1. Spirit Fanfics >
  2. Casos de uma jovem >
  3. Capítulo quarenta e nove

História Casos de uma jovem - Capítulo 49


Escrita por:


Notas do Autor


Boa tarde!

Capítulo 49 - Capítulo quarenta e nove


Gus on

Hoje, eu acordei mais cedo que de costume. Hoje é o dia que minhas meninas finalmente vão para a casa delas, depois de ter que ficar aqui um mês a mais que o planejado pelo fato da bebê ter gripado.

Estou ansioso e apreensivo!

Sabe depois daquele encontro com o Samuel onde o fiz sem querer acreditar que fossemos uma família, uma dúvida se instalou em mim e se eu tiver feito a pior merda pensando que estava as protegendo?!

Reparei nos primeiros dias após vê-lo que inconscientemente quando saímos a Mari sempre olhava para os lados como se procurasse algo e que ela tinha voltado a sonhar com ele.

Isso começou a me preocupar quando em uma noite a peguei chorando por ele e se culpando por ainda ama-ló. Fiquei com medo de sua depressão voltar e decidi conversar com nossos amigos sobre o que tinha rolado.

Todos me recomedaram a contar o que tinha acontecido, mas tive receio dela ficar chateada comigo e deixei as coisas como estavam. Contudo, não posso mais omitir depois do que o Fê me contou.

Não posso deixar ela voltar para nossa cidade sem saber o que fiz e que ele agora mora lá.

Se disser que não estou preocupado com sua reação estarei mentindo, mas me entendam, minha preocupação não é dela não querer mais minha amizade e sim, dela não querer mais voltar para casa por saber que tem o risco deles se encontrarem.

- O que você tanto pensa que estou te chamando a horas e você não nota?

Levo um choque ao finalmente nota-la pronta para partimos e com um lindo sorriso nos lábios. Não dá mais para protelar.

- Marília, preciso te contar algo!

Ela me olha apreensiva e se senta a minha frente na mesa, posso ver sua mente tentando achar o que está acontecendo e o exato momento que uma sombra negra passar por seu semblante.

Ela fica em silêncio me encarrando e esperando eu tomar coragem para falar o que quero. Por isso sempre a admirei , ela é daquele tipo de pessoa que pode está morrendo de curiosidade, mas que mesmo assim vai esperar seu tempo de falar.

- Você lembra aquele dia que fomos nos encontrar com seus amigos e que viu o Samuel? Então, enquanto vocês estavam conversando na lanchonete...Eu e ele conversamos.  Deixei ele pegar a bebê e pensar que somos uma família ! Me desculpe! Eu só queira mostrar para ele que vocês estão bem sem ele! Sinto muito!

Abaixo a cabeça e fico queito esperando a explosão que certamente virá. Entretanto, me surpreendo a ouvi-la e a olho sem entender.

- Aí, Gus ! Eu já sabia ! Kkk Eu vi a hora que ele a ti devolveu e saiu apressado.

- Você não está chateada?

- Claro que estou e se disse-se o contrário estaria contando uma grande mentira. Contudo, eu te entendo e se fosse eu no seu lugar, agiria da mesma forma. Nós já passamos um bando de coisas desde que nos conhecemos e sei que todos vocês tem medo de eu entrar novamente em depressão, mas vocês tem que entender que eu amadurece e me fortalece com tudo que aconteceu. Sim, foi um banque revê-lo e perceber que o que sinto por ele ainda está vivo, mas já esperava por isso e vocês já sabiam disso. A única coisa que realmente me deixou chateda foi que vocês não tiveram coragem de me contar que o Samuel está morando em Vienoplis . O que vocês pensaram que eu iria fazer?

- Quem te contou?! Mari, entenda só estávamos preocupados.

- Minha tia. Pelo menos, ela confiou em mim. Sei que estão preocupados, mas não tinham o direito de esconder isso de mim. No começo até pensei que você não tinha me contado para não ter que admitir que tinha me escondido algo e só depois que refletir melhor que entendi. Vocês estavam com medo de eu deixar o que tinha planejado para ficar aqui na minha zona de conforto. Vocês se esqueceram que sou mais que uma mulher que entro em depressão após ser deixada e humilhada. Sinceramente, estou decepcionada com vocês.

Após dizer suas últimas palavras, se levantou e foi para o quarto sem me deixar falar. Sei que de forma indireta acabamos de destruir a confiança que ela tinha readquirido e isso me destruiu.

Agora, tenho minha resposta. Eu realmente fiz uma enorme merda.

Gus off

Mari on

Sei que peguei muito pesado com o Gustavo e que todos os outros também concordaram em me esconder que o Sam agora é um morador da minha cidade Natal.

Mas entendam, estou cansada deles me tratarem com uma bonequinha de porcelana que pode se quebrar a qualquer momento.

Sim, entrei em depressão profunda, mas consegui sair dela e recuperar um pouco da minha autoconfiança, justamente por saber que eles sempre acreditaram em mim.

Agora, vou e descubro que esconderam algo desse nível de mim?! Sei que para muitos de vocês minha reação é exagerada, mas pare e se ponha em meu lugar.

Tirando minha tia, eles são minha família e confiava completamente neles. Confiança para mim é muito importante e estou muito triste em percebe que eles não confiam totalmente.

Mas não adianta ficar pensando no que houve até porque toda ação tem sua reação.

Pego minha filha e desceu. Quando chego na sala me deparo com o Gus de cabeça baixa e com seu celular ao seu lado.

- Vamos?

- Vamos. Já pegou tudo?

- Sim.

Sair da casa da minha tia sem falar mais nada e logo ele me segui. Entramos no carro e partimos cada um presos em seus próprios pensamentos.

Mari off


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Até o próximo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...