1. Spirit Fanfics >
  2. Cassandra >
  3. Sweet wait.

História Cassandra - Capítulo 76


Escrita por:


Notas do Autor


Oi,anjos.

Mais um capítulo novo para vocês.

Leiam as notas finais.

Meu perfil no wattpad também encontra-se nas notas finais, assim como todos os links relacionados a fanfic.  

— Tenham uma boa leitura!

Capítulo 76 - Sweet wait.


Fanfic / Fanfiction Cassandra - Capítulo 76 - Sweet wait.

 ‘’Você percebe tudo

Então eu dou meu tudo

Minha dor e minha luta

Meu amigo e meu amante

Eu coloquei isso em tudo

Parece uma coisa eterna

Sim, você pega meu tudo

Para que possamos ter tudo

Sim, nós vamos ter tudo.’’  ― Ella Mai Feat John Legend (Everything)


Point Of View Cassandra Agron.

Estados Unidos, Seattle 20 de Janeiro de 2019.

Vivendo a mais doce espera da minha vida, agora sabendo que está cada vez mais perto de minha filha chegar. Depois que soube que ela é uma garotinha, fui para casa feliz da vida para dar a notícia a minha mãe que ficou toda boba ao saber que vai ser avó de menina, e já passou até mesmo fazer uns casaquinhos de tricô para a própria. Na mesma noite, eu e Justin saímos para jantar e comemorar a descoberta do sexo e foi algo muito especial porque ele me levou para jantar em um restaurante francês. Depois fomos a uma pista de boliche e nos divertimos como um casal apaixonado e felizes ao saber que teremos uma filha daqui dois meses. Entrei no sétimo mês na quinta-feira, estou com vinte e sete semanas e três dias hoje. A minha barriga está enorme, parecendo que engoli uma melancia inteira e com isso vem uma terrível falta de ar.

Pego o waffles que está em meu prato e coloco nutella sobre, trazendo até os meus lábios. Eu desde ontem estou aqui na casa de Justin, nos finais de semanas, ele gosta que venho para ficarmos juntos nesses dias que não tem aula e nem trabalho. Sigo comendo e bebo do suco de maracujá que está em meu copo. Agora deve ser por volta das dez horas da manhã. Acordamos bem cedo porque uma mocinha decidiu chutar as minhas costelas, uma terrível falta de ar me atacou também e resultou em uma Cassandra acordando às seis da manhã para preparar café da manhã para gente. Após nos alimentarmos, subimos aqui para o quarto dele para assistir, mas senti vontade de comer nutella e ele foi comprar para que comesse com os Waffles que fiz para o nosso café.

Noto ela fazendo movimentos repetitivos e sei que ela está soluçando, a doutora informou-me na última consulta que isso é normal e que eu passaria a sentir isso desde vigésima quinta semana.

― Ela está soluçando! ― digo, após terminar de comer e o loiro ao meu lado traz o seu olhar até mim.

― Como você sabe isso?

― Pelos movimentos repetitivos que ela faz. ― ele traz suas mãos até a mesma, sentindo, mas os mesmos não duram por muito tempo.

― Você não acha que ela precisa de um nome? ― tira o prato do meu lado, pondo sobre a mesinha de cabeceira e eu paro para pensar, eu já estou com sete mês de gravidez e a minha filha literalmente precisa de um nome.

― Sim.

― O que acha de escolhermos agora?

― Vamos.

― Eu andei pensando em alguns nomes desde que descobri que ela é uma menina. ― ele se aconchega ao meu lado, todo manhoso e escorrega por seus dedos em minha barriga, fazendo a garota serelepe se animar ao ouvir a sua voz tão próxima. Ela nem nasceu, mas já adora ouvir a voz do pai dela.

― Quais foram os nomes?

― Aurora.

― Eu não gosto desse nome, Justin! ― falo enjoada, por seu um nome que anda sendo muito usada ultimamente e a minha garota merece um nome especial. Esse é um nome bonito, mas ainda não acho que seja o nome ideal para a minha garotinha.

― Eu também pensei em Eliza, Lily e Alexia. ― continua com seu afago vendo que ela parou com os movimentos.

― Está vendo? Nem ela gostou desses nomes porque parou de mexer ao ouví-los, ela é uma menina esperta!

― Não gostou de nenhum?

― Apenas de Alexia.

― E quais são as suas sugestões?

