1. Spirit Fanfics >
  2. Caso Proibido >
  3. Capítulo XXVI

História Caso Proibido - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Olha quem voltou amore mios!!
Cuidado com o Corona Vairus kkkkkk
Hoje terão cenas pervertidas kkkkk
Espero que apreciem
Vey esses últimos capítulos que eu venho revisando tá pela graça ein? Sou uma pervertida mesmo

Capítulo 27 - Capítulo XXVI


Fanfic / Fanfiction Caso Proibido - Capítulo 27 - Capítulo XXVI

PDV Rebekah

- Está disposto a matar minhas curiosidades?

Foi a última frase que disse ao Niklaus e esperava atentamente por sua resposta mas o celular dele teve que tocar nesse exato momento, quase dou um gritinho em raiva

- Alô?

- É... Precisei dar uma saidinha para resolver alguns problemas...

- Estarei de volta, não se preocupe!

- Quem é? (Sussurrei mas algo dentro de mim já sabia quem era)

- É Aurora.. (Ele respondeu num sussurro)

- A Rebekah... Bom... Diga ao Marcel que Vou procurá-la!

Ele então desligou o telefone

- De novo essa piranha? Céus...

- E adivinha só? Seu namorado está te procurando e perguntando de você. (Falou ele ironia)

Revirei os olhos, Péssima hora Marcellus!

- Não quero você com aquela ruiva!

- E eu não quero você com o Marcel!

- Sério isso? Você nem me respondeu o que eu perguntei!

- E você sabe exatamente a resposta, se você se sentir segura e querer nós vamos fazer o que você quiser, mas não farei enquanto você tiver desfilando com o Marcel pelos os cantos.

Fechei os olhos, eu sentiria muita pena dele mas seria necessário

- Eu irei terminar com ele! Só não sei como... Mas vou.

- É muito fácil terminar com alguém Rebekah, é só dizer que não quer mais ele na sua vida. (falou ele como se fosse óbvio)

- Você não tem coração não é Niklaus? O Marcel apesar de tudo é um ótimo homem, ele não merece isso.

- Não sinto pena de quem quer o que é meu. (ele disse fazendo aquele biquinho)

Confesso que amo o biquinho do Niklaus

- E quem disse que eu sou sua? Vamos apenas fazer um experimento Nik. Não ponha a carroça na frente dos bois.

- Oh... Então quer dizer que você quer apenas me usar e nada mais? Pois irei mostrar que você é minha!

Ele então me pegou novamente pela a cintura de modo possessivo e me beijou, seus lábios brincaram com os meus e logo sua língua invadiu minha boca e tomou o controle, ele fez movimentos deliciosos me fazendo brigar com ele pelo o controle mas como se conhecesse todos os meus pontos ele sugou minha língua de modo delicioso me fazendo gemer. Nós ofegamos e ele disse de modo sensual em meu ouvido

- Irei fazer você querer ser unicamente e exclusivamente minha..

Então ele saiu da sala, e eu respirei umas três vezes antes de sair da sala e voltar para a festa.

Assim que cheguei na festa vi Niklaus e Aurora conversando entre si, a ruiva estava levemente irritada por ter sido deixada por tanto tempo sozinha e eu só podia rir da cara dela: Enquanto você esperava, ele estava me fazendo um belo oral sua biscate!

- Rebekah onde você esteve? Estava preocupado!

O rosto do Marcel veio até mim e logo a culpa também me bateu, ele era tão bom para mim e eu querendo transar com o meu primo, mas eu também queria que ele fosse feliz e se eu não seria responsável por isso deveria deixá-lo livre para outra fazer

- Marcel precisamos conversar!

Eu peguei em suas mãos e o levei para um lugar mais calmo sendo seguida pelo o olhar de Klaus sobre mim, mas ele possivelmente já sabia o que eu iria fazer

- Desculpa Rebekah.

Me espantei

- Marcel...

- Não Rebekah Você tem razão! Eu fui muito infantil. A partir de agora não me meterei em sua relação com o Klaus, prometo!

- Mas o que você está falando...

- Olha, Por favor... Eu não consigo ficar brigado com você, a minha maior alegria foi quando você me pediu para fazer as pazes comigo, então eu enfrentarei o ciúmes do Klaus se for preciso.

Ah droga! Fechei os olhos! Eu estava encrencada, estava completamente ferrada, terminar com o Marcellus ia ser mais difícil do que eu pensei

- Marcel... Eu não acho que será bom nós continuarmos... Eu só irei te machucar!

Céus! Santo Anjo! Me dá uma Luz!

- Por favor Rebekah Não diz isso, eu não posso perder você, me dá uma chance!

- Marcellus Não...

