queria que minha mente se deixasse levar.

- Então ainda lhe castigarei por isso

🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤

Quando terminarmos eu e Elijah respiramos ofegante, ele ainda deu selinhos na minha nuca, e eu estava mole, bem mole não podia e nem queria sair dali tão cedo, mas vozes me chamaram atenção

- Isabelle?

Alguém me chamava ao longe e percebi que era a voz do Stefan, tentei ouvi mais e percebi que não só tinha ele, minha mãe também estava me procurando

- Ela saiu do discurso já faz muito tempo Maryse acho que ela foi embora... (Ouvi a voz dele dizer)

- Ela não pode embora, ela sabe disso! (Falou minha mãe)

- Será que ela passou mal? (Falou Stefan)

Ah droga eu estava fodida agora literalmente

Elijah percebeu as vozes e me deixou calmamente no chão, coloquei minha calcinha e abaixei meu vestido, eu ainda estava com as pernas bambas mal conseguia andar, Elijah dava uma risadinha de lado ao ver minha situação enquanto fechava suas calças e eu mostrei o dedo do meio para ele, fui para de junto da porta e ouvi as vozes se dissipar, entreabri e vi minha mãe e Stefan dando as costas essa era a minha chance de entrar no banheiro e me ajeitar. E quando eu fiz isso, retoquei meu batom e tentei ao máximo ajeitar meus cabelos, e ajeitar meu vestido quando me vi um pouco ajustada, voltei pra festa e então vi meu pai falando com os sócios, meu irmão continuava entretido só que dessa vez com a loira e o loiro que estava sentado perto dele e então eu me aproximei como não quem não quer nada e Robert pediu licença aos sócios e veio falar comigo

- Isabelle! Aonde você estava?

- Eu... Eu... Fui tomar um ar...

- Que ar foi esse que você tomou que te fez perder quase metade do discurso do Stefan? Por sua causa Stefan e sua mãe estão te procurando a todo vapor pela a festa e os sócios estão estranhando..

- Eu...

Logo então vejo duas faces se aproximando de mim, Stefan e minha mãe possivelmente acharam que eu fui embora e desistiram de me procurar

- Oh Céus... Izzy... Pensei que estivesse ido embora (Fala Stefan)

- O que houve Isabelle? Você parece tão cansada...

Eu revirei os olhos... Magina Stefan...

- Eu não estava passando bem Stefan... Fui tomar um ar

- Mas te procuramos pela a festa toda! ( Reclamou minha mãe)

- Por que não me disso isso antes? Te levaria para casa.

- E atrapalhar seu discurso? Não...

Minha pernas estavam tão moles que eu nem sabia como estava me equilibrando no salto

- Acho que já vou indo... (Falei)

- Isabelle! Você já fez desfeita demais com o Stefan saindo no meio do discurso agora fique com ele. (Falou Minha mãe)

- Não tudo bem Maryse, eu a levo para casa.

- Não não precisa... O Alec me leva...

Olhei para Alec que agora olhava para mim, mesmo tão entretido ele já sabia que eu tinha sumido e o seu rosto me encarando era a prova viva de que ele sabia.

Fui até o Alec e então me aproximei dele

- Izzy? O que foi? Tudo bem?

- Quero ir pra casa, você pode me levar ou está bem aí?

- Não... Não eu te levo... Antes quero que conheça, Sabrina e seu irmão Jamie Spellman.

Vi Sabrina, tinha cabelos muito loiros, boca vermelha e traços delicados, era muito bonita e tinha voz de criança, ela me cumprimentou com seu sorriso simpático e depois vi um loiro também com olhos azuis cabelos médios e encarando, ele tinha muita pose de Bad Boy mas Aquele jeitinho meio estranho, podia apostar que esse cara era bi, Ele me cumprimentou

- Essa é minha irmã Isabelle. (Falou Alec)

- Ah... A noiva do Stefan... Vocês são muito lindos juntos sabia?

Ela então olhou para Alec com os olhos brilhantes céus eu tinha certeza a Sabrina estava afim do meu irmão.

- Bom... Eu vou indo ok? Muito bom conhecer vocês família Spellman.

Os irmãos Spellman se despediram formalmente e a Sabrina trocou seu número de telefone com Alec, assim que ambos saíram eu olhei Alec com um rosto malicioso

- Parece que a Sabrina gostou de você...

- É... Ela é legal... (Falou ele dando de ombros)

- Ela é linda vai... E tá na hora de você dar uma namoradinha Alec...

- Como você deu agora pouco enquanto o Stefan fazia o discurso?


Notas Finais


O bicho pegou. Tchau! Deixem comentários do que vocês acham que vão rolar, será que a Izzy abre o jogo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...