― Já que você não gostou de Madelyn, Mia e Kimberly. ― digo ainda meio chateada, porque são nomes muito bonitos, sem contar que se fosse Kimberly, o apelido seria Kim e é lindo, mas temos que entrar em um acordo de nomes que nós os dois gostamos. ― Mas você não disse nada sobre Julieta, Crystal e Angelina… Só que andei pensando bem e vi que não quero mais nenhum desses nomes. Eu nunca pensei que fosse tão difícil escolher o nome de menina, o de menino foi tão fácil.

― Não pensou em mais nenhum?

― Eu pensei em Madison.

― Não gostei.

― Você também não gosta de nenhum dos nomes que eu escolho, Justin! ― digo chorosa, afastando-o de mim por já ficar irritada com isso. Ele não gosta dos meus nomes e a filha é minha, eu que estou gerando-a e deveria ser apenas eu a decidir um nome, mas logo ele tem que ser o pai e agora fica com essa chatisse.

― Você também não gosta de nenhum dos meus.

Rebate e eu sinto as lágrimas rolarem por minha face. Eu odeio esses hormônios, odeio essa sensação que eles me dão. Levanto-me da cama, procurando por meus chinelos e ajusto o pijama em meu corpo para ir para sala. Eu quero ficar sozinha, porque sei que não iremos entrar uma decisão sobre o nome do bebê. Nossas mães no dia almoço que fizemos para comemorar o sexo junto de nossos amigos, deram algumas sugestões assim como as gêmeas, mas não gostamos de nenhum e decidimos não procurar mais, porque toda a vez que começamos é essa mesma discussão. Sigo com os meus passos até a porta, no momento que minha mão alcança a maçaneta, experimento a sua sobre a minha, abraçando-me por trás e beija as minhas costas por cima do tecido fino que uso.

― Não fica chateada.

― Eu não quero mais escolher o nome, vamos deixá-la nascer e quando olharmos para ela decidimos qual nome vamos dá-la.

― Não faz isso. ― beija novamente as minhas costas. ― Para de birra e vamos voltar para aquela para para decidir o nome da nossa garotinha. Eu sei que você quer chegar a uma decisão.

— Não.

— Cassandra, nós precisamos escolher um nome.

— Está bom, vamos.

 Dou o braço a torcer só porque a minha filha realmente precisa de um nome. Já que foi chamada de sementinha até o sétimo mês, porque até para sabermos o seu sexo foi difícil e só descobrimos quando estava no sexto mês, caminhando para esse a qual me encontro. Sento-me na cama com essa barriga grande que anda me provocando fortes dores nas costas. É a espera mais doce de minha vida, mas estou ficando cansada com as semanas passando. Sinto vontade de ficar o dia inteiro em casa, porém não quero deixar de ir a escola, irei ir até os dias que aguentar, já no meu trabalho acho que irei trabalhar até o mês que vem apenas, pois as dores estão incomodado e passar as tardes em pé não é nada legal.

― Jazmin?

― Só porque começa com sua inicial?

― Não, eu apenas achei um nome delicado e bonito! ― ele dá de ombros. ― Mas tem o nome Julie… É lindo e pequeno. ― continua, mas eu nego com a minha cabeça, acho que nunca iremos chegar a uma conclusão.

― Melanie?

― Não gostei por me lembrar uma ex-colega de classe que tinha no fundamental, ela me zoava bastante. ― olho para ele surpresa, mas não questiono, decidindo deixar isso apenas no passado mesmo.

― Desisto!

Deito nos travesseiros fechando os meus olhos. Um beijo é deixado em minha barriga, após ele levantar o tecido de minha blusa e deita-se ao meu lado, colocando uma de suas pernas sobre as minhas e sua mão em minha protuberância vendo que a nossa filha me deu um descanso, porque desde que começou a chutar as minhas costelas, ela adorou essa área de meu corpo, mostrando que não tem pena alguma de mim. Por mais que li em uma pesquisa que meninas têm mais chances de se parecer com o pai, não sei se é real, mas eu torço muito para que ela nasça parecida comigo porque, afinal, eu estou gerando-a e sofrendo com dores para trazê-la no mundo e nada mais justo comigo é que ela seja a minha cópia, eu de fato, vou adorar se isso acontecer.

―  Eu tenho um nome em mente. ― seus dedos passeiam e fazem círculos em minha pele. ― É um nome bonito, pequeno e eu acho que vai combinar muito com a nossa menina. Tenho certeza que ela irá amar ter esse nome.

― Qual nome?

― Alissa. ― diz por fim, e eu sorrio porque esse é um nome que nunca tínhamos pensado antes, mas que é lindo e até hoje eu não conheço ninguém com esse nome. Seus dedos continuam com o afago e uma movimentação rápida acontece dentro de mim, mostrando que alguém parece concordar com esse nome. ― Parece que ela gostou, olha só como ela se movimenta feliz, Cass.