- Rebekah, EU sou apaixonado por você! Farei de tudo para manter esse vínculo entre nós não me deixe dessa maneira.

Marcel não aceitaria esse términeo e aos poucos eu precisava mostrar para ele que seria o melhor a se fazer, mesmo que eu relutasse ele não iria desistir, então apenas desviei sem saber muito bem o que fazer.

- Vou tentar... Mas não peça nada de mim!

Ele deu um sorrisinho para mim e tentou me beijar mas eu desviei e então ele me deu um selinho no rosto

- Quero ir para casa!

💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜💜

Entrei em casa e tomei um banho, um longo banho porque agora eu estava entrando em um jogo perigoso, eu queria Niklaus mas tinha o Marcel, não tinha coragem de ser Cem por cento firme com ele, eu gostava dele apesar de tudo, me sentia fraca, covarde, mas eu não queria machucar ninguém, mas também não queria viver um relacionamento sem prazer, decidi que não iria contar nada sobre mim e o Marcel para o Klaus, ele ficaria furioso se soubesse sim, mas da fúria do Klaus eu posso cuidar eu acho, agora só precisava manter o Marcellus afastado de mim uma hora ele iria se cansar com certeza e iria desistir, só esperava que eu não estivesse me precipitando.

Acordei num belo domingo de manhã, tomei café e dei bom dia aos meus pais, resolvi que iria me organizar para as aulas na semana que vem, e depois disso eu não sabia o que fazer, tinha um dia inteiro livre pela frente mas não sabia como aproveitá-lo, decidi então ir na academia pelo menos gastaria algumas energias malhando, ao chegar lá subi o andar e é claro por estar cedo  aquela parte estava vazia, não sabia o que faria ali, então comecei a me alongar apenas e bater no saco de boxe que tinha por ali. Alguns minutos e vejo então passos largos subindo em direção a aquele lugar, não sabia quem era e duvidava ser algum professor eles não davam aulas de Jiu-jitsu aos sábados, quando a figura se mostrou mais vi e era o Niklaus

- Nik?

Ele olhou para mim com um certo espanto

- Bekah? O que faz aqui?

- Pergunto o mesmo.

- Mas eu perguntei Primeiro! (Ele deu um sorriso de lado)

- Tinha um domingo livre e vim para cá para não ficar sem fazer nada em casa, agora me responde.

- Eu vim aqui porque sempre venho treinar com Tristan nesse horário, por não ter aulas hoje essa parte daqui sempre fica vazia.

- E cadê ele?

Pergunto ao constatar que ele não estava

- Ainda não chegou!

- E você vai fazer o quê?

- Oras... Me trocar. Depois me aquecer.

E então ele foi para o vestiário masculino e minutos depois chegou com seu vestido com seu Kimono azul

- Não vai treinar? (Ele disse me encarando)

- Não... Tô enferrujada.

- Mais um motivo para você treinar!

- Ah por favor Nik! Nem lembro mais de nada do que você me ensinou.

Bom aquilo não era cem por cento verdadeiro eu lembrava sim, só que não sabia mais realizá-los com a mesma perfeição, só que é claro eu estava com preguiça e gente preguiçosa sempre faz de tudo para não pegar no pesado.

- Então acho que vou ligar para Aurora quem sabe ela não te ajuda? (Disse em uma piscada)

Com certeza ele estava falando aquilo para me provocar

- Você não é nem maluco Klaus Mikaelson! (Falei semicerrada)

- Bom... Quando ela estava aqui você se empolgou em treinar..

- Aquilo foi diferente ok?

- Talvez... (Ele se aproximou de mim)

- Ou talvez você estivesse com ciúmes...

Nós nos olhamos, ele sabia como me provocar, e dessa vez eu não aguentei suas provocações e seu olhar selvagem sob mim e o puxei pela nuca o beijando, ele prontamente correspondeu e me prendeu em seus braços, os nossos beijos eram tão bons não sei como eu não o beijei antes parecia que ele conhecia cada pedacinho do meu ser, até o que eu gostava ou não no beijo, logo então sinto minhas costas indo contra o chão, olho para o lado sem entender e vejo que estou no chão coberto pelo o tatâme, o desgraçado havia me derrubado e confesso que se ele não tivesse segurado meu braço a queda seria bem mais dolorosa, ele então subiu em cima de mim com um olhar malicioso

- O Tristan parece que não vem hoje então você será minha cobaia.

- Niklaus isso não é justo! Eu não vou lutar com você.

- Oh Claro eu também não irei... Mas irei te relembrar o que você diz ter esquecido.