― É um nome tão lindo, Justin!

― Você gostou?

― Muito.

― Então chegamos a uma conclusão depois de muita luta? ― pergunta animado, assim como nossa filha que ainda continua eufórica.

― Sim, eu gosto de Alissa.

― Então o nome dela vai ser Alissa Bieber. ― concordo com a minha cabeça, sabendo que essa de fato foi a nossa melhor escolha e eu estou tão feliz com a mesma. Justin olha para mim e eu fico de lado para fitar as suas íris castanhas. Seus dedos puxam o meu queixo e logo sinto sua língua dentro da minha boca, envolvendo-me em beijo caloroso e eu sei que isso vai acabar com nós dois fazendo sexo, apesar de minha barriga está grande, sempre encontramos uma posição que me deixa confortável.

26 de Janeiro de 2019.

As gêmeas passaram a semana toda falando em um chá de bebê que queria fazer. Eu neguei a todo instante porque não queria que elas gastassem dinheiro fazendo chá de bebê e porque não fazia ideia de quais pessoas chamar para o mesmo. Contudo, elas fizeram uma lista de possíveis pessoas e mostrou para mim e para o Justin que concordamos com os convidados. Elas ficaram tão animadas que em uma semana organizou exatamente tudo… Comidas, decoração, convites e a lista de presentes. Eu queria ajudar com as despesas, mas elas negaram dizendo é presente de tia e que eu e o Justin não precisava se preocupar com nada disso. Eu claramente poderia dar uma ajuda com o dinheiro que recebi do Jeremy, depois que cheguei de Clyde Hill, meu advogado procurou-me para dizer que em três semanas eu receberia os trinta mil dólares. No tempo certo, o dinheiro veio para a minha mão e eu preferi abrir uma conta para guardá-lo. É um dinheiro que nunca imaginei ter na vida. Então, eu guardei porque eu posso muito bem usá-lo para comprar coisas para a minha filha, como também posso tentar investir em algo para trabalhar para eu mesma nesses anos que vou me dedicar a minha bebê. Eu não quero depender do Justin, e sim, poder ajudá-lo com as despesas em relação a uma filha que é nossa. Como eu sempre trabalhei, não me imagino escorando-me em ninguém para ter as minhas coisas, desde meus dezesseis anos que ajudo a minha mãe nas despesas de casa e isso de certa forma, ajudou-me a ser independente. Também pensei em deixar o dinheiro para me ajudar com as coisas da faculdade que quero cursar, porém há muito tempo para eu pensar sabiamente em como irei usá-lo.

― Estamos chegando! ― Justin diz, com o seu olhar fixo no caminho. Elas decidiram fazer em um salão de festa que os pais delas tem aqui, com isso, falou que era para o Justin só me trazer quando elas ligassem dizendo que era hora. Falou que eu chegaria pouco tempo antes do pessoal, porque elas só queria que eu visse o local quando estivesse completamente arrumado, esperando por nós.

Olho para o caminho por que eu estou nervosa com isso, sei que vão ser apenas poucas pessoas e só o pessoal do colégio. As únicas pessoas que vão estar de fora, são apenas as nossas mães que ficaram de vim juntas, depois de virarem amigas.

Desço do carro e as gêmeas me puxam rapidamente, colocando uma venda sobre os meus olhos. Dou um sorriso para elas que dizem que espera que eu goste de tudo, pois é simples, mas que foi arrumando com todo amor e carinho do mundo. Sou guiada por elas e posso ouvir algumas músicas de ninar por perto. Seguimos e eu já sinto o cheiro de doces e bolos. Comida, é definitivamente a primeira coisa que meu olfato consegue reconhecer ao chegar nos lugares.

― Está pronta?

― Sim. ― respondo, sentindo a mão de Justin segurar na minha esquerda e uma das meninas passa a tirar a venda de meus olhos. Trago a minha mão direita até a boca completamente maravilhada com tudo o que está diante de meus olhos. ― A decoração está perfeita, na verdade, está tudo perfeito. Muito obrigada por tudo! Vocês são as melhores amigas do mundo inteiro! ― solto de Justin e abro os meus braços, sentindo-as se aconchegarem no mesmo, deixando beijos em mim.

― Só para demonstrar o quanto amamos vocês e o quanto estamos ansiosas para a chegada de nossa princesinha.

― Também fizemos isso em uma maneira de animar você, sei que esses últimos meses um cansaço vem. ― Sophia diz. ― Então, decidimos que iríamos fazer para que você tivesse um fim de tarde e início de noite perfeito!

― Tentamos fazer uma decoração que nos lembrasse a semetinha. ― ouça-as dizerem em uníssono.

Separamos do abraço e meus olhos voltam para a decoração perfeita diante de meus olhos. Elas colocaram uma parede de madeira, e pela mesma pendurou dois galhos de samambaia, pondo próximo a frase ‘’Alissa Baby Shower’’. É uma decoração linda e que foge muito do padrão que estamos acostumados a ver. No chão a frente da mesa têm milhares de folhas verdes, para se assemelhar a uma grama verdinha. Na mesa, ao lado esquerdo há balões pendurados de vários tons de rosa, já ao lado direito tem apenas um balão enorme e transparente. Ainda sobre a mesa há ganhos de samambaia para ajudar na decoração, assim como algumas bonecas feitas de pano, vasos com flores e um pequeno arco-íris. O bolo e os doces também ficaram com uma decoração linda. No chão do mesmo modo se encontram alguns objetos e sobre um pequeno banco branco, algumas fotos das ultrassonografias e uma minha com o Justin. Já no outro lado uma pequena estante com alguns pacotinhos que julgo ser as lembrancinhas para ser entregues no final da festa. Resumindo, essa foi a melhor decoração que elas poderiam escolher para um momento como este.

― Está perfeito!

O tempo foi passado e com isso os convidados foram chegando. Neste momento estamos reunidos em uma mesa, eu, Justin, Luna, Chaz, Ryan, Alec, John, Sophia e Shawn. Noto que a Sophia não para de conversar com o Shawn, eles parecem ter muitos assuntos juntos e desde que fizeram um trabalho em dezembro em dupla, acabaram se aproximando muito e trocam alguns olhares que eu julgo suspeito. Possa ser que eles estão se gostando, mas querem disfarçar mesmo não conseguindo. Trago o meu olhar para o resto do pessoal que conversam animados sobre o campeonato do colégio que se aproxima.

— Soube que já escolheram o nome da garota do Bieber. ― Ryan fala. ― Ele não para de falar um minuto na Alissa.

Olho para homem ao meu lado e um sorriso bobo está na sua face. Acaricio a mesma com cuidado e observo todos da mesa nos fitarem. Quem diria que nós dois que vivíamos nos alfinetando, iríamos estar hoje aqui no chá de bebê da nossa filha, tão ansiosos por sua vinda que se aproxima?

 ― Foi uma ótima escolha! ― ouço Alec dizer.

― Já sabem o significado? ― Luna pergunta, e eu ainda nem tinha parado para pensar nisso.

― Não.

― Pesquisa, Justin.

Vejo-o colocar no google e passa a pesquisar o significado do nome. Eu me animo porque eu gosto de fazer isso, eu sei o significado do meu nome e saber o de minha pequena filha vai ser algo maravilhoso.

― Aqui diz que o nome Alissa significa de sangue nobre, respeitada e majestosa.  ― termina de ler.

― Personalidade?

― Diz que Alissa costuma ser uma garota decidida, cheia de energia curiosa e está sempre pronta para se aventurar. ― balanço a minha cabeça, acabando de crê que escolhemos o nome certo visto que ela definitivamente é cheia de energia, tão cheia que, às vezes, deixa-me sem conseguir dormir. ― Para  terminar, costuma ser uma alguém que desperta a atenção das pessoas que a cercam.

Eles começam a bater palmas animados e Ryan levanta eufórico com um batido de morango em mãos. Todas as bebidas servidas aqui estão sendo sem álcool, porque eu não posso beber nada que contém álcool, até mesmo refrigerante a doutora cortou da minha lista, deixando-me irritada, porque o Justin não deixa nem eu chegar perto. E as gêmeas também optaram por não servir nada com álcool porque o nosso intuito aqui é se divertir, e não, ficarmos bêbados. Olho para as mesas ao lado e as pessoas conversam animadas, assim como as nossas mães que estão sentadas juntas, aposto que a minha está dizendo para a Pattie que irá ensiná-la a fazer tricô.

Trago o meu olhar até Ryan que faz sinal com a mão chamando a nossa atenção.

― Isso merece uma comemoração! ― levanta o copo em nossa direção e todos nós nos levantamos. ― A garota do Bieber! ― ele grita animado e recordo-me que o Justin me contou que na época que o Ryan soube que ele seria pai, fez ele e os meninos comemoram isso em bar a qual estavam quando ficaram sabendo.