Eu não estava de Kimono então era bem fácil as mãos dele passearem pelo o meu corpo e como eu previ minhas roupas coladas pretas de academia deram com facilidade a ele essa abertura, quando menos espero ele então adentra sua mão em baixo de mim e faz carícias sobre meu órgão íntimo por cima da calcinha

- Nik... Isso não vale...

- Shhh Eu sou seu professor agora.

Ele então acaricia ainda mais minha intimidade de modo lenta e provocante, e então começa a deixar beijos no meu pescoço.

- Oh Céus... Alguém pode ver..

- Ninguém sobe aqui pra cima além dos professores e eu.

- Eu subi.. (disse com um sorriso vitorioso)

- Mas você não é aluna e hoje não tem aula, alunos não sobem nesse andar quando não tem aulas e você já é conhecida nessa academia todos sabem que você também é a dona.

- Dona? Eu... Magina.. (Falei com os olhos fechados sentindo suas provocações)

- Sim.. Essa academia é do meu pai portanto é minha, e você é minha convidada.

Ele então sobe sua mão só que dessa vez diretamente para a minha intimidade e eu dou um gemido

- Ohww.

Ele então para, e sobe suas mãos para os meus pulsos me prendendo com uma mão em cada lado da cabeça contra o tatâme.

- Niklaus para de brincar comigo

- Não estou brincando, eu disse para você que eu sou seu professor e hoje você será minha cobaia então. Lição número um: Ou você se solta ou não vai gozar.

Então o Niklaus estava realmente me provocando, e se ele estava eu estava bem irritada. Como eu disse eu ainda lembrava das técnicas só não tinha mas tamanha perfeição, como ele estava em cima de mim aprendi que eu deveria imobilizar suas pernas, e foi isso o que eu fiz, passei minhas pernas pelo o seu quadril e apertei firme, agora eu precisava apenas de um impulso para jogar o seu corpo para o outro lado, minhas mãos estavam bem presas então eu teria que dar um jeito de rodar meu corpo para conseguir tal impulso, e foi isso o que fiz, fui girando meu corpo e usei toda minha força com ele então logo ele foi para o outro lado e eu subi em cima dele, ao invés de tentar prender a parte de cima de seu corpo pois sei onde ele tem mais força resolvi me precaver e prender suas pernas com o meu peso, mas Klaus queria me provocar e ele não desistiria até eu perder as forças e o soltasse então ele usou uma artimanha: Com suas mãos livres ele então pegou em meus seios e me puxou pela a minha camiseta

Droga, eu quase gemi com o contato, eu estava excitada e ele não estava me facilitando, ele não queria me imobilizar porque obviamente com sua força e experiência ele já teria conseguido, ele apenas queria me provocar e me fazer soltá-lo, ele então massageou meu seios me fazendo dá um gemido

- Isso... É...Ahw.. trapaça..

Ele deu um sorrisinho ainda mais malicioso, e então eu resolvi entrar no seu joguinho, se ele queria provocação ele teria, aproveitei que estava com meu peso todo sob suas pernas e subi mais um pouco em cima do seu membro, sim eu iria provocá-lo exatamente como ele estava fazendo comigo, comecei então a roçar sobre ele em movimentos provocantes e até para me aliviar também, seus olhos se fecharam e ele deu um gemidinho baixo

- Rebekah..

Eu aproveitei sua distração e prendi suas braços mesmo sabendo que ele poderia ter forças para se soltar mas prendi com toda a pressão que poderia fazer, e então beijei sua boca e brinquei com seus lábios, ele queria que eu aprofundasse o beijo mas eu não lhe dava esse gosto, apenas brincava com seus lábios e depois brinquei com seu pescoço, deixei um chupão estalado ali e sabia que ficaria marcado, percebi que seu órgão estava ganhando vida mais rápido do que eu imaginaria e isso só me incitou a me esfregar mais sobre ele, ouvi ele gemer

- Céus... Rebekah..

Resolvi parar com a provocação estava excitada demais e precisava me aliviar então fiz uma coisa bem impulsiva naquele momento: Saí de cima dele e baixei um pouco a minha leggie de ginástica, ele olhou para mim com um rosto espantado

- O que você está..

Eu não deixei ele terminar e abaixei um pouco a calça do seu Kimono só o suficiente para deixar o pênis dele para fora e assim me esfreguei sob ele levando um gemido dele comigo

- Ahhw Rebekah...

Ele entendeu o que eu queria e pegou em meus quadris, me ajudando a rebolar ainda mais sob ele, eu estava molhada e o a maneira como eu estava me esfregando sobre ele só deixava as coisas ainda mais quente, dessa vez fui o mais rápido possível buscando minha própria libertação e quando eu consegui nós dois gememos juntos, Niklaus pegou nos meus seios com certa força enquanto minha cabeça tombou para trás.