― A Alissa! ― dizemos todos em uníssono e brindamos, trazendo as nossas bebidas até ao nossos lábios. Fecho os olhos sentindo o frescor que esse Drink de melancia é capaz de proporcionar.

•••

O tempo foi passando e fomos nos divertindo muito. Eu e o Justin tiramos várias fotos. Algumas eles estava beijando a minha boca e com as mãos sobre a minha barriga, em outras estávamos agarradinhos e na última que tiramos segurávamos um Body rosa que foi um dos presentes de hoje. Tiramos fotos também com as nossas mães, amigos e alguns dos convidados que vieram. Pudemos provar dos doces e os milhares de coquetéis que estão sendo servidos pelos garçons que as minhas amigas contataram para esse dias. Elas devem ter gastado um bom dinheiro com tudo, mas não aceitaram a minha ajuda fazendo tudo sozinhas. Brincamos também de algumas brincadeiras entre elas: ‘’adivinhar quem deu o presente’’ e foi muito divertido e a minha mãe disse que essa é a brincadeira tradicional dos chás de bebês. Depois brincamos de ‘’adivinhar a canção de ninar’’ ‘’encontrar a chupeta escondida’’ e a última que brincamos foi ‘’Baby stop’’.

― A brincadeira ainda não acabou! ― Sophia diz animada, com o Shawn ao seu lado, eles definitivamente ficaram o tempo todo juntos. Olho para um dos cantos daqui e o Chaz está abraçado com a Luna conversando, eles definitivamente é o meu casal favorito, eu adoro ver a maneira como eles se dão bem e se entendem. ― Ganha brinde quem acertar mais sabores.

― Qual é a próxima? ― Justin pergunta, puxando-me pela cintura e eu sorrio, sentindo seu queixo ser pousado em meu ombro.

― Adivinhar o sabor da papinha.

― EU NÃO VOU PROVAR PAPINHA DE NENÉM! ― ouvimos o grito do Ryan e todos olham para ele rindo.

― Pois, você será o primeiro. ― Sophia o puxa pela camisa, colocando-o sentado em uma das cadeiras e arrasta uma mesa que o garçom trouxe com vários potinhos de cores com as supostas papas de bebê.

Ela pega uma das colheres descartáveis e entrega ao Ryan. Ele pega-a de suas mãos e coloca na boca, prova e faz uma careta ao engolir, sem responder, ele saí imediatamente indo em direção ao banheiro.

Depois dele, várias outras pessoas passaram pela brincadeira e muitas reclamaram dos sabores das papinhas, principalmente o Justin que provocou muito ao ter provado uma papinha de mamão, banana e outra de maçã. Já as que tive que provar tiveram o sabor de feijão, cenoura, carne moída, pêra e abóbora, mas acabou que eu errei algumas. A pessoa que mais acertou os sabores, na verdade, acertou todos que provou, foi o John que acabou ganhando de brinde uma caneca personalizada.

Foi tão divertido e eu nunca iria imaginar na vida que teria um chá de bebê, porque eu não tinha planos de fazer nenhum. Contudo, às minhas amigas sempre pensam em tudo para me animar e sabia que com isso, eu teria uma tarde e início de noite animada. Neste momento, estou aqui na sala do apê de Justin, eu praticamente estou morando aqui e esses dias vi que tem alguns pijamas meus em seu closet, assim como uma escova de dente no armário de seu banheiro por eu sempre dormi aqui nos finais de semana.

— Está cansada? — ele toca os meus pés, olhando para as várias escolas espalhadas sobre o centro e sobre o seu sofá. Não iremos comprar tanta coisa porque hoje já ganhamos várias e sempre que vamos ao shopping acabamos comprando algumas coisinhas, depois vou pôr na lista apenas o essencial para comprar.

— Um pouco.

— Quer massagem?

— Uhum.

Respondo e ele tira os meus tênis, pegando em meus pés, iniciando uma massagem boa que me faz fechar os olhos. Ultimamente, tenho notado que os meus pés estão inchando porque uma sandália linda que eu adorava usar está apertada no meu pé e no dia que percebi isso, chorei muito, vendo que assim como as minhas roupas, os calçados também apertaram e minha mãe entrou no quarto para saber o motivo de tanto desespero, ao contar-lhe, ela me acalmou, dizendo que já estava acabando e logo eu iria voltar usar tudo o que eu desejo.

Justin para com a massagem nos pés e se ponhe atrás de minhas costas. Ao sentir um aperto nos meus ombros, deixo um gemido escapar de meus lábios, porque a sensação é maravilhosa.