- Ahhwh

- Ohhw ohw (Senti seu líquido se esparramar sob seu quadril) e eu caí em cima dele

Nossa respiração estava bem acelerada e isso o mais próximo de uma penetração que tínhamos feito até agora e com certeza eu havia amado apesar de eu achar o pênis do Niklaus um pouco grande para mim.

Saí de cima dele e subi minhas roupas, ele me olhou com os olhos brilhantes

- O que foi?

- Você.. Não esperava que tivesse feito isso.

Eu então me abaixei e cheguei próximo ao seu rosto

- E você não deveria ter me provocado!

Eu e Klaus fomos no mesmo vestiário não tinha ninguém naquela parte de cima mesmo então eu não me importei, ele tomou um banho e logo eu tomei nós nos vestimos pelo menos ele que tinha trazido roupas eu já não estava com a mesma sorte.

- Você quer fazer algo?

- Tipo?

- Não sei... Ficar perto de mim quem sabe. (falou malicioso)

Tá aí uma coisa que tínhamos que pensar, onde nós nos encontraria? Ele morava com os pais e eu também, eu precisava achar uma saída, até porque eu não tinha nada para fazer o dia todo e eu o Klaus poderíamos aproveitar esse tempo para nos descobrir como fizemos agora pouco

- E onde? Não acho que tio Jordan e Tia Denise iria se agradar disso..

- Acho que tá na hora da gente arrumar uma casa sabia? (Ele falou em risos)

Mas até que não era uma ideia ruim, não precisaríamos comprar uma casa mas um apartamento pequeno daria certo.

- E se a gente alugasse um apartamento?

- Como? (Ele disse alheio)

- Isso, sabe para a gente se encontrar sabe? Vamos alugar um lugar, algo que ninguém vá desconfiar ou nos procurar.

Ele pareceu pensar

- Acho que tenho uma idéia.

🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤🖤

Nunca pensei que dinheiro pudesse resolver as coisas tão depressa, o Klaus me levou até uma casa que não ficava muito longe da academia após eu ter voltado para minha casa e ter trocado de roupa, a casa ficava num lugar bem calmo e sem tanto trânsito, ele disse que vinha pensando em alugar para tirar férias já que a casa era poucos metros do rio Tâmisa, eu até achava que seria um lugar pequeno mas como tudo em Londres é grandioso, a casa me pareceu quase uma mansão, sabe se lá como ele conseguiu convencer o cara a alugar no mesmo dia, e garantiu que o contrato viria também até pagou adiantado o mês e isso agilizou tudo. Nós entramos ao local e  a casa era realmente perfeita, havia uma sala ampla com sofás e TV e uma lareira embaixo, tinha uma escada em logo de frente da entrada que levava ao andar de cima e do lado da escada uma sala de jantar com um balcão que levava a cozinha, tudo era lindo, subi as escadas querendo conhecer um pouco mais e vi o primeiro quarto ele era enorme, só que assim que você entrava ficava de frente com uma varanda, andei alguns passos em direção a ele tinha uma vista incrível da ponte e do rio Tâmisa de Londres, o pôr do sol visto dali era incrível, então tinha uma porta de correr que era o closet e do lado dessa porta havia a do banheiro que tinha uma jaccuzi Maravilhosa e grande com uma pia grande de frente

- Muito lindo né?

A voz do Klaus quase me assustou

- Sim muito!

Ele olhou para a vista e eu também, ficamos encantados com aquela espécie de varanda

- Para uma casa desse padrão você conseguiu muito rápido

- Dinheiro resolve muitos problemas minha querida e o nome da nossa família também.

- Achei que queríamos discrição a respeito disso!

- E teremos! Ele não vai contar nada paguei a ele muito bem por isso, só apenas usei o sobrenome para facilitar as coisas.

Olhei para ele e nós apenas nos olhamos era incrível como do nada nós simplesmente paramos e olhamos para si como se não existisse mais nada além de nós dois

- Agora podemos vir aqui quando quisermos e fazermos o que quisermos.

Ele deu seu sorriso, que era o mais lindo dos sorrisos e que eu me sentia tão encantada

- Acho que você precisa me ensinar algumas coisas...

Falei me aproximando de seu corpo e colocando seus braços em seu corpo

- Olha nós vamos com calma ok? Não quero que faça nada que se arrependa.

E novamente vi aquele olhar de segurança e confiança, um olhar que só ele me transmitia

- E é por isso que eu sei que você é o cara certo para isso.


Notas Finais


U.U KKKKKK
Ela esfrega a perereca tipo gênio do Aladim kkkkkk (Só me lembrei disso depois que revisei o Hot ) #Lambasaia


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...