— Não geme, por favor! — ele pede, seguindo com suas mãos trabalhando, proporcionando-me um ótimo relaxamento.

— Isso te excita?

— Você sabe que sim.

— Sério?  

— Claro, eu começo a lembrar de quando você geme sentando para mim. — fala e esfrego a minhas pernas uma na outra, lembrando que eu adoro sentar para ele. Nesses últimos meses da gravidez, eu tenho ido muito por cima por ser uma posição confortável por conta dessa barriga que agora possuo, não imaginava que cresceria tanto por ser magra.

— Você é um safado, Justin!

— Eu sei que você adora esse meu lado safado.

— Eu gosto mesmo, mas agora deixa de conversa e vamos olhar todas essas sacolas. Estou muito curiosa para isso. — ele termina a massagem e pega algumas das sacolas, colocando próximo de nós. Olho para o primeiro embrulho e vejo que foi presente do Shawn. Abro e tiro de dentro três toalhas com capuz, em cores rosa, branca e lilás.

Pensei que iríamos ganhar apenas roupas e essas coisas pequenas, mas acabou que ganhamos algumas coisas grandes também. Como no carro de Justin não caberia tudo, o Chaz ajudou a trazer metade das coisas em seu carro. Do John ganhamos um kit de mamadeiras em tamanho pequena, grande e uma média. Sophia nos deu um cadeirinha para descanso, é rosa com detalhes de florzinhas, na mesma ainda tem alguns objetos pendurados que ajuda a entreter a criança. Da Luna ganhamos uma babá eletrônica, de Pattie uma cadeira para alimentação, da minha mãe um bebê conforto, do Chaz um carrinho de bebê rosa com preto, do Ryan quatro pacotes de fraldas descartáveis, dois pijamas e mais um cobertor. Do Alec um jogo de lençol para berço e uma banheira. Do pessoal do colégio, ganhamos várias outros itens, como roupas, colônias, kits de higiene e mais fraldas. Agradecemos tanto pelos presentes e por cada pessoa que foi viver esse dia mágico com a gente. O dia de hoje vai ficar para sempre gravado em minha memória.

Olho para o Justin quando terminamos de ver as coisas e noto um sorriso nascer em seus lábios, transparecendo a felicidade que ele se encontra também.

31 de Janeiro de 2019.

Olho fixamente para tela de meu celular vendo algumas das mensagens que recebo no meu blog. O nome do mesmo é "Juntas somos mais fortes." Eu criei assim que voltei da viagem, era o meu maior sonho criá-lo para poder ajudar algumas outras meninas que engravidaram na época do colégio, assim como eu. Durante esse tempo, pude ver muitos relatos de algumas jovens e muitas delas falaram que desistiram de ir às aulas por conta dos comentários que ouvia por ter engravidado cedo, muitas ainda no primeiro ano do ensino médio. Eu já tenho dezoito anos, irei completar dezenove daqui alguns meses, estou no último ano do colégio, mas mesmo assim, não sou descartada de ouvir comentários desnecessários vindo de algumas pessoas. Semana passada ao entrar no banheiro, encontrei com duas meninas que são amigas da Caitlin e elas se maquiavam olhando para o espelho, ao me ver, passaram a me olhar torto, falando que eu tinha acabado com a minha vida por engravidar cedo e nada jamais iria ser como antes, se eu nunca tinha ouvido falar em camisinha e que as mesmas servem para não só evitar a gravidez, como previnem de doenças sexualmente transmissíveis. E eu tenho ciência disso, só que naquele dia, estava na expectativa de como seria transar pela primeira vez que acabei nem lembrando disso, assim como o Justin. Segui ouvindo-as e rebati no final, mostrando que eu não havia acabado com a minha vida, e sim, escolhi a decisão certa que foi arcar com a minha responsabilidade.

O julgamento ainda é grande.

Levanto-me de um dos bancos sabendo que neste momento o Justin deve estar se preparado para o jogo que irá acontecer daqui há alguns minutos. Eu estou torcendo tanto para o time dele ganhar, porque assim vão poder ir para final e quem sabe ser campeão? Ele tem se dedicado tanto, como trabalha, tem treinado à noite com seus amigos e aos finais de semanas quando não estamos juntos, outras vezes, ele também dá uma escapadinha para ir treinar, e em algumas ocasiões eu já o acompanhei nesses treinamentos onde eu e a Alissa torcíamos pelo o próprio que estava eufórico por ter voltado a treinar.

Sigo andando e acabo esbarrando-me em uma menina.

― Ei, olhe para onde anda! — ouça-a dizer.

― Desculpe, eu não te vi. ― ponho a mão na minha barriga, vendo que se caísse, eu poderia me machucar.

― Isso aqui não é lugar para grávidas! Você deveria estar em casa e não vindo ao colégio, sabia?

― O meu lugar é onde eu quiser estar! ― respondo-a firme, olhando em seus olhos ― Você me julga incapaz de estar aqui, por quê? Porque engravidei aos dezoito anos? Pois, eu gostaria que você soubesse que a minha gravidez não me deixa incapaz, mas deixa-me capaz de mostrar que apesar de estar grávida, eu não abandonei os meus estudos como muitas fazem e continuo vindo às aulas todos os dias para mostrar que o meu lugar é onde eu quiser que seja! ― olha-a, vendo-a abrir a boca duas vezes seguidas, sem conseguir dizer nada e com isso, eu lhe dou as costas, caminhando em direção de onde vai acontecer jogo porque sei que as minhas amigas já estão lá, esperando por mim.

Eu ainda me deparo muito com essas assim com outras ‘’Lá vem a grávida’’ ‘’Lá vem a garota que engravidou do capitão do time de basquete’’ ou ‘’Ela literalmente acabou com a vida dela.’’ Muitos desses comentários já me deixaram para baixo tanto que muitas vezes, eu saí correndo para chorar em algum lugar e quando o Justin encontrava-me, eu não queria falar para ele o que tinha acontecido, mas ele insistia muito que eu acaba falando tudo o que ainda ouvia nos corredores e que aquilo iria me fazer ficar alguns dias sem vir ao colégio. Foi no momento que ele segurou nas minhas mãos, dizendo que não deveria dar ouvido a essas pessoas, que aí que eu tinha que continuar vindo às aulas, para mostrar que a minha gravidez não me deixou incapacitada. Por muitas vezes, eu quis me manter forte, mas em outras, realmente desabava porque estou grávida, essa é a fase mais sensível de minha vida e ouvir esse tipo de coisa me afeta.

Chegando noto que ele está junto do pessoal já, mas assim que me ver, dá um enorme sorriso e vem caminhando em minha direção. Segura em minhas duas mãos e aperta lentamente, e eu posso ver que ele está nervoso com o jogo de hoje, mas acredito que tudo irá dar certo e ele vai passar dessa fase. Justin sela os nossos lábios, abaixa-se ficando a altura de minha barriga e passa a falar com a Alissa que o corresponde com seus chutinhos.

― Eu prometo que vou fazer uma cesta para você, papai! ― fala para ela que continua animada. Ouvimos o apito do treinador soar. Justin sela os meus lábios novamente, e eu desejo-lhe boa sorte seguido de um "eu te amo." Não demora nada e ele vai correndo em direção dos meninos do time, virando-se para mim e manda beijos no ar. Sinto-me bem melhor depois de tê-lo visto. Ponho a minha mão na minha protuberância, e sorrio caminhando para uma das arquibancadas, vendo as minhas amigas acenarem para mim. Nisso vamos eu e a Alissa torcer por seu pai que precisa muito vencer este jogo.


Notas Finais


Eles escolheram o nome. <3

Você gostaram da escolha? Eu acho Alissa um nome tão adorável <3 A história vai estar logo aqui abaixo nas notas finais ainda.

As gêmeas definitivamente são as melhores amigas da vida <3

Meu Deus, desde quando comecei a escrever Cassandra, eu via o Justin dizendo que iria fazer uma cesta para o bebê durante um dos jogos. Então, escrever esse finalzinho de capítulo encheu meu coração de amor ao ver que ele é todo bobinho por ela que ainda está a caminho. <3

Gente, eu morri de amores com os comentários do capítulo anterior vendo vocês falando sobre a sementinha. Meu coração fraco de fanfiqueira não aguenta tanto amor, e é algo incrível quando encontramos alguém que gosta dos personagens que crio tanto quanto eu. Obrigada por estarem aqui a cada capítulo vivendo isso comigo e esperando a noss semetinha ( agora como não chamar a sementinha de sementinha, alguém ensina? kkk <3)

HISTÓRIA DO NOME DA SEMENTINHA: Então, alguns de vocês sabem que eu passei a planejar Cassandra em 2017, mas como escrevia The Daughter Of Enemy, nas quis desviar a atenção por gostar muito de escrever a fanfic na época. Nisso, mantive o enredo ainda na minha mente, por mais que tenha mudado algumas coisas ao longo desse tempo. Voltando, em 2018, eu conheci uma Belieber no facebook, ela não sabia nem que escrevia fanfics, e decidimos trocar o WhatsApp. Passamos a conversar, e ao saber que ela tinha uma filha, eu morria de amores, a gente falávamos sobre filhos, gravidez (muito de vocês também devem saber que esse é um dos meus sonhos: ser mãe. Mas ainda não posso viver isso na minha vida real, então eu realizo nas fanfics, quem leu OPDA sabe o meu amor pela London) Em novembro de 2018, eu vi que era hora de postar Cassandra, era o meu sonho falar de uma gravidez durante uma fanfic inteira… Acredite, eu morri de amor com cada pesquisa que tive que fazer para desenvolver cada capítulo que eu trouxe aqui. O da primeira consulta do pré-natal, foi o que mais me deixou louca, mas depois de 7 horas, eu vi que havia ficado do jeito como eu imaginava. Voltando de novo, postei sobre Cassandra nos status do WhatsApp a minha amiga viu que eu escrevia fanfics, nisso criou um perfil para ler as minhas fanfics e isso me deixou muito feliz. <3 E ao ler, ela chegou para mim e falou: Miih, se o bebê da Cassandra for uma menina, você pode colocar o nome da minha filha? E eu: Ia ser um menino, mas por você, eu mudo sim. (No início de tudo, seria uma menino, mas com um pedido dela, eu mudei isso em dezembro de 2018 e nada mais me fez mudar porque eu iria cumprir com a minha palavra como fiz. E é por isso que a garota do Bieber e da Cassandra tem o nome de Alissa, e hoje eu vejo que não teria nome melhor para ela. <3 @FabySilvares. Acho que isso mostra o quanto vocês são especiais na minha vida! Quando eu realmente falo que gosto não é da boca para fora, mas sim, com toda a sinceridade que eu carrego comigo. Quando você chegou para me fazer esse pedido, eu jamais poderia negar isso para vocês. Nesses dois anos, você tem sido com uma irmã mais velha para mim, que mesmo de longe está o tempo todo cuidando da minha pessoa. É aquela pessoa que me manda 90 mensagens quando vê eu desaparecer por mais de uma semana do WhatsApp (eu não supero aquele dia) Você também é aquela amiga que me manda mensagens para saber se eu bebi água e estou me cuidando. (por saber que mais de um dia estou tendo episódios de desidratação) Você tem sido tudo para mim, você já me ouviu desabafar sobre coisas que para mim até anos atrás, era uma tortura falar… Obrigada por estar aqui, obrigada por toda a amizade, carinho e cuidado ao longo dos anos. Obrigada por esse pedido que fez, porque aqui em Cassandra a nossa Alissa será eternizada como tanto viemos sonhando nesse tempo. Hoje vejo que não teria nome melhor para o bebê da Cassandra e do Justin. Eu lembro que você fala que quando ela estiver maior, vai deixa ela ler essa fanfic para ver o nome dela aqui e eu espero que você diga também o quanto eu a amo. Ela é a afilhada virtual da minha vida, e eu amo ver a maneira como ela cresce cada dia mais esperta, adoro receber as fotos dela no meu whats!  Amo vocês, e obrigada por tudo. E como você sempre diz: ao infinito e além! <3

Eu sempre estou postando nos stories do instagram das fanfics coisas relacionadas a gravidez da Cassandra. Fotos de como está a barriga dela, e tudo relacionado. Tem até mesmo um destaque só para isso. Se vocês quiserem ver como está a barriga dela é só seguir o instagram @FanficsOfMiihNunes e ficar de olho nos stories. Quando a sementinha nascer vou postar coisas sobre ela lá também. (vai ser milhares de fotos dela, afinal, ela está sendo muito esperada. Não é?

Link do Instagram: https://www.instagram.com/fanficsofmiihnunes/


Link da Fanfic Reaprendendo a amar:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/reaprendendo-a-amar-18370102

Perfil no wattpad:
https://www.wattpad.com/user/Nunesmiih

Link do grupo de minhas fanfics no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/28XeYJsjJM0HyeeGKwpuvt

Link do trailer: https://www.youtube.com/watch?v=QDqeCybZ83w

Link da playlist: https://open.spotify.com/playlist/0XvQXNmmoegQZSOZx8tJly

Link do Instagram das fanfics: https://www.instagram.com/fanficsofmiihnunes/

Link do Tumblr:
https://cantinhodamiih.tumblr.com/
Com todo amor, Miih. Eu amo muito vocês <3

Